Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 21 outubro 2011

VÍDEO: Foliões contam o que vai deixar saudade nesta Oktoberfest

21 de outubro de 2011 0

A repórter Raquel Vieira passeou pela Vila Germânica acompanhada da fotógrafa Rafaela Martins, perguntando ao foliões o que vai deixar a saudade nesta Oktoberfest.

Confira o vídeo:

Acompanhe as trapalhadas da Oma no último desfile da Oktober

21 de outubro de 2011 1

Neste sábado, às 16h, ocorre o último desfile da 28ª edição da Oktoberfest. E entre as atrações está a irreverente Oma, a personagem criada pela atriz Rose Tschumi e pelo diretor da Companhia de Teatro Vira-Lata, Carlos Jardim, em 1992. A Oma foi criada para homenagear as avós do interior.

Com o jeito peculiar, as tamancas de madeira, o avental e a panela de bronze à mão, a Oma desfila sobre o carro de frutas, linguiças e torresmos. De lá, esbraveja toda vez que o Fritz se nega a distribuir os quitutes aos espectadores do desfile.

Rose participa ativamente da Oktoberfest desde a quinta edição. No princípio, cuidava da decoração dos pavilhões e do antigo Galegão, que também era palco da festa.

– A Oktoberfest faz parte da minha vida – confidencia.

Assista abaixo ao curta-metragem “A passarela de Rose”, produzido pelo Santa. Clique no player em “HD”, para assistir em alta resolução.

A Passarela de Rose from Santa.com.br on Vimeo.

Confira a programação da Oktoberfest para o final de semana

21 de outubro de 2011 0

Chegamos ao último final de semana da 28ª Oktoberfest. Música, comida, diversão e chope. Corra para aproveitar!

A expectativa é reunir mais de 120 mil pessoas no Parque da Vila Germânica entre sábado e domingo.

As bandas começam a tocar às 19h no sábado, mas os portões abrem às 11h. No sábado o ingresso é R$ 17 e no domingo a entrada é franca.

Programação de sábado

Setor 1
18h – Abertura
19h – Banda Badenblu – Blumenau
21h30- Apresentação Grupo Folclórico
21h45 – Banda XV Show – Blumenau
00h – Die Grombacher – Alemanha
2h30 – Banda Munique – Concórdia
5h- Encerramento

setor 2
19h – Banda Cruzeiro – Blumenau
21h45 – Apresentação Grupo Folclórico
22h – Trachtenkapelle D’Rauschberger-Zell – Alemanha
00h30 – Banda Os Montanari – Blumenau
2h30 – Banda Champagne – Blumenau
5h – Encerramento

Setor 3
18h – Abertura
19h – Banda do Caneco – Blumenau
21h45 – Grupo Folclórico
22h – Concurso de Chope em Metro
22h30 – Banda Cavalinho – Blumenau
1h – DJ Garcia     20h45
5h – Encerramento

Biergarten
11h – Abertura
12h – Banda Ritmos e Tradições – Blumenau
15h – Banda Blumenshow – Gaspar
18h – Banda Blumenthal – Blumenau
20h30 – Apresentação grupo folclórico
20h45min – Akkordeonorchester Frölich Eichsfelder – Alemanha
22h – Banda Primavera – Blumenau
00h30 – Banda Os Futuristas
2h30 – Banda Oktoberkrainer Musi – Blumenau
5h – Encerramento

Programação de domingo

Setor 1
11h – Abertura
12h – Grupo Die Tanzl Musi – Blumenau
14h – Banda Musical Worin – Pomerode
16h30 – Banda Musical Germânica – Blumenau
18h30 – Apresentação Grupo Folclórico
18h45 – Stadtkapelle – Blumenau
00h – Encerramento

Setor 2
11h – Abertura
12h – Grupo Hausmusikanten – Blumenau
14h – Banda  Blumenthal – Blumenau
17h – Banda Mensagem – Pomerode
20h – Concurso Rainha da 29ª Oktoberfest
21h45 – Banda Society – Blumenau
21h30 – Banda Cruzeiro – Blumenau
00h – Encerramento

