Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "BR-290"

Duplicação da BR-290 começa em novembro

13 de outubro de 2014 1
BR-290 será duplicada entre Pantano Grande e Eldorado do Sul – Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS (Arquivo)

BR-290 será duplicada entre Pantano Grande e Eldorado do Sul – Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS (Arquivo)

As obras de duplicação da BR-290 vão começar em novembro. O primeiro trabalho que será realizado é a retirada de vegetação entre os lotes dois e quatro, localizados nos municípios de Arroio dos Ratos e Pantano Grande.

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) aguarda apenas a autorização para retirada de vegetação, que será emitida nos próximos dias pelo Instituto de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Na sexta-feira, o Ibama emitiu a licença de instalação que permite o início dos trabalhos.

Já no Lote um, em Eldorado do Sul, as obras ainda estão condicionadas à anuência da Fundação Nacional do Índio (Funai). O novo traçado se sobrepõe à terra indígena Petim-Arasaty e está a aproximadamente 7 quilômetros da terra indígena Arroio do Conde.

Ao todo serão implementados 21 programas ambientais para diminuir os impactos ocasionados pelas obras. Além disso, o licenciamento ambiental indicou a necessidade de construção de um viaduto na travessia de Pantano Grande.

As construtoras terão três anos para realizar a duplicação no trecho de 115,7 quilômetros entre os municípios de Eldorado do Sul e Pantano Grande. Prometida para 2012, a licitação foi publicada no Diário Oficial da União no dia 31 de janeiro deste ano. Ela irá custar R$ 583,55 milhões.

Responsáveis pela obra:
Lote 01 = Consórcio Bolognesi – Conterra – Magna = R$ 151 milhões;
Lote 02 = Consórcio TB – ECB – ETEL = R$ 172,5 milhões;
Lote 03 = Consórcio Trier – Ctesa – Prodec = R$ 130,9 milhões;
Lote 04 = Consórcio Equipav – CSL – Esteio = R$ 129,15 milhões.

A obra foi dividida em quatro lotes:
Lote 01 = Extensão de 29,70 quilômetros, entre o km 112,3 e o km 142;
Lote 02 = Extensão de 30,08 quilômetros, entre o km 142 e o km 172,08;
Lote 03 = Extensão de 27,03 quilômetros, entre o km 172 e o km 199,03;
Lote 04 = Extensão de 28,70 quilômetros, entre o km 199,3 e o km 228.

Saiba mais:

- Concluído projeto de duplicação da BR-290 entre Eldorado do Sul e Pantano Grande

- Começam os trabalhos para duplicação da BR-290

- Definidos vencedores de todos os lotes da licitação da duplicação da BR-290

- Duplicação da BR-290, entre Pantano Grande e Eldorado do Sul, terá licitação considerada mais ágil

Obras da nova ponte do Guaíba devem começar tão logo Fepam conceda autorização

29 de setembro de 2014 8
Previsão é que obra ocorra em três anos – Imagem: Divulgação / Dnit

Previsão é que obra ocorra em três anos – Imagem: Divulgação / Dnit

As obras de construção da nova ponte do Guaíba devem começar tão logo a Fundação de Proteção Ambiental (Fepam) conceda a autorização para começo dos trabalhos. A expectativa do diretor-geral susbstituto do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Tarcísio Gomes de Freitas, é que a licença de instalação seja emitida em outubro, com as primeiras estacas sendo cravadas.

Já a duplicação da BR-290 deve ter os primeiros trabalhos em novembro. O Dnit e as empresas contratadas ainda aguardam autorização do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e da Fundação Palmares.

Em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade, o diretor do Dnit garantiu que as obras de duplicação da BR-116, entre Guaíba e Pelotas, devem ser concluídas até o fim de 2015. Também informou que a licitação do prolongamento da Rodovia do Parque até Portão deve ser lançada no próximo mês. A autarquia trabalha para conseguir as licenças ambientais necessárias. A obra deve durar três anos, entre projetos e execução dos trabalhos.

