Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "obras"

Concluído reparo em elevador da estação Mathias Velho do Trensurb

16 de setembro de 2014 0
Nove elevadores estão sendo reformados – Foto: Luiz Soares / Trensurb (Arquivo)

Nove elevadores estão sendo reformados – Foto: Luiz Soares / Trensurb (Arquivo)

O reparo no elevador da estação Mathias Velho do Trensurb foi concluído nessa segunda-feira (15). Ele estava inativo desde o dia 07 de agosto, quando a empresa Nalc Comércio e Indústria começou a reforma do equipamento. Segundo a Trensurb, os serviços realizados permitem “mais suavidade de partidas e paradas, reduzem o consumo de energia elétrica e trazem ganho de confiabilidade e acessibilidade”.

Este é um dos nove elevadores que estão passando por melhorias. Na estação São Pedro o processo de modernização já foi concluído. O próximo a passar pelo serviço será o elevador da estação Canoas, que ficará inativo pelos próximos 40 dias. Ainda receberão reparos os equipamentos das estações Unisinos, São Leopoldo (dois) e no pátio da empresa (três).

O contrato foi assinado com a empresa, em fevereiro deste ano, ao custo de R$ 1 milhão (R$ 1.003.999,95) e prevê, além da atualização desses equipamentos, serviços de manutenção preventiva e corretiva em 25 elevadores de 11 estações, de São Pedro a Novo Hamburgo, e no pátio da Trensurb. A contratação tem vigência de um ano. Neste período, a modernização dos nove equipamentos deve ser concluída.

Não estão incluídas as plataformas elevatórias da Estação Mercado, que já têm contrato de manutenção. Os futuros elevadores das estações Farrapos, Rodoviária e Esteio ainda não estão contemplados nesse contrato.

Saiba mais:

- Trensurb começa hoje a reformar o elevador da estação Mathias Velho em Canoas

- Trensurb lança licitação para manutenção das escadas rolantes das estações

Construtora é multada em R$ 161 mil por atrasos em obra do Aeroporto Salgado Filho

15 de setembro de 2014 10
Parte da ampliação deveria ficar pronta em maio, a tempo da Copa – Foto: Kelly Matos / Rádio Gaúcha (Arquivo)

Parte da ampliação deveria ficar pronta em maio, a tempo da Copa – Foto: Kelly Matos / Rádio Gaúcha (Arquivo)

A construtora Espaço Aberto foi multada em R$ 161 mil (R$ 161.750,24) pela Infraero. O motivo foi o atraso no cronograma nas obras de ampliação do terminal de passageiros do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre. A multa foi aplicada em fevereiro, mas somente agora a Infraero confirmou o valor da penalidade sofrida.

De acordo com o último levantamento feito sobre o andamento da ampliação, apenas 2,34% do serviço já foi realizado. As obras começaram em outubro de 2013. A primeira etapa deveria ter ficado pronta em maio de 2014.

E os constantes atrasos no cumprimento do prazo fez com que a Infraero adiasse a entrega da obra. A previsão mais recente é que os trabalhos serão concluídos não mais em janeiro de 2016, mas sim em novembro do mesmo ano. Outros três meses estão estipulados para conclusão definitiva dos trabalhos, ou seja, em fevereiro de 2017.

Na semana passada, a Infraero divulgou que que aprovou a assinatura de um Termo Aditivo, que autorizou a interveniência da Construtora Damiani no contrato com a Espaço Aberto. Não houve alteração dos valores do contrato, que permanecem em R$ 181,1 milhões.

Saiba mais:

- Término da ampliação do terminal de passageiros do Aeroporto Salgado Filho fica para 2017

- Obras de ampliação do Aeroporto Salgado Filho param pela quarta vez

- Anac aprova e novo sistema de pousos do Salgado Filho já está operando

- Empresa é multada e pode ter contrato rescindido se ocorrerem novos atrasos em obra no Salgado Filho

- Porto Alegre teria que derrubar viaduto e mudar rota do trem para ter aeroporto 80% aberto em dia de neblina

- Empresa catarinense vence licitação para ampliação do Salgado Filho

Término da ampliação do terminal de passageiros do Aeroporto Salgado Filho fica para 2017

15 de setembro de 2014 4
Parte da ampliação deveria ficar pronta em maio, a tempo da Copa – Foto: Kelly Matos / Rádio Gaúcha (Arquivo)

Parte da ampliação deveria ficar pronta em maio, a tempo da Copa – Foto: Kelly Matos / Rádio Gaúcha (Arquivo)

A dificuldade financeira enfrentada pela empresa catarinense Espaço Aberto e as constantes greves dos operários que trabalham na ampliação do terminal de passageiros do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, fizeram com que a Infraero alterasse o prazo de conclusão das obras. A previsão mais recente é que os trabalhos serão concluídos não mais em janeiro de 2016, mas sim em novembro do mesmo ano.