Setor 3
Fechado

Biergarten
11h – Abertura
12h – Oktobertanzkapelle – Blumenau
14h30 – Grupo Ritmos e Tradições – Blumenau
16h30 – Grupo Bandoneons – Blumenau
18h30 – Akkordeonorchester Frölich Eichsfelder – Alemanha
20h – Bandas Os Futuristas e Choppmotorrad – Ijuí e Blumenau
00h – Encerramento

Relembre histórias curiosas da Oktober registradas em 25 anos de Zeitung

21 de outubro de 2011 0

Entre as alterações de nome de Oktoberfest Zeitung e Fest Zeitung, o caderno virou finalmente Oktoberzeitung. Em 25 anos, o Zeitung, criado para acompanhar a Oktoberfest blumenauense, mudou para seguir o ritmo da festa e dos leitores.

A primeira edição, publicada em 1986, já mostrava que o caderno não seria um simples informativo da Oktober, mas sim uma referência para os foliões. Ao longo da história, o Zeitung publicou informações inusitadas que fizeram parte da festa blumenauense.

Blecaute na festa

Em 1989, a luz acabou em três momentos na noite de 7 de outubro. Foram 50 minutos em que os pavilhões ficaram sem energia elétrica.

Choppoesia

A Associação de Poetas Independentes organizou em 1986 o Choppoesia. Os interessados podiam mandar poemas com temas relacionados ao chope. Os vencedores eram agraciados com um prêmio em dinheiro e apresentados durante a festa.

Esquadrilha da fumaça

Assim como a apresentação da Pirâmide Humana, que esteve nos desfiles de 2010 e 2011, em 1987 a Esquadrilha da Fumaça foi quem animou o público. Os aviões sobrevoaram os antigos pavilhões da Proeb, hoje Parque Vila Germânica.

Muralha da morte

Dois motociclistas rodando em um paredão de madeira em plena Oktoberfest. Em 1989, isso foi realidade. Sem horários definidos, as apresentações encantavam o público.

Patinação no gelo

Uma das atrações da festa de 1987 foi a patinação no gelo. O Holiday On Ice agradou o público e ainda proporcionou tombos e risos para os praticantes e quem estava assistindo.

Vai um banho aí?

A dona de uma residência em frente aos pavilhões do atual Parque Vila Germânica, na época chamado de Famosc, disponibilizou um chuveiro para que os foliões pudessem tomar um banho depois da festa. Em 1991, a proprietária colocou uma placa em frente da casa para atrair os interessados.

Copos reaproveitados

Os copos descartáveis usados na festa de 1989 foram reaproveitados. Eles tiveram como destino o Rio Grande do Sul, onde foram usados para a confecção de solas de chinelos e sapatilhas.

Lotérica na Oktober?

Sim. Uma lotérica fazia parte da estrutura da Oktoberfest em 1989. O local era onde os foliões faziam apostas. Em 1991, um sorteio da raspadinha parou os pavilhões na Oktober.

Freddy Quinn

No ano de 1993, a festa era feita no Celeiro do Vale, no Bairro Salto do Norte. Lá, o famoso cantor alemão Freddy Quinn se apresentou. Pela primeira vez no Brasil, ele cantou na Oktoberfest dos Bons Tempos, uma espécie de evento paralelo, promovido pelo empreendimento.

Pronto-socorro da costura

Em 1987, se você estivesse na festa e rasgasse a camisa ou perdesse um botão da blusa, o pronto-socorro da costura era a solução para os seus problemas. Duas costureiras de plantão ficavam à espera de quem precisasse do atendimento de última hora.

Colunista do Zeitung comenta a diferença de tratamento de cachorros de estimação entre a Alemanha e o Brasil

21 de outubro de 2011 3

Melhor amigo

O melhor amigo de qualquer alemão é o seu cachorro. Não tente explicar que no Brasil é comum haver animais usados como guardas, que dormem fora de casa: é algo que não vai acontecer na Alemanha. Primeiro pelo rigor do inverno, claro. Depois pelo status que os cãezinhos têm. Por lá, não existem animais de rua. Para ter o seu companheiro, é preciso pagar um imposto anual – que pode variar de R$ 150 a R$ 400 dependendo do Estado. Além disso, em muitas cidades, já há leis que obrigam o cachorro a passar por uma escola – a Hundschule – para andar com o dono em espaços públicos. Nesses locais, se o cachorro morder alguém ou for flagrado sem a documentação em dia, as multas podem ser bem salgadas.

