Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "são leopoldo"

Escolhida empresa que irá instalar escadas rolantes na Estação São Leopoldo da Trensurb

26 de dezembro de 2013 0
Problema nas escadas rolantes das estações Unisinos e São Leopoldo é antigo – Foto: Vinícius Roratto, Especial (Maio de 2010)

Problema nas escadas rolantes das estações Unisinos e São Leopoldo é antigo – Foto: Vinícius Roratto, Especial (Maio de 2010)

A empresa Interativa Construções Ltda. foi a vencedora da licitação para instalação de duas novas escadas rolantes na Estação São Leopoldo da Trensurb. O contrato deve ser assinado na primeira semana de janeiro.

Elas serão instaladas no acesso as plataformas de embarque. Cabera à empresa, com sede em Esteio, fornecer os materiais e realizar a instalação das escadas, que já foram adquiridas pela Trensurb. O valor do investimento é de R$ 413.727,47.

Como a Estação São Leopoldo deixou de ser terminal, a partir da expansão da linha até Novo Hamburgo, ela passou a ser uma estação intermediária. Desse modo, os embarques e desembarques acontecem nas plataformas de ambos os lados. Por isso, a Trensurb entende que era necessária a instalação de mais duas escadas.

Saiba mais:

- Trensurb vai substituir escadas rolantes mais defeituosas

Operação Tapa-Buracos e roçada são programados para BR-116 no Vale do Sinos

12 de dezembro de 2013 0
Foto: Mateus Ferraz / Rádio Gaúcha

Foto: Mateus Ferraz / Rádio Gaúcha

Mateus Ferraz
Rádio Gaúcha

O ponto mais comprometido da BR-116 na Região Metropolitana está entre São Leopoldo e Novo Hamburgo. No trecho, em ambos os sentidos, é possível encontrar buracos e vegetação alta. Em alguns locais, as placas de sinalização ficam escondidas atrás dos arbustos do canteiro central e do mato que cresce às margens da rodovia. Esses problemas recebem atenção do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) nesta semana. Alguns trabalhos já são realizados.

A roçada iniciou na última semana. A área próxima ao viaduto de acesso à RS-239, em Novo Hamburgo, já foi limpa. O trabalho deve continuar nos próximos dias. Assim que for finalizado, o cuidado será com os arbustos plantados nos canteiros, que escondem placas próximo à avenida Unisinos.

Quanto aos buracos, há a previsão de início da manutenção ainda nesta semana. Os principais pontos com irregularidades na pavimentação ficam próximos ao viaduto de acesso aos bairros Rincão e Operário, em Novo Hamburgo. A conclusão do serviço deve ocorrer até a semana que vem. Há alguns dias, o trabalho foi realizado em São Leopoldo. No entanto, a equipe responsável foi deslocada para o trecho serrano da rodovia onde houve a necessidade de um conserto emergencial.

Relógio da Copa é religado em São Leopoldo após quarta pane do ano

06 de dezembro de 2013 0
Relógio da Copa está funcionando - Foto Mateus Ferraz / Rádio Gaúcha

Relógio da Copa está funcionando – Foto Mateus Ferraz / Rádio Gaúcha

Rádio Gaúcha
Mateus Ferraz

A promessa feita pela Prefeitura de São Leopoldo na última semana foi cumprida. O relógio que traz a contagem regressiva para a Copa do Mundo no Brasil foi religado, após meses de inatividade. A manutenção, a quarta realizada em 2013, ocorreu na tarde de quinta-feira (5). A única pendência, que deve ser sanada na próxima segunda (9), é o funcionamento do termômetro. Será preciso trocar uma peça.

O Relógio da Copa foi idealizado para demonstrar o envolvimento da cidade com o torneio, na tentativa de ser uma das subsedes. O custo para os cofres públicos foi de cerca de R$ 13 mil. Outros R$ 3 mil foram gastos em consertos. A instalação ocorreu no final de 2010.

Impasse

Os problemas no equipamento não foram prontamente sanados em 2013 devido a uma dívida com a empresa responsável pela instalação, segundo o secretário municipal da Educação e vice-prefeito eleito da cidade, Daniel Daudt Schaeffer. O valor deveria ter sido pago na legislatura anterior. Além disso, ele relata que encontrou o Relógio com defeito no início da gestão, em janeiro deste ano.

As críticas são rebatidas pelo ex-prefeito Ary Vanazzi. Ele afirma que entregou a estrutura funcionando e que não havia dívidas, já que o contrato com uma empresa de Estância Velha, responsável pela instalação, prevê manutenções sem custo até o final de 2013. O ex-chefe do Executivo leopoldense acusa a atual administração de encerrar projetos iniciados em seu governo e cita o Relógio da Copa como um deles.

Área nobre

O Relógio da Copa, além de trazer os dias que faltam para o início do torneio, também mostra a hora e a temperatura. Ele foi instalado às margens da BR 116, próximo à ponte do Rio dos Sinos. No local, há uma casa no estilo enxaimel – construção típica alemã -, utilizada como posto para informações turísticas. No ponto, também está localizado o Marco Zero da Rota Romântica, trecho da rodovia que passa por 13 municípios do Vale do Sinos e da Serra gaúcha.

Saiba mais:

São Leopoldo: Relógio da Copa, que custou R$ 13 mil, está desligado por falta de manutenção

Ponte que vai ligar municípios do Vale do Sinos é aguardada há 24 anos

05 de dezembro de 2013 6
Ligação da Avenida dos Municípios depende, há 24 anos, de uma ponte  - Foto: Mateus Ferraz / Rádio Gaúcha

Ligação da Avenida dos Municípios depende, há 24 anos, de uma ponte – Foto: Mateus Ferraz / Rádio Gaúcha

Mateus Ferraz
Rádio Gaúcha

Em 1989, uma avenida que facilitaria o trânsito entre as cidades de Sapiranga e São Leopoldo foi projetada. Hoje, 24 anos depois, a estrada existe, está pavimentada, mas há uma pendência. A ponte sobre o Arroio Pampa, última etapa da obra, ainda não foi iniciada. Isso faz com que o caminho seja utilizado, mas com a necessidade de desvio por dentro dos bairros Imigrante, em Campo Bom, e Canudos, em Novo Hamburgo.

Sem a passagem, os 11,5 km da via rápida se transformam em mais de 16 km. Os motoristas acabam perdendo, pelo menos, 20 minutos.

- Pra usar a avenida, passamos por dentro de vários bairros. Muitas vezes, eu prefiro andar mais para não ter que utilizar a estrada que, em alguns pontos, é perigosa – relata o aposentado Jorge da Silva.

A travessia seria construída com recursos do pedágio da RS-239, em Campo Bom. No entanto, depois que a Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) assumiu as praças de cobrança, um impasse para a conclusão da obra foi gerado. Segundo o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), o seguimento dos trabalhos será realizado com recursos obtidos através do programa Proinveste do BNDES.

Os trâmites para a contratação da empresa responsável pelas obras iniciaram-se em 2003. Porém, a licitação saiu do papel apenas no final de 2012. A empresa vencedora do certame foi a EPT S.A. e o valor inicial do serviço está estimado em R$ 1,3 milhão.

O Daer pediu uma caução para a empresa (garantia prevista no processo), mas ainda não obteve retorno. Assim que a ação for executada, será possível assinar o contrato para início das obras. Ainda não há prazos.

Além da construção da ponte, será preciso sinalizar um pequeno trecho de Campo Bom e todo a parte localizada em Novo Hamburgo. Ainda, há a necessidade de recuperar alguns pontos em que o asfalto está cedendo. Será preciso recolher o lixo depositado em diversos locais, além de realizar a limpeza da vegetação que invade a via nos trechos mais afastados dos bairros.

Avenida dos Municípios

A avenida dos Municípios inicia na RS-239, ao lado do posto do Comando Rodoviário da Brigada Militar de Sapiranga. Ela passa pela cidade de Campo Bom. Esse trecho tem cerca de 9 km. Após desvio para contorno do arroio Pampa, o trecho de Novo Hamburgo tem mais 2,5 km. O final da via é na estrada Leopoldo Petry, principal caminho para a Lomba Grande, último bairro hamburguense antes de Feitoria, já em São Leopoldo.

Atualmente, para utilizar a avenida, é preciso sair de Novo Hamburgo pela rua Guia Lopes, acessar a avenida Bartolomeu de Gusmão, rua Nobel, rua Odon Cavalcante, rua Danilo de Oliveira, rua Walter Iserhard, rua Alcântara, rua Elvira Maria da Conceição e avenida Bruno Werner Storck.

São Leopoldo: Relógio da Copa, que custou R$ 13 mil, está desligado por falta de manutenção

29 de novembro de 2013 1

Relógio da Copa custou R$ 13 mil - Foto: Mateus Ferraz / Rádio Gaúcha

Mateus Ferraz
Rádio Gaúcha

Idealizado para demonstrar o envolvimento da cidade de São Leopoldo, no Vale do Sinos, com a Copa do Mundo de 2014, o relógio que traz a contagem regressiva para o evento está desligado. Problemas com a empresa que realiza a manutenção são apontados como as principais causas. Segundo a atual administração da cidade, havia uma dívida de cerca de R$ 3 mil deixada pelo antigo governo. O equipamento foi instalado em um dos principais pontos de acesso ao município. O custo para os cofres públicos foi de cerca de R$ 13 mil.

Equipamento estragado

Segundo o secretário municipal da Educação e vice-prefeito eleito da cidade, Daniel Daudt Schaeffer, o equipamento foi encontrado com problemas no início do ano.

“O Relógio estava estragado, a lona que fazia parte estava rasgada. Nós o arrumamos e consertamos a lona e por questões burocráticas deixamos ele algum tempo estragado”.

Ele relata que três manutenções foram realizadas em 2013. Uma quarta intervenção está marcada para a próxima semana, quando o equipamento deve voltar a funcionar.

Equipamento em ordem

Ary Vanazzi era prefeito da cidade quando o Relógio foi instalado. Ele não conseguiu eleger seu sucessor e a Prefeitura foi ocupada pela oposição. Na visão do ex-chefe do Executivo, o equipamento estava em condições quando ele deixou o Executivo municipal. Ele atribui a lentidão para o conserto neste ano à tentativa da atual administração de interromper as ações do governo passado.

“Eles entraram e esqueceram de todas as obras que a gente deixou”, acredita Vanazzi, afirmando que o Relógio funcionava com maior regularidade em sua gestão.

Ele também destacou que a empresa que presta manutenção, situada em Estância Velha, tem a obrigação contratual de realizar os consertos até o final do ano sem cobrar novas tarifas.

Área nobre

O Relógio da Copa, além de trazer os dias que faltam para o início do torneio, também mostra a hora e a temperatura. Ele foi instalado às margens da BR 116, próximo à ponte do Rio dos Sinos. No local, há uma casa no estilo enxaimel – construção típica alemã -, utilizada como posto para informações turísticas. No ponto, também está localizado o Marco Zero da Rota Romântica, trecho da rodovia que passa por 13 municípios do Vale do Sinos e da Serra gaúcha.

Construtoras não manifestam interesse em obra e construção de passarela na BR-116 é adiada

07 de novembro de 2013 0
Sinaleira foi retirada após inauguração de viaduto – Foto: Jean Schwarz / Agencia RBS (Arquivo)

Sinaleira foi retirada após inauguração de viaduto – Foto: Jean Schwarz / Agencia RBS (Arquivo)

Nenhuma empresa apresentou interesse em realizar a obra de construção da passarela no quilômetro 250 da BR-116, em São Leopoldo. As propostas seriam conhecidas nessa quarta-feira. Como nenhum envelope foi recebido, a concorrência foi considerada deserta.

Em outubro, a licitação foi publicada. A passarela pretende atender os pedestres do bairro São João Batista e da Vila Otacílio, que, desde junho do ano passado, não contam mais com a sinaleira da avenida Unisinos para fazer a travessia com segurança.

A previsão do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) é de que a obra da passarela deve ser realizada em seis meses. O valor máximo sugerido pelo Dnit é de R$ 1,672 milhão.

Essa é a segunda concorrência recente que não recebe interesse das construtoras. Em outubro, nenhuma empresa apresentou proposta para duplicar o viaduto na BR-386, no quilômetro 441 em Canoas. A obra estava orçada em 4,61 milhões (R$ 4.162.461,40).

Já em setembro do ano passado, uma empresa chegou a ser contratada para construir uma passarela junto a Polícia Rodoviária Federal da BR-116, mas ela desistiu de realizar o serviço. A probabilidade é que as construtoras estejam priorizando realizar obras mais complexas, que tenham valores mais elevados para receber.

Saiba mais:

- BR-116: Lançada licitação de passarela prometida por ministro há quase dois anos

- Empresas não apresentam interesse em construir viaduto na BR-386 em Canoas

Empresa desiste de construir passarela na BR-116 e licitação será reiniciada

- BR-116 vai ganhar nova passarela em São Leopoldo

- Sinaleira da BR-116 em São Leopoldo vai voltar a ter passagem para pedestre

 

Trensurb vai substituir escadas rolantes mais defeituosas

24 de outubro de 2013 1
Problema nas escadas rolantes das estações Unisinos e São Leopoldo é antigo - Foto: Vinícius Roratto, Especial (Maio de 2010)

Problema nas escadas rolantes das estações Unisinos e São Leopoldo é antigo – Foto: Vinícius Roratto, Especial (Maio de 2010)

Seis escadas rolantes instaladas nas estações Unisinos e São Leopoldo serão substituídas pela Trensurb. De acordo com a empresa, elas são todas de um mesmo modelo cujo projeto foi abandonado pelo fabricante. Dessa forma não é possível reformá-las. As trocas Duas escadas serão trocadas por ano, mas só a partir de 2014.

Além das escadas rolantes, pessoas com dificuldade de locomoção podem usar os elevadores dessas duas estações para acessar as plataformas de embarque. Já a escada da integração norte da Estação Unisinos falha com frequência, segundo a Trensurb, devido a atos de vandalismo.

A empresa informa que possui, ao todo, 38 escadas rolantes nas estações. Destas, apenas estas seis possuem um índice de disponibilidade inferior a 98% – valor adotado como meta, pois, segundo a Trensurb, qualquer equipamento mecânico dificilmente opera 100% do tempo sem apresentar falhas.

Até a semana passada, a única escada rolante que encontrava-se indisponível era a da saída da Estação Mercado. De acordo com a empresa, no entanto, tratava-se de um problema de drenagem da área, que fica abaixo do nível do Guaíba, e não um problema da própria escada. As bombas que fazem esse processo precisam ser substituídas e a empresa está providenciando a aquisição de novos equipamentos.

Confira os índices de disponibilidade de cada uma das escadas mais rolantes mais defeituosas:

Estação Unisinos
Escada do terminal de integração – 64% de disponibilidade
Escada da área de comércio – 81%
Escada da plataforma sul-norte – 86%
Escada da plataforma norte-sul – 95%

Estação São Leopoldo
Escada da plataforma sul-norte – 67%
Escada da plataforma norte-sul – 89%

Saiba mais:

Raio afeta circulação de trens entre Canoas e Novo Hamburgo

Últimas três novas estações da Trensurb podem ser inauguradas em novembro

Assinado estudo de ampliação do Trensurb até Sapiranga

BR-116: Lançada licitação de passarela prometida por ministro há quase dois anos

02 de outubro de 2013 0
Sinaleira foi retirada após inauguração de viaduto - Foto: Jean Schwarz / Agencia RBS (Arquivo)

Sinaleira foi retirada após inauguração de viaduto – Foto: Jean Schwarz / Agencia RBS (Arquivo)

Foi publicado hoje no Diário Oficial da União a abertura da licitação para construção de passarela no quilômetro 250 da BR-116, em São Leopoldo. A travessia vai atender os pedestres do bairro São João Batista e Vila Otacílio, que desde, junho do ano passado não contam mais com a sinaleira da avenida Unisinos para fazer a travessia com segurança.

A retirada do semáforo, mesmo após a inauguração de um viaduto na região, foi complexa. A obra foi inaugurada no dia 31 de janeiro do ano passado. Naquele dia, o então ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, prometeu a construção de uma passarela para pedestres no bairro atendendo um pedido da comunidade.

A sinaleira funcionou normalmente até o dia 21 de fevereiro para travessia de pedestres. Como os motoristas não estavam obedecendo o sinal vermelho, a partir do dia 22, o equipamento começou a operar em amarelo piscante. A medida havia sido adotada pelo Dnit como forma de evitar congestionamento na região. A sinaleira foi retirada em definitivo em junho de 2012.

As propostas para construção da travessia serão recebidas no dia 06 de novembro, em Porto Alegre. A obra da passarela deve ser realizada em seis meses. O valor máximo sugerido pelo Dnit é de R$ 1,672 milhão.

Há também projetos para construção de outras seis passarelas entre Canoas e Novo Hamburgo:

- Próximo da escola técnica Liberato Salzano, em Novo Hamburgo;
- Nas proximidades da Polícia Rodoviária Federal de São Leopoldo;
- Ao lado da sede do Dnit de São Leopoldo;
- Próximo à empresa Solae, em Esteio;
- Na Vila Pedreira,em Esteio;
- Próximo à empresa Sbardecar, em Canoas.