Outros três meses estão estipulados para conclusão definitiva dos trabalhos, ou seja, em fevereiro de 2017. As obras começaram em outubro de 2013. A primeira etapa da ampliação deveria ter ficado pronta em maio de 2014.

Na semana passada, a Infraero divulgou que que aprovou a assinatura de um Termo Aditivo, que autorizou a interveniência da Construtora Damiani no contrato com a Espaço Aberto. Não houve alteração dos valores do contrato, que permanecem em R$ 181,1 milhões.

Saiba mais:

- Obras de ampliação do Aeroporto Salgado Filho param pela quarta vez

- Anac aprova e novo sistema de pousos do Salgado Filho já está operando

- Empresa é multada e pode ter contrato rescindido se ocorrerem novos atrasos em obra no Salgado Filho

- Porto Alegre teria que derrubar viaduto e mudar rota do trem para ter aeroporto 80% aberto em dia de neblina

- Empresa catarinense vence licitação para ampliação do Salgado Filho

Propostas para obras de melhorias na BR-116 serão recebidas em outubro

12 de setembro de 2014 4
Trecho de Esteio ganhará novos viadutos - Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS (Arquivo)

Trecho de Esteio ganhará novos viadutos – Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS (Arquivo)

As propostas para realização de obras de melhoria no tráfego da BR-116, entre Porto Alegre e Novo Hamburgo, serão conhecidas no dia 21 de outubro. O aviso de licitação foi publicado nesta sexta-feira (12) no Diário Oficial da União. O custo da obra não foi divulgado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), pois a concorrência ocorre no modelo de Regime Diferenciado de Contratação (RDC), que estimula as empresas a apresentarem o menor valor possível para que possam ser consideradas vencedoras.

As obras em 38,5 quilômetros foram divididas em dois lotes. Os vencedores da disputa terão quatro meses para realizar os projetos. Contratualmente, o Dnit terá 60 dias para analisar o trabalho. Depois disso, as empresas terão dois anos e meio para realizar as melhorias.

Para que as obras sejam realizadas, as empresas vencedoras precisarão providenciar revitalização de sete quilômetros das Avenidas Guilherme Schell, em Canoas e Ernesto Neugebauer em Porto Alegre.

Estão previstas construções de ruas lateria; implantação de terceira faixa, inclusive nos viadutos; construção de novos viadutos, passagens de nível e passarelas. O trecho de Esteio deverá receber a maior quantidade de novas obras, principalmente na região do Parque de Exposições Assis Brasil. Canoas terá um cruzamento por baixo da BR-116, próximo do Conjunto Comercial. São Leopoldo ganhará a duplicação da ponte do Rio dos Sinos. Já Novo Hamburgo não foi contemplada com a construção do viaduto do Bairro Roselândia. Também não haverá, nesta licitação, a duplicação da BR-116 até Dois Irmãos.

Obras previstas em cada um dos municípios:

Novo Hamburgo

• Ruas laterais: implantação de trechos inexistentes, regularização em trechos existentes sem condições de receber maior volume de tráfego;
• Implantação de faixas de transposição no sentido de eliminar os atuais acessos da BR-116;
• Implantação de divisor central, com supressão do canteiro central, de modo a permitir a implantação da 3ª faixa de tráfego;
• Pontilhão sobre o Arroio Luis Rau: será necessária sua ampliação nos dois sentidos da rodovia, para permitir a continuidade do tráfego nas ruas laterais;
• Passagem inferior da Rua Pedro Álvares Cabral: obra nova a ser implantada transversalmente ao eixo da BR – 116;
• Alteração no viaduto Ayrton Sena: será implantada uma alça de acesso no viaduto, permitindo ao tráfego originário do Bairro Boa Saúde acessar a rua lateral da BR-116, com destino à RS-239, eliminando o conflito existente sobre o viaduto.;
• Passagem inferior do Bairro Primavera: trata-se de obra nova a ser implantada transversalmente ao eixo da BR – 116.

