Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de fevereiro 2010

Um apaixonado por engenharia

28 de fevereiro de 2010 0

Com 101 anos, faleceu ontem, em Florianópolis, o palhocense João Eduardo Mortiz. Apaixonado pela engenharia, graduou-se  pelo Instituto de Itajubá (MG) em 1929. Como profissional, se destacou em duas linhas: em grandes projetos, como a construção da termelétrica Jorge Lacerda; e na defesa da categoria com a fundação de entidades de engenheiros.
Ativo em entidades sociais e esportivas, participou de competição internacional de vela e presidiu o Figueirense.
Pai do também engenheiro João Eduardo do Amaral Moritz, presidente da ABIH/SC, João Moritz será sepultado nesta segunda-feira, às 17h, no Cemitério Jardim da Paz, em Florianópolis.

Postado por Estela Benetti

O futuro do agronegócio em debate

28 de fevereiro de 2010 0

Oportunidades e riscos do agronegócio brasileiro e mundial estarão em debate na AgroGestão, dias 16 e 17 deste mês, no centro de eventos de Chapecó. A organização do congresso é da Ópera Gestão de Eventos, de Joinville, a mesma que realiza a ExpoGestão.

A lista de palestrantes inclui o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, os ex-ministros Pratini de Moraes e Roberto Rodrigues e nomes fortes do exterior como o ex-primeiro ministro da Nova Zelândia, Mike Moore e o maior nome do vinho da Argentina, Nicolás Catena Zapata. Inscrições no site www.agrogestao2010.com.br. Mais informações no fone 47-3481-8888.

Postado por Estela Benetti

Uma força aos pequenos negócios

27 de fevereiro de 2010 0

Luciano Moraes

O empresário Diether Werninghaus, filho mais velho de Geraldo Werninghaus, um dos três fundadores do admirado grupo Weg, de Jaraguá do Sul, decidiu usar parte da sua renda pessoal para investir na Juriti

Microfinanças, uma das primeiras instituições privadas de microcrédito produtivo e orientado do país. Fundada há 17 meses, a organização tem 13 agências nos estados de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, e 1,6 mil clientes ativos, sendo 70% informais. Já tem quase R$ 10 milhões aplicados e, neste fim de semana realiza sua primeira convenção geral em Jaraguá.

Werninghaus conheceu o microcrédito em conversas com amigos, se apaixonou pelo modelo fundado pelo economista de Bangladesh Muhammad Yunus e decidiu investir na área. A exemplo do seu pai, que ingressou na política com o objetivo de colaborar para melhorar a vida do país, acredita que financiando pequenos negócios formais e informais dará um impulso expressivo para o desenvolvimento do Brasil.
Perfil
Diether Werninghaus é engenheiro mecânico formado pela UFSC com especialização em Administração de Empresas pela Esag/Udesc. Começou a carreira fora do grupo empresarial da sua família, a Weg. O primeiro emprego foi em empresa de ferramentas de precisão, em Curitiba. Também atuou na gestão de outros negócios familiares e foi membro do conselho de administração do grupo Weg.

Em 2007 abriu mão de ser conselheiro e, em setembro de 2008, abriu a Juriti Microfinanças com os sócios João Krein e Mário Livramento. Diether, 53 anos, é casado, tem uma filha e dois netos.

Por que a decisão de investir no microcrédito produtivo?

Diether Werninghaus – Conheci o microcrédito por meio dos meus sócios, João Krein e Mário Livramento. É uma coisa inovadora, o capital privado participa ativamente desse processo. Além do que, o enfoque social é altamente positivo. Meu pai achava que atuando na área política, iria influenciar em alguma coisa para melhorar o país, e realmente influenciou. Foi vereador, deputado estadual e prefeito de Jaraguá. E quando eu conheci o microcrédito, achei que também poderia fazer a diferença atuando mais diretamente na área de empreendedorismo. Saí da retórica para a prática.

Qual foi o capital inicial e quanto está aplicado hoje?

Werninghaus – A Juriti começou com capital inicial de R$ 1 milhão e foi crescendo. Já emprestamos perto de R$ 8 milhões e os valores dos créditos a receber são de R$ 9,94 milhões. Usamos a mesma metodologia do microcrédito produtivo e orientado fundado por Muhammad Yunus, adotado pelas demais 19 organizações de microcrédito do Estado como a Casa do Empreendedor, de Joinville, e o Blusol, de Blumenau.

Onde a Juriti atua e quais são as metas de expansão?

Werninghaus – Atuamos nos três estados do Sul, com 13 agências, sendo que duas delas estão sendo abertas agora, em Rio do Sul e em Canoas. Nossa intenção é consolidar presença no Sul.

Quantos clientes são informais?

Werninghaus – Temos por volta de 1,6 mil clientes ativos. Desses, cerca de 70% são informais e 30%, formais. Cobramos juros de mercado para o segmento, menos de 4% ao mês. O nosso leque de clientes é muito grande, vai desde sorveteiro e pipoqueiro até o empresário que tem padaria e mercearia. Temos muitas clientes que compram máquinas para fazer facção. Hoje, cerca de 45% das nossas operações de crédito são para mulheres. Em média, o valor emprestado é de R$ 4 mil. O mínimo que financiamos é R$ 500 e o máximo, R$ 10 mil.

A maioria dos empreendedores já conhece o microcrédito?

Werninghaus – Dos três estados, sem dúvida, Santa Catarina tem mais a cultura do microcrédito. Temos aqui 19 instituições que já praticam isso, mas é um mercado tão grande que cabe muita gente ainda. Para difundir o sistema fizemos uma caravana no Paraná. O empreendedor não sabe que é empreendedor, ele acha que é um sobrevivente da vida. Nós temos a figura do agente de crédito para orientar os empreendedores. Ele tem o primeiro contato com o cliente e faz a análise sócio-econômica.

Quanto a Juriti deve emprestar este ano?

Werninghaus – Planejamos emprestar R$ 1,2 milhão por mês este ano, mas podemos aumentar para R$ 1,7 milhão. Vamos emprestar os recursos devolvidos pelos clientes e incluir dinheiro novo. Temos um contrato com o Badesc pelo qual estamos usando linha de R$ 2 milhões. Também estamos fazendo contatos com a Caixa Econômica Federal e bancos privados para conseguir mais empréstimo e aumentar a oferta de crédito.

O foco da Juriti Microfinanças é atuar com microcrédito na Região Sul. A sede operacional da instituição é em São José dos Pinhais, no Paraná, e a matriz fica em Jaraguá do Sul.

Em Santa Catarina, as filiais estão em Ibirama e Rio do Sul. No Rio Grande do Sul, a Juriti tem presença maior, com sete agências. Está em Porto Alegre, Pelotas, Canoas e Bento Gonçalves, e tem parcerias com a Instituição Comunitária de Crédito nas cidades de Santa Maria, Caxias do Sul e Frederico Westphalen. No Paraná, tem filiais em Ponta Grossa, junto à Sodetec, e em Curitiba.

Notas

Agências

O foco da Juriti Microfinanças é atuar com microcrédito na Região Sul. A sede operacional da instituição é em São José dos Pinhais, no Paraná, e a matriz fica em Jaraguá do Sul.

Em Santa Catarina, as filiais estão em Ibirama e Rio do Sul. No Rio Grande do Sul, a Juriti tem presença maior, com sete agências. Está em Porto Alegre, Pelotas, Canoas e Bento Gonçalves, e tem parcerias com a Instituição Comunitária de Crédito nas cidades de Santa Maria, Caxias do Sul e Frederico Westphalen. No Paraná, tem filiais em Ponta Grossa, junto à Sodetec, e em Curitiba.
Embora tenha adotado o modelo de microfinanças do economista de Bangladesh, Muhammad Yunus, o empresário Diether Werninghaus ainda não teve oportunidade de encontrá-lo. Disse que estava viajando quando o bengalês esteve em Santa Catarina, há cerca de dois anos, mas pretende conversar com ele na próxima oportunidade.

-Na última vez que ele esteve no Brasil, deixou claro que o governo não deveria interferir no microcrédito, o que nos deu energia para continuar o nosso trabalho – comentou.

Yunus

Embora tenha adotado o modelo de microfinanças do economista de Bangladesh, Muhammad Yunus, o empresário Diether Werninghaus ainda não teve oportunidade de encontrá-lo. Disse que estava viajando quando o bengalês esteve em Santa Catarina, há cerca de dois anos, mas pretende conversar com ele na próxima oportunidade.

-Na última vez que ele esteve no Brasil, deixou claro que o governo não deveria interferir no microcrédito, o que nos deu energia para continuar o nosso trabalho – comentou.Diante das facilidades para formalizar pequenos negócios com a nova lei do Empreendedor Individual, a Juriti está orientando seus clientes informais a registrar suas empresas. E como tem foco no investimento, também vem firmando acordos com lojas que vendem máquinas e equipamentos para financiar os investimentos. Isto porque a maioria não é cliente de banco.

Informais

Diante das facilidades para formalizar pequenos negócios com a nova lei do Empreendedor Individual, a Juriti está orientando seus clientes informais a registrar suas empresas. E como tem foco no investimento, também vem firmando acordos com lojas que vendem máquinas e equipamentos para financiar os investimentos. Isto porque a maioria não é cliente de banco.

Postado por Estela Benetti

Pedra Branca terá condomínio de R$ 50 milhões

27 de fevereiro de 2010 0

A cidade planejada Pedra Branca, de Palhoça, vai lançar em abril um empreendimento habitacional com sete torres, 250 apartamentos e um total de 45 mil metros quadrados de construção. O investimento será de R$ 50 milhões, conforme adiantou o presidente da Pedra Branca, Valério Gomes, ao prefeito de Palhoça, Ronério Heiderscheidt.

A apresentação do projeto será dia 22 de abril e, no dia 24, está agendada a inaugurado o Shopping Via Catarina. Na mesma semana, acontecerá a ExpoPalhoça.

Postado por Estela Benetti

Marisol cresce 12%

27 de fevereiro de 2010 0

O grupo Marisol, gestor de marcas de moda, obteve lucro líquido de R$ 35,7 milhões no ano passado, 67,5% maior que o registrado em 2008, que alcançou R$ 21,3 milhões.

O faturamento da companhia no período chegou a R$ 506,8 milhões, 11,9% superior aos R$ 452,9 milhões do ano anterior.

Postado por Estela Benetti

Brasil Foods volta ao azul

26 de fevereiro de 2010 0

A gigante de alimentos BRF Brasil Foods, que resultou da união da Perdigão e Sadia, apresentou ontem seu primeiro balanço conjunto. O resultado final consolidado do ano passado foi um lucro líquido ajustado de R$ 360 milhões contra prejuízo de R$ 2,4 bilhões em 2008. Embora a união tenha ocorrido em maio e ainda dependa da aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), foram considerados os números totais das duas empresas nos dois anos.

A nova companhia, que tem sede jurídica em Itajaí,obteve no ano passado faturamento de R$ 24,426 bilhões, 4% menor que os R$ 25,353 bilhões de 2008. Os investimentos do ano alcançaram R$ 1,2 bilhão.

A expectativa é de que a decisão do Cade sobre a fusão saia em meados deste primeiro semestre.

Com US$ 11,4 bi

O valor de mercado da Brasil Foods, ano passado, atingiu US$ 11,4 bilhões. A companhia é a quarta maior exportadora brasileira, a maior exportadora mundial de aves e a líder global em proteínas em valor de mercado.

O mercado interno respondeu por 58% das vendas líquidas ou R$ 15,3 bilhões e os itens industrializados lideraram as receitas.

 

Postado por Estela Benetti

Chilenos surpreendem o Costão do Santinho

26 de fevereiro de 2010 0

A boa surpresa do Costão do Santinho nesta temporada foi o crescimento de 20% no número de turistas chilenos frente a anterior. Em contrapartida, houve redução de 20% no número de hóspedes argentinos em relação ao verão passado.

O resort registrou crescimento de 14% no total de turistas, mas o resultado final foi um faturamento 5% menor em função da menor cotação do dólar, informou a diretoria do empreendimento.

Postado por Estela Benetti

Redução da jornada tira o sono de empresários

26 de fevereiro de 2010 0

O tema predominante na reunião da diretoria da Fiesc, hoje, foi a proposta de redução da jornada de trabalho de 44 horas semanais para 40 horas. No caso da indústria, há preocupação com o impacto social porque a tendência, diante do aumento de custo da mão-de-obra, é a busca de maior automação ou até a transferência de plantas para outras regiões ou países.

O jornalista Luiz Carlos Prates, do Grupo RBS, que fez palestra sobre ética aos empresários, alertou sobre o aspecto eleitoreiro de proposta como essa em ano de eleição. Aliás, essa preocupação também é predominante entre as lideranças industriais.

Postado por Estela Benetti

Lez a Lez foca consolidação

26 de fevereiro de 2010 0

A Lez a Lez, grife de SC lançada há dois anos e que avançou rápido no mercado nacional, agora foca a consolidação. Está presente em 1,5 mil pontos de venda e ganhou espaço em lojas de destaque nas principais cidades do país. A marca também tem quatro lojas próprias e planeja mais unidades nos próximos dois anos em SC e em outros estados. A empresa atribui o crescimento acelerado à qualidade e variedade das peças e investimentos em publicidade. Na campanha inverno, a top Raica de Oliveira foi substituída pela modelo paranaense Bárbara Berger, fotografada por Gui Paganini.

Postado por Estela Benetti

Azul na folia

26 de fevereiro de 2010 0

A companhia aérea Azul é uma das patrocinadoras do pré-lançamento do Folianópolis 2010, Carnaval fora de época que vai contar com show do EvaNavE, com o Eva, do vocalista Saulo Fernandes, dia 27 de março, no Stage Music Park, em Jurerê Internacional.

O apoio ao evento visa a projeção da marca junto a um público diversificado, de várias regiões do país. Mesmo um mês antes deste show de pré-lançamento da micareta, já existe o registro de vendas de ingressos para o evento em seis estados brasileiros e em cerca de 30 municípios de Santa Catarina. A 5°edição do Folianópolis será em novembro próximo e os organizadores esperam atrair mais de 40 mil foliões para a Capital.

Postado por Estela Benetti

Apoio cultural

26 de fevereiro de 2010 0

A SCGás é patrocinadora do projeto Gira Brasil/Circuito SC Gás de Cinema nas Comunidades que começa dia 2 de março e vai até abril. Serão sessões gratuitas em 14 municípios catarinenses. Os contemplados serão Lages, Tubarão, Palhoça, Florianópolis, São José, Tijucas, Brusque, Blumenau, Pomerode, Itajaí, Jaraguá do Sul, São Bento do Sul, Joinville e Criciúma.

A intenção é levar a produção do cinema brasileiro para as comunidades, diz o presidente da SCGás, Ivan Ranzolin.

Postado por Estela Benetti

A nova marca é Oxford Porcelanas

26 de fevereiro de 2010 0

A Oxford, fabricante de cerâmica de mesa de São Bento do Sul que em 2003 foi comprada pelo empresário Eggon João da Silva, um dos fundadores da Weg, deu ontem um passo importante para ampliar sua participação no mercado: mudou sua marca para Oxford Porcelanas. Essa virada resulta do aprimoramento alcançado nos últimos anos em função do qual 60% da produção já é de porcelana de alta qualidade. O segmento de cerâmica de mesa, também aperfeiçoado, responde por 40% da produção e continuará no mercado com a marca Biona.

Segundo o presidente da empresa, Volney Domingues (foto), foram produzidas, no ano passado, 34 milhões de peças, o faturamento alcançou R$ 111 milhões e a meta, para este ano, é crescer 15%. A Oxford Porcelanas é a maior do setor na América e líder no mercado brasileiro. Será apresentada ao mercado a partir deste sábado, em São Paulo, nas feiras Bup Show e Gift Fair.

Postado por Estela Benetti

Jornada de trabalho na pauta

25 de fevereiro de 2010 0

A Fiesc realiza nesta sexta-feira sua reunião da diretoria e um dos temas em debate será a proposta de redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais. O jornalista e psicólogo Luiz Carlos Prates fará uma palestra sobre ética aos industriais.

Postado por Estela Benetti

Embalagens de leite terão lista de vacinas

25 de fevereiro de 2010 0

Vem aí mais uma medida para preservar a saúde da população. As indústrias  terão que imprimir nas embalagens de leite tipo C e B o calendário de vacinas infantis obrigatórias, adotado pelo Ministério da Saúde. O projeto de lei já foi aprovado pelo Congresso e as empresas receberão a lista ministério.

Postado por Estela Benetti

Para quem quer liderar empresas no futuro

25 de fevereiro de 2010 0

As inscrições para o programa gratuito de desenvolvimento profissional e pessoal oferecido pelo Instituto CEO do Futuro, em São Paulo, se encerram amanhã. O curso tem duração de 40 horas, sempre aos sábados, e é voltado para alunos do último e penúltimo ano de graduação. As inscrições podem ser fietas no site www.icf.org.br e as aulas vão começar em março.

Postado por Estela Benetti

AGE do Brasil terá sócio alemão

25 de fevereiro de 2010 0

Produtora de cosméticos para terceiros, a AGE do Brasil, de Palhoça, está finalizando as negociações para ter um sócio multinacional de peso. A alemã Optima, fabricante de equipamentos para embalar cosméticos e medicamentos, será sua acionista com 25% do capital. O empresário Guilherme Jacob (foto), que fundou a empresa há oito anos e também é fundador e maior acionista da Akakia cosméticos, diz que o plano é ampliar em oito vezes o faturamento da AGE até 2014.

Segundo ele, a parceria com a Optima visa a uma maior presença no mercado brasileiro, que é o segundo do mundo em cosméticos. A AGE do Brasil já tem cinco clientes, as marcas Jequiti (do grupo Silvio Santos), Disney (Ypermercas), Akakia, Fuller e Miss Victoria.

Segundo o empresário Guilherme Jacob, a AGE projeta investir este ano R$ 2,5 milhõe para ampliar e equipar seu parque fabril. Também deverá gerar 140 novos empregos.

Postado por Estela Benetti

Tractebel lucra R$ 1,134 bilhão

25 de fevereiro de 2010 0

A Tractebel Energia, maior geradora privada do Brasil, obteve lucro líquido de R$ 1,134 bilhão em 2009, 1,7% maior que o do ano anterior, quando alcançou R$ 1,115 bilhão.

_ Consideramos o resultado expressivo se levarmos em conta as circunstâncias econômico-financeiras do exercício _ avaliou o presidente da empresa, Manoel Zaroni, referindo-se à crise internacional.

A empresa informa que foi o sexto ano consecutivