Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "obras"

Duplicação da Avenida Oscar Pereira é descartada pela prefeitura de Porto Alegre

05 de fevereiro de 2016 2
Trecho de pista simples segue sem previsão de obras - Foto: Divulgação / PMPA (Arquivo)

Trecho de pista simples segue sem previsão de obras – Foto: Divulgação / PMPA (Arquivo)

O alto custo da obra fez a Prefeitura de Porto Alegre desistir da duplicação de um trecho de pouco mais de seis quilômetros da avenida Oscar Pereira. O maior gasto ocorreria com desapropriações.

O estudo realizado indicava que a avenida teria duas pistas, cada uma com duas faixas cada, separadas por um canteiro central, corredor de ônibus com pavimento de concreto e ciclovia. O trecho analisado foi o localizado entre a Avenida Cel. Aparício Borges e Estrada Costa Gama.

De acordo com o secretário municipal de Obras e Viação, Mauro Zacher, mesmo que houvesse uma diminuição nas dimensões da duplicação, o custo continuaria altíssimo. O estudo inicial foi realizado pela Magna Engenharia e foi entregue à prefeitura no fim do ano passado.

Porém, a empresa apresentou uma proposta alternativa. A implantação de um túnel na avenida. Segundo Zacher, uma obra desse tipo não iria requerer indenização com desapropriações e ainda evitaria um bloqueio na avenida durante a execução do serviço.

A prefeitura não pretende realizar essa obra neste momento. Mesmo assim, a ideia é preciso pensar o que será feito nesta região no futuro.

- A Zona Sul carece de grandes obras. Temos que projetar como iremos qualificar a mobilidade para os próximos anos – projeta o secretário.

Em março de 2012, a prefeitura deu ordem de início para elaboração do estudo, que deveria ser finalizado até setembro de 2013. O investimento inicial previsto para realização deste levantamento é de R$ 1 milhão (R$ 1.047.020,00).

Saiba mais:

- Projeto de duplicação de trecho da Avenida Oscar Pereira está um ano atrasado

- Duplicação da Wenceslau Escobar deve ser concluída em março

OAS desmarca reunião e obras do entorno da Arena seguem indefinidas

03 de fevereiro de 2016 6
Obras do entorno da Arena estão paradas há quatro meses – Foto: Diego Vara / Agencia RBS (Arquivo)

Obras do entorno da Arena estão paradas há quatro meses – Foto: Diego Vara / Agencia RBS (Arquivo)

As obras do entorno da Arena do Grêmio seguem indefinidas. Uma reunião agendada para o dia 27 de janeiro foi desmarcada pela construtora OAS. Não há uma nova data prevista para o encontro.

A prefeitura de Porto Alegre e o Ministério Público Estadual esperavam ouvir da empresa um novo cronograma para a retomada das obras que estão paradas há quatro meses. A multa estipulada por causa do atraso já se aproxima a R$ 500 mil.

A empresa deveria ter recomeçado o prolongamento da avenida A. J. Renner em outubro de 2015. O serviço deveria ocorrer da avenida Padre Leopoldo Brentano até as proximidades da Freeway. Também precisaria ter reiniciado os trabalhos para instalação de rede de água, esgoto e estação de bombeamento de esgoto na via, até a avenida Farrapos.

O Termo de Compromisso firmado pela prefeitura, construtora e Ministério Público prevê oito obras que são responsabilidade da empresa. Segundo o acordo, se os serviços não fossem realizados ou houvesse execução parcial das obrigações estabelecidas, a construtora receberia multa diária de R$ 5 mil. Os prazos iniciaram em dezembro de 2014 e vão até agosto de 2017.

De acordo com a prefeitura e o Ministério Público, duas obras que estavam previstas chegaram a ser realizadas conforme o calendário previsto: a rua 02, entre a rua 01 e o avenida A. J. Renner; e o começo dos trabalhos das redes de água e esgoto da A. J. Renner e do prolongamento da Voluntários da Pátria.

Porém, a OAS apresentou um Plano de Recuperação Judicial, que foi aprovado pela Justiça em outubro do ano passado. Mesmo com essa medida, a Procuradoria Geral do Município informa que os prazos do termo não foram suspensos e seguem valendo. Tanto o Ministério Público como a prefeitura entraram como credores no processo de recuperação da OAS, porém, a fila de credores é longa e não há qualquer perspectiva de recebimento dos valores devidos.