São Leopoldo

• Ruas laterais: implantação de trechos inexistentes, regularização em trechos existentes sem condições de receber maior volume de tráfego;
• Implantação de faixas de transposição no sentido de eliminar os acessos antigos da BR-116;
• Implantação de divisor central, com supressão do canteiro central, de modo a permitir a implantação da 3ª faixa de tráfego;
• Prolongamento de aproximadamente 17 metros do lado direito da Galeria do Arroio Gauchinho, permitindo a implantação da rua lateral;
• Reforma do Viaduto da Scharlau;
• Construção de um novo viaduto no entroncamento com a RS-240, sobre o Viaduto da Scharlau, permitindo o ingresso direto do tráfego sentido capital-interior,
àquela rodovia estadual, eliminando o cruzamento sob o viaduto existente;
• Ponte sobre a Várzea do Rio dos Sinos: reforma de duas pontes paralelas já existentes. É necessário aumentar a largura das faixas para que sejam implantadas 3 faixas de tráfego, faixas de segurança e passeios, em cada sentido;
• Ponte sobre o Rio dos Sinos: Construção de duas pontes novas.

Sapucaia do Sul

• Implantação de faixas de transposição no sentido de eliminar os atuais acessos da BR-116;
• Implantação de divisor central, com supressão do canteiro central, de modo a permitir a implantação da 3ª faixa de tráfego.

Esteio

• Ruas laterais: implantação de trechos inexistentes, regularização em trechos existentes sem condições de receber maior volume de tráfego;
• Implantação de faixas de transposição no sentido de eliminar os atuais acessos da BR-116;
• Implantação de divisor central, com supressão do canteiro central, de modo a permitir a implantação da 3ª faixa de tráfego;
• Viaduto na BR-116: construção de viaduto novo junto ao Parque de Exposições Assis Brasil;
• Viaduto em rua lateral: construção de viaduto novo cruzando sobre a Avenida Celina Chaves Kroeff;

Esquema de circulação no local:

• Sentido interior-capital:
® A Av. Independência, no trecho entre a Av. Celina Kroeff e a Rua Arroio Esteio terá mão única nesse sentido;
® Direção Porto Alegre, seguir pela BR-116 passando pelo viaduto existente;
® Para BR-448, tomar a rua lateral e entrar na Av. Celina Kroeff, sob o viaduto da rua lateral;
® Para Canoas via Av. Independência, tomar a rua lateral, cruzar a Av. Celina Kroeff ao lado do viaduto da rua lateral seguindo pela Av. Independência.

• Entrada e saída de Esteio:
® Direção Esteio, o tráfego segue pela rua lateral acessando a alça do viaduto de acesso a Esteio, passando sobre a BR-116;
® Direção BR-448, tomar a faixa à esquerda do viaduto da rua lateral e ingressar na Av. Celina Kroeff;
® Direção Canoas/Porto Alegre, pegar o viaduto da rua lateral desembocando na Av. Independência;
® Direção Esteio vindo da BR-448, seguir pela Av. Independência até o viaduto de retorno a diante.

• Sentido capital-interior:
® Direção Novo Hamburgo, seguir pela BR-116 passando pelo viaduto novo paralelo ao existente;
® Para BR-448, tomar a faixa da esquerda, na primeira saída, cruzar sob os viadutos da BR-116 e entrar na Av. Celina Kroeff;
® Para Canoas via Av. Independência, tomar a faixa da esquerda, na primeira saída, cruzar sob os viadutos da BR-116 fazendo retorno na rotatória existente e seguindo pela Av. Independência;
® Para destino a Esteio, tomar a faixa da esquerda, na segunda saída, cruzar sob os viadutos da BR-116 e pegar o viaduto em direção a Esteio.

• Viaduto de retorno ao Parque de Exposições Assis Brasil: construção de viaduto novo, Esta obra possibilitará o retorno do tráfego da Av. Independência, que terá sentido único, bem como possibilitará o fluxo da Avenida Guilherme Schell, procedente de Canoas, com destino norte, acesse a rua lateral a ser implantada no lado esquerdo da rodovia.

Esquema de circulação no local:

® O tráfego com destino a Porto Alegre seguirá pela Av. Independência, tomando o acesso à BR-116;
® O tráfego com destino a Canoas segue direto pela Av. Independência;
® O tráfego com destino a Novo Hamburgo acessa a alça do viaduto novo, cruzando sobre a BR-116 e seguindo pela rua lateral até à próxima saída;
® O tráfego procedente de Canoas com destino a Novo Hamburgo, acessa a alça do viaduto novo, cruzando sobre a BR-116 e seguindo pela rua lateral até a próxima saída.

