Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Disputa política em ano de risco de apagão?

12 de janeiro de 2008 1

Futuro ministro das Minas e Energia, Edison Lobão/Agência Senado
Enquanto vários técnicos alertam que o governo deveria ser mais incisivo e até adotar algum tipo de racionamento energético em função da falta de chuvas no país, o Ministério das Minas e Energia, que foi confirmado quinta à noite para o senador peemedebista Edison Lobão, vive uma disputa política.

O PMDB, que além do cargo de ministro, conseguiu as presidências das estatais Eletrobrás e Eletronorte, estaria reivindicando mais cargos para esvaziar a influência da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, que já ocupou a pasta.

A ministra, no entanto, estaria vetando a “porteira fechada” para o PMDB, o que significa que o governo não dará liberdade para o novo ministro nomear todos os cargos de direção, mantendo sua equipe técnica em postos estratégicos, no país. Exatamente num momento de incertezas.

Aliás, já chamei atenção sobre esse problema aqui no blog. É curioso o governo politizar esse ministério em tempo de risco de racionamento. Afinal, as decisões devem ser tomadas com prioridade e urgência na área. Se faltar luz, a população vai responsabilizar o presidente Lula pelo problema. Foi isso que ocorreu com o apagão de 2001, quando o governo FHC perdeu muita popularidade.

Por isso o encontro do presidente Lula com o futuro ministro Edison Lobão, depois de retornar do exterior, deverá definir a posição do governo.

Postado por Estela Benetti, Florianópolis

Comentários

comments

Comentários (1)

  • herculano domicio martins diz: 12 de janeiro de 2008

    É verdade. O discurso é um, a prática é outra. Presidente, ministra e senador falam em crescimento, desenvolvimento, produtividade e um futuro melhor para todos nós. Entretanto, tudo isso, passa pela infra-estrutura. E sem energia, competitiva e disponível, não haverá o prometido. Se os recursos hídricos são incertos e têm os percalços ambientais por que não enfrentá-los com a energia nuclear (que já tem avançada tecnologia) para o Nordeste onde a demanda de energia cresce e a água falta?

Envie seu Comentário