Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "obras"

Revitalização da Orla do Guaíba ganhará mais R$ 3,34 milhões

20 de julho de 2016 0
Obra deve ser concluída até abril de 2017 - Foto: Lauro Alves / Agencia RBS (Arquivo)

Obra deve ser concluída até abril de 2017 – Foto: Lauro Alves / Agencia RBS (Arquivo)

O contrato com o consórcio Orla Mais Alegre, das empresas Procon, Sadenco e SH Estruturas Metálicas recebeu um novo aditivo de mais R$ 3,34 milhões (R$ 3.349.506,20). A destinação do recurso para a revitalização da orla do Guaíba foi publicada no Diário Oficial de Porto Alegre desta quarta-feira (20).

Em abril, a prefeitura já havia anunciado um acréscimo de R$ 903 mil no valor da obra para colocação de tapumes, containers, veículo para transportar trabalhadores, mobiliário do canteiro de obras, gerador de energia elétrica, além de uma rede de baixa e média tensão para a obra de revitalização da orla do Guaíba.

O consórcio foi o vencedor da licitação que irá recuperar 1,3 quilômetro, entre a Usina do Gasômetro e a Rótula das Cuias. A obra foi contratada por R$ 60,6 milhões (R$ 60.682.477,52). O teto estabelecido pela prefeitura era R$ 67,8 milhões. A ordem de início para revitalização da orla foi dada em outubro de 2015. A previsão contratual é de término da revitalização até abril de 2017.

Saiba mais:

Obra da revitalização da Orla do Guaíba receberá aproximadamente mais R$ 1 milhão

Anunciada vencedora da licitação que irá revitalizar a orla do Guaíba

Duas concorrentes são consideradas inabilitadas em licitação da Orla do Guaíba

Jaime Lerner irá desenvolver projeto de revitalização de novo trecho da orla do Guaíba

Construtora desiste de obra e licitação da orla do Guaíba é cancelada

Erro faz prefeitura adiar licitação para revitalizar orla do Guaíba

Prefeitura quer publicar licitação da revitalização da orla do Guaíba antes da Copa

Reforma do Terminal Triângulo deverá custar mais de R$ 1 milhão

19 de julho de 2016 0
Usuários parcialmente desprotegidos desde dezembro de 2014 - Foto: Diego Vara / Agencia RBS (Arquivo)

Usuários parcialmente desprotegidos desde dezembro de 2014 – Foto: Diego Vara / Agencia RBS (Arquivo)

Foi publicado o edital para manutenção das estruturas metálicas e telhado do Terminal Triângulo, em Porto Alegre. Pelos cálculos da Secretaria Municipal de Gestão, a obra deverá custar até R$ 1,29 milhão (R$ 1.299.839,20). A previsão é que seja executada em 115 dias úteis, ou aproximadamente seis meses.

Por ser um local com circulação diária de milhares de passageiros, a prefeitura determinou horários de realização do reparo do telhado e das estruturas metálicas. Entre 9h e 17h, a área em obras deverá receber isolamento. Entre 22h e 5h, o terminal poderá ser fechado para realização dos serviços. Os serviços poderão ser realizados nos sábados, domingos e feriados. Para trabalhar em horário diferente, a empresa deverá receber autorização da fiscalização.

As propostas e documentos de habilitação serão recebidos no próximo dia 29 de julho. A falta de telhado atinge os usuários do terminal de ônibus localizado na avenida Assis Brasil desde dezembro de 2014, quando um temporal com ventos de 100km/h parte da estrutura.

Saiba mais:

- Fim da novela? Publicada licitação para recuperar telhado do Terminal Triângulo

Fim da novela? Publicada licitação para recuperar telhado do Terminal Triângulo

18 de julho de 2016 3
Usuários parcialmente desprotegidos desde dezembro de 2014 - Foto: Diego Vara / Agencia RBS (Arquivo)

Usuários parcialmente desprotegidos desde dezembro de 2014 – Foto: Diego Vara / Agencia RBS (Arquivo)

Foi publicado no Diário Oficial da União desta segunda-feira (18), o aviso de licitação da Prefeitura de Porto Alegre, que prevê a contratação de empresa que irá fazer a manutenção das estruturas metálicas e cobertura do Terminal Triângulo. A mesma informação consta no Diário Oficial do município.