Vaivém

Os cães andam de trem, de ônibus, de bicicleta. Frequentam restaurantes, bancos e outros serviços públicos. Via de regra, são aceitos em todos os lugares, a não ser que haja uma placa explicando que não podem entrar. Supermercados são espaços vetados aos amigos de quatro patas e onde os cães esperam do lado de fora, juntos, sem brigas.

Algumas vezes há pequenos cercados com água e ração oferecidos como cortesia. Se os cães refletem o comportamento dos donos, isso explicaria em grande parte o fato de não se ouvir qualquer latido pelas cidades. Mas nem pense em chamar, acariciar ou fazer gracinhas para os cães alheios. Além do animal dificilmente dar atenção a estranhos, alemães não gostam desse tipo de intimidade com os seus bichinhos.

Vai um remedinho ai?

Passear pelas ruas do Centro de Blumenau é sempre uma experiência renovada. Se olhar for voltado para as lojas, fica difícil de ignorar a quantidade de farmácias. É um exagero. É chocante até.

E essa proliferação desmedida de pontos de venda de remédio reflete, certamente, a abundância de clientela e o uso desmedido dos produtos. Na Alemanha as coisas são diferentes. A lista de remédios vendidos sem receita é pequena e constam analgésicos, pomadas para batidas, antiácidos e alguns xaropes para tosse e antialérgicos leves, por exemplo.

Três escolas

O sistema de ensino alemão é motivo para discussões ferrenhas. De acordo com a Unesco, não se trata do melhor do mundo: ocupa a 13ª posição – um sétimo lugar na Europa –, mas está bem acima da vergonhosa 88ª colocação do Brasil, em um ranking divulgado em março. O que difere mesmo é a separação feita logo após o fim do quarto ano, de acordo com o rendimento escolar das crianças.

Os melhores alunos vão para o Gynamsium, onde são preparados para o Abitur, uma prova cuja nota é usada para a seleção nas universidades. A decisão de onde estudar é feita pela escola e a pressão da família é grande nos estudantes dos primeiros anos para assegurar um futuro promissor. Em qualquer uma das Gesamtschule, como são chamadas as escolas, o primeiro dia de aula é sinônimo de festa: as crianças ganham sacolas em forma de cones com doces e presentes, a tradicional Schultüte.

Público, mas pago!

E quem pensa que o sistema de saúde pública da Alemanha é perfeito, certamente não vive por lá. Não se trata de comparar com a realidade brasileira – que tem muita coisa para melhorar, mas também merece elogios em alguns aspectos.

O fato é que não existe saúde pública gratuita em terras germânicas. O governo é o maior provedor ainda, mas vende os serviços de planos de saúde como qualquer outra empresa privada. E o preço é salgado. Para estudantes, em torno de R$ 175. Para quem passou dos 30 anos, as taxas ficam em torno de R$ 350 por mês.

Os planos de saúde do governo subsidiam o preço de uma série de remédios. Para quem precisa ir à farmácia com receita médica de um plano privado, os valores chegam a cinco vezes mais pelo mesmo produto e nem sempre são reembolsados. Quem quer fazer turismo na Alemanha deve lembrar de ter um seguro de saúde, obrigatório para a estada no país.

Diz o ditado:

Mit jeder neu gelernten Sprache, erwirbt man eine neue Seele

Com cada nova língua aprendida, se ganha uma nova alma

Ivana Ebel é jornalista e vive na Alemanha. Blumenauense, está na cidade natal para a Oktober e para escrever no Zeitung

Mais de 437 mil pessoas já passaram pela Oktoberfest

21 de outubro de 2011 0

Até quinta-feira, entraram no Parque Vila Germânica, 437.633 pessoas durante a 28ª Oktoberfest. Os visitantes da Oktoberfest consumiram 431 mil litros de chope (incluindo cervejas nacionais e importadas).