• Ponte sobre o Arroio Sapucaia: alargamento das duas pontes paralelas existentes, sobre o arroio Sapucaia.

Canoas

• Implantação de faixas de transposição no sentido de eliminar os acessos antigos da BR-116;
• Implantação de divisor central, com supressão do canteiro central, de modo a permitir a implantação da 3ª faixa de tráfego;
• Construção de novo viaduto sobre a linha férrea da Trensurb e substituição dos viadutos existentes, os quais apresentam sérios problemas estruturais, permitindo a implantação da 3ª faixa de rolamento, em cada sentido;
• Alargamento do Viaduto de acesso à REFAP, para o lado direito, permitindo a implantação da 3ª faixa de rolamento, nos dois sentido da rodovia;
• Viaduto Boqueirão: trata-se da reforma do viaduto já existente sobre a Rua Boqueirão de modo a permitir a implantação de 3ª faixa de tráfego, nos dois sentidos;
• Rua Domingos Martins: Ligação da Rua Domingos Martins com a Rua Pinto Bandeira, através da implantação de uma Passagem Inferior;
• Viaduto da Praça do Avião: trata-se da reforma do viaduto já existente sobre a Avenida Inconfidência para permitir a implantação de 3ª faixa de tráfego;

Porto Alegre

• Implantação de divisor central, com supressão do canteiro central, de modo a permitir a implantação da 3ª faixa de tráfego;
• Passagem inferior para pedestres sobre a BR-290;
• Passagem inferior de acesso a Avenida Ernesto Neugebauer: vai propiciar ao tráfego procedente do litoral norte o acesso à Av. Ernesto Neugebauer, sem necessidade de trafegar na BR-116 até o Viaduto do bairro Rio Branco em Canoas. Esse tráfego tomará o segundo retorno existente na BR-290, passando sob o viaduto existente e pela passagem inferior a ser construída sobre o primeiro retorno e acessando a Rua Ernesto Neugebauer;
• Passagem inferior de acesso à Fronteira Oeste: obra nova a ser implantada em ramo novo da BR-116, o qual cruzará transversalmente o ramo de acesso ao norte do Estado da BR-290, separando os fluxos de tráfego no local e eliminando os conflitos existentes;
• Implantação de Rótula na interseção da Av. Ernesto Neugebauer com os ramos de acesso da BR-290.

Revitalização das Avenidas Guilherme Schell e Ernesto Neugebauer:

• Serão revitalizadas as avenidas Guilherme Schell e Ernesto Neugebauer, com a restauração do pavimento existente e implantação de sinalização horizontal e vertical;
• Na avenida Guilherme Schell deverá ser implantado divisor físico em concreto, separando os sentidos de tráfego, com implantação de duas faixas por sentido e restauração do pavimento existente;
• Na Avenida Ernesto Neugebauer deverá ser substituído o pavimento existente;
• Em ambas as avenidas deverá ser adequada ou implantada a rede de drenagem pluvial.

Passarelas:

Novo Hamburgo
• Rua José Quadros – Km 233
• A 230m ao Norte do viaduto Airton Senna / Rua Porto Lucena – km 235
• A 80m ao Sul da Av. Cel. Frederico Linck – km 236,3
• Rua Guaicurus / Colégio Liberato – km 236,8
• Rua Jornal NH – km 237

São Leopoldo
• Rua Limoeiro – km 239
• Rua São Leopoldo – km 240
• Rua DNER / UL São Leopoldo / Scharlau – km 240,4
• Posto Polícia Rodoviária Federal – km 241
• Rua São Simão / Rua Maceió – km 241,9
• Rua Demétrio Ribeiro / Rua Jacob Blauth Netto – km 242
• Rua Cristo Rei / Loja Leroy Merlin – km 246
• Rua Pe. Luiz Gonzaga Jaeger – Bairro São João Batista – km 248
• Seminário Concórdia – km 248,3
• Reforma Passarela da Av. Caxias do Sul – km 242,85

Sapucaia do Sul
• Av. Industrial / Mercado Atacadão – km 249

Esteio
• Rua Cristovão Colombo / Indústria Solae – km 253
• Frente a Votoran – km 253,5
• Passarela Estação Esteio Trensurb – km 254