A concorrência se dará na forma de pregão físico, que requer prazos menores para contratação dos vencedores. As propostas e documentos de habilitação serão recebidas no próximo dia 29 de julho. O edital estará disponível a partir de amanhã.

A falta de telhado atinge os usuários do terminal de ônibus localizado na avenida Assis Brasil desde dezembro de 2014, quando um temporal com ventos de 100km/h parte da estrutura.

Outras notícias:

- Onde fica a 2a Perimetral de Porto Alegre?

Seis rodovias federais passarão por obras no RS a partir de segunda-feira

15 de julho de 2016 0
15617377

BR-116 receberá obras no trecho Canoas – Porto Alegre (Foto: Lauro Alves/Agencia RBS)

Por Felipe Daroit

Seis rodovias federais estão recebendo obras a partir de segunda-feira (18) no Rio Grande do Sul. Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT/RS) estão confirmados serviços de manutenção e conservação nas BR-116, BR-153, BR-158, BR-290, BR-293, BR-448 e BR-473.

Entre os serviços previstos para serem realizados, estão roçada e recuperação da sinalização, além de trabalhos de tapa-buracos e fresagem. O DNIT alerta que congestionamentos podem ser registrados durante a execução dos trabalhos, já que em algumas ocasiões devem ocorrer interrupções. Os trabalhos devem ser finalizados até a próxima sexta-feira (22).

Em caso de chuva os trabalhos podem ser adiados. Os trechos estão sinalizados.

Confira os pontos com obras:

BR-158/RS

Trecho Rosário do Sul a Santana do Livramento

- Km 466 ao km 570: serviços de manutenção e conservação rotineira (roçada, tapa-buraco, manutenção da sinalização), e ambos os sentidos;

- Km 507 ao km 510: serviço de recomposição de acostamento;

- Km 482 (Rosário do Sul – Ponte sobre o Arroio do Salso): serviço de reforço e recuperação da ponte – previsão de pare-siga 24 horas a semana toda;

- Km 510 ao km 515: serviços de aplicação de binder no acostamento;

- Km 536 (Livramento – Ponte sobre o Rio Ibicuí da Faxina): serviço de reforço e recuperação da ponte – previsão de pare-siga eventual a semana toda.

BR-293/RS

Trecho Santana do Livramento a Quaraí

- Km 336 ao km 442: serviços de manutenção da sinalização, em ambos os sentidos;

Trecho Bagé a Santana do Livramento

Km 172 ao km 305: serviços de manutenção da sinalização, em ambos os sentidos;

BR-153/RS

Trecho Bagé a Aceguá

Km 628 ao km 699: serviços de implantação de sinalização vertical definitiva (placas) em ambos os sentidos e serviços de manutenção e conservação rotineira (roçada, tapa-buraco, manutenção da sinalização), em ambos os sentidos.

BR- 473/RS

Km 139 ao km 146 (Bagé): serviços de manutenção e conservação rotineira (roçada, tapa-buraco, manutenção da sinalização), em ambos os sentidos.

BR-116/RS

Km 249 ao km 255: aplicação de microasfalto na pista sentido interior-Capital;

Km 255 ao km 270 (Novo Hamburgo-Porto Alegre): serviços de roçada e conserva;

Km 264 ao km 266 (Canoas-Porto Alegre): serviço de fresagem e aplicação de CBUQ;

Km 319 (Barra do Ribeiro): mudança no acesso ao município no sentido Porto Alegre-Pelotas em decorrência das obras de construção do viaduto da duplicação da rodovia.

BR-448/RS

Km 0 ao Km 22,3 (Sapucaia do Sul a Porto Alegre): previsão de roçada manual nos bordos da rodovia ao longo da semana.

