Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "obras"

Cravação de estacas da nova ponte do Guaíba será retomada nesta semana

26 de março de 2015 1
Primeiras estacas foram cravadas em outubro – Jocimar Farina / Rádio Gaúcha (Arquivo)

Primeiras estacas foram cravadas em outubro – Jocimar Farina / Rádio Gaúcha (Arquivo)

Enfim, a Diretoria de Planejamento e Pesquisa do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) de Brasília aprovou os projetos básico e executivo da nova ponte do Guaíba. A aprovação deveria ter ocorrido entre setembro e outubro de 2014.

Dessa forma, o estaqueamento da estrutura da nova ponte, dentro do Guaíba, irá começar entre amanhã (27) e sábado. O guindaste já pode ser visto por quem passa em frente ao canteiro de obras das construtoras responsáveis pelo serviço. As fundações da travessia já estão sendo feitas desde fevereiro em uma usina de concreto em Canoas.

O Dnit ainda não concluiu o processo de desapropriação de áreas privadas. Quando isso ocorrer, a Justiça Federal vai começar o processo de audiências de conciliação. Também segue o problema de invasão em uma das áreas do futuro reassentamento das famílias da nova ponte do Guaíba. Em dezembro, já havia 56 casebres no terreno, localizado na Avenida Ernesto Neugebauer, na zona norte de Porto Alegre.

As obras da nova ponte devem ser realizadas em três anos. A segunda ponte terá uma extensão de 7,3 quilômetros de obras e 28 metros de largura nos vãos principais. Cada pista contará com duas faixas de rolamento com acostamento e refúgio central. No entanto, é possível que, no futuro, a ponte tenha três faixas de tráfego para cada sentido. O Dnit estima que 50 mil veículos utilizem a nova ponte diariamente.

Saiba mais:

- Obra da nova ponte do Guaíba depende de aprovação de projetos que estão há seis meses parados

- Área de reassentamento de famílias da nova ponte do Guaíba é invadida

- Construção da nova ponte do Guaíba já está um mês atrasada

- Começam as obras da nova ponte do Guaíba

- Fepam emite Licença de Instalação para a nova ponte do Guaíba

- Definidas áreas que serão destinadas às famílias afetadas pela construção da nova ponte do Guaíba

- Tribunal de Contas da União investiga possíveis irregularidades em construção de nova ponte do Guaíba

Construtora desiste de recuperar BR-116 entre Porto Alegre e Nova Petrópolis

23 de março de 2015 3
Reparos não estão sendo feitos. Buraco surgiu ano passado em Sapucaia do Sul e até hoje não foi consertado - Foto: Paulo Rocha / Rádio Gaúcha (Arquivo)

Reparos não estão sendo feitos. Buraco surgiu ano passado em Sapucaia do Sul e até hoje não foi consertado – Foto: Paulo Rocha / Rádio Gaúcha (Arquivo)

As obras de recuperação e manutenção da BR-116, entre Porto Alegre e Nova Petrópolis, estão paradas desde o começo do ano. A construtora Sultepa pediu rescisão do contrato. De acordo com a empresa, as obras ocorreram até dezembro do ano passado. Em outubro, a construtora chegou a ser advertida por não cumprir o cronograma estipulado em contrato.

Segundo a Sultepa, houve um grande aumento nos preços dos insumos controlados pelo governo. O preço do asfalto, que representa 40% da obra, subiu 45%. O valor do óleo diesel aumentou 14%, o do gás subiu 19%, entre outros. Além disso, o pagamento dos serviços executados, que deveria ocorrer em 30 dias, está demorando até quatro meses. Por causa disso, o serviço ficou inviável, segundo a empresa. Como o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) não soube como reequilibrar o contrato, a Sultepa pediu a rescisão amigável.

A Sultepa venceu a concorrência realizada no primeiro semestre de 2014. Ela ficou responsável pela execução do contrato de recuperação, conservação e manutenção da rodovia por dois anos. A previsão era investir R$ 38,8 milhões (R$38.874.000,00) em 184,49 quilômetros da rodovia. O contrato com o Dnit foi assinado no dia 30 de maio de 2014.

