Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Obras da passagem de nível da Anita Garibaldi começam em janeiro

23 de dezembro de 2012 4

Em janeiro, moradores fizeram protesto contra a retirada de árvores da Anita Garibaldi - Foto: Ronaldo Bernardi / Agência RBS

Oito meses após ter dado ordem de início para a construção da passagem inferior da Rua Anita Garibaldi, a Prefeitura de Porto Alegre informa que a obra irá começar em janeiro. Na semana que vem, o cronograma da execução dos serviços será discutido com a construtora Sultepa, vencedora da licitação.

Segundo o secretário de Gestão e Acompanhamento Estratégico, Urbano Schmitt, a prefeitura continuará conversando com os moradores que são contrários a obra, mas não irá esperar mais para iniciar os trabalhos. O objetivo é aprontar a obra antes da Copa do Mundo de 2014.

No dia 18 de dezembro, uma audiência pública seria realizada na Câmara de Vereadores, mas foi cancelada a pedido dos moradores. A Associação da Praça Japão pediu a transferência para março, com receio de que o encontro de dezembro teria baixo quórum por conta das comemorações do fim de ano. Os moradores reclamam que o pedido desse encontro partiu da própria comunidade, no dia 25 de junho, mas que foi marcado para a semana antes do Natal. No começo de junho, representantes de moradores e comerciantes da rua Anita Garibaldi já haviam se reunido com integrantes da prefeitura para tratar sobre o tema.

Em outubro, a Promotoria de Defesa do Meio Ambiente de Porto Alegre definiu as compensações ambientais para a realização da obra. A Prefeitura se comprometeu em restringir a circulação de veículos acima de 7,5 toneladas nas Alamedas Raimundo Corrêa e Vicente de Carvalho, no período das obras, entre outras medidas.

A obra está orçada em R$ 10,28 milhões de reais. O prazo estimado para execução dos trabalhos é de 12 meses.

Comentários (4)

  • João Vitor Mokan diz: 23 de dezembro de 2012

    Bom dia a todos!
    Sou proprietário de um apartamento em uma rua transversal a Avenida Anita Garibaldi, na Rua Carlos Legori. Estou preocupado com os efeitos colaterais da obra na Anita que tem por objetivo dar fluência ao trânsito da perimetral. Todos os dias quando retorno do trabalho, passo por um verdadeiro teste de paciência, para começar enfrento engarrafamento no cruzamento da avenida Eng. Alfredo Correa Daudt com a Anita Garibaldi. Vencido este obstáculo, a menos de 50 metros,novamente preciso parar e esperar pelo semáforo da Avenida Alvarenga que contribui para o crescimento do primeiro obstáculo! Deixando para trás a primeira etapa, fico na torcida para que o engarrafamento promovido pelo cruzamento da Anita com a Avenida Mal. Andréa não seja atingido já nos próximos 50 metros da Anita. Neste cruzamento, diariamente existe um “caos” instaurado, os estabelecimentos comerciais incentivam as pessoas a estacionar em cima da calçada (alguns cidadãos, após as 18 horas, fazem seu happy hour, comendo um churrasquinho e bebendo sua cerveja nesta área comercial – obviamente a EPTC não irá realiza o teste do bafômetro naqueles que saem dirigindo após “relaxar” no bar), os veículos que transitam na Anita no sentido bairro-centro cruzam por dentro do posto de gasolina para subir a Avenida Mal. Andréa porque “oficialmente” não é possível realizar esta manobra. Para finalizar, os pedestres competem com carros para transitar na calçada, em duas ocasiões quase fui atingido por veículos porque surgiu uma “vaguinha” e os carros precisam ser rápidos para não atrapalhar o fluxo da rua.
    Para contribuir, quando o colégio situado na avenida Mal. Andréa chega ao final de sua jornada diária, liberando seus alunos para retornarem a suas residências formam-se filas de veículos para coletar as crianças, então, por vezes o ônibus da linha 525 sobe a mesma avenida no sentido contrário do permitido, uma cena de filme.Continuando a aventura diária da Avenida Anita Garibaldi, agora chegando ao cruzamento com a Rua Líbero Badaró, apresenta-se outra cena interessante. Existe uma competição entre ônibus (final da Lina 525), taxistas, veículos que querem estacionar na calçada para frequentar o outro bar da esquina (neste bar a cerveja é mais barata, o público é mais simples, por vezes estendem seu happy hour por horas e após saem em disparada pela avenida com seus carros e motos) e os veículos que trafegam em direção ao centro e bairro disputando, de acordo com suas necessidades, se continuam na Anita, se sobem a Líbero Badaró ou se entram no bar. Acredito que eu tenha muita “sorte” por ainda não ter presenciado algum acidente apenas escutado relatos.
    Então continuo na Avenida Anita Garibaldi chegando ao último obstáculo,o congestionamento formado no final da Anita com a Rua Luiz Cosme, onde os veículos acumulam devido à curva de acesso a Rua Acélio Daudt que por ser muito fechada restringe o fluxo. Na verdade da esquina da Rua Luiz Cosme até o acesso ao Iguatemi, Rua Gen. Pedro Bittencourt esquina com a Avenida João Wallig, acumulam veículos porque a prefeitura não providencia um acesso direto a Rua João Wallig, a final, existe um conjunto de casas irregulares que não são desapropriadas para abertura de uma rua que facilitaria o transito descongestionando boa parte da Anita.
    - Opa, havia esquecido sobre o verdadeiro motivador de iniciar a escrever este pequeno relato!
    A copa do mundo merece uma melhoria no transito da Avenida Carlos Gomes, vai beneficiar a todos que vivem em Porto Alegre (me incluo nesta lista), tornando o fluxo de veículos rápido, facilitando o acesso de milhares de pessoas. Minha reflexão é para despertar nas autoridades uma visão aberta sobre o todo, assim como na Anita, outros pontos que receberão melhorias na cidade serão impactados com efeitos colaterais deste remédio “Copa do Mundo”, uma avaliação aprofundada das modificações com um retorno à população dos arredores poderia facilitar a recepção das obras pelos moradores bem como proporcionar um reconhecimento público da atual administração pela atenção disponibilizada para esclarecer a população.
    Deixo algumas perguntas:
    - Alguém pensou no que fazer com o aumento do fluxo de veículos direcionados a Anita?
    - A EPTC poderia ser mais presente nas regiões de “caos” da Anita?
    - As calçadas que deveriam ser utilizadas pelos pedestres continuarão a ser utilizadas pelos veículos em função do poder do comércio de alguns pontos (Academias, bares, tele-entregas, etc…)?
    - As casas irregulares na esquina da Anita Garibaldi com Rua Luiz Cosme pagam IPTU como eu?
    -O esgoto a céu aberto depositado por estas residências no córrego que cruza o Country Club vai continuar “perfumando” o ar do bairro?
    - Os protocolos que abri no site do DMAE para denunciar a situação do córrego não são atendidos por quê?
    Poderia fazer muitas outras perguntas, mas já estou sendo individualista o suficiente. Ficaria satisfeito se pelo menos algumas destas questões fossem respondidas com ações da PREFEITURA, EPTC e DMAE.
    O tempo que levei para escrever este desabafo é o suficiente para cruzar a Avenida Anita Garibaldi nos dias de hoje, estou na torcida que seja menor com as melhorias que serão realizadas pela prefeitura para a Copa de 2014, porque acho que esta seria uma boa justificativa para convencer a todos que moram na região a respeito da importância desta obra.
    Obrigado pela oportunidade disponibilizada pelo Clicrbs para expressar um pouco das preocupações que divido atualmente com meus vizinhos de prédio, bairro e amigos.

