Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Atraso em pagamentos faz consórcio demitir 200 trabalhadores das obras da nova ponte do Guaíba

20 de novembro de 2015 6
Demissões começaram nessa quarta-feira - Foto: Reprodução / Reprodução

Demissões começaram nessa quarta-feira – Foto: Reprodução / Reprodução

Duzentos funcionários diretos e terceirizados estão sendo demitidos pelo consórcio responsável pela construção da nova ponte do Guaíba, em Porto Alegre. Estão sendo demitidos operários, engenheiros, assistentes sociais, técnicos de diversas áreas e auxiliares.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Pesada do Rio Grande do Sul, Isabelino Garcia dos Santos, foi comunicado nessa quarta-feira (19) da decisão. No encontro, as empresas disseram que aguardam a normalização dos pagamentos do Governo Federal. Se isso não ocorrer até o fim do ano, a obra pode parar, pois as construtoras não têm mais como honrar seus compromissos.

O último pagamento feito pela União ocorreu em junho. De lá para cá as empresas não receberam mais pagamentos. De acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), o consórcio tem R$ 73 milhões para receber por serviços que já foram realizados.

As obras estão 25% concluídas. Os trabalhos estão sendo realizados há um ano. De acordo com o cronograma oficial, ainda faltam 24 meses para o término da nova travessia.

Saiba mais:

- Um ano depois: obras da nova ponte do Guaíba estão 23% concluídas

- Fepam autoriza construção de casas das famílias reassentadas da nova ponte do Guaíba

- Liberada primeira área para reassentar famílias atingidas pela construção da nova ponte do Guaíba

- Vídeo: Guindaste cai em meio às obras da nova ponte do Guaíba

- Área de reassentamento de famílias da nova ponte do Guaíba é invadida

- Começam as obras da nova ponte do Guaíba

Comentários (6)

  • ahf diz: 20 de novembro de 2015

    Vai faltar vaga no pronatec…

  • Rodriguo diz: 20 de novembro de 2015

    Espero que tirem as vilas do Humaita…

  • Fabio Fontana diz: 20 de novembro de 2015

    Surpresa ?? Você acha que o Ministério da Defesa já pagou os jipes Marruá, comprados da Agrale há anos ?? Você acha que o Ministério da Educação já pagou as carrocerias Marcopolo dos ônibus escolares (amarelos) que desfilam pelo interior há anos ? Você acha que o Ministério da Educação já pagou as escolas feitas pela MVC (Artecola), inclusive as entregues no Rio Grande do Sul em 2015 ? Você acha que o seguro agrícola sobre a safra 2013 já foi pago pelo Ministério da Agicultura ?? Sabe nada, inocente !!

  • joão pedro diz: 20 de novembro de 2015

    É errado.. não poder cortar a luz… depois qdo o Brasil não vai pra frente … não sabem por que.

  • Marco diz: 20 de novembro de 2015

    Governo ladrão e incompetente. Contrata e depois deixa os contratados no pincel. Querem o quê, que as empresas continuem honrando seus compromissos de que jeito, se ficam dando calote (e depois não pagam nem juros, agora experimenta atrasar um recolhimento de imposto pra ver o que acontece – é multa, juros e mais um monte de penalidades). Garanto que para os vinhos caros e camarão do palácio ocupado pela guerrilheira ensacadora de vento não falta dinheiro, né?

  • Angelo Frizzo diz: 25 de novembro de 2015

    Só tem “comentarista ” esperto e inteligente por aqui. De onde tiram essas “informações” que colocam aqui, do JN ou da veja.

Envie seu Comentário