Agora, a autarquia aguarda a conclusão do distrato para definir a retomada dos trabalhos. Os serviços serão oferecidos para a empresa que perdeu a concorrência. Enquanto isso não ocorre, a recuperação da BR-116 seguirá parada.

Saiba mais:

- Conservação da BR-116 será retomada entre Porto Alegre e a Serra gaúcha

BR-116 está sem conservação desde fevereiro entre Porto Alegre e a Serra gaúcha

Obra do binário da avenida Praia de Belas só deve ficar pronta em junho

18 de março de 2015 9
Sentido único foi implantado em 20 de fevereiro - Foto: Felipe Daroit / Rádio Gaúcha (Arquivo)

Sentido único foi implantado em 20 de fevereiro – Foto: Felipe Daroit / Rádio Gaúcha (Arquivo)

A implantação do sentido único das avenidas Praia de Belas e Borges de Medeiros, em Porto Alegre, vai completar um mês na próxima sexta-feira. E os motoristas vão precisar conviver com obras nas duas avenidas pelos próximos três meses.

Pela previsão mais atualizada, a troca de asfalto da avenida Praia de Belas deve ser concluída até o fim do mês. A sinalização precisa ser realizada somente um mês depois. Já o novo pavimento da avenida Borges de Medeiros, entre a avenida Ipiranga e a ponte dos Açorianos, será finalizada até maio e a sinalização começará um mês depois. A instalação de mais placas de concreto na avenida Aureliano de Figueiredo Pinto será finalizada até o fim de março, mas a liberação do trânsito deve ocorrer apenas na segunda quinzena de abril.

As obras começaram no fim de setembro de 2014. Os trabalhos deveriam ter sido concluídos em fevereiro.

O tráfego da avenida Borges de Medeiros tem sentido único em direção ao bairro após o viaduto sobre a avenida Loureiro da Silva até o viaduto Dom Pedro I, junto a avenida José de Alencar. Já na avenida Praia de Belas, o fluxo ocorre no sentido ao centro, no mesmo trecho. Ao todo, serão até seis faixas de circulação de veículos por sentido.

O Shopping Praia de Belas é o responsável pela contratação e financiamento das obras do binário. O sentido único das avenidas é uma contrapartida devido à ampliação do shopping. A Coesul é a empresa que executa a obra. O investimento chega a R$ 8 milhões.

Algumas alterações:

- Na descida do viaduto Dom Pedro I haverá uma alça de acesso para a avenida Praia de Belas, que servirá de retorno para a Zona Sul;

- O corredor de ônibus da avenida Aureliano de Figueiredo Pinto foi ampliado até a avenida Borges de Medeiros, para os coletivos que trafegam no sentido centro – bairro;

- A rua Barbedo, entre as avenidas Borges de Medeiros e Praia de Belas, foi fechada para ser anexada à Praça Rotary.

Veja o cronograma para os próximos meses:

- Instalação de placa de concreto da Aureliano de Figueiredo Pinto = até 31/03;
- Novo asfalto da avenida Praia de Belas = até 31/03;
- Alça de acesso do viaduto Dom Pedro I para a avenida Praia de Belas = até 31/03;
- Colocação de gramas e calçadas = até 10/04;
- Sinalização da avenida Praia de Belas = será realizada a partir de 30/04;
- Instalação das paradas de ônibus = até 15/05;
- Asfalto na avenida Borges de Medeiros = até 15/05;
- Sinalização da avenida Borges de Medeiros = será realizada a partir de 15/06.