Canoas
• Rua Major Sezefredo / Concessionária Sbardecar – km 261,6
• Rua Regente Feijó / Mercado Bourbon – km 261,8

Porto Alegre
• Reforma Passarela Estação Aeroporto Trensurb – km 270,3

Saiba mais:

- Adiada publicação de licitação sobre melhorias no trecho metropolitano da BR-116

- Melhorias no trecho metropolitano da BR-116 vão sair do papel

- Presidente Dilma anuncia melhorias na BR 116 e extensão da Rodovia do Parque e da BR 392

- BR-116 receberá melhorias entre Porto Alegre e Novo Hamburgo

Obra de mais um trecho da quarta faixa da Freeway se aproxima dos 60% de conclusão

10 de setembro de 2014 3
Trecho de sete quilômetros deve ser concluído até o fim do ano - Foto: Divulgação / Concepa

Trecho de sete quilômetros deve ser concluído até o fim do ano – Foto: Divulgação / Concepa

A segunda etapa das obras de construção da quarta faixa da Freeway já tem 57% do serviço realizado entre os quilômetros 85, no acesso a Cachoeirinha, e o quilômetro 92, no acesso a BR-116, em Porto Alegre. A expectativa da Concepa é que os trabalhos nesse trecho sejam concluídos até o fim do ano.

A autorização para o começo da obra em quase 20 quilômetros da rodovia, da RS-118, em Gravataí; até a BR-448, na capital; foi dada em abril. Toda obra, deve ser concluída até dezembro de 2015.

Além da quarta faixa, estão previstos uma alça direta da Freeway para a rua João Moreira Maciel, uma quinta faixa na saída da avenida Flores da Cunha, em Cachoeirinha, e uma alça de acesso direto para a avenida Ernesto Neugebauer para quem vem pela Freeway no sentido Capital-Litoral. A Concepa também prevê a instalação de iluminação pública de Porto Alegre até Gravataí.

O valor estimado para realização da obra é de R$ 160 milhões. A conta poderá ser paga de duas formas: recursos transferidos pelo governo federal até 31 de dezembro de 2015 ou a extensão do prazo de concessão até que haja o reequilíbrio do investimento. Na semana passada, o ministro dos Transportes visitou a obra. Questionado, Paulo Sérgio Passos, informou que a decisão de como o trabalho será pago ainda não foi definido.

Em agosto de 2013, a ANTT aprovou a construção da quarta faixa da Freeway num trecho de 2,6 quilômetros, entre a Rodovia do Parque e a avenida Castelo Branco. A primeira etapa da quarta faixa foi concluída no dia 14 de março.

Saiba mais:

- Autorizada construção da quarta faixa da Freeway, entre Gravataí e Porto Alegre

- Começam as obras de construção da quarta faixa da Freeway

- ANTT aprova construção de quarta faixa na Freeway entre a avenida Castelo Branco e a BR-448

- Concepa propõe construção de quarta faixa na Freeway entre Porto Alegre e Gravataí

Prefeitura busca parceria para revitalizar restante da orla do Guaíba

05 de setembro de 2014 1
Projeto da Orla do Guaíba – Imagem: Reprodução / Divulgação

Projeto da Orla do Guaíba – Imagem: Reprodução / Divulgação

* Com colaboração de Bibiana Dihl e Maikio Guimarães

O projeto de revitalização da orla do Guaíba, em Porto Alegre, pode ter apoio de um banco internacional. O prefeito José Fortunati disse, em entrevista ao Gaúcha Atualidade desta sexta-feira (05), que as negociações com a Cooperação Andina de Fomento (CAF) estão bastante avançadas.

- Existe uma grande possibilidade de obter os R$ 57 milhões da CAF. Não está ainda definido, mas há uma grande possiblidade para isso – informa Fortunati.

A revitalização de 1,3 quilômetros da orla está garantida, mesmo que os recursos não cheguem. Se a parceria ocorrer, mas demorar, a verba será usada no restante das obras. Todo o projeto de recuperação abrange uma área de sete quilômetros, até o clube náutico.

O edital de licitação do primeiro trecho foi publicado no Diário Oficial do município. As propostas serão apresentadas no dia 15 de outubro. As obras devem começar em janeiro e devem ser concluídas em até um ano e meio.

Obras na cidade

O prefeito ainda falou sobre a situação de outras obras de mobilidade de Porto Alegre. O corredor da avenida Tronco deve seguir sem solução até que as obras do Minha Casa Minha Vida fiquem prontas. São mais de mil famílias envolvidas.

- Não vou retirar nenhuma família a força – garantiu Fortunati.

Sobre obras em buracos da cidade, o prefeito concordou que faltam recursos.

- Operação tapa-buracos é cara. O buraco hoje é uma dor de cabeça, principalmente no inverno – disse.

Além disso, ele lamentou a falta de cuidado de concessionárias de telefone e energia.

- Muitos dos servidores abrem buracos nas ruas. As concessionárias não têm qualquer responsabilidade com a cidade – , desabafou.

Veja mais fotos do projeto:

Ouça a entrevista do prefeito José Fortunati:

Saiba mais:

- Propostas para revitalizar orla do Guaíba serão conhecidas em outubro

- Prefeitura quer publicar licitação da revitalização da orla do Guaíba antes da Copa

- Discussões sobre projeto de estacionamento subterrâneo em Porto Alegre serão retomadas em agosto

Começa penúltima obra de duplicação da BR-101 catarinense

04 de setembro de 2014 1
Ponte Cavalcanti - Foto: Rodrigo Speck / RBS TV (Arquivo)

Ponte Cavalcanti – Foto: Rodrigo Speck / RBS TV (Arquivo)

Enfim, as obras de construção de nova ponte na BR-101, na cidade catarinense de Tubarão, tiveram início. Os trabalhos estão sendo realizados no quilômetro 337 da rodovia.

No dia 15 de agosto, o Consórcio ENCI – Engedal e Cima Construções, responsável pela obra, recebeu a Autorização de Supressão vegetal. Após a retirada da vegetação, será construído tapume e o canteiro de obras para, na sequência, ser feita a demolição da ponte atual e construção da nova travessia.

O prazo de conclusão dos trabalhos é de um ano. A ordem de serviço, que permite o começo das obras foi assinada no dia dez de junho. Hoje, há estritamente de pista no local, pois há apenas uma ponte em uso. A nova ponte terá pouco mais de 300 metros e custará R$ 18,5 milhões (R$ 18.547.921,29).

Para que as obras de duplicação da BR-101, entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina, possam ser concluídas, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) ainda precisa realizar a licitação para construção do túnel do Morro dos Cavalos, na cidade catarinense de Palhoça. Enquanto isso, o Dnit autorizou a construção de mais uma faixa de tráfego em ambos os sentidos na rodovia.

Saiba mais:

- Duplicação da BR-101: Ponte de Laguna não será concluída até o fim do ano

- BR-101: Assinada ordem de construção de nova ponte em trecho catarinense

- Construção da ponte de Laguna atinge 66% de conclusão

- BR-101 catarinense terá mais 8 quilômetros de pista duplicada concluída

- BR-101 catarinense tem 90% de rodovia duplicada

Definidas áreas que serão destinadas às famílias afetadas pela construção da nova ponte do Guaíba

03 de setembro de 2014 0
Previsão é que obra ocorra em três anos – Imagem: Divulgação / Dnit

Previsão é que obra ocorra em três anos – Imagem: Divulgação / Dnit

Aproximadamente mil famílias precisarão ser removidas para a construção da nova ponte do Guaíba, em Porto Alegre. Elas serão realocadas para quatro áreas próximas de onde moram. Cada empreendimento deverá contar com 250 moradias. Duas delas ficam na Ilha dos Marinheiros. As outras duas nas vilas Areia e Tio Zeca. Uma área é da prefeitura, a segunda é um terreno do Governo Federal. Outras duas são áreas privadas, que precisarão ser adquiridas.

Se as obras para construção das casas definitivas começar até fevereiro, as primeiras transferências poderiam ocorrer em dezembro de 2015, sem necessidade das famílias serem encaminhadas para uma vila de passagem ou para um aluguel social. Para isso, o trâmite precisa ser rápido no Governo Federal. As casas serão construídas pelo programa Minha Casa Minha Vida.

A Fundação de Proteção Ambiental (Fepam) trabalha para conceder a licença ambiental que vai permitir o começo das obras da nova ponte. De acordo com o diretor-presidente da Fepam, Nilvo Silva, existe a possibilidade da autorização ser dada ainda em setembro. Os projetos de reassentamento das famílias e de remoção da vegetação foram entregues à Fepam na sexta-feira passada (29).

