Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "obras"

Ponte da BR-386, em Iraí, terá passagem de ônibus liberada na terça-feira

15 de dezembro de 2014 1
Problema foi detectado em novembro de 2013 - Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS (Arquivo)

Problema foi detectado em novembro de 2013 – Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS (Arquivo)

Ônibus poderão passar pela ponte de Iraí, na BR-386, a partir desta terça-feira (16). Desde o dia 25 de outubro, carros, caminhonetes, motos e vans já podem usar a travessia em meia pista. Caminhões continuam sem ter autorização para usar a chamada ponte que balança, na divisa do Rio Grande do Sul com Santa Catarina.

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) confirma que a obra será finalizada em até 15 dias. Somente após o término dos trabalhos é que os veículos de carga poderão passar pela travessia.

A estrutura apresentou problemas em novembro de 2013. Um vídeo publicado no Youtube, compartilhado pelo Facebook do Gaúcha Hoje, mostrou imagens do desgaste entre as placas de concreto após a passagem de veículos. Na ocasião, foi detectado o desgaste das juntas de dilatação da pista. A empresa Sogel é a responsável pelo conserto. Os trabalhos de recuperação começaram em agosto.

Histórico:

- Novembro de 2013 – Após reclamação de usuários, Dnit detecta problemas na ponte e pista é parcialmente bloqueada;

- Janeiro de 2014 – Projeto para reparo na ponte começa a ser realizado;

- Junho de 2014 – Dnit interdita totalmente a ponte em decorrência das chuvas e cheias do Rio Uruguai;

-  Julho de 2014 – Assinado contrato com a Sogel;

-  Agosto de 2014 – DNIT libera R$ 7,8 milhões para os reparos;

- Setembro de 2014 – Mergulhadores detectam problemas também na base do pilar;

- Outubro de 2014 – Trânsito é liberado para carros, caminhonetes, motos e vans;

- Dezembro de 2014 – Prazo para a Sogel concluir os reparos na ponte.

Saiba mais:

- Dnit autoriza obra emergencial em ponte que balança na divisa com Santa Catarina

- Dnit constata problema em viga e restringe passagem na ponte que balança

- Dnit vai vistoriar ponte do Rio Uruguai. Vídeo mostrou estrutura balançando

 

Área de reassentamento de famílias da nova ponte do Guaíba é invadida

15 de dezembro de 2014 10
Área começou a ser invadida há pouco mais de três meses - Foto: Jocimar Farina / Rádio Gaúcha

Área começou a ser invadida há pouco mais de três meses – Foto: Jocimar Farina / Rádio Gaúcha

Uma das áreas do futuro reassentamento das famílias da nova ponte do Guaíba foi invadida. Até agora, 56 casebres foram construídos no terreno, localizado na Avenida Ernesto Neugebauer, na zona norte de Porto Alegre. As casas já contam até com iluminação irregular. A invasão começou em setembro, após o anúncio de que o espaço seria usado para as famílias da nova ponte.

A área foi repassada da Secretaria de Patrimônio da União para a Prefeitura de Porto Alegre. A fiscalização agora cabe ao município. Segundo o diretor-geral do Departamento Municipal de Habitação (Demhab), Everton Braz, as famílias já foram notificadas pela Guarda Municipal. Um mandado de reintegração de posse já foi emitido pela Justiça, mas a Prefeitura aguarda o cumprimento da ordem judicial pela Brigada Militar.

Após as invasões, o Demhab informa que vai aumentar o patrulhamento na região. Está sendo providenciado o cercamento de concreto em uma área que está aberta e por onde os invasores estão entrando. Além disso, um posto da prefeitura será montado no local.

Neste terreno está previsto o reassentamento de 149 famílias das Vilas Tio Zeca e Areia, além de servir de área para a regularização fundiária da Vila dos Ferroviários.