Saiba mais:

- Conclusão da obra do binário da Praia de Belas deve ocorrer só em abril

- Começa a funcionar sentido único das avenidas Praia de Belas e Borges

Inversão de sentido nas avenidas Praia de Belas e Borges de Medeiros começa em janeiro

- Começam as obras de sentido único das avenidas Praia de Belas e Borges de Medeiros

Suspensa licitação para construir passarelas em rodovias estaduais pedagiadas do RS

18 de março de 2015 4
Projeto de novas passarelas – Foto: Reprodução / EGR

Projeto de novas passarelas – Foto: Reprodução / EGR

A licitação para construir passarelas em rodovias estaduais pedagiadas no Rio Grande do Sul foi suspensa pela nova direção da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR). O recebimento das propostas das empresas deveria ter ocorrido em janeiro.

A justificativa é que houve necessidade de avaliar as licitações que foram abertas na gestão passada. Todos os editais estão passando por análise. A direção ainda está avaliando se dará continuidade ou não à concorrência.

A ideia original era construir seis passarelas metálicas: na RS-239, em Campo Bom, Sapiranga, Parobé e Taquara; na RS-240, em Portão; e na RS-040, em Viamão.

Veja o local previsto para a instalação de novas travessias de pedestres:

Passarela 1: RS–239, proximidades do quilômetro 24, em Campo Bom;
Passarela 2: RS–239, proximidades do quilômetro 29, em Sapiranga;
Passarela 3: RS–239, proximidades do quilômetro 43, em Parobé;
Passarela 4: RS–239, proximidades do quilômetro 51, em Taquara;
Passarela 5: RS–240, proximidades do quilômetro 09, em Portão;
Passarela 6: RS–040, proximidades do quilômetro 32, em Viamão.

Saiba mais:

- Adiada licitação para construir seis passarelas em rodovias estaduais pedagiadas do RS

Novas escadas rolantes da estação São Leopoldo devem ser inauguradas até o fim do mês

17 de março de 2015 0
Problema nas escadas rolantes das estações Unisinos e São Leopoldo é antigo – Foto: Vinícius Roratto / Especial (Arquivo)

Problema nas escadas rolantes das estações Unisinos e São Leopoldo é antigo – Foto: Vinícius Roratto / Especial (Arquivo)

As duas novas escadas rolantes da estação São Leopoldo devem ser liberadas ao público em até duas semanas. A inauguração resolve um grande problema dos usuários, já que as antigas escadas rolantes do local estão desativadas.

As obras começaram em abril de 2014 e deveriam ter sido concluídas em novembro do mesmo ano. De acordo com a Trensurb, o atraso ocorreu porque houve dificuldade para liberar uma área do Museu do Trem necessária para os serviços. Também houve necessidade de algumas adequações de projeto. Além disso, foi descoberta uma rede de esgoto pluvial não catalogada que teve que ser remanejada. A empresa Interativa Construções Ltda. é a responsável pela obra. O valor do investimento previsto na licitação foi de R$ 413,7 mil (R$ 413.727,47).

Como a estação deixou de ser terminal, a partir da expansão da linha até Novo Hamburgo, ela passou a ser uma estação intermediária. Desse modo, os embarques e desembarques acontecem nas plataformas de ambos os lados. Por isso, a Trensurb entende que era necessária a instalação de mais duas escadas.

Já sobre a troca de três escadas rolantes da estação Unisinos, a da estação São Leopoldo e a colocação do sistema na estação Aeroporto depende de liberação de verba do Governo Federal. A Trensurb realizou licitação. A empresa ThyssenKrupp foi a vencedora. Quando os recursos chegarem, a assinatura do contrato será realizada. As obras devem ocorrer em seis meses ao custo de R$ 1,2 milhão.

Saiba mais:

- Lançada licitação para instalar novas escadas rolantes nas estações da Trensurb

- Adiada conclusão da obra das novas escadas rolantes da Trensurb em São Leopoldo

- Começa manutenção nas escadas rolantes da Trensurb

- Trensurb lança licitação para manutenção das escadas rolantes das estações

- Escolhida empresa que irá instalar escadas rolantes na Estação São Leopoldo da Trensurb

- Trensurb vai substituir escadas rolantes mais defeituosas

Passagem de nível da avenida Ceará deverá ter obras na madrugada até o fim do mês

16 de março de 2015 5
Obras ficaram mais de sete meses paradas – Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS (Arquivo)

Obras ficaram mais de sete meses paradas – Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS (Arquivo)

As obras da passagem de nível da avenida Ceará, em Porto Alegre, foram retomadas no dia 26 de janeiro. Porém, pouco se vê de movimentação no local. Essa situação deve mudar em até duas semanas, quando 51 operários devem começar a trabalhar durante a madrugada.