Em abril de 2012, o prefeito José Fortunati, o procurador-geral do município, João Batista Linck Figueira, e sete secretários municipais assinaram, com representantes da construtora, um termo de compromisso onde a prefeitura assumia a responsabilidade por todas as obras na região. O Ministério Público do Rio Grande do Sul questionou a assinatura do documento e prometeu ingressar na Justiça. Em agosto de 2013, a prefeitura estimava que todas as obras custariam R$ 128 milhões. Já em novembro de 2014, o termo foi revogado.

Um mês depois, a prefeitura abriu mão de 30% das melhorias que seriam realizadas no entorno da Arena para garantir um acordo com a construtora. Entre as justificativas para abrir mão dessas obras estava o temor que a discussão judicial poderia se arrastar por mais de uma década, o que protelaria a necessidade da realização das melhorias. De acordo com a prefeitura, esses 30% de obras não são tão significativos se comparados com a espera pelo julgamento definitivo da ação. A justificativa foi aceita pelo Ministério Público.

Veja quais são as oito obras de responsabilidade da OAS:

1. Prolongamento da Avenida A. J. Renner, da Avenida Padre Leopoldo Brentano até as proximidades da Freeeway. Também está previsto a instalação de rede de água, esgoto e estação de bombeamento de esgoto na via, até a avenida Farrapos;

2. Criação de quatro “laços de quadra”, ou retornos, na interseção da Avenida A. J. Renner com a Rua Dona Teodora;

3. Reformulação da rótula da da Avenida A. J. Renner com a Av. Padre Leopoldo Brentano;

4. Ampliação da interseção da Avenida Farrapos com a Avenida A. J. Renner. Havia a previsão de construção de um túnel, mas o projeto foi descartado, pois área apresenta solos moles;

5. Implantação do terminal de ônibus na interseção da Avenida A. J. Renner com a Avenida Padre Leopoldo Brentano. Terá vagas para 27 ônibus, prédio administrativo, área de manobras, parada coberta com capacidade para 3 veículos;

6. Conclusão da duplicação da Avenida Padre Leopoldo Brentano desde a Avenida Voluntários da Pátria até Avenida A. J. Renner (obra parcialmente já executada pela prefeitura);

7. Prolongamento da Avenida Voluntários da Pátria, entre a Avenida Padre Leopoldo Brentano até o futuro prolongamento da Avenida A. J. Renner;

8. Construção de uma rua entre a Avenida A. J. Renner e o contorno da Arena do Grêmio.

Saiba mais:

- OAS descumpre acordo e obras do entorno da Arena do Grêmio estão paradas

- Dúvidas sobre futuro da OAS não atrapalham cronograma de obras do entorno da Arena do Grêmio

- Por acordo com OAS, Prefeitura abre mão de 30% das obras no entorno da Arena do Grêmio

- OAS se compromete com 70% das obras do entorno da Arena do Grêmio

- Prefeitura revoga termo que desobrigou OAS de realizar obras do entorno da Arena do Grêmio

- Prefeitura deve revogar termo que desobrigou OAS de fazer obras no entorno da Arena do Grêmio

- MP mantém exigência para que OAS faça obras no entorno da Arena do Grêmio

- Ministério Público vê indícios de fraude em termo firmado entre Prefeitura de Porto Alegre e OAS

Operários voltam às obras do Salgado Filho após mais de 20 dias em greve

29 de janeiro de 2016 2
Apenas 17% dos trabalhos foram realizados em mais de dois anos de obras – Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS (Arquivo)

Apenas 17% dos trabalhos foram realizados em mais de dois anos de obras – Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS (Arquivo)

Os operários que trabalham na ampliação do terminal de passageiros do Aeroporto Salgado Filho voltaram ao trabalho nesta sexta-feira (29). Eles estavam em greve desde o dia 06 de janeiro.

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada (Siticepot), Isabelino Garcia Dos Santos, a construtora Espaço Aberto acertou ontem o salário atrasado. A maior parte dos operários já recebeu. Os demais serão pagos nesta tarde.

As obras ocorrem há mais de dois anos e apenas 17,3% dos serviços já foram realizados. Desde então, os trabalhadores já entraram em greve em pelo menos 12 ocasiões. Somente em 2014 foram cinco paralisações. A primeira etapa da ampliação deveria ter ficado pronta em maio de 2014. A previsão inicial era concluir todo o trabalho em janeiro de 2016. Agora, o prazo é outubro, data que fatalmente sofrerá alteração.