Casebres contam até com iluminação clandestina - Foto: Jocimar Farina / Rádio Gaúcha

Casebres contam até com iluminação clandestina – Foto: Jocimar Farina / Rádio Gaúcha

Saiba mais:

- Construção da nova ponte do Guaíba já está um mês atrasada

- Começam as obras da nova ponte do Guaíba

- Obras da nova ponte do Guaíba começam na semana que vem

- Fepam emite Licença de Instalação para a nova ponte do Guaíba

- Concluída licitação de supervisão das obras da nova ponte do Guaíba

- Definidas áreas que serão destinadas às famílias afetadas pela construção da nova ponte do Guaíba

- Fepam começa a analisar hoje projeto de construção da nova ponte do Guaíba

- Obras de construção da nova ponte do Guaíba devem começar em setembro

- Construção da nova ponte do Guaíba também depende de autorização da Marinha

- Tribunal de Contas da União investiga possíveis irregularidades em construção de nova ponte do Guaíba

Empresa paulista se habilita a instalar cinco novas escadas rolantes nas estações da Trensurb

11 de dezembro de 2014 0
Trensurb tem hoje 42 escadas rolantes – Foto: Divulgação / Trensurb (Arquivo)

Trensurb tem hoje 42 escadas rolantes – Foto: Divulgação / Trensurb (Arquivo)

A empresa Escal Indústria e Comércio de Elevadores e Escadas Rolantes, de São Paulo, se habilitou a realizar a instalação de cinco novas escadas rolantes nas estações da Trensurb. As interessadas foram conhecidas no último dia 10.

A empresa apresentou proposta de R$ 1,7 milhão. A documentação está em análise pela área técnica da Trensurb. A expectativa é que o contrato possa ser assinado em janeiro.

Três equipamentos serão instalados na estação Unisinos, um na estação Aeroporto e outro na estação São Leopoldo. Após o início dos serviços, a previsão é de que eles sejam concluídos em até seis meses. Caberá à empresa realizar a manutenção preventiva e corretiva destas escadas rolantes pelo período de dois anos.

Saiba mais:

- Trensurb já recebeu 12 dos 15 novos trens

- Lançada licitação para instalar novas escadas rolantes nas estações da Trensurb

- Adiada conclusão da obra das novas escadas rolantes da Trensurb em São Leopoldo

- Começa manutenção nas escadas rolantes da Trensurb

- Trensurb lança licitação para manutenção das escadas rolantes das estações

- Escolhida empresa que irá instalar escadas rolantes na Estação São Leopoldo da Trensurb

- Trensurb vai substituir escadas rolantes mais defeituosas

Proposta da única habilitada para revitalizar orla do Guaíba será conhecida amanhã

09 de dezembro de 2014 1
Obras devem ser realizadas em 18 meses – Foto: Divulgação / Prefeitura de Porto Alegre

Obras devem ser realizadas em 18 meses – Foto: Divulgação / Prefeitura de Porto Alegre

A proposta financeira da única empresa habilitada para revitalizar a orla do Guaíba será conhecida nesta quarta-feira (10). Para ser considerado válido, o valor da construtora Toniolo, Busnello precisa ser inferior ao proposto pela Prefeitura de Porto Alegre: R$ 57,4 milhões.

O consórcio Pelotense Porto Novo, formado pelas Construtoras Pelotense e Porto Novo Empreendimentos e Construções foi desclassificado da disputa no fim do mês. De acordo com a Comissão de Licitação, o consórcio apresentou uma documentação vencida: a Certidão Negativa de Débitos Relativos às Contribuições Previdenciárias da empresa Construtora Pelotense.

A licitação contempla 1,3 quilômetro da orla, entre a Usina do Gasômetro e a Rótula das Cuias. A previsão é que a obra seja realizada em 18 meses. O projeto prevê ciclovias, caminhos iluminados, bares, quadras esportivas, arquibancadas e um terminal turístico para barcos.

As próximas licitações, que ainda estão em fase de desenvolvimento, vão buscar interessados em revitalizar uma área de mais 4,4 mil metros, das canchas de esporte até o Iate Clube Guaíba.

Veja mais fotos do projeto:

Saiba mais:

- Desclassificada uma das empresas que apresentou proposta para revitalizar orla do Guaíba

- Duas empresas manifestam interesse em realizar revitalização na orla do Guaíba

- Porto Alegre recebe nesta terça-feira propostas para a revitalização da orla do Guaíba

- Republicada licitação para revitalizar orla do Guaíba

- Erro faz prefeitura adiar licitação para revitalizar orla do Guaíba

- Propostas para revitalizar orla do Guaíba serão conhecidas em outubro

- Prefeitura quer publicar licitação da revitalização da orla do Guaíba antes da Copa

Duplicação da BR-290 para por falta de licença ambiental

09 de dezembro de 2014 6
 BR-290 será duplicada entre Pantano Grande e Eldorado do Sul – Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS (Arquivo)


BR-290 será duplicada entre Pantano Grande e Eldorado do Sul – Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS (Arquivo)

As obras de duplicação da BR-290, entre Pantano Grande e Eldorado do Sul, estão paradas. A licença ambiental para retirada de vegetação só foi emitida pelo Instituto de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) de Brasília nesta segunda-feira (08). Porém, a autorização para as empresas deve chegar nos próximos dias.

