Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Conselho da Celesc homologa nomes de executivos

13 de julho de 2009 1

A reunião do conselho de administração da Celesc começou às 14h e ainda não terminou. Mas a assessoria de imprensa da estatal divulgou nota informando que os nomes dos três novos diretores foram homologados. Os novos dirigentes serão Sérgio Alves, para a presidência da Celesc Holding; Ricardo Rabelo para presidência da Celesc Distribuição e Paulo Meller para presidir a Celesc Geração.

Leia a nota da assessoria:

Florianópolis, 13 de julho de 2009 – Em concorrida reunião, três novos diretores da Celesc tiveram seus nomes homologados junto ao Conselho de

Administração da Companhia na tarde de hoje.

Sérgio Rodrigues Alves, até então presidente da Celesc Distribuição (desde janeiro de 2009), teve seu nome homologado pelo Conselho para assumir a Presidência da Holding, em função da saída de Eduardo Pinho Moreira do

comando. Empresário, Alves é formado em Direito e Administração de

Empresas e tem experiência nos ramos têxtil e de processamento de dados,

além de ter desempenhado as funções de secretário da Fazenda do Estado de Santa Catarina de janeiro de 2007 a dezembro de 2008. O empresário foi presidente da Associação Comercial e Industrial de Joinville, além de dirigir a Manchester S.A. Corretora de Câmbio e Títulos e a Fiação São Bento. O atual presidente da Celesc Holding ainda possui especializações na França e nos Estados Unidos. O nome de Sérgio Rodrigues Alves será encaminhado para referendo de Assembléia de Acionistas da Companhia.

Os nomes de Ricardo Alves Rabelo e Paulo Roberto Meller receberam votos favoráveis do Conselho para assumirem, respectivamente, a Presidência da Celesc Distribuição e da Celesc Geração, e deverão ser homologados em Assembléia de Acionistas das duas subsidiárias.

Rabelo deixa a Diretoria de Planejamento da Holding (cargo pelo qual respondia desde março de 2009) para assumir a Presidência da Celesc Distribuição. Graduado em Engenharia Mecânica pelo ITA – Instituto Tecnológico da Aeronáutica, possui MBA – General Management pela Business School São Paulo e Rotman School, University of Toronto, Canadá.

Recentemente desempenhou a função de diretor do Tesouro do Estado – de 2004 a 2008, quando promoveu a gestão financeira dos recursos estaduais e o planejamento e controle de 110 órgãos estaduais.

Paulo Roberto Meller, indicado para Diretor Presidente da Celesc Geração, é engenheiro civil de formação, foi secretário de obras da Prefeitura Municipal de Criciúma e respondeu pela Presidência da Centrais Elétricas de Santa Catarina de 1995 a 1996. Foi prefeito de Criciúma de 1997 a 2000 e, mais recentemente, respondeu pela Assistência de Novos Negócios na Celesc.

Em março de 2009 assumiu a Diretoria Técnico e Comercial da Celesc Geração, cargo que passa a acumular agora com a Presidência da Celesc G.

Para saber mais:

Para atender os requisitos legais, em 2006, a Celesc S.A. foi dividida em três empresas distintas: a controladora (Holding) e suas subsidiárias (Geração e Distribuição). Além disso, controla SC Gás e possui participações minoritárias em outros empreendimentos.

A Celesc Distribuição atua em 92% do território catarinense, com mais 2,2 milhões de unidades consumidoras, e é segunda maior arrecadadora de ICMS em Santa Catarina. Em termos nacionais, ocupa a sexta posição em número de clientes na distribuição de energia elétrica. O faturamento bruto anual está na ordem de R$5 bilhões. A Celesc Distribuição busca atuar de forma rentável no mercado de energia, serviços e segmentos de infraestrutura afins, promovendo a satisfação de clientes, acionistas e empregados, contribuindo para o desenvolvimento sustentável da sociedade.A Celesc Geração administra 12 pequenas centrais hidrelétricas e está buscando parceiros privados para ampliar investimentos em fontes alternativas, como eólicas e biomassa. 

Postado por Estela Benetti

Comentários

comments

Comentários (1)

  • Paulo diz: 16 de julho de 2009

    Em recente reportagem no DC o acionista Lirio Parisotto, declara que comprou ações da Celes de “trouxa”. Esta afirmação não convence, visto que as ações da empresa tiveram boa avaliação nos últimos anos. Ele mesmo, passou de 3% para mais de 10% de ações da empresa. Se está descontente, venda as ações, passe para outro que acredite na empresa, ela é dos catarinense há muito tempo.

Envie seu Comentário