BR-290/RS

Km 280,5: instalação de meio-fio e drenagem no acostamento

Liminar cassa decisão que reduziria espera por obras no entorno da Arena do Grêmio

15 de julho de 2016 6
Obras do entorno da Arena estão paradas há nove meses – Foto: Diego Vara / Agencia RBS (Arquivo)

Obras do entorno da Arena estão paradas há nove meses – Foto: Diego Vara / Agencia RBS (Arquivo)

O Tribunal de Justiça de São Paulo concedeu liminar determinando que o crédito referente às obras do entorno da Arena do Grêmio não seja excluído do rol de credores da recuperação judicial da OAS. A prefeitura de Porto Alegre pretendia que a construtora antecipasse o pagamento de um valor aproximado de R$ 100 milhões que será destinado para realizar as melhorias.

Dessa forma, a prefeitura volta para a fila e terá que esperar que a empresa quite primeiro dívidas com trabalhadores e tributos atrasados. A Procuradoria Geral de Porto Alegre está agora contestando essa decisão e acredita que conseguirá reverter este julgamento. Em maio, a justiça paulista havia acolhido pedido que deu preferência à destinação de recursos para executar as obras do entorno do estádio.

A empresa precisaria ter recomeçado o prolongamento da avenida A. J. Renner em outubro de 2015. O serviço deveria ocorrer da avenida Padre Leopoldo Brentano até as proximidades da Freeway. Também teria de reiniciar os trabalhos para instalação de rede de água, esgoto e estação de bombeamento de esgoto na via, até a avenida Farrapos.

O Termo de Compromisso firmado pela prefeitura, construtora e Ministério Público prevê oito obras que são responsabilidade da empresa. Segundo o acordo, se os serviços não forem realizados ou se houver execução parcial das obrigações estabelecidas, a construtora receberá multa diária de R$ 5 mil. Os prazos iniciaram em dezembro de 2014 e vão atéagosto de 2017.

De acordo com a prefeitura e o Ministério Público, duas obras que estavam previstas chegaram a ser realizadas conforme o calendário previsto: a rua 02, entre a rua 01 e o avenida A. J. Renner; e o começo dos trabalhos das redes de água e esgoto da A. J. Renner e do prolongamento da Voluntários da Pátria.

Porém, a OAS apresentou um Plano de Recuperação Judicial, que foi aprovado pela Justiça em outubro do ano passado. Mesmo com essa medida, a Procuradoria Geral do Município informa que os prazos do termo não foram suspensos e seguem valendo. Tanto o Ministério Público como a prefeitura entraram como credores no processo de recuperação da OAS, porém, a fila de credores é longa e não há qualquer perspectiva de recebimento dos valores devidos.

Em abril de 2012, o prefeito José Fortunati, o procurador-geral do município, João Batista Linck Figueira, e sete secretários municipais assinaram, com representantes da construtora, um termo de compromisso onde a prefeitura assumia a responsabilidade por todas as obras na região. O Ministério Público do Rio Grande do Sul questionou a assinatura do documento e prometeu ingressar na Justiça. Em agosto de 2013, a prefeitura estimava que todas as obras custariam R$ 128 milhões. Já em novembro de 2014, o termo foi revogado.

Um mês depois, a prefeitura abriu mão de 30% das melhorias que seriam realizadas no entorno da Arena para garantir um acordo com a construtora. Entre as justificativas para abrir mão dessas obras estava o temor que a discussão judicial poderia se arrastar por mais de uma década, o que protelaria a necessidade da realização das melhorias. De acordo com a prefeitura, esses 30% de obras não são tão significativos se comparados com a espera pelo julgamento definitivo da ação. A justificativa foi aceita pelo Ministério Público.