Saiba mais:

- Concluída licitação de supervisão das obras da nova ponte do Guaíba

- Definidas áreas que serão destinadas às famílias afetadas pela construção da nova ponte do Guaíba

- Fepam começa a analisar hoje projeto de construção da nova ponte do Guaíba

- Obras de construção da nova ponte do Guaíba devem começar em setembro

- Construção da nova ponte do Guaíba também depende de autorização da Marinha

- Tribunal de Contas da União investiga possíveis irregularidades em construção de nova ponte do Guaíba

Começo das obras de duplicação da BR-290 ainda depende de licenças

15 de setembro de 2014 0
BR-290 será duplicada entre Pantano Grande e Eldorado do Sul – Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS (Arquivo)

BR-290 será duplicada entre Pantano Grande e Eldorado do Sul – Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS (Arquivo)

As obras de duplicação da BR-290, entre Pantano Grande e Eldorado do Sul, deveriam começar neste mês. Deveriam. O projeto para duplicar a rodovia está concluído desde julho. A previsão é que a licença viria no mês de setembro, o que até agora não ocorreu.

Na semana passada, a Fundação Nacional do Índio (Funai) emitiu parecer ao começo das obras nos lotes dois, três e quatro. Porém, para que a licença de instalação seja autorizada, falta ainda o parecer do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e da Fundação Palmares.

Sobre o lote um, ainda faltam todas as anuências: da Funai, Iphan e Fundação Palmares. A Funai ainda avalia o Programa de Apoio às Comunidades Indígenas (PBAi), já que será necessário transferir índios, que hoje moram às margens da rodovia.

Depois que as licenças forem emitidas, as construtoras terão três anos para realizar a duplicação. Prometida para 2012, a licitação foi publicada no Diário Oficial da União no dia 31 de janeiro deste ano. Ela irá custar R$ 583,55 milhões.

Responsáveis pela obra:
Lote 01 = Consórcio Bolognesi – Conterra – Magna = R$ 151 milhões;
Lote 02 = Consórcio TB – ECB – ETEL = R$ 172,5 milhões;
Lote 03 = Consórcio Trier – Ctesa – Prodec = R$ 130,9 milhões;
Lote 04 = Consórcio Equipav – CSL – Esteio = R$ 129,15 milhões.

A obra foi dividida em quatro lotes:
Lote 01 = Extensão de 29,70 quilômetros, entre o km 112,3 e o km 142;
Lote 02 = Extensão de 30,08 quilômetros, entre o km 142 e o km 172,08;
Lote 03 = Extensão de 27,03 quilômetros, entre o km 172 e o km 199,03;
Lote 04 = Extensão de 28,70 quilômetros, entre o km 199,3 e o km 228.

Saiba mais:

- Concluído projeto de duplicação da BR-290 entre Eldorado do Sul e Pantano Grande

- Começam os trabalhos para duplicação da BR-290

- Definidos vencedores de todos os lotes da licitação da duplicação da BR-290

- Duplicação da BR-290, entre Pantano Grande e Eldorado do Sul, terá licitação considerada mais ágil

Concluído projeto de duplicação da BR-290 entre Eldorado do Sul e Pantano Grande

05 de agosto de 2014 7
BR-290 será duplicada entre Pantano Grande e Eldorado do Sul - Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS (Arquivo)

BR-290 será duplicada entre Pantano Grande e Eldorado do Sul – Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS (Arquivo)

As empresas contratadas para duplicar 115 quilômetros da BR-290, entre Eldorado do Sul e Pantano Grande, entregaram no mês passado os projetos ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Os técnicos da autarquia estão avaliando o material entregue e podem sugerir correções a serem feitas. Se isso ocorrer, as construtoras terão mais 30 dias para atenderem às solicitações. Depois disso, a obra deve começar.

Porém, para que os trabalhos possam ser iniciados, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) precisa emitir a Licença de Instalação. Para que isso ocorra é preciso que o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a Fundação Nacional do Índio (Funai) e a Fundação Palmares deem anuência, pois será necessário transferir índios, que hoje moram às margens da rodovia.