Saiba mais:

Empresa desiste de construir passarela na BR-116 e licitação será reiniciada

- Polêmica sinaleira é retirada de forma definitiva da BR-116

- BR-116 vai ganhar nova passarela em São Leopoldo

- Dnit desiste de instalar passagem de pedestres em sinaleira da BR-116

- Sinaleira da BR-116 em São Leopoldo vai voltar a ter passagem para pedestre

Reparo nos trilhos do trem atrasa viagens do Trensurb

16 de agosto de 2013 0

Novos atrasos devem ocorrrer à tarde – Foto: Mateus Ferraz / Rádio Gaúcha (Arquivo)

Os usuários do Trensurb enfrentaram atrasos nas viagens do trem durante os primeiros horários da manhã desta sexta-feira. O problema foi registrado entre as estações Unisinos e Santo Afonso. Segundo a companhia, os atrasos foram de até seis minutos. Mas os usuários relataram demora superior a 10 minutos. Após o horário de maior movimento, a circulação dos trens voltou ao normal.

E os usuários precisam ficar atentos. O mesmo problema registrado nesta manhã deve se repetir no horário de pico da tarde, novamente entre as estações Unisinos e Santo Afonso.

Desde essa quinta-feira, a Trensurb vem realizando reparo no trilhos do trem entre as estações São Leopoldo, Rio dos Sinos e Santo Afonso, o que ocasionou o atraso. A ação ocorre em função da necessidade de realização de ajuste na via permanente a fim de dar maior velocidade aos trens no trecho. A previsão é que os trabalhos sejam concluídos até o fim da tarde de domingo.

A via atual nessa região é antiga e os trens passam com velocidade de 50km/h em um trecho de São Leopoldo. A via está sendo elevada. Dessa forma, os trens vão poder passar no local com velocidade de 70km/h. Essa mudança é fundamental para a expansão do trem até Novo Hamburgo.

Os usuários que embarcam nas estações São Leopoldo e Rio dos Sinos devem observar com atenção os indicadores de destino dos trens no período em que os trabalhos serão realizados.

Até sábado, o deslocamento entre as estações Rio dos Sinos e Santo Afonso ocorrerá com a transferência entre trens, na mesma plataforma, uma vez que um único veículo vai circular no trecho, entre as estações, a fim de garantir a manutenção da grade horária normal. No domingo, quando os intervalos entre viagens são de 15 minutos, o deslocamento no trecho segue sendo por via única, mas sem necessidade de transferência entre trens.

Saiba mais:

- Trens circulam em via única de hoje até domingo entre São Leopoldo e Novo Hamburgo

- Aeromóvel do Aeroporto entra em operação reduzida por quatro meses a partir de sábado

- Receita isenta Trensurb de pagamento de tributos em compra de novos trens

- Primeiro novo trem da Trensurb passará por período de teste noturno

- Usuários criam comunidade no Facebook pedindo trens 24 horas. Trensurb descarta

Trens circulam em via única de hoje até domingo entre São Leopoldo e Novo Hamburgo

15 de agosto de 2013 0

Alteração ocorrerá até domingo – Foto: Mateus Ferraz / Rádio Gaúcha (Arquivo)

A partir das 9h desta quinta-feira, os trens vão circular em ambos os sentidos por via única no trecho que compreende as estações São Leopoldo, Rio dos Sinos e Santo Afonso. A ação ocorre em função da necessidade de realização de ajuste na via permanente a fim de dar maior velocidade aos trens no trecho.

Os intervalos entre viagens não devem ser afetados. No restante do sistema, entre as estações Mercado e Unisinos, não haverá mudanças. A previsão é que os trabalhos sejam concluídos até o fim da tarde de domingo.

Os usuários que embarcam nas estações São Leopoldo e Rio dos Sinos devem observar com atenção os indicadores de destino dos trens no período em que os trabalhos serão realizados.

De hoje até sábado, o deslocamento entre as estações Rio dos Sinos e Santo Afonso ocorrerá com a transferência entre trens, na mesma plataforma, uma vez que um único veículo vai circular no trecho, entre as estações, a fim de garantir a manutenção da grade horária normal. No domingo, quando os intervalos entre viagens são de 15 minutos, o deslocamento no trecho segue sendo por via única, mas sem necessidade de transferência entre trens.

Saiba mais:

- Aeromóvel do Aeroporto entra em operação reduzida por quatro meses a partir de sábado

- Receita isenta Trensurb de pagamento de tributos em compra de novos trens

- Primeiro novo trem da Trensurb passará por período de teste noturno

- Usuários criam comunidade no Facebook pedindo trens 24 horas. Trensurb descarta