Veja quais são as oito obras de responsabilidade da OAS:

1. Prolongamento da Avenida A. J. Renner, da Avenida Padre Leopoldo Brentano até as proximidades da Freeeway. Também está previsto a instalação de rede de água, esgoto e estação de bombeamento de esgoto na via, até a avenida Farrapos;

2. Criação de quatro “laços de quadra”, ou retornos, na interseção da Avenida A. J. Renner com a Rua Dona Teodora;

3. Reformulação da rótula da da Avenida A. J. Renner com a Av. Padre Leopoldo Brentano;

4. Ampliação da interseção da Avenida Farrapos com a Avenida A. J. Renner. Havia a previsão de construção de um túnel, mas o projeto foi descartado, pois área apresenta solos moles;

5. Implantação do terminal de ônibus na interseção da Avenida A. J. Renner com a Avenida Padre Leopoldo Brentano. Terá vagas para 27 ônibus, prédio administrativo, área de manobras, parada coberta com capacidade para 3 veículos;

6. Conclusão da duplicação da Avenida Padre Leopoldo Brentano desde a Avenida Voluntários da Pátria até Avenida A. J. Renner (obra parcialmente já executada pela prefeitura);

7. Prolongamento da Avenida Voluntários da Pátria, entre a Avenida Padre Leopoldo Brentano até o futuro prolongamento da Avenida A. J. Renner;

8. Construção de uma rua entre a Avenida A. J. Renner e o contorno da Arena do Grêmio.

Saiba mais:

- Justiça acata pedido que vai reduzir espera por obras do entorno da Arena

Por acordo com OAS, Prefeitura abre mão de 30% das obras no entorno da Arena do Grêmio

OAS se compromete com 70% das obras do entorno da Arena do Grêmio

Prefeitura revoga termo que desobrigou OAS de realizar obras do entorno da Arena do Grêmio

Ministério Público vê indícios de fraude em termo firmado entre Prefeitura de Porto Alegre e OAS

11 anos depois: Obras de duplicação da BR-101 catarinense serão concluídas em menos de um mês

12 de julho de 2016 8
Duplicação da BR-101 começou em janeiro de 2005 - Foto: Divulgação / ESGA DNIT

Duplicação da BR-101 começou em janeiro de 2005 – Foto: Divulgação / ESGA DNIT

As obras de duplicação da BR-101 catarinense serão entregues no dia 05 de agosto. A ponte e o viaduto de Tubarão já estão prontos e as empresas responsáveis estão realizando as construções dos acessos.

A obra entre os quilômetros 337 e 339 já está 95% concluída. O cronograma inicial previa a entrega do Túnel do Morro do Formigão e da Ponte Cavalcanti, ambos em Tubarão, em setembro de 2015.

A duplicação da BR-101, entre Osório-RS e Palhoça-SC, começou em janeiro de 2005. Os 88,5 quilômetros do trecho gaúcho foram entregues em fevereiro de 2011.

O único trecho que ainda não foi duplicado é o da região do Morro dos Cavalos, em Palhoça. Serão construídos dois túneis no local. A obra ainda não foi licitada. Para amenizar os problemas, foi construída uma nova faixa em ambos sentidos da rodovia, o que permitiu que a pista esteja duplicada, mas sem acostamentos.

Saiba mais:

Conclusão de obras no trecho catarinense da BR-101 é adiada mais uma vez

Novo túnel da BR-101 catarinense será inaugurado em meia-pista

Duplicação da BR-101: Ponte de Laguna não será concluída até o fim do ano

BR-101 catarinense terá mais 8 quilômetros de pista duplicada concluída

Começa penúltima obra de duplicação da BR-101 catarinense

 

 

Governo deve anunciar hoje R$ 70 milhões para obra da nova ponte do Guaíba

12 de julho de 2016 4
Ritmo das obras é quase nulo desde junho - Foto: Omar Freitas / Agencia RBS (Arquivo)

Ritmo das obras é quase nulo desde junho – Foto: Omar Freitas / Agencia RBS (Arquivo)

O presidente interino Michel Temer deverá anunciar nesta terça-feira (12) repasse de R$ 70 milhões para a obra da nova ponte do Guaíba. Este montante foi avaliado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) como o suficiente para que a construção não pare em 2016.

Com o orçamento estourado por causa da crise, a União efetivou corte de verba em todos os ministérios, que afetou, inclusive, a construção da nova ponte. Seria necessário realizar remanejamento de valores. Ou seja, é preciso tirar dinheiro de uma obra parada e repassar para uma que está em andamento, no caso a da ponte.

A informação será repassada às 16h, em reunião que contará ainda com a presença do ministro dos Transportes, Maurício Quintella, e da Casa Civil, Eliseu Padilha, com a bancada gaúcha do Congresso Nacional. A reunião foi solicitada pelo senador Lasier Martins.

O ritmo das obras da ponte quase parou em junho. Apenas 75 funcionários seguem na obra, que chegou a ter mais de mil funcionários entre diretos e indiretos. Confirmado esse repasse, a expectativa é que a construção volte com intensidade em no máximo 45 dias.

A obra começou em outubro de 2014 e já tem aproximadamente 35% de execução. A estimativa de inauguração da nova ponte era outubro de 2017, mas, em razão dos constantes problemas e da demora na remoção das famílias, a construção não deve terminar no ano que vem.

Ainda há a expectativa que Temer anuncie repasse de mais R$ 40 milhões para a duplicação da BR-116 entre Guaíba e Pelotas. Mas, pelo menos até esta manhã, ainda não havia confirmação deste valor. A União já havia comunicado que destinaria R$ 10 milhões para que a obra não parasse em 2016. Porém, a verba não será suficiente para a manutenção dos trabalhos existentes.

Saiba mais:

- Obras da nova ponte do Guaíba serão mantidas em junho

- Duplicação da BR-116 vai ganhar mais R$ 10 milhões para obra não parar em 2016

Dnit precisará realocar verba de outra obra para impedir paralisação da duplicação da BR-116

União espera remanejar orçamento para garantir duplicação da BR-116

Falta de dinheiro vai parar duplicação da BR-116, entre Guaíba e Pelotas, em julho

Obras da nova ponte do Guaíba são paralisadas

Começam as obras da nova ponte do Guaíba

Começam as obras de duplicação da BR-116, entre Guaíba e Pelotas

Duplicação da BR-116 vai ganhar mais R$ 10 milhões para obra não parar em 2016

07 de julho de 2016 2
Dinheiro será suficiente para prosseguir com o que já foi iniciado - Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS (Arquivo)

Dinheiro será suficiente para prosseguir com o que já foi iniciado – Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS (Arquivo)

Para que a duplicação da BR-116 não pare a partir de 01 de agosto, o Ministério dos Transportes irá repassar ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) mais R$ 10 milhões. O dinheiro será suficiente apenas para manter os contratos de fiscalização e de gestão ambiental. Dessa forma, as obras de ampliação de pista, construção de viadutos e pontes que já estão em andamento poderão prosseguir.

Além disso, em setembro, as obras do lote sete deverão ser retomadas. A duplicação em um trecho de 21 quilômetros de São Lourenço do Sul está parada desde dezembro de 2014. A construtora Sultepa enfrentou problemas financeiros. A empresa anuncia que conseguiu se reorganizar. Como há orçamento que ainda não foi usado para o lote, este deverá ser o único que terá novos locais de obra.

A crise econômica fez a União cortar R$ 41 milhões da duplicação. Com os recursos que ficaram disponíveis, só havia possibilidade de executar a obra até 31 de julho. Porém, o ministro Maurício Quintella, anunciou que o Governo Federal não iria permitir que isso ocorresse.

Até agora, já foram investidos mais de R$ 700 milhões na obra. O percentual executado chega a 57%. Mesmo que a duplicação permaneça, a obra não terminará antes de 2018.

Saiba mais:

- Dnit precisará realocar verba de outra obra para impedir paralisação da duplicação da BR-116

União espera remanejar orçamento para garantir duplicação da BR-116

Falta de dinheiro vai parar duplicação da BR-116, entre Guaíba e Pelotas, em julho

Dnit suspende obras em mais da metade da duplicação da BR-116 entre Guaíba e Pelotas

Duplicação da BR-116 atinge 25% de conclusão entre Guaíba e Pelotas

Duplicação da BR-116: Após um ano de obras, apenas 15% dos trabalhos foram realizados entre Guaíba e Pelotas

Duplicação da BR-116 vai exigir compra de R$ 400 mil em artesanatos indígenas pelo DNIT

Começam as obras de duplicação da BR-116, entre Guaíba e Pelotas

Obra do viaduto da Bento será entregue na terça-feira

07 de julho de 2016 1
Tráfego de carros foi liberado em março de 2015 – Foto: Félix Zucco / Agencia RBS (Arquivo)

Tráfego de carros foi liberado em março de 2015 – Foto: Félix Zucco / Agencia RBS (Arquivo)

A inauguração do viaduto da avenida Bento Gonçalves com Terceira Perimetral ocorrerá na próxima terça-feira (12). Um evento foi marcado para as 9h e contará com a presença do prefeito José Fortunati.

A única obra que ainda ocorria era o chamado laço de quadra, que irá permitir que os usuários da Terceira Perimetral, que se deslocam em direção a zona sul, possam ingressar de forma mais fácil na avenida Bento Gonçalves, em direção a Viamão. Em agosto do ano passado, o Governo do Estado repassou parte do terreno da Brigada Militar, localizado na avenida Coronel Aparício Borges. Somente a partir desta data é que os trabalhos começaram na região.

O tráfego no viaduto está liberado desde 26 de março de 2015 e, desde primeiro de junho do mesmo ano, no corredor de ônibus. A autorização para o começo dos trabalhos foi dada em agosto de 2012, mas os desvios no trânsito só começaram a ser realizados em janeiro de 2013. O viaduto tem extensão de 540 metros. A obra custou R$ 79,4 milhões (R$ 79.403.493,91).

Ainda em julho, a prefeitura também deverá liberar o tráfego no corredor de ônibus da avenida Bento Gonçalves, também na mesma região.  Falta ainda liberar um trecho de 670 metros, entre a rua Paulino Azurenha e a travessa Guedes da Luz. A obra de troca do pavimento de seis quilômetros do corredor começou em março de 2012 e deveria ter ficado pronta em setembro de 2013.

Saiba mais:

- Obras do viaduto da Bento Gonçalves devem ser finalizadas em março

Obra do viaduto da Bento Gonçalves será retomada

Viaduto da Bento Gonçalves será liberado no dia 26. Ônibus usarão desvios até maio

Parte de cima do viaduto da Bento Gonçalves será liberado ao tráfego em março

Obra do viaduto da Bento Gonçalves altera trânsito da Terceira Perimetral a partir de sábado

Construtora sinaliza retomada da duplicação da RS-118 ainda em julho

04 de julho de 2016 6
Na última semana, pequena obra foi retomada na RS-118 - Foto: Divulgação / Daer

Na última semana, pequena obra foi retomada na RS-118 – Foto: Divulgação / Daer

As obras da RS-118 deverão ser retomadas no mesmo momento em que a duplicação entre Gravataí e Sapucaia do Sul completa dez anos. Em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade desta segunda-feira (04), o presidente da construtora Sultepa, responsável por um dos trechos da obra, informou que o governo gaúcho chamou a empresa e apresentou uma proposta de retomada dos trabalhos. A oferta do Estado é pagar o que deve para a construtora, cerca de R$ 1 milhão, e ainda liberar recursos do Tesouro para que a duplicação prossiga entre os quilômetros seis e 11.

Ricardo Portela, que é também é presidente do Sindicato da Indústria da Construção de Estradas, Pavimentação e Obras no Rio Grande do Sul, comentou que as outras duas construtoras desistiram da obra. A Triunfo era responsável pelo maior trecho, do quilômetro 11 ao 21. Já a Conterra cuidava dos trabalhos entre os quilômetros 0 e 5. Sendo assim, o governo precisará decidir se abrirá novas licitações ou chamará as próximas colocadas das concorrências públicas.