Saiba mais:

- Mesmo com atrasos na obra do Salgado Filho, empresa ainda não foi multada pela Infraero

- Obras de ampliação do Aeroporto Salgado Filho param pela quinta vez em um ano

- Construtora é multada em R$ 161 mil por atrasos em obra do Aeroporto Salgado Filho

- Término da ampliação do terminal de passageiros do Aeroporto Salgado Filho fica para 2017

- Porto Alegre teria que derrubar viaduto e mudar rota do trem para ter aeroporto 80% aberto em dia de neblina

- Empresa catarinense vence licitação para ampliação do Salgado Filho

Começa a construção de cinco passarelas na BR-392

28 de janeiro de 2016 0
Trabalhos começaram em dezembro - Foto: Divulgação / Dnit

Trabalhos começaram em dezembro – Foto: Divulgação / Dnit

Um ano depois da assinatura começou a construção de cinco passarelas na BR-392, entre Pelotas e Rio Grande. O contrato com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) foi firmado em dezembro de 2014. A construtora Cidade foi a vencedora da licitação.

Ela desenvolveu o projeto das travessias e, agora, começa a executar as obras. A previsão inicial era concluir o serviço em fevereiro de 2016. Os trabalhos ocorrem desde o fim do ano passado. Serviços como levantamento topográfico e limpeza da vegetação já foram concluídos e neste mês foram iniciadas as fundações.

A autarquia irá realizar uma nova licitação para construção de quatro passarelas na BR-116, no trecho do Contorno de Pelotas. Elas estão previstas para o acesso ao Monte Bonito (km 516,1), no antigo acesso à Vila Princesa (km 515), rua Lauro Ribeiro (km 525) e na rua Prof. Paulo Zanotta (km 525,9).

Passarelas que serão construídas na BR-392:

- Marinha (km 18)
- Carreros (km 19,6)
- Vila da Quinta (km 26,5)
- Povo Novo (km 41,9)
- Capão Seco (km 51,8)

Saiba mais:

- Assinado contrato para construção de cinco passarelas na BR-392

- Definidas empresas que irão construir cinco passarelas na BR-392

- Último trecho duplicado da BR-392 será liberado no começo de agosto

- Liberação do último trecho duplicado da BR-392 depende de construção de passarela

- Falta de segurança cancela liberação de última obra da duplicação da BR-392

Trincheira da Cristóvão: Acessos serão liberados no próximo dia 15

27 de janeiro de 2016 0
Acessos hoje estão bloqueados - Foto: Antônio Macedo / Arquivo Pessoal (Arquivo)

Acessos hoje estão bloqueados – Foto: Antônio Macedo / Arquivo Pessoal (Arquivo)

Os dois acessos da Avenida Cristóvão Colombo devem ser liberados ao trânsito no dia 15 de fevereiro. Quando isso ocorrer, quem vem pela Rua Dom Pedro II poderá voltar a ingressar na avenida em direção ao centro sem precisar entrar em um desvio. A liberação também beneficiará quem quiser acessar a Terceira Perimetral em direção a zona sul.

De acordo com o secretário Municipal de Gestão, Urbano Schmitt, no último dia 22 foi concluída a construção de guarda-corpo e guarda-roda. Falta ainda a conclusão de uma calçada de um hotel. Depois disso, a EPTC irá sinalizar a pista.

As obras da passagem de nível só deverão ser totalmente concluídas em setembro. Até agora, 50% do serviço foi executado. O contrato foi assinado em agosto de 2012. A ordem de início das obras foi dada em março de 2013. A previsão era realizar o serviço num prazo de um ano. Só que os desvios no trânsito começaram apenas em julho. E as obras só tiveram início em julho de 2014. O Consórcio EPT, Serenge e Serki é o responsável pelo serviço que, em valores atualizados, custará R$ 11,4 milhões (R$ 11.431.632,06).

Saiba mais:

Duplicação da BR-386 para a partir da próxima semana

22 de janeiro de 2016 5
Ao todo, 23 quilômetros duplicados já foram liberados – Foto: Divulgação / Dnit (Arquivo)

Ao todo, 23 quilômetros duplicados já foram liberados – Foto: Divulgação / Dnit (Arquivo)

As obras nos últimos dez quilômetros de duplicação da BR-386 vão parar a partir da próxima semana. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) comunicou o consórcio Conpasul / Iccila, nesta sexta-feira (22), de que não há recursos no orçamento de 2016 para continuar a obra neste ano.

Mesmo que quisesse continuar a duplicação, as construtoras não poderiam pois a Lei de Responsabilidade Fiscal não permite que o Dnit gere despesa sem que haja receita. Esta é a primeira obra no Rio Grande do Sul que sofre as consequências diretas do corte de investimentos anunciado pelo governo federal. Há risco de que o mesmo ocorra com outras obras do Dnit no Estado.

O término da obra estava agendado para maio de 2016. Além de finalizar o trecho ainda em pista simples entre Fazenda Vila Nova e Estrela, as construtoras precisam concluir uma escola na aldeia indígena, que foi transferida por causa da duplicação.

Dos quase 34 quilômetros que estão sendo duplicados, 23 já foram entregues entre Fazenda Vilanova e Tabaí. A duplicação da BR-386 começou em novembro de 2010. A previsão inicial era terminar os trabalhos em dezembro de 2013, mas as dificuldades de reassentamento indígena e as licenças ambientais atrasaram o cronograma.

Rodovia do Parque vai voltar a ganhar manutenção após quatro meses

22 de janeiro de 2016 3
Há um ano, trecho de nove quilômetros tinha quase 200 buracos – Foto: Jocimar Farina / Gaúcha (Arquivo)

Há um ano, trecho de nove quilômetros tinha quase 200 buracos – Foto: Jocimar Farina / Gaúcha (Arquivo)

Sem serviços de manutenção há quatro meses, a Rodovia do Parque vai voltar a receber reparos. A partir da semana que vem, a construtora Pavia receberá ordem do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) para realizar a conservação da BR-448.

A empresa foi a vencedora da licitação. O contrato foi assinado na quarta-feira (20) e terá duração até maio de 2018 ao custo de R$ 13,3 milhões (R$ 13.323.037,99).

O contrato anterior foi cancelado em outubro de 2015 pelo Dnit. Ele foi assinado em dezembro de 2014. De acordo com a autarquia, a empresa enfrentou problemas financeiros. Além disso, reclamou do valor baixo do preço do asfalto previsto em contrato.

Saiba mais:

- Construtora desiste de contrato e Rodovia do Parque está sem manutenção

- Rodovia do Parque tem 183 buracos

- Suspensa licitação para prolongamento da Rodovia do Parque até Portão

- Desnível na Rodovia do Parque vai permanecer por mais dois anos

- Primeiras famílias começam a invadir margens da Rodovia do Parque em Esteio

BR-116: Obras na sinaleira da Roselândia começam nesta quarta-feira

19 de janeiro de 2016 0
Sinaleira é a única que permanece entre NH e Porto Alegre - Foto: Charles Dias/ Especial (Arquivo)

Sinaleira é a única que permanece entre NH e Porto Alegre – Foto: Charles Dias/ Especial (Arquivo)

As obras que prometem diminuir os congestionamentos na BR-116, no bairro Roselândia, em Novo Hamburgo, começarão nesta quarta-feira (20). Os trabalhos serão desenvolvidos pela Construtora Castilho, que hoje é responsável pela manutenção da rodovia entre Porto Alegre e Nova Petrópolis. A ideia é que o serviço seja concluído até o início de março.

Os motoristas que utilizam a rodovia no sentido Interior-Capital não terão mais que parar na sinaleira. Uma terceira faixa será construída no local (indo até o acesso à RS-239). O sinal, com três tempos, servirá apenas para quem quiser acessar o bairro. Uma rotatória será instalada no trecho.

Já para quem utiliza a BR-116 no sentido Capital-Interior, poderá acessar o bairro Roselândia sem parar na sinaleira através de uma terceira faixa a ser construída com início no acesso à RS-239. O sinal terá que ser respeitado para os condutores que seguirem em direção a Ivoti. Haverá ainda um semáforo para pedestres, acionado através de um botão no poste.

As mudanças foram propostas pela prefeitura de Novo Hamburgo ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), que acolheu a proposta. Durante o período dos trabalhos, o trânsito no trecho pode ficar mais lento do que o normal, devido à necessidade de desvios.