A obra foi dividida em quatro lotes. Contratualmente, as empresas têm prazo de cinco meses, que vence em agosto, para fazer o estudo e outros três anos para realizar a duplicação.

Prometida para 2012, a licitação foi publicada no Diário Oficial da União no dia 31 de janeiro deste ano. Ela irá custar R$ 583,55 milhões. As vencedoras ficarão responsáveis pela realização dos projetos básico e executivo, além da execução das obras de duplicação da rodovia.

Responsáveis pela obra:
Lote 01 = Consórcio Bolognesi – Conterra – Magna = R$ 151 milhões;
Lote 02 = Consórcio TB – ECB – ETEL = R$ 172,5 milhões;
Lote 03 = Consórcio Trier – Ctesa – Prodec = R$ 130,9 milhões;
Lote 04 = Consórcio Equipav – CSL – Esteio = R$ 129,15 milhões.

A obra foi dividida em quatro lotes:
Lote 01 = Extensão de 29,70 quilômetros, entre o km 112,3 e o km 142;
Lote 02 = Extensão de 30,08 quilômetros, entre o km 142 e o km 172,08;
Lote 03 = Extensão de 27,03 quilômetros, entre o km 172 e o km 199,03;
Lote 04 = Extensão de 28,70 quilômetros, entre o km 199,3 e o km 228.

Saiba mais:

- Começam os trabalhos para duplicação da BR-290

- Definidos vencedores de todos os lotes da licitação da duplicação da BR-290

- Duplicação da BR-290, entre Pantano Grande e Eldorado do Sul, terá licitação considerada mais ágil

Antigas rodovias federais pedagiadas do RS estarão recuperadas em um mês, segundo Dnit

26 de março de 2014 5
BR-290 sofre com a falta de conservação – Foto: Eduardo Matos / Rádio Gaúcha (Arquivo)

BR-290 sofre com a falta de conservação – Foto: Eduardo Matos / Rádio Gaúcha (Arquivo)

Das licitações que foram lançadas para recuperar as rodovias federais gaúchas, antes pedagiadas, duas têm obras, cinco já receberam ordem para iniciar os trabalhos e apenas duas ainda estão pendentes. Das que estão autorizadas a receber recuperação do pavimento estão a BR-285, Vacaria – Lagoa Vermelha; a BR-285, Passo Fundo – Panambi; a BR-290, Eldorado do Sul – Caçapava do Sul; a BR-386, Soledade – Sarandi; e a BR-386, Soledade – Tabaí.

Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), dentro de um mês, essas rodovias estarão nas mesmas condições de quando foram devolvidas. Em três meses, elas estarão em melhores condições.

As pendência estão em dois trechos da BR-116. Entre Guaíba e Camaquã, a licitação ainda está em andamento. Entre Vacaria e Campestre da Serra, a parceria com o Exército depende de homologação do contrato.

Dois trechos já recebem obras de conservação. Desde dezembro, os reparos são realizados na BR-116, entre Nova Petrópolis e Campestre da Serra. Os trabalhos são feitos pela empresa Pavia. Já na BR-471, o contrato foi assinado em fevereiro.

No dia 12 de março, foi concluído o repasse das rodovias federais entre governos do Estado e Federal. O termo de entrega oficializou a devolução das rodovias, que foram repassadas, ao governo gaúcho, em 1996, quando os contratos dos pólos rodoviários foram assinados. Dessa forma, todos os nove trechos estão sob comando do Dnit.

Obras em andamento:
BR-116: Km 079,5 – km 184,8 (Nova Petrópolis – Campestre da Serra): Empresa Pavia
BR-471: Km 134,8 – Km 197,9: Empresa Conterra

Empresas já receberam autorização para começar os trabalhos:
BR-285: Km 119,2 – Km 182,8 (Vacaria – Lagoa Vermelha): Empresa Conterra
BR-285: Km 290,4 – km 414,4 (Passo Fundo – Panambi): Empresa Conterra
BR-290: Km 111,8 – km 316,8 (Eldorado do Sul – Caçapava do Sul): Empresa Conterra
BR-386: Km 131,7 – Km 248,2 (Soledade – Sarandi): Empresa Conpasul
BR-386: Km 248,2 – Km 388,9 (Soledade – Tabaí): Empresa Conpasul

Contrato de parceria com Exército depende de homologação do contrato:
BR-116: Km 000,0 – km 079,4 (Vacaria – Campestre da Serra)

Licitação em andamento:
BR-116: Km 096,5 – km 397,6 (Guaíba – Camaquã)

Saiba mais:

- Concluído repasse das rodovias federais entre governos do Estado e Federal

- Exército vai fazer a conservação de trecho da BR-116, na Serra gaúcha

 

Transporte de peças de 21 toneladas vai alterar trânsito da Região Metropolitana no domingo

22 de março de 2014 0
As peças serão transportadas entre Portão e Guaíba, neste domingo - Foto: Divulgação / Darcy Pacheco

As peças serão transportadas entre Portão e Guaíba, neste domingo – Foto: Divulgação / Darcy Pacheco

O transporte de três grandes peças de 21 toneladas cada vai alterar o trânsito na Região Metropolitana de Porto Alegre neste domingo. A Polícia Rodoviária Federal autorizou o transporte a partir das 8h, que será feito pela empresa Darcy Pacheco.

As peças tem, cada uma, quase nove metros de comprimento e sete de largura com quase quatro metros de altura. Por se tratar de um transporte especial, exigirá a redução de velocidade dos veículos e acompanhamento da Polícia Rodoviária Federal, que irá passar pelas RS-239, RS-240, BR-116, BR-448, BR-290 e BR-116.

Elas fazem parte de uma peneira e serão levadas para a Celulose Riograndense, em Guaíba. Esses equipamentos faz parte da maior linha de picagem do mundo, fabricada e carregada na empresa Demuth, em Portão.

A capacidade nominal de produção de madeira de cada linha de picagem será de 500 m3 sub/h, totalizando 1.500 m3 sub/h. Serão ao todo 03 linhas de picagem, sistema de transporte, armazenamento e peneiramento de cavacos.

Concluído repasse das rodovias federais entre governos do Estado e Federal

12 de março de 2014 2
BR-290 sofre com a falta de conservação - Foto: Eduardo Matos  / Rádio Gaúcha (Arquivo)

BR-290 sofre com a falta de conservação – Foto: Eduardo Matos / Rádio Gaúcha (Arquivo)

Foi publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira, dia 12, o repasse das antigas rodovias federais pedagiadas entre o Governo do Estado e o Governo Federal. O termo de entrega oficializa a devolução das rodovias, que foram repassadas, ao governo gaúcho, em 1996, quando os contratos dos pólos rodoviários foram assinados.

Dessa forma, todos os nove trechos estão sob comando do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Os últimos contratos com as concessionárias de rodovias foram encerrados no final do ano passado. Desde então, acontece o processo de transferência.

Dois trechos já recebem obras de conservação. Desde dezembro, os reparos são realizados na BR-116, entre Nova Petrópolis e Campestre da Serra. Os trabalhos são feitos pela empresa Pavia. Já na BR-471, o contrato foi assinado em fevereiro.

Trechos recebidos a partir de hoje:

BR-116: Km 096,5 – km 397,6 (Guaíba – Camaquã)
BR-116: Km 000,0 – km 079,4 (Vacaria – Campestre da Serra)
BR-285: Km 119,2 – Km 182,8 (Vacaria – Lagoa Vermelha)
BR-285: Km 290,4 – km 414,4 (Passo Fundo – Panambi)
BR-290: Km 111,8 – km 316,8 (Eldorado do Sul – Caçapava do Sul)
BR-386: Km 131,7 – Km 248,2 (Soledade – Sarandi)

Devolvidos no ano passado:

BR-116: Km 079,5 – km 184,8 (Nova Petrópolis – Campestre da Serra)
BR-471: Km 134,8 – Km 197,9
BR-386: Km 248,2 – Km 388,9 (Soledade – Tabaí)

Saiba mais:

Falta de manutenção oferece risco em estradas federais que deixaram de ter pedágio

- Exército vai fazer a conservação de trecho da BR-116, na Serra gaúcha

- Rodovias federais gaúchas têm 68% dos controladores de velocidade previstos em funcionamento

Duplicação da BR-290 tem últimos dois contratos assinados

07 de março de 2014 2
Pista simples contribui para ocorrências de acidentes na rodovia – Foto: Ronaldo Bernardi / Agência RBS (Arquivo)

Pista simples contribui para ocorrências de acidentes na rodovia – Foto: Ronaldo Bernardi / Agência RBS (Arquivo)

A assinatura dos últimos dois contratos para a realização da duplicação da BR-290, entre Eldorado do Sul e Pantano Grande, foi assinado nessa quinta-feira, dia 06. O resultado foi publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira, dia 07.

O consórcio Bolognesi – Conterra – Magna foi o vencedor do lote um. Já o lote três foi vencido pelo consórcio Trier – Ctesa – Prodec. A partir de segunda-feira, dia 10, passa a contar o prazo para que as empresas já realizem os projetos executivos e realização das obras. A previsão do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) é que a duplicação seja concluída em julho de 2017.

O consórcio TB – ECB – ETEL, vencedor do lote dois, e o consórcio Equipav – CSL – Esteio, vencedor do lote quatro, já começaram a realizar o projeto executivo da obra. Contratualmente, as empresas têm prazo de cinco meses para fazer o estudo e outros três anos para realizar a duplicação.

Prometida para 2012, a licitação para duplicação de 115 quilômetros da BR-290, foi publicada no Diário Oficial da União no dia 31 de janeiro deste ano. Ela irá custar R$ 583,55 milhões. As vencedoras ficarão responsáveis pela realização dos projetos básico e executivo, além da execução das obras de duplicação da rodovia.

Saiba mais:

- Começam os trabalhos para duplicação da BR-290

- Definidos vencedores de todos os lotes da licitação da duplicação da BR-290

- Anunciados os classificados para realizar a duplicação da BR-290

- Propostas para duplicação da BR-290 serão conhecidas no final do mês

- Duplicação da BR-290, entre Pantano Grande e Eldorado do Sul, terá licitação considerada mais ágil

Começam os trabalhos para duplicação da BR-290

05 de março de 2014 10
Pista simples contribui para ocorrências de acidentes na rodovia – Foto: Ronaldo Bernardi / Agência RBS (Arquivo)

Pista simples contribui para ocorrências de acidentes na rodovia – Foto: Ronaldo Bernardi / Agência RBS (Arquivo)

As empresas que venceram a concorrência em dois dos quatro lotes da duplicação da BR-290, entre Eldorado do Sul e Pantano Grande, já começaram a trabalhar. Porém, ainda vai demorar para que as máquinas possam começar a realizar a duplicação da rodovia.

O consórcio TB – ECB – ETEL, vencedor do lote dois, e o consórcio Equipav – CSL – Esteio, vencedor do lote quatro, já começaram a realizar o projeto executivo da obra. Contratualmente, as empresas têm prazo de cinco meses para fazer o estudo e outros três anos para realizar a duplicação.

Já a licitação dos lotes um e três, que já tiveram as empresas escolhidas, ainda depende de detalhes para que o contrato seja assinado e a ordem de serviço, que autoriza o começo dos trabalhos, seja dada.

A expectativa é que as obras possam começar no segundo semestre de 2014. Para realizar a obra, a Fundação Nacional do Índio (Funai) terá que ser acionada, pois será necessário transferir índios, que hoje moram às margens da rodovia.

Prometida para 2012, a licitação para duplicação de 115 quilômetros da BR-290, foi publicada no Diário Oficial da União no dia 31 de janeiro deste ano. Ela irá custar R$ 583,55 milhões. As vencedoras ficarão responsáveis pela realização dos projetos básico e executivo, além da execução das obras de duplicação da rodovia.