A duplicação da RS-118 está parada há um ano e oito meses. A obra começou no dia 10 de julho de 2006, pelo lote um, em Gravataí. Em 2011, os serviços no lote dois foram iniciados, no trecho entre Sapucaia do Sul e Gravataí. Já as obras do lote três, em Sapucaia do Sul, começaram em 2013.

O governador José Ivo Sartori prometeu retomar a obra ainda em 2016. Ano passado, o secretário dos Transportes, Pedro Westphalen, e o diretor-geral do Daer, Ricardo Nuñez, também prometeram recomeçar a duplicação em 2015.

Em razão do abandono da obra, famílias ergueram casebres em áreas que já tinham sido desocupadas. A nova ocupação está localizada nas proximidades do quilômetro dois, em meio aos escombros das que foram derrubadas, em Sapucaia do Sul.

No começo do ano, a duplicação da RS-118 perdeu R$ 6,6 milhões por causa das indefinições. Os recursos provenientes da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) estavam liberados mas foram destinados para outras obras do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer).

Já foram investidos pouco mais de R$ 65,9 milhões (R$ 65.907.157,40) na duplicação da rodovia, entre 2006 e 2014. Atualmente, os usuários trafegam em 11 dos 22 quilômetros duplicados. Porém, já há buracos na nova pista entregue.

Recentemente, o consórcio Procon Dobil executou um desvio de 700 metros próximo da avenida Marechal Rondon, em Cachoeirinha. Por ele passarão os veículos quando o Daer autorizar a construção do segundo viaduto.

A Secretaria dos Transportes e o Daer informam, por meio de nota, que a retomada da duplicação da RS-118 “segue sendo uma prioridade do Governo do Estado. No momento, não há definição quanto ao prazo para a continuidade das obras, mas os setores governamentais envolvidos estão empreendendo esforços para que os trabalhos voltem a ser viabilizados.”

Atualização da construção de uma nova pista da RS-118:

Lote 1: Do km 11 ao km 21,3. Construtora Triunfo. Percentual executado do contrato: 71%;
Lote 2: Do km 06 ao km 11. Construtora Sultepa. Percentual executado do contrato: 50%;
Lote 3: Do km 00 ao km 05 (Da BR-116 a Freeway) – Construtora Conterra. Percentual executado do contrato: 7%.

Total pronto até o momento : 10,9 quilômetros de duplicação e 8,4 quilômetros de ruas laterais.

Atualização da restauração da pista velha da RS-118:

Não há nenhum trecho da restauração (pista antiga) pronto.

Lote 1: No trecho da Triunfo ainda não foi assinado contrato de recuperação;
Lote 2: No trecho da Sultepa, único onde ocorre a restauração, assentamento das placas quebradas e drenos começaram;
Lote 3: No trecho da Conterra falta assinatura de um termo aditivo para começo da recuperação.

Há 6 obras de artes por fazer ou em andamento nestes trechos da RS-118:
a) Viaduto sobre a avenida Itacolomi;
b) Macaqueamento do viaduto da RS-020;
c) Viaduto sobre a avenida Marechal Rondon;
d) Viaduto Ritter;
e) Passagem sobre o Arroio Sapucaia;
f) Viaduto sobre a tubulação da Transpetro.

Total investido desde 2006: R$ 65.907.157,40
Construtora Triunfo: R$ 34.810.743,61
Construtora Sultepa: R$ 28.612.504,58
Construtora Conterra: R$ 2.483.909,21

Saiba mais:

- Duplicação da RS-118 perde R$ 6 milhões por causa da indefinição da obra

Prefeitos sugerem pedágio de até R$ 6,80 para terminar duplicação da RS-118

RS-118: Mais uma promessa descumprida

Pavimentação em rodovia agilizada para receber seleção equatoriana está abandonada

Duplicação da RS-118, entre Gravataí e Viamão, está há um ano em avaliação

Abandono nas obras da RS-118 faz com que famílias voltem a invadir áreas desocupadas

Governo precisa desembolsar quase R$ 2 milhões para que a duplicação da RS-118 seja retomada