A escavadeira de 22 metros de altura chegará nos próximos dias. O serviço precisa ser feito entre 1h e 5h. O horário foi uma determinação do V Comar, pois, se esse equipamento fosse usado durante o funcionamento do Aeroporto Salgado Filho, poderia atrapalhar a decolagem e pouso das aeronaves.

Até agora, 20% dos trabalhos já foram realizados. A previsão de conclusão é julho de 2016, se não houver novo atraso. O desvio no trânsito ocorre desde fevereiro de 2013.

Em outubro de 2014, a prefeitura chegou a anunciar que lançaria uma nova licitação, após a desistência das empresas. Um mês depois, o consórcio Farrapos, composto pelas empresas Conpasul; Sogel; e Toniolo, Busnello anunciou que mudou de ideia, decidiu aceitar o reajuste proposto pela prefeitura e retomar os trabalhos que ficou sete meses parados. A obra custará R$ 34,28 milhões (R$ 34.287.065,53).

Durante os primeiros meses de obra, o solo se mostrou instável. Havia risco de afetar as fundações dos prédios vizinhos. Com isso, foi identificado que, para realizar o serviço, as construtoras teriam que escavar mais de oito metros de profundidade.

Essa obra já enfrentou problemas antes mesmo de começar quando o consórcio de empresas DP Barros, de São Paulo, informou que não iria executar o trabalho, mesmo tendo vencido a licitação. Outros quatro consórcios de empresas que participaram da concorrência foram consultados, mas eles teriam que fazer o serviço pelo mesmo preço das construtoras que desistiram. Nenhuma das empresas aceitou participar.

Saiba mais:

- Construtoras mudam de ideia e obras na avenida Ceará serão retomadas em janeiro

- Obra da trincheira da Avenida Ceará terá que ser licitada novamente

- Altura de máquina atrapalha andamento das obras da passagem da Avenida Ceará

- Risco de deslizamento de solo modifica projeto da passagem da Avenida Ceará

- Construtoras desistem e obra de passagem subterrânea da Ceará vai atrasar 90 dias

Término da duplicação da Voluntários da Pátria tem novo adiamento

13 de março de 2015 6
Obras começaram em agosto de 2012 - Foto: Joel Vargas / PMPA (Arquivo)

Obras começaram em agosto de 2012 – Foto: Joel Vargas / PMPA (Arquivo)

O término da duplicação dos 785 metros da rua Voluntários da Pátria, entre as ruas da Conceição e Ramiro Barcelos, foi adiado em mais dois meses. A previsão inicial era entregar a obra do lote um em maio de 2014. Foi adiado para junho de 2015. Agora, a data mais atualizada é o mês de agosto.

E a duplicação pode atrasar ainda mais já que a área do Centro Cenotécnico do Estado ainda não foi repassada pelo governo gaúcho à Prefeitura de Porto Alegre. Até agora, 56% dos trabalhos foram realizados.

As obras no lote um estão ocorrendo em duas frentes. Da rua da Conceição até a rua Ernesto Alves estão ocorrendo a colocação da base e sub-base do novo pavimento. Na rua Álvaro Guaspari está sendo instalada uma rede de drenagem.

O começo da obra ocorreu em agosto de 2012. A pista existente já foi recuperada. Os trabalhos estão concentrados na parte que está sendo duplicada.

Já a duplicação dos demais 2,66 quilômetros da Voluntários da Pátria ainda aguarda definições. O consórcio de empresas DP Barros, FBS, SOEBE desistiu de realizar a duplicação por causa do complicado processo de desapropriação da área.

O consórcio Uma Nova Voluntários, formado pelas empresas CC Pavimentadora, Procon e CSL Construtora já informou que irá realizar a obra. Ele foi o segundo colocado na licitação do lote dois. Porém, as construtoras querem que a prefeitura cobre um cronograma das empresas de telefonia para o remanejo de rede. Enquanto isso não ocorrer, o serviço não será realizado.

Quando as obras começarem, as empresas já terão 700 metros de área para trabalhar. A expectativa da prefeitura é concluir o processo de desapropriação dos terrenos nos próximos meses. A previsão é que a duplicação do lote dois dure 13 meses.

Saiba mais:

- Construtoras desistem de realizar segunda parte da duplicação da Avenida Voluntários da Pátria

- Duplicação da Avenida Voluntários da Pátria ainda depende de licença arqueológica

- Duplicação de mais um trecho da Voluntários da Pátria começa na próxima semana

Término da duplicação da BR-386 deve ocorrer dois anos depois do prazo

13 de março de 2015 0
Ao todo, 23 quilômetros duplicados já foram liberados – Foto: Divulgação / Dnit (Arquivo)

Ao todo, 23 quilômetros duplicados já foram liberados – Foto: Divulgação / Dnit (Arquivo)

As obras de duplicação da BR-386 devem ser concluídas apenas em dezembro de 2015. A previsão inicial era finalizar os trabalhos no fim de 2013.

Atualmente, sete quilômetros estão em obras entre Fazenda Vilanova e Estrela. Até agora, aproximadamente 60% dos trabalhos foram concluídos. O ritmo dos serviços reduziu no fim do ano, depois que o repasse de recursos do Governo Federal diminuiu.

Outros dois quilômetros da duplicação, em Estrela, estão parados. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) recebeu autorização da Fundação Nacional do Índio (Funai) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) para que fossem feitos apenas os trabalhos de supressão de vegetação, drenagem e construção de bueiros, que já foram realizados.

A autorização para retomada das obras só será dada depois que as famílias indígenas, que moram na região da duplicação, forem transferidas para novas residências. As obras das 29 casas da aldeia Kaigang serão concluídas neste mês de março. Porém, ainda falta iniciar a construção de uma escola.

Para evitar que as famílias sejam transferidas e tenham que conviver em meio às máquinas, um novo acesso será construído para a aldeia, em abril. Com isso, a duplicação dos últimos dois quilômetros poderia retomar em maio, se houver autorização da Funai e do Ibama. A ideia é concluir a obra da escola em novembro.

Dos quase 34 quilômetros que estão sendo duplicados, 23 já foram entregues entre Fazenda Vilanova e Tabaí. A duplicação da BR-386 começou em novembro de 2010. As obras deveriam ter sido concluídas até dezembro de 2013. O consórcio Conpasul / Iccila é o responsável pela obra.

Saiba mais:

- Estudo de viabilidade recomenda duplicação de novo trecho da BR-386

- Ibama autoriza e duplicação na BR-386 começa na segunda-feira

Conclusão de mais um trecho duplicado da BR-386 atrasa em mais três meses

- Liberado novo trecho duplicado da BR-386

 

Viaduto da Bento Gonçalves será liberado no dia 26. Ônibus usarão desvios até maio

09 de março de 2015 5
Parte de cima do viaduto será liberada no dia do aniversário de Porto Alegre – Foto: Jocimar Farina / Rádio Gaúcha (Arquivo)

Parte de cima do viaduto será liberada no dia do aniversário de Porto Alegre – Foto: Jocimar Farina / Rádio Gaúcha (Arquivo)

O tráfego no viaduto da avenida Bento Gonçalves com a Terceira Perimetral será liberado, em ambos os sentido, no próximo dia 26, em Porto Alegre. Atualmente, está sendo realizada uma pintura anti-pichação nas muretas da elevada, além da instalação da iluminação. A pintura de pista e colocação de placas deve começar no dia 20. Até agora, 94% dos serviços foram realizados.