  • Alexandro Corrêa diz: 26 de dezembro de 2012

    O Sr. João Vitor descreveu muito bem todos os problemas do trânsito na região da Av. Anita Garibaldi! Certamente a passagem de nível não vai resolver nem uma mínima parte deles! Porém, há também de se pensar nos motoristas que vêm da região metropolitana, pela caótica BR-116. Após (finalmente) chegar em Porto Alegre, ainda tem que enfrentar um caos na 3ª Perimetral (tão ruim quanto a BR-116). O que eu desejo neste final de ano são colhões de aço para todos! Só assim para aguentar esta baderna que é nossa “cidade da copa”. Salve-se quem puder!

  • Rogério Ratner diz: 10 de janeiro de 2013

    esta obra é um absurdo, um verdadeiro desperdício de dinheiro público. Dinheiro que bem poderia ser investido nas vilas populares e na saúde municipal. Não vai resolver nada para o trânsito, ao contrário. Quem hoje entra pela Anita na Carlos Gomes, em direção ao aeroporto, não vai poder mais entrar. E na parte de baixo da Anita, para conversão à esquerda em direção ao aerporto dá numa ruazinha que só tem uma mão. É incrível que algum engenheiro de tráfego não veja isto. A tal trincheira, ao invés de dar agilidade ao trânsito, vai torná-lo mais lento, pois vai dar engarrafamento na parte de baixo da Anita para quem quiser ir à esquerda da zona norte, em direção ao aeroporto. Isto sem falar no desastre ecológico, mais de trezentas árvores serão derrubadas. O mesmo Fortunati que salvou um frango na Érico Veríssimo é o que vai matar milhares de pássaros que têm nas árvores e nos jardins dos prédios e casas da Anita seu habitat naturaldi. E a obra nem vai permitir eliminar alguma sinaleira, como tentou fazer crer a Prefeitura, pois naturalmente a sinaleira para atravessar a Carlos Gomes para pegar o ônibus e ir para o outro lado da calçada vai ter que continuar funcionando como agora. Dinheiro posto fora por um governo incompetente, descomprometido com os verdadeiros interesses da população. Esta obra só satisfaz os políticos no poder e as empreiteiras, como sempre, as grandes beneficiadas pelos investimentos do dinheiro do povo. Ainda está em tempo do Prefeito refletir e voltar atrás em relação a este grande erro

  • Obras da passagem de nível da rua Anita Garibaldi começam amanhã em Porto Alegre | Estamos em Obras diz: 22 de janeiro de 2013

    [...] realização de reuniões, a prefeitura de Porto Alegre informou, em dezembro do ano passado, que a obra seria realizada em janeiro. [...]

Envie seu Comentário