Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Educação é o que faz a diferença

20 de março de 2008 0

Flávio Neves
 Veja as notas de abertura da minha coluna de amanhã no DC, o Informe Econômico:

No longo discurso que fez ontem, em Florianópolis, em evento para a liberação de verbas para o Maciço do Morro da Cruz, o presidente Lula discorreu sobre vários temas econômicos, com enfoque para o crescimento, melhor distribuição de renda, investimentos em infra-estrutura, saneamento e educação.

São todos relevantes, é claro. Mas o que fará a maior diferença, no médio e longo prazos, para o desenvolvimento econômico, é a educação. Lula citou que nos últimos cem anos o Brasil (governo federal) criou apenas 140 escolas técnicas federais. Mas o seu governo, em apenas oito, abrirá 214 e, até 2010, criará, também, mais 10 universidades federais. É uma expansão significativa que, junto com o programa ProUni, que paga mensalidades para estudantes carentes em universidades, vai garantir uma oferta expressiva de novos profissionais para um mercado carente.

Essas iniciativas são importantes, embora tardias, porque o país já vive um apagão de profissionais qualificados, que inclui desde engenheiros até motoristas de carreta e trabalhadores para a construção civil, entre outros. Outra questão que deve ser considerada é a qualidade dos profissionais, porque os países que competem com o Brasil estão investindo maciçamente em educação, especialmente em engenharia. O governo também deveria dar atenção maior aos ensinos fundamental e médio e vincular o Bolsa Família com a educação. Porque a base dos profissionais está no ensino fundamental, e parece que o Brasil ainda não acordou para isso.

PAC para o Estado

Santa Catarina, até 2010, terá R$ 15 bilhões de recursos para obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), afirmou a ministra Dilma Rousseff, que acompanhou o presidente Lula, ontem, junto com os ministros das Cidades, Márcio Fortes, e das Comunicações, Hélio Costa. Os recursos serão para infra-estrutura, saneamento e projetos sociais.

Entre as novas obras que ainda não saíram do papel estão a ampliação do aeroporto de Joinville, pequenas centrais hidrelétricas e parques de energia eólica. Satisfeita com o pedágio de R$ 1,028 para a ligação entre Florianópolis e Curitiba, a ministra citou que ainda este ano serão leiloadas as concessões para a duplicação das BRs 280 e 470.

Em discurso político, Dilma afirmou que o atual governo está melhorando a distribuição de renda. Segundo ela, quase 10 milhões de brasileiros foram retirados da pobreza e mais de 20 milhões foram incluídos na classe média.

 

 

Postado por Estela Benetti, Florianópolis

Comentários

comments

Envie seu Comentário