Saiba mais:

- BR-116: sinaleira da Roselândia em NH terá fluxo livre em direção à Capital

- Câmeras da BR-116 estão sem manutenção

- Ponte da BR-116, entre Canoas e Porto Alegre, ganha o nome de comunista gaúcho

Mesmo com atrasos na obra do Salgado Filho, empresa ainda não foi multada pela Infraero

14 de janeiro de 2016 2
Apenas 17% dos trabalhos foram realizados em mais de dois anos de obras - Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS (Arquivo)

Apenas 17% dos trabalhos foram realizados em mais de dois anos de obras – Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS (Arquivo)

Apesar dos constantes atrasos no cronograma, falta de pagamento e de condições de trabalho aos operários, a empresa responsável pela ampliação do terminal de passageiros do Aeroporto Salgado Filho ainda não foi penalizada pela Infraero. As obras ocorrem há mais de dois anos e apenas 17,3% dos serviços já foram realizados.

Embora tenha divulgado, em setembro de 2014, que a empresa Espaço Aberto foi multada em R$ 161 mil, a Infraero, agora, informa que a construtora não sofreu qualquer penalidade. A justificativa é que, contratualmente, não foram encontrados motivos para aplicação de multa.

Os trabalhadores voltaram a entrar em greve. Eles estão parados há mais de uma semana. Na segunda-feira (18), uma reunião com representantes da empresa deverá definir como será feito o pagamento dos salários e da parcela do 13º que estão atrasados.

A Infraero entende que não há motivos para a paralisação das obras, uma vez que os pagamentos ao consórcio responsável pelos serviços estão em dia. Promete também que irá cobrar informações do consórcio caso não haja continuidade dos trabalhos.

As obras começaram em outubro de 2013. Desde então, os trabalhadores já entraram em greve em pelo menos 12 ocasiões. Somente em 2014 foram cinco paralisações. A primeira etapa da ampliação deveria ter ficado pronta em maio de 2014. A previsão inicial era concluir todo o trabalho em janeiro de 2016. Agora, o prazo é outubro, data que fatalmente sofrerá alteração.

Saiba mais:

- Obras de ampliação do Aeroporto Salgado Filho param pela quinta vez em um ano

- Construtora é multada em R$ 161 mil por atrasos em obra do Aeroporto Salgado Filho

- Término da ampliação do terminal de passageiros do Aeroporto Salgado Filho fica para 2017

- Porto Alegre teria que derrubar viaduto e mudar rota do trem para ter aeroporto 80% aberto em dia de neblina

- Empresa catarinense vence licitação para ampliação do Salgado Filho

Obras da orla do Guaíba vão bloquear faixa da Avenida Beira-Rio a partir de fevereiro

13 de janeiro de 2016 1
Autorização para começo das obras foi dada em outubro - Foto: Divulgação / Prefpoa (Arquivo)

Autorização para começo das obras foi dada em outubro – Foto: Divulgação / PrefPoa (Arquivo)

Um das três faixas da avenida Edvaldo Pereira Paiva, a avenida Beira-Rio, terá o trânsito interrompido a partir de fevereiro, no sentido centro – bairro. A intenção da Prefeitura de Porto Alegre é garantir a continuidade das obras da revitalização da orla do Guaíba e também para dar segurança aos pedestres, que querem continuar fazendo seus passeios entre a Usina do Gasômetro e a Rótula das Cuias. Uma empresa está sendo contratada para realizar a nova sinalização.

A ordem de início para revitalização da orla foi dada em outubro de 2015. Segundo o secretário municipal de obras e Viação (Smov), Mauro Zacher, as chuvas acabaram atrasando o começo dos trabalhos. Porém, o calendário segue mantido. A previsão de término é abril de 2017.

A prefeitura já pagou R$ 610 mil ao consórcio responsável pela obra. Já ocorreram os serviços de terraplenagem e as obras das fundações das novas estruturas começaram. Até agora, 2% do serviço já foi executado.

Veja como ficará a Orla do Guaíba:

Saiba mais:

- Anunciada vencedora da licitação que irá revitalizar a orla do Guaíba

- Duas concorrentes são consideradas inabilitadas em licitação da Orla do Guaíba

- Jaime Lerner irá desenvolver projeto de revitalização de novo trecho da orla do Guaíba

- Construtora desiste de obra e licitação da orla do Guaíba é cancelada

- Erro faz prefeitura adiar licitação para revitalizar orla do Guaíba

- Prefeitura quer publicar licitação da revitalização da orla do Guaíba antes da Copa