Vencedores da licitação:
Lote 01 = Consórcio Bolognesi – Conterra – Magna = R$ 151 milhões (valor da obra)
Lote 02 = Consórcio TB – ECB – ETEL = R$ 172,5 milhões (valor da obra)
Lote 03 = Consórcio Trier – Ctesa – Prodec = R$ 130,9 milhões (valor da obra)
Lote 04 = Consórcio Equipav – CSL – Esteio = R$ 129,15 milhões (valor da obra)

A obra foi dividida em quatro lotes:
Lote 01 = Extensão de 29,70 quilômetros, entre o km 112,3 e o km 142;
Lote 02 = Extensão de 30,08 quilômetros, entre o km 142 e o km 172,08;
Lote 03 = Extensão de 27,03 quilômetros, entre o km 172 e o km 199,03;
Lote 04 = Extensão de 28,70 quilômetros, entre o km 199,3 e o km 228.

Saiba mais:

- Definidos vencedores de todos os lotes da licitação da duplicação da BR-290

- Anunciados novas empresas classificadas para realizar a duplicação da BR-290

- Retomada licitação que vai duplicar BR-290

- Greve do Dnit suspende licitação para duplicação da BR-290

- Anunciados os classificados para realizar a duplicação da BR-290

- Propostas para duplicação da BR-290 serão conhecidas no final do mês

- Duplicação da BR-290, entre Pantano Grande e Eldorado do Sul, terá licitação considerada mais ágil

Dnit ainda não recebeu sete dos nove trechos de rodovias pedagiadas

19 de fevereiro de 2014 3

Entrada de Arroio dos Ratos pela BR-290 - Foto: SOS BR-290

Dos nove trechos de rodovias federais, que deixaram de receber pedágios, apenas dois estão sob controle do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Os contratos com as concessionárias de rodovias foram sendo encerrados ao longo do ano passado.

São elas:

BR-116: Km 079,5 – km 184,8 (Nova Petrópolis – Campestre da Serra)
BR-471: Km 134,8 – Km 197,9

Os dois trechos já recebem obras de conservação. Desde dezembro, os reparos são realizados na BR-116, entre Nova Petrópolis e Campestre da Serra. Os trabalhos são feitos pela empresa Pavia. Já na BR-471, o contrato foi assinado na semana passada.

Outros sete trechos de rodovias seguem em processo de transferência. O Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) informa que entregou os documentos necessários ao Ministério dos Transportes no dia 04 de fevereiro, porém, ainda não houve a confirmação de recebimento. O Daer contesta a informação que a BR-386, no trecho Arvorezinha – Tabaí, não foi devolvida. Segundo o departamento estadual, esse trecho já está sob responsabilidade do Dnit.

São eles:

BR-116: Km 096,5 – km 397,6 (Guaíba - Camaquã)
BR-116: Km 000,0 – km 079,4 (Vacaria - Campestre da Serra)
BR-285: Km 119,2 – Km 182,8 (Vacaria – Lagoa Vermelha)
BR-285: Km 290,4 – km 414,4 (Passo Fundo – Panambi)
BR-290: Km 111,8 – km 316,8 (Eldorado do SulCaçapava do Sul)
BR-386: Km 131,7 – Km 248,2 (Soledade – Sarandi)
BR-386: Km 248,2 – Km 388,9 (ArvorezinhaTabaí)

Desse total, o único trecho que não tem licitação em andamento é o da BR-116, entre Guaíba e Camaquã. A antiga concorrência foi cancelada por problemas no edital. Nos demais, o Dnit está providenciando a assinatura dos contratos com as empresas vencedoras das licitações.

Em razão das constantes reclamações na BR-290, o Dnit informa que ainda nessa terça-feira, dia 18, a empresa que venceu a licitação já começou a realizar o reparo na rodovia, mesmo que a rodovia ainda não tenha sido entregue oficialmente. Está sendo feito uma operação tapa-buracos com fresagem da pista para reduzir os desníveis.

Obs: Entre 12h e 16h de 19 de fevereiro, o blog informou que 5 rodovias foram recebidas. Os dados equivocados foram repassad0s pelo Dnit, que corrigiu as informações.