Também até quinta-feia, foram vendidos 138 mil tíquetes de refrigerante/água e 62 mil tíquetes de acesso ao parque de diversões.

O presidente da Vila Germânica, Norberto Mette, diz que a festa deve finalizar domingo com um público de 120 mil pessoas no final de semana.

No dia de maior movimento 93 mil pessoas passaram pela Vila

Orquestra de acordeões é atração no último final de semana da Oktoberfest

21 de outubro de 2011 0

A partir de hoje até domingo  o público poderá acompanhar o espetáculo da orquestra de acordeões, da Alemanha. A Akkordeonorchester Fröhliche Eichsfelder, composta por 30 pessoas, será atração no palco do Jardim da Cerveja (Biergarten).

Originário da Turíngia, o grupo existe desde 1997 e possui um repertório diversificado, abrangendo de músicas tradicionais a populares.

Confira os horários das apresentações do grupo:

Hoje às 21h15

Sábado às 20h45

Domingo às 18h30

Fernanda Barbosa é a candidata preferida dos leitores do Zeitung para ser rainha da Oktober

21 de outubro de 2011 3

O concurso de rainha da Oktoberfest 2012 termina domingo, dia 23, às 20h, no Setor 2 do Parque Vila Germânica. É quando a rainha Cristiana Krüger e as princesas Sabrina Beck e Ana Paula Tolardo entregam as faixas para as sucessoras.

Santa e o Zeitung fizeram uma enquete entre os leitores para saber “Qual candidata deve ser a rainha da Oktober?”. Na opinião do público, a estudante Fernanda Klaumann Barbosa lidera a preferência nos votos. Confira o resultado da enquete abaixo:

Fernanda

Fernanda Klaumann Barbosa, 21 anos 29.61% / 894 votos

Andréa

Andréa Cyntia Müller, 21 anos 16.0% / 483 votos

Kethlin

Kethlin Luana Gusawa, 22 anos 15.0% / 453 votos

Cintia

Cintia Daniela Glaz, 25 anos 8.88% / 268 votos

Taís

Taís Draeger, 22 anos 6.56% / 198 votos

Andressa

Andressa Mayara Baer, 21 anos 5.3% / 160 votos

Mariane

Mariane Klann, 29 anos 5.2% / 157 votos

Raquel

Raquel Maul, 21 anos 4.21% / 127 votos

Danieli

Danieli Sutil Muniz, 22 anos 3.84% / 116 votos

Monique

Monique Sharon Sautner, 21 anos 3.31% / 100 votos

Isabel

Isabel Zibert, 23 anos 2.09% / 63 votos

Neste sábado tem o último desfile da Oktober

21 de outubro de 2011 2

A Oktoberfest 2011 termina neste fim de semana. E para fechar a festa com chave de ouro e deixar todos mundo com um gostinho de quero mais, haverá uma série de atrações. Uma delas é o desfile pela Rua XV de Novembro.

Cerca de 2,5 mil figurantes vão participar do desfile (Foto: Jandyr Nascimento)

O desfile começa às 16h. Cerca de 2,5 mil figurantes e dezenas de carros alegóricos vão fazer parte do espetáculo de rua. A expectativa é que as calçadas da rua mais charmosa do Centro fiquem lotadas.

A 28ª Oktoberfest teve seis desfiles em sua programação.

Polícia Civil registrou 133 boletins de ocorrências na Oktober

21 de outubro de 2011 1

A Comissão de Segurança da 28ª Oktoberfest divulgou dados a respeitos dos boletins de ocorrência registrados pela Polícia Civil na festa. Do dia 6 até dia 19, foram 133 boletins.

A maioria das ocorrências foram de perda de documentos (75 registros), furtos (22 registros) e lesão corporal (17 registros). Foram registradas, ainda, cinco ocorrências de porte ilegal de entorpecentes.

Achados e perdidos

Até dia 19, o posto da Polícia Civil registrou a perda de 264 objetos pelos foliões dentro da Vila Germânica. Destes, 91 tiveram os donos localizados e foram devolvidos.