Porém, os ônibus de linha continuarão usando os desvios até maio, quando os trabalhos deverão ser concluídos. Na parte do viaduto por onde passarão os veículos do transporte coletivo ainda ocorre a pavimentação e colocação da mureta.

As vias laterais também permanecerão fechadas no período. A prefeitura segue negociando com o governo gaúcho. A Brigada Militar precisa ceder uma área para que seja possível construir um retorno no local. Também é necessário haver o recuo de um muro para a ampliação da via.

Ainda é preciso remover quatro famílias que ocupam hoje espaços que serão usados pela obra. As transferências das famílias devem iniciar na próxima semana.

A autorização para o começo dos trabalhos foi dada em agosto de 2012, mas os desvios no trânsito só começaram a ser realizados em janeiro de 2013. O viaduto irá ligar as avenidas Doutor Salvador França e Coronel Aparício Borges sobre a avenida Bento Gonçalves, com extensão de 540 metros. Terá duas faixas de trânsito para carros em cada sentido. Ainda terá uma elevação de 440 metros, separada dos carros e mais baixa, que será usada para a circulação de ônibus. Um trecho de 100 metros do viaduto será estaiado (suspenso por cabos). A obra irá custar R$ 79,4 milhões (R$ 79.403.493,91).

Saiba mais:

- Parte de cima do viaduto da Bento Gonçalves será liberado ao tráfego em março

- Adiada liberação do tráfego no viaduto da avenida Bento Gonçalves

- Viaduto da Bento Gonçalves deve ser liberado ao tráfego até o fim do ano

- Obra do viaduto da Bento Gonçalves altera trânsito da Terceira Perimetral a partir de sábado

Obras da nova ponte do Guaíba depende de aprovação de projetos que estão há seis meses parados

05 de março de 2015 6
Obras iniciaram em outubro – Jocimar Farina / Rádio Gaúcha (Arquivo)

Primeiras estacas foram cravadas em outubro – Jocimar Farina / Rádio Gaúcha (Arquivo)

A demora na aprovação dos projetos básico e executivo das obras da nova ponte do Guaíba pela Diretoria de Planejamento e Pesquisa do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) de Brasília vai interferir no cronograma dos trabalhos. A aprovação dos projetos deveria ter ocorrido entre setembro e outubro de 2014.

O estaqueamento da estrutura da nova ponte poderia começar em março, porém, o trabalho em campo não pode começar sem antes a autorização ser dada. As construtoras responsáveis pelo serviço já produzem as fundações da travessia desde fevereiro.

O Dnit também não concluiu o processo de desapropriação de áreas privadas. Quando isso ocorrer, a Justiça Federal vai começar o processo de audiências de conciliação. Também segue o problema de invasão em uma das áreas do futuro reassentamento das famílias da nova ponte do Guaíba. Em dezembro, já havia 56 casebres no terreno, localizado na Avenida Ernesto Neugebauer, na zona norte de Porto Alegre.

As obras da nova ponte devem ser realizadas em três anos. A segunda ponte terá uma extensão de 7,3 quilômetros de obras e 28 metros de largura nos vãos principais. Cada pista contará com duas faixas de rolamento com acostamento e refúgio central. No entanto, é possível que, no futuro, a ponte tenha três faixas de tráfego para cada sentido. O Dnit estima que 50 mil veículos utilizem a nova ponte diariamente.

Saiba mais:

- Área de reassentamento de famílias da nova ponte do Guaíba é invadida

- Construção da nova ponte do Guaíba já está um mês atrasada

- Começam as obras da nova ponte do Guaíba

- Fepam emite Licença de Instalação para a nova ponte do Guaíba

- Definidas áreas que serão destinadas às famílias afetadas pela construção da nova ponte do Guaíba

- Tribunal de Contas da União investiga possíveis irregularidades em construção de nova ponte do Guaíba