As obras devem ser realizadas em três anos. A segunda ponte terá uma extensão de 7,3 quilômetros de obras e 28 metros de largura nos vãos principais. Cada pista contará com duas faixas de rolamento com acostamento e refúgio central. No entanto, é possível que, no futuro, a ponte tenha três faixas de tráfego para cada sentido. O Dnit estipula que 50 mil veículos utilizem a nova ponte diariamente.

Saiba mais:

- Processo ambiental da nova ponte do Guaíba já teve 25% da documentação analisada

- Fepam começa a analisar hoje projeto de construção da nova ponte do Guaíba

- Obras de construção da nova ponte do Guaíba devem começar em setembro

- Construção da nova ponte do Guaíba também depende de autorização da Marinha

- Tribunal de Contas da União investiga possíveis irregularidades em construção de nova ponte do Guaíba

Adiada conclusão de proposta para construir metrô de Porto Alegre

03 de setembro de 2014 29
Modelo de estação de nova linha do metrô de Porto Alegre – Imagem: Reprodução / Prefeitura de Porto Alegre

Modelo de estação de nova linha do metrô de Porto Alegre – Imagem: Reprodução / Prefeitura de Porto Alegre

A Proposta de Manifestação de Interesse que avalia a construção do metrô de Porto Alegre não será mais finalizada em setembro. A divulgação da análise dos projetos deve ocorrer, agora, até o fim do ano. A comissão formada por integrantes do governos Estadual e Municipal ainda aguarda esclarecimentos das empresas que entregaram seus projetos.

A expectativa anterior era lançar o edital até dezembro para escolher quem irá construir o metrô. As obras estavam previstas para começar no primeiro semestre de 2015. Com esse adiamento, os prazos citados serão revistos.

Oito propostas recebidas em abril. Sete empresas e uma pessoa física manifestaram interesse em elaborar o projeto definitivo do metrô de Porto Alegre. Esses projetos serão usados para compor o Edital de Licitação. Mais de um projeto podem ser utilizados para compor o documento. As propostas consideradas no Edital serão remuneradas pela empresa que vencer a disputa.

Estações do Metrô previstas – Imagem: Reprodução / Prefeitura de Porto Alegre

Estações do Metrô previstas – Imagem: Reprodução / Prefeitura de Porto Alegre

O total de estações da linha do metrô chegará a 21. Na primeira fase, serão 11, sendo 10 no subsolo e 01 estação em superfície, no bairro Humaitá, onde ocorrerá a manutenção dos trens. A fase dois contará com mais 10 estações.

Todo o traçado deve ocorrer em nível subterrâneo. O método construtivo deverá ser o Shield, que prevê uma escavação profunda, mais cara, mas que não necessita de alterações no trânsito.

No começo do ano, na primeira vez que a prefeitura publicou a PMI, apenas o ante-projeto do consórcio Invepar/Odebrechet foi considerado válido, mas trouxe um alto custo sugerido, de R$ 9,5 bilhões e foi descartado.

A prefeitura encurtou o traçado para tentar viabilizar a obra. A primeira ideia era que o metrô chegasse até a Fiergs, na Zona Norte, tendo 14,9 quilômetros e 13 estações. Agora, a intenção é que ele vá até o Terminal Triângulo, tendo quatro quilômetros a menos e contando com 10 estações.

O metrô de Porto Alegre está orçado em R$ 4,8 bilhões, sendo R$ 1,77 bilhão oriundo do Governo Federal a fundo perdido, R$ 690 milhões da prefeitura, R$ 1,08 bilhão do Governo do Estado e R$ 1,3 bilhão da iniciativa privada. A empresa terá cinco anos para concluir os trabalhos e mais 25 anos para explorar o novo empreendimento.

Especificações da Operação (Fase 1 de implantação)
Frota: 21 composições de 4 carros (inclusos 3 composições de frota reserva)
Capacidade média do carro: 270 passageiros
Velocidade média (hora pico): 35 km/h
Intervalo estimado (hora pico): 150 segundos
Demanda estimada (hora pico): entre 20.000 a 22.000 passageiros/hora/sentido
Demanda diária estimada: entre 312.000 a 325.000 passageiros/dia

Saiba mais:

- Prefeitura e governo adiam para 2015 início das obras do metrô de Porto Alegre

- Trajeto do metrô do Centro à Zona Norte da Capital deve levar 23 minutos

- Oito interessados se candidatam a fazer projeto do metrô de Porto Alegre

- Dilma Rousseff garante o metrô de Porto Alegre: “Eu darei os recursos”

- Empresas pedem novo adiamento para entrega de propostas da construção do Metrô em Porto Alegre

- Prefeitura vai chamar empresas para finalizar projeto do metrô de Porto Alegre

 

Primeiros trechos da duplicação do Contorno de Pelotas serão concluídos em setembro

02 de setembro de 2014 2
Duplicação do Contorno de Pelotas já tem 7km asfaltados - Foto: Solano Ferreira / STE S.A

Duplicação do Contorno de Pelotas já tem 7km asfaltados – Fotos: Solano Ferreira / STE S.A

Dois anos depois do começo das obras, a duplicação dos 23 quilômetros do Contorno de Pelotas, entre a BR-116 e a BR-392, atingiu 66,23% de conclusão, segundo dados de julho. Desse total, trechos que totalizam sete quilômetros de pista principal e nove quilômetros de pista lateral já estão asfaltados.

Para que o trânsito seja liberado ainda é preciso que ocorra a pintura da sinalização de faixas. Após, representantes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit); da Polícia Rodoviária Federal; da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT); e da concessionária Ecosul, que administra a rodovia; se reunirão para definir a data da liberação do tráfego.

A previsão de conclusão das obras sofreu alteração, segundo o Dnit, por causa das frequentes chuvas. Em junho, a expectativa era que as obras do 1-A seriam concluídas em dezembro e o 1-B até o primeiro semestre de 2015. O novo prazo prevê que o lote 1-A será finalizado em abril de 2015 e o lote 1-B até setembro do próximo ano. O lote 1-A está 76,42% pronto. O lote 1-B está 56,05% concluído.

A duplicação começou em setembro de 2012 e está orçada em R$ 430,65 milhões. Contratualmente, as construtoras têm três anos para terminar os trabalhos.

O maior problema da obra é que a restauração e alargamento da ponte velha do Canal São Gonçalo ainda não começou. O edital da licitação está no Dnit, em Brasília, aguardando aprovação. Se a obra não começar logo, poderá haver um afunilamento no local.

Veja fotos da obra:

Obras de arte do Contorno de Pelotas:

Ponte sobre o Arroio Pelotas – km 511,890 da BR-116;
Ponte sobre a Barragem Santa Bárbara – km 522,800 da BR-116;
Ponte sobre o Canal Santa Bárbara – km 62,350 da BR-392;

Viadutos da Vila Princesa – km 514,500 da BR-116;
Viaduto da Avenida Fernando Osório – km 517,640 da BR-116;
Viaduto da Avenida Leopoldo Brod – km 519,910 da BR-116;
Viadutos da Avenida 25 de Julho – km 521,590 da BR-116;
Viaduto do Trevo da Fenadoce – km 524,200 da BR-116;
Viaduto da Avenida Herbert Hadler – km 525,520 da BR-116;
Viaduto da Avenida Cidade de Lisboa – km 526,500 da BR-116;
Viaduto do Entroncamento BR-116/BR-392 (Oderich) – km 527,300;
Viaduto da Avenida Duque da Caxias (Acesso UFPel) – km 66,800 da BR-392;
Viaduto sobre a Ferrovia – km 65,400 da BR-392;
Viaduto da Viscondessa da Graça (acesso a Pelotas) – km 61,900 da BR-392.

Obra no Contorno de Pelotas:

- Lote 1-A = Construtora HAP Engenharia Ltda. Duplicação de 11,01km = Do km 511,758 ao km 522,768 (BR-116).

- Lote 1-B = Consórcio SBS Engenharia e Construções AS., MAC Engenharia Ltda e Construtora Pelotense Ltda. Duplicação de 12,682km = Do 522,768 ao 527,680 (totalizando 4,912km) na BR-116 e do Km 60,631 ao 68,400 (totalizando 7,77km) da BR-392.

Saiba mais:

- Um terço da duplicação do Contorno de Pelotas já conta com asfalto

- Obras se aproximam da metade e Contorno de Pelotas será entregue antes do prazo

- Quase um terço das obras do Contorno de Pelotas estão concluídas

- Quase 80% da duplicação do Contorno de Pelotas já recebem obras

- Um em cada cinco quilômetros da duplicação do Contorno de Pelotas já recebe obras

- Ibama dá permissão para início das obras no Contorno de Pelotas