A ordem de início para o início dos trabalhos, nos lotes dois, três e quatro, entre Arroio dos Ratos e Pantano Grande, foi dada no dia 22 de outubro. Os serviços para montagem dos canteiros de obra chegaram a começar nos quilômetros 198 e 225, em Butiá, mas pararam por falta da autorização.

Já no Lote um, em Eldorado do Sul, as obras ainda estão condicionadas à anuência da Fundação Nacional do Índio (Funai). O novo traçado se sobrepõe à terra indígena Petim-Arasaty e está a aproximadamente 7 quilômetros da terra indígena Arroio do Conde.

Ao todo serão implementados 21 programas ambientais para diminuir os impactos ocasionados pelas obras. Além disso, o licenciamento ambiental indicou a necessidade de construção de um viaduto na travessia de Pantano Grande.

As construtoras terão três anos para realizar a duplicação no trecho de 115,7 quilômetros entre os municípios de Eldorado do Sul e Pantano Grande. Prometida para 2012, a licitação foi publicada no Diário Oficial da União no dia 31 de janeiro deste ano. Ela irá custar R$ 583,55 milhões.

Responsáveis pela obra:
Lote 01 = Consórcio Bolognesi – Conterra – Magna = R$ 151 milhões;
Lote 02 = Consórcio TB – ECB – ETEL = R$ 172,5 milhões;
Lote 03 = Consórcio Trier – Ctesa – Prodec = R$ 130,9 milhões;
Lote 04 = Consórcio Equipav – CSL – Esteio = R$ 129,15 milhões.

A obra foi dividida em quatro lotes:
Lote 01 = Extensão de 29,70 quilômetros, entre o km 112,3 e o km 142;
Lote 02 = Extensão de 30,08 quilômetros, entre o km 142 e o km 172,08;
Lote 03 = Extensão de 27,03 quilômetros, entre o km 172 e o km 199,03;
Lote 04 = Extensão de 28,70 quilômetros, entre o km 199,3 e o km 228.

Saiba mais:

- Obras de duplicação da BR-290 começam nesta quarta-feira

- Duplicação da BR-290 começa em novembro

- Concluído projeto de duplicação da BR-290 entre Eldorado do Sul e Pantano Grande

- Começam os trabalhos para duplicação da BR-290

- Definidos vencedores de todos os lotes da licitação da duplicação da BR-290

- Duplicação da BR-290, entre Pantano Grande e Eldorado do Sul, terá licitação considerada mais ágil

Suspensa licitação para prolongamento da Rodovia do Parque até Portão

05 de dezembro de 2014 8
Em 2011, o ministro Paulo Passos sobrevoou o possível futuro traçado – Foto: Claudio Fachel / Palácio Piratini (Arquivo)

Em 2011, o ministro Paulo Passos sobrevoou o possível futuro traçado – Foto: Claudio Fachel / Palácio Piratini (Arquivo)

Foi suspensa a licitação para contratar empresas responsáveis pelos projetos, estudos e execução das obras de prolongamento de 18,7 quilômetros da BR-448 até Portão. As propostas seriam conhecidas no dia 09 de dezembro.

De acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), foi encontrado um erro no edital que terá que ser corrigido. A ideia é que a republicação ocorra nos próximos dias.

A concorrência foi publicada em outubro. O estudo preliminar de impacto ambiental já foi concluído. O projeto executivo deve ser desenvolvido em 2015. A obra deve começar em 2016. O prazo entre a contratação e a entrega do novo trecho é de três anos e nove meses.

Uma nova licitação, sem data prevista para ser lançada, deverá levar a Rodovia do Parque por mais 8 quilômetros até o município de Estância Velha, mas ainda falta a definição do traçado.

Saiba mais:

- Publicada licitação para prolongar a Rodovia do Parque até Portão

- Extensão da Rodovia do Parque até Portão será licitada no final de outubro

- Licitação para prolongar Rodovia do Parque até Portão deve ficar para o ano que vem

- Licitação para prolongamento da Rodovia do Parque até Portão deve ser lançada até julho

- Prorrogado prazo para conclusão de estudo de ampliação da Rodovia do Parque até Estância Velha

- Assinado contrato para estudo do prolongamento da BR-448 até Estância Velha

 

Obras do viaduto de Sapucaia do Sul serão concluídas até o fim do mês

04 de dezembro de 2014 3

A data da conclusão da obra do viaduto de Sapucaia do Sul, na BR-116, foi adiada. A ideia anterior era finalizar os trabalhos em outubro. Porém, de acordo com a construtora Cidade, a grande procura por asfalto na Região Metropolitana de Porto Alegre fez com que a entrega da parte de baixo da elevada fosse transferida para o fim do mês de dezembro. Atualmente, não há operários trabalhando na obra. Eles retornarão nas próximas semanas para concluir o trabalho.

Apesar da transferência da conclusão dos serviços, a construtora ainda entregará a obra dentro do prazo. O contrato com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) expira em fevereiro de 2015.

As obras estão 99% concluídas. Faltam ainda alguns detalhes no pavimento do trecho. O trânsito na parte de cima do viaduto foi liberado no local no dia 29 de junho. A elevada foi erguida por R$ 32,61 milhões. As obras do viaduto se iniciaram em março de 2013.

Saiba mais:

- Obras do viaduto de Sapucaia do Sul estão 93% concluídas

Viaduto de Sapucaia do Sul será inaugurado no domingo

- Liberação da parte de cima do viaduto de Sapucaia do Sul é transferida para o fim do mês

- BR-116 terá sinaleira temporária em Sapucaia do Sul

- Viaduto da BR-116 terá três faixas em cada sentido

- Começam as obras do viaduto de Sapucaia do Sul

- Escolhida empresa que irá construir o viaduto de Sapucaia na BR-116

 

Obras no Terminal de Cargas do Aeroporto Salgado Filho serão retomadas

03 de dezembro de 2014 1
Aréa de cargas ficará próxima a da ampliação do terminal de passageiros - Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS (Arquivo)

Área de cargas ficará próxima a da ampliação do terminal de passageiros – Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS (Arquivo)

A construção do novo Terminal de Cargas do Aeroporto Salgado Filho será reiniciada. A Infraero lançou licitação para escolher a empresa que irá retomar os trabalhos. A concorrência irá definir a empresa que irá fazer o projeto executivo e executará a obra.

As propostas serão conhecidas no dia sete de janeiro. O prazo contratual de execução dos serviços é de até 21 meses a partir da ordem de serviço inicial.

A obra do novo terminal teve início em novembro de 2010 e foi paralisada em outubro de 2011. A rescisão contratual com o consórcio DP Barros – São Paulo Engenharia – Semenge ocorreu em janeiro de 2013. Segundo a Infraero, as empresas não cumpriram o cronograma proposto. Já foram executados 27% dos serviços.

A ideia é que a área para cargas seja ampliada dos atuais 40 mil metros quadrados para 120 mil metros quadrados. A capacidade também aumenta, das 40 mil toneladas anuais para 100 mil.

Saiba mais:

- Estudo de hotel no Aeroporto Salgado Filho será entregue em um mês

- Construtora é multada em R$ 161 mil por atrasos em obra do Aeroporto Salgado Filho

- Infraero promete licitar obra de novo estacionamento do Salgado Filho em até 10 meses

- Porto Alegre teria que derrubar viaduto e mudar rota do trem para ter aeroporto 80% aberto em dia de neblina

- Empresa catarinense vence licitação para ampliação do Salgado Filho

Construção da nova ponte do Guaíba já está um mês atrasada

01 de dezembro de 2014 29
Obras iniciaram em outubro – Jocimar Farina / Rádio Gaúcha (Arquivo)

Obras iniciaram em outubro – Jocimar Farina / Rádio Gaúcha (Arquivo)

Mal começou e o ritmo das obras da nova ponte do Guaíba já está defasado. Pelo cronograma original, o atraso já chega a um mês. A construção iniciou em outubro.

A Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) ainda não emitiu todas as licenças necessárias para o começo das operações das duas usinas de concreto, que vão operar em Canoas. A fabricação das peças pré-moldadas deveria iniciar em dezembro. A nova previsão agora é janeiro. No primeiro ano de obras, os trabalhos ficarão concentrados na fabricação das peças pré-moldadas e nas fundações. Segundo a Fepam, as licenças não foram emitidas porque ainda não foi aberto um protocolo na fundação para iniciar o processo.

Outro problema é a demora da aprovação dos projetos básico e executivo, que estão três meses parados nos escaninhos na Diretoria de Planejamento e Pesquisa do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) de Brasília. Dessa forma, o estaqueamento da estrutura da nova ponte está parado.

Sobre o reassentamento de famílias, o prazo ainda é razoável. As famílias precisam ser transferidas até dezembro de 2015 sem que haja prejuízo ao ritmo dos trabalhos. Nesse período, o Governo Federal precisa contratar as empresas que irão realizar a construção das mil novas moradias.

O Departamento Municipal da Habitação (Demhab)  informa que a construção da segunda ponte do Guaíba é uma obra do Governo Federal, que também é o responsável pelo reassentamento das 1.031 famílias cadastradas no projeto.  O Demhab tem acompanhado algumas reuniões envolvendo a questão das comunidades das vilas Tio Zeca, Areia e da ilha Grande dos Marinheiros, porém, a escolha das áreas bem como a construção das unidades habitacionais será feita exclusivamente pelo Dnit.

As obras devem ser realizadas em três anos. A segunda ponte terá uma extensão de 7,3 quilômetros de obras e 28 metros de largura nos vãos principais. Cada pista contará com duas faixas de rolamento com acostamento e refúgio central. No entanto, é possível que, no futuro, a ponte tenha três faixas de tráfego para cada sentido. O Dnit estima que 50 mil veículos utilizem a nova ponte diariamente.

Saiba mais:

- Começam as obras da nova ponte do Guaíba

- Obras da nova ponte do Guaíba começam na semana que vem

- Fepam emite Licença de Instalação para a nova ponte do Guaíba

- Concluída licitação de supervisão das obras da nova ponte do Guaíba

- Definidas áreas que serão destinadas às famílias afetadas pela construção da nova ponte do Guaíba

- Fepam começa a analisar hoje projeto de construção da nova ponte do Guaíba

- Obras de construção da nova ponte do Guaíba devem começar em setembro

- Construção da nova ponte do Guaíba também depende de autorização da Marinha

- Tribunal de Contas da União investiga possíveis irregularidades em construção de nova ponte do Guaíba

Prefeitura revoga termo que desobrigou OAS de realizar obras do entorno da Arena do Grêmio

21 de novembro de 2014 62
Obras do entorno da Arena estão suspensas até definição sobre quem as realizará – Foto: Omar Freitas (Arquivo)

Obras do entorno da Arena estão suspensas até definição sobre quem as realizará – Foto: Omar Freitas (Arquivo)

A Prefeitura de Porto Alegre revogou o termo de compromisso que havia sido firmado com a construtora OAS, em abril de 2012. A revogação está publicada nesta sexta-feira (21) no Diário Oficial do município.

Este documento desobrigou a empresa de realizar obras no entorno da Arena do Grêmio e transferiu a responsabilidade para o município. Outras melhorias, que estavam previstas, foram excluídas desse contrato.

Para não ingressar na Justiça contra a prefeitura e a construtora, a Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público do Ministério Público cobrou que esse termo fosse revogado. Desde abril, a prefeitura já indicava que faria o cancelamento.

A OAS já reconheceu a competência em realizar, pelo menos, parte das obras de melhoria no entorno. A outra parte seria discutida em ação na Justiça gaúcha. A construtora ainda não apresentou quais obras que irá realizar e quais não vai se comprometer.

Com o termo revogado e as obras realizadas, o Ministério Público concorda com a liberação das demais licenças que impedem que os demais prédios do complexo sejam erguidos e a entrega das chaves dos que atualmente são construídos.

As obras, que deveriam ser realizadas pela OAS, constam no Relatório de Impacto Ambiental firmado antes da construção da Arena. Em agosto do ano passado, a Prefeitura estimou que as obras do entorno do estádio custariam R$ 128 milhões.

Em outubro de 2013, a Promotoria e o Ministério Público de Contas expediram recomendação ao Prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, para que não sejam realizadas obras no entorno da Arena com recursos públicos até que a Justiça Estadual se manifeste.

Saiba mais: 

- Com anúncio de venda, MP espera definição sobre responsabilidade por obras do entorno da Arena do Grêmio

- Postes que avançaram para rua só serão realocados após definição sobre entorno da Arena do Grêmio

- Prefeitura deve revogar termo que desobrigou OAS de fazer obras no entorno da Arena do Grêmio

- MP mantém exigência para que OAS faça obras no entorno da Arena do Grêmio

- Ministério Público vê indícios de fraude em termo firmado entre Prefeitura de Porto Alegre e OAS