Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "RS-118"

Semáforos da RS-040 com RS-118 vão multar quem passar o sinal vermelho

03 de maio de 2016 10
Viaduto é prometido no local há mais de 5 anos - Foto: Divulgação / Prefeitura de Viamão

Viaduto é prometido no local há mais de 5 anos – Foto: Divulgação / Prefeitura de Viamão

Além de sinaleiras, o cruzamento da RS-040 com RS-118, em Viamão, está ganhando o chamado Furão. É um equipamento que flagra e multa motoristas que avançarem o sinal vermelho. Tanto o semáforo quanto o controlador já estão instalados.

A empresa responsável por eles está concluindo a sinalização vertical e horizontal e realizando testes para ajuste dos tempos. A ligação elétrica foi concluída no dia 26 de abril. A sinaleira foi implantada através de convênio com a empresa Eliseu.

De acordo com o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), os semáforos estão sendo colocados porque o ponto é crítico. A ideia é minimizar o risco de acidentes no local. Segundo a prefeitura de Viamão, a implantação da sinaleira é uma demanda histórica da comunidade. A autarquia promete que a solução é provisória até o governo do Estado ter recursos necessários para iniciar as obras de construção de um viaduto na região.

Já se passaram quase cinco anos desde a assinatura do contrato com a empresa escolhida para realizar as melhorias em dez quilômetros da RS-040 e construção da elevada. A licitação foi realizada em 2010. O contrato foi assinado em 2011. Por muitos meses, a falta de engenheiros no Daer atrasou o começo do serviço. No fim de 2013, o quadro começou a ser reposto. A proximidade com a Copa do Mundo e a necessidade da seleção do Equador em passar pela RS-040 também motivou o adiamento da obra. Com a atual crise financeira do Estado, porém, não há qualquer garantia de realização das melhorias.

O valor inicial previsto para a realização dos serviços é de R$ 33 milhões e prevê 10 quilômetros de melhorias viárias, do quilômetro zero ao 10, da Lomba do Sabão até o Centro de Viamão. Haverá reforço na sinalização, melhoria nas 12 interseções e construção de terceira faixa em alguns pontos. Também está previsto a duplicação de quatro quilômetros, do quilômetro 10 ao 14, do centro de Viamão até as proximidades da Escola Técnica de Agricultura. E no quilômetro 11 será construído o viaduto com a RS-118. O prazo para execução dos trabalhos é de 18 meses.

Saiba mais:

- Sinaleira da RS-040 com RS-118 entra em funcionamento na próxima semana

Desapropriações atrasam começo da construção de viaduto na RS-040

Começo das obras do viaduto da RS-040 com RS-118 fica para depois da Copa

Prevista para janeiro, obra do viaduto da RS-118 em Viamão não sai do papel

Moradores cobram pavimentação na RS-118 e construção de viaduto com a RS-040

Sinaleira da RS-040 com RS-118 entra em funcionamento na próxima semana

15 de abril de 2016 2
Viaduto é prometido no local há mais de 5 anos - Foto: Divulgação / Prefeitura de Viamão

Viaduto é prometido no local há mais de 5 anos – Foto: Divulgação / Prefeitura de Viamão

A sinaleira que pretende organizar o trânsito no cruzamento da RS-040 com RS-118 será ligada na próxima semana. A instalação começou na terça-feira (12). De acordo com o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), o semáforo está sendo colocado porque o ponto é crítico. A ideia é minimizar o risco de acidentes no local.

O equipamento será operado pela autarquia. Não há custos para o Daer, pois o seu uso está previsto dentro de um contrato com a empresa que opera os controladores de velocidade. Segundo a prefeitura de Viamão, a implantação da sinaleira é uma demanda histórica da comunidade. A autarquia promete que a solução é provisória até o governo do Estado ter recursos necessários para iniciar as obras de construção de um viaduto na região.

Já se passaram quase cinco anos desde a assinatura do contrato com a empresa escolhida para realizar as melhorias em dez quilômetros da RS-040 e construção da elevada. A licitação foi realizada em 2010. O contrato foi assinado em 2011. Por muitos meses, a falta de engenheiros no Daer atrasou o começo do serviço. No fim de 2013, o quadro começou a ser reposto. A proximidade com a Copa do Mundo e a necessidade da seleção do Equador em passar pela RS-040 também motivou o adiamento da obra. Com a atual crise financeira do Estado, porém, não há qualquer garantia de realização das melhorias.

O valor inicial previsto para a realização dos serviços é de R$ 33 milhões e prevê 10 quilômetros de melhorias viárias, do quilômetro zero ao 10, da Lomba do Sabão até o Centro de Viamão. Haverá reforço na sinalização, melhoria nas 12 interseções e construção de terceira faixa em alguns pontos. Também está previsto a duplicação de quatro quilômetros, do quilômetro 10 ao 14, do centro de Viamão até as proximidades da Escola Técnica de Agricultura. E no quilômetro 11 será construído o viaduto com a RS-118. O prazo para execução dos trabalhos é de 18 meses.

Saiba mais:

- Desapropriações atrasam começo da construção de viaduto na RS-040

- Começo das obras do viaduto da RS-040 com RS-118 fica para depois da Copa

- Prevista para janeiro, obra do viaduto da RS-118 em Viamão não sai do papel

- Moradores cobram pavimentação na RS-118 e construção de viaduto com a RS-040

Duplicação da RS-118 perde R$ 6 milhões por causa da indefinição da obra

03 de fevereiro de 2016 7
Obra está parada há um ano e três meses – Foto: Sandro Vinciprova / Arquivo Pessoal (Arquivo)

Obra está parada há um ano e três meses – Foto: Sandro Vinciprova / Arquivo Pessoal (Arquivo)

As indefinições sobre o futuro da duplicação da RS-118, entre Sapucaia do Sul e Gravataí fizeram com que a obra perdesse R$ 6,6 milhões. Os recursos provenientes da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) estavam liberados mas foram destinados para outras obras do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer). O valor é correspondente a 10% do que já foi investido durante 10 anos.

De acordo com a autarquia, o montante foi considerado insuficiente para que a obra tivesse andamento de forma ininterrupta até a sua conclusão, sem desperdício de recursos ou material conforme exigência do Governo. Dessa forma, a Secretaria dos Transportes e o Daer estão em busca de outra fonte de recursos para a retomada da duplicação da rodovia. O governo quer usar dinheiro arrecadado em pedágio para terminar a duplicação. Os mais de R$ 6 milhões estão sendo usados, principalmente, em conservação das rodovias, entre elas, a própria RS-118.

O governador José Ivo Sartori prometeu retomar a obra ainda em 2016. Ano passado, o secretário dos Transportes, Pedro Westphalen, e o diretor-geral do Daer, Ricardo Nuñez, também prometeram recomeçar a duplicação ainda em 2015.

Em razão do abandono da obra, famílias ergueram casebres em áreas que já tinham sido desocupadas. A nova ocupação está localizada nas proximidades do quilômetro dois, em meio aos escombros das que foram derrubadas, em Sapucaia do Sul.

A duplicação da RS-118 está parada há um ano e três meses. A obra começou no ano de 2006, pelo lote um, em Gravataí. Em 2011, os serviços no lote dois foram iniciados, no trecho entre Sapucaia do Sul e Gravataí. Já as obras do lote três, em Sapucaia do Sul, começaram em 2013. Já foram investidos R$ 65,9 milhões (R$ 65.907.157,40) na duplicação da rodovia, entre 2006 e 2014. Atualmente, os usuários trafegam em 11 dos 22 quilômetros duplicados. Porém, já há buracos na nova pista entregue.

Saiba mais:

- Prefeitos sugerem pedágio de até R$ 6,80 para terminar duplicação da RS-118

RS-118: Mais uma promessa descumprida

- Pavimentação em rodovia agilizada para receber seleção equatoriana está abandonada

- Duplicação da RS-118, entre Gravataí e Viamão, está há um ano em avaliação

- Abandono nas obras da RS-118 faz com que famílias voltem a invadir áreas desocupadas

Prefeitos sugerem pedágio de até R$ 6,80 para terminar duplicação da RS-118

15 de janeiro de 2016 9
No ano passado, famílias reassentadas da RS-118 protestaram contra o atraso em pagamento de aluguel social - Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS (Arquivo)

No ano passado, famílias reassentadas da RS-118 protestaram contra o atraso em pagamento de aluguel social – Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS (Arquivo)

Um pedágio que varie entre R$ 5,40 e R$ 6,80. Essa é a proposta dos prefeitos da grande Porto Alegre para acabar com a duplicação da RS-118, entre Gravataí e Sapucaia do Sul.

A ideia é incluir uma série de rodovias estaduais numa futura concessão à iniciativa privada a fim de garantir, num primeiro momento, o término desta obra que vai completar, em 2016, uma década de trabalho. Além disso, a empresa vencedora ficaria responsável pela manutenção  e investimentos na RS-040; RS-020; RS-784; Rs-389, a Estrada do Mar; e parte da RS-101, entre Capivari do Sul e Osório. Também haveria pontos estratégicos instalados onde os motoristas pagariam proporcionalmente ao uso nestas rodovias.

A proposta foi apresentada pelo presidente da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre (Granpal) e prefeito de Gravataí, Marco Alba. Como a RS-118 apresenta muitas rotas de fuga, o melhor local para instalar uma praça de pedágio seria entre Gravataí e Alvorada. Porém, o maior movimento seja entre Gravataí e Sapucaia do Sul.

Segundo Alba, a solução é técnica e não definitiva. Além disso, o Governo do Estado apresenta não ter condições de realizar as melhorias necessárias nestas rodovias. Mesmo não tendo sido discutido neste momento, Alba admite que os prefeitos poderão avaliar a possibilidade de abrir mão de impostos recolhidos aos municípios a fim de baratear os valores dos futuros pedágios.

A pedido do prefeito de Canoas, Jairo Jorge, o estudo irá avaliar também a construção da RS-010, a já denominada Rodovia do Progresso. Essas ideias serão repassadas ao Governo do Estado, que informa que a continuidade das obras da RS-118 segue indefinida. A duplicação está parada desde novembro de 2014.

Saiba mais:

RS-118: Mais uma promessa descumprida

- Pavimentação em rodovia agilizada para receber seleção equatoriana está abandonada

- Duplicação da RS-118, entre Gravataí e Viamão, está há um ano em avaliação

- Duplicação da RS-118 vai completar seis meses de abandono

- Abandono nas obras da RS-118 faz com que famílias voltem a invadir áreas desocupadas

Por obras em rodovias do RS, novo diretor de concessões é a favor de mais pedágios em BRs

13 de novembro de 2015 1
Desapropriações precisam ser feitas em Sapucaia do Sul para que a duplicação seja concluída - Foto: Paulo Rocha / Gaúcha (Arquivo)

Desapropriações precisam ser feitas em Sapucaia do Sul para que a duplicação seja concluída – Foto: Paulo Rocha / Gaúcha (Arquivo)

Se depender do novo diretor da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), o Rio Grande do Sul poderá ter mais praças de pedágio em rodovias federais para suportar obras em estaduais. João Victor Domingues assume o cargo na diretoria de planejamento de Brasília, vinculada ao Ministério dos Transportes, na próxima segunda-feira (13).

Secretário estadual de Infraestrutura e Logística do governo Tarso Genro, Domingues defende, assim como o atual titular da pasta na gestão de José Ivo Sartori, Pedro Westphalen, que a RS-122, no contorno de Caxias do Sul; a BR-116, até Vacaria; e a BR-386, até a divisa com Santa Catarina; possam também ser repassadas ao controle da iniciativa privada.

Outra possibilidade é fazer com que a duplicação da RS-118 possa ser concluída com recursos de pedágio recolhido da Freeway e BR-290. Ao governo do estado caberia manter a sinalização e as operações tapa-buraco da rodovia, além de concluir as desapropriações entre Sapucaia e Gravataí. Se isso ocorresse, a duplicação poderia ser concluída em menos de cinco anos.

Saiba mais:

- Tarifa de pedágio das rodovias estaduais custará o que o usuário puder pagar

Daer pretende começar a repor sinalização da RS-118 na próxima semana

04 de novembro de 2015 2
Criança de três anos morreu na segunda-feira em trecho sem sinalização - Foto: Paulo Rocha / Gaúcha (Arquivo)

Criança de três anos morreu na segunda-feira em trecho sem sinalização – Foto: Paulo Rocha / Gaúcha (Arquivo)

Se depender do diretor-geral do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), a sinalização começará a ser refeita na RS-118 a partir da semana que vem. Em entrevista da Gaúcha Atualidade desta quarta-feira (04), Ricardo Nuñez relatou a dificuldade da autarquia para contratar uma empresa interessada em realizar o serviço.

Dessa forma, o trabalho será feito com um dos apenas dois equipamentos que o Daer dispõe e que pode realizar a sinalização. Uma das máquinas está em Bento Gonçalves e a outra em Passo Fundo. Será necessário acionar um servidor de Santa Rosa, que tem capacidade de operar o equipamento. Além de retomar a sinalização no trecho entre Viamão e Gravataí, a ideia do diretor é realizar uma operação tapa-buraco entre Gravataí e Sapucaia do Sul e uma melhora da sinalização do trecho que está sendo duplicado.

Na segunda-feira, Emanuelly Behenck, de três anos, morreu no quilômetro 28, em Viamão, no trecho sem sinalização. Outras 11 pessoas ficaram feridas na batida entre uma Kombi e um caminhão. De acordo levantamento preliminar da perícia, uma das causas do acidente pode ter sido motivada pela falta de sinalização.

Saiba mais:

- Criança de três anos morre em acidente na Região Metropolitana

RS-118: Mais uma promessa descumprida

- Pavimentação em rodovia agilizada para receber seleção equatoriana está abandonada

- Duplicação da RS-118, entre Gravataí e Viamão, está há um ano em avaliação

- Duplicação da RS-118 vai completar seis meses de abandono

- Abandono nas obras da RS-118 faz com que famílias voltem a invadir áreas desocupadas

RS-118: Mais uma promessa descumprida

30 de setembro de 2015 6
Obras estão paradas ha 10 meses - Foto: Sandro Vinciprova / Arquivo Pessoal (Arquivo)

Obras estão paradas ha 10 meses – Foto: Sandro Vinciprova / Arquivo Pessoal (Arquivo)

E terminou o prazo de mais uma promessa sobre a RS-118. No dia 30 de julho, o secretário dos Transportes, Pedro Westphalen, e o diretor-geral do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), Ricardo Nuñez, anunciaram: a duplicação seria retomada em 60 dias, o que não aconteceu.

De acordo com a autarquia, a Sultepa e a Conterra, empresas responsáveis pelos lotes 2 e 3, respectivamente, estão enfrentando sérias dificuldades financeiras. Em razão disso, não foi possível retomar os trabalhos. O Daer diz aguardar a situação se estabilizar favoravelmente para que as obras voltem ao ritmo desejado.

Ainda, segundo o Daer, a Triunfo, construtura responsável pela duplicação de 11 quilômetros do lote 1, solicita um aporte maior de recursos para retomar os trabalhos com mais intensidade.

- O departamento entrará em negociações com a empresa para que a obra tenha continuidade o quanto antes – informa a autarquia.

O Daer já tem R$ 6,6 milhões para a retomada das obras. Os recursos da Contribuições de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) já estão liberados. Quando for retomada, a nova promessa da autarquia é que a obra seja concluída em até 3 anos.

O governo costuma dizer que a obra é uma prioridade de governo, como vem sendo dito pelos últimos cinco governantes. A duplicação está parada há mais de dez meses.

Segundo dados de fevereiro, o Daer devia às construtoras R$ 1,69 milhão. Porém, de acordo com a Sultepa, só o valor devido à ela chega a R$ 2,4 milhões. A empresa trabalha com a hipótese do governo pagar o que até sexta-feira. Se isso ocorrer, a construtora avisa que começará a mobilização dos trabalhadores em uma semana.

Em razão do abandono da obra, famílias ergueram casebres em áreas que já tinham sido desocupadas. A nova ocupação está localizada nas proximidades do quilômetro dois, em meio aos escombros das que foram derrubadas, em Sapucaia do Sul.

A duplicação da RS-118 começou no ano de 2006, pelo lote um, em Gravataí. Em 2011, os serviços no lote dois foram iniciados, no trecho entre Sapucaia do Sul e Gravataí. Já as obras do lote três, em Sapucaia do Sul, começaram em 2013. Já foram investidos R$ 65,9 milhões (R$ 65.907.157,40) na duplicação da rodovia, entre 2006 e 2014. Atualmente, os usuários trafegam em 11 dos 22 quilômetros duplicados. Porém, já há buracos na nova pista entregue.

Veja mais fotos da RS-118:

Atualização da construção de uma nova pista da RS-118:

Lote 1: Do km 11 ao km 21,3. Construtora Triunfo. Percentual executado do contrato: 71%;
Lote 2: Do km 06 ao km 11. Construtora Sultepa. Percentual executado do contrato: 50%;
Lote 3: Do km 00 ao km 05 (Da BR-116 a Freeway) – Construtora Conterra. Percentual executado do contrato: 7%.

Total pronto até o momento : 10,9 quilômetros de duplicação e 8,4 quilômetros de ruas laterais.

Atualização da restauração da pista velha da RS-118:

Não há nenhum trecho da restauração (pista antiga) pronto.

Lote 1: No trecho da Triunfo ainda não foi assinado contrato de recuperação;
Lote 2: No trecho da Sultepa, único onde ocorre a restauração, assentamento das placas quebradas e drenos começaram;
Lote 3: No trecho da Conterra falta assinatura de um termo aditivo para começo da recuperação.

Há 6 obras de artes por fazer ou em andamento nestes trechos da RS-118:

a) Viaduto sobre a avenida Itacolomi;
b) Macaqueamento do viaduto da RS-020;
c) Viaduto sobre a avenida Marechal Rondon;
d) Viaduto Ritter;
e) Passagem sobre o Arroio Sapucaia;
f) Viaduto sobre a tubulação da Transpetro.

Total investido desde 2006: R$ 65.907.157,40

Construtora Triunfo: R$ 34.810.743,61
Construtora Sultepa: R$ 28.612.504,58
Construtora Conterra: R$ 2.483.909,21

Saiba mais:

- Governo gaúcho já tem mais de R$ 5 milhões para retomar as obras da RS-118

- Pavimentação em rodovia agilizada para receber seleção equatoriana está abandonada

- Duplicação da RS-118, entre Gravataí e Viamão, está há um ano em avaliação

- Duplicação da RS-118 vai completar seis meses de abandono

- Abandono nas obras da RS-118 faz com que famílias voltem a invadir áreas desocupadas

- Governo precisa desembolsar quase R$ 2 milhões para que a duplicação da RS-118 seja retomada

Governo gaúcho já tem mais de R$ 5 milhões para retomar as obras da RS-118

17 de agosto de 2015 4
Usuário da rodovia protestou na esburacada rodovia – Foto: Sandro Vinciprova / Arquivo Pessoal (Arquivo)

Usuário da rodovia protestou na esburacada rodovia – Foto: Sandro Vinciprova / Arquivo Pessoal (Arquivo)

Faltando pouco mais de 40 dias para o fim do prazo estipulado pelo Governo do Estado, o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) já tem R$ 5,6 milhões para a retomada das obras da RS-118. Os recursos da Contribuições de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) já estão liberados.

A autarquia informa que as empresas estão iniciando a mobilização enquanto estão sendo realizados os ajustes finais para o reinício dos trabalhos. Os detalhes da retomada deverão ser anunciados nesta semana pelo secretário estadual dos Transportes e Mobilidade, Pedro Westphalen. A nova promessa do Daer é que as obras sejam concluídas em até 3 anos.

A duplicação está parada há mais de nove meses. O governo deve às construtoras R$ 1,69 milhão. Em razão do abandono, famílias ergueram casebres em áreas que já tinham sido desocupadas. A nova ocupação está localizada nas proximidades do quilômetro dois, em meio aos escombros das que foram derrubadas, em Sapucaia do Sul.

As obras de duplicação da RS-118 começaram no ano de 2006, pelo lote um, em Gravataí. Em 2011, os serviços no lote dois foram iniciados, no trecho entre Sapucaia do Sul e Gravataí. Já as obras do lote três, em Sapucaia do Sul, começaram em 2013. Já foram investidos R$ 65,9 milhões (R$ 65.907.157,40) na duplicação da rodovia, entre 2006 e 2014. Atualmente, os usuários trafegam em 11 dos 22 quilômetros duplicados. Porém, já há buracos na nova pista entregue.

Valores devidos a cada uma das empresas contratadas:
1) Construtora Conterra: somatório de medições novembro e dezembro/2014 = R$ 141 mil;
2) Construtora Sultepa: somatório de medições outubro, novembro e dezembro/2014 = R$ 1,39 milhão;
3) Construtora Triunfo: restos a pagar de medições anteriores (2014) = R$ 88 mil.

Atualização da construção de uma nova pista da RS-118:
1) Lote 1: Do km 11 ao km 21,3. Construtora Triunfo. Percentual executado do contrato: 71%;
2) Lote 2: Do km 06 ao km 11. Construtora Sultepa. Percentual executado do contrato: 50%;
3) Lote 3: Do km 00 ao km 05 (Da BR-116 a Freeway) – Construtora Conterra. Percentual executado do contrato: 7%.
Total pronto até o momento : 10,9 quilômetros de duplicação e 8,4 quilômetros de ruas laterais.

Atualização da restauração da pista velha da RS-118:
Não há nenhum trecho da restauração (pista antiga) pronto.
Lote 1: No trecho da Triunfo ainda não foi assinado contrato de recuperação;
Lote 2: No trecho da Sultepa, único onde ocorre a restauração, assentamento das placas quebradas e drenos começaram;
Lote 3: No trecho da Conterra falta assinatura de um termo aditivo para começo da recuperação.

Há 6 obras de artes por fazer ou em andamento nestes trechos da RS-118:
a) Viaduto sobre a avenida Itacolomi;
b) Macaqueamento do viaduto da RS-020;
c) Viaduto sobre a avenida Marechal Rondon;
d) Viaduto Ritter;
e) Passagem sobre o Arroio Sapucaia;
f) Viaduto sobre a tubulação da Transpetro.

Veja fotos da esburacada RS-118:

Saiba mais:

- Pavimentação em rodovia agilizada para receber seleção equatoriana está abandonada

- Duplicação da RS-118, entre Gravataí e Viamão, está há um ano em avaliação

- Duplicação da RS-118 vai completar seis meses de abandono

- Abandono nas obras da RS-118 faz com que famílias voltem a invadir áreas desocupadas

- Governo precisa desembolsar quase R$ 2 milhões para que a duplicação da RS-118 seja retomada

 

Pavimentação em rodovia agilizada para receber seleção equatoriana está abandonada

15 de junho de 2015 5
Pavimentação da RS-118 está parada desde junho de 2014 - Foto: Divulgação / Coesul (Arquivo)

Pavimentação da RS-118 está parada desde junho de 2014 – Foto: Divulgação / Coesul (Arquivo)

Um ano depois da entrega do primeiro trecho, a pavimentação da RS-118, entre a ponte do Fiuza e as proximidades do Hotel Vila Ventura, está abandonada em Viamão. A obra iniciou em março de 2013, mas foi agilizada pelo governo gaúcho depois que a seleção do Equador anunciou que se hospedaria no local durante a Copa do Mundo no Brasil. Em junho de 2014, os primeiros 3,5 quilômetros pavimentados foram concluídos junto com outros 604 metros, de competência da prefeitura.

E a obra foi entregue parcialmente. Num trecho de 100 metros, o dono de uma propriedade não autorizou o recuo do muro. Desde então, os usuários da rodovia encontram um estreitamento de dois metros na pista, que recebeu sinalização diferenciada.

A mesma agilidade para concluir o trecho não foi percebida no restante da pavimentação. Falta concluir 1,5 quilômetro, até o Distrito do Espigão. Antes das máquinas voltarem para a pista, o governo gaúcho precisa realizar desapropriações e adequações ao projeto, que é de 1993. Também não foi feito ainda o acostamento da pista, pois ainda é preciso ser feito a realocação de postes e de uma adutora da Corsan.

O contrato, assinado com a empresa Coesul em novembro de 2011, prevê também a colocação de asfalto por mais 14 quilômetros até o Lami, mas até hoje a licença ambiental não foi concedida. Do total de R$ 15,5 milhões do contrato foram investidos até agora R$ 3 milhões.

O Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) informa que a retomada das obras depende da liberação de recursos e a readequação de traçado que precisa ser feita para diminuir o impacto das desapropriações no local.

Saiba mais:

- Concluída pavimentação de trecho da RS-118 em Viamão

- Pavimentação de trecho que liga hotel da seleçao do Equador terá início

Desapropriações e adutora da Corsan paralisam obra de pavimentação da RS-118

- Pavimentação da RS-118 começa na última segunda-feira de março

 

Duplicação da RS-118, entre Gravataí e Viamão, está há um ano em avaliação

11 de maio de 2015 7
Enquanto rodovia aguarda publicação de edital para obras, motoristas reclamam das más condições do asfalto – Foto: Agência RBS (Arquivo)

Enquanto rodovia aguarda publicação de edital para obras, motoristas reclamam das más condições do asfalto – Foto: Agência RBS (Arquivo)

O projeto de duplicação de 16 quilômetros da RS-118, entre Gravataí e Viamão vai completar um ano de análise pelo Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer). O estudo foi concluído em junho de 2014 pela empresa STE Engenharia.

De acordo com o superintendente de estudos e projetos, engenheiro Fernando Dieckmann Medeiros, “o projeto final de engenharia encontra-se em desenvolvimento e, neste momento, está sofrendo ajustes no seu Plano Funcional com a inclusão/modificação de dispositivos de interseção (viadutos, passarelas, etc).”

A entrega da minuta do edital está prevista para o segundo semestre de 2015. A atual gestão do Daer lembra que os trabalhos foram retomados neste ano, já que foram paralisados em novembro de 2014.

A concorrência para realizar o projeto de duplicação ocorreu em 2010. O contrato para a confecção do estudo foi assinado em junho de 2012, ao custo de R$ 821 mil. Ele deveria ter sido entregue em junho de 2013, mas a conclusão do projeto se deu um ano depois. Desde então, encontra-se em análise pelo Daer.

Saiba mais:

- Concluído projeto de duplicação da RS-118 entre Gravataí e Viamão

- Projeto de duplicação da RS-118, entre Gravataí e Viamão, está nove meses atrasado

- Governo do RS autoriza projeto para duplicação da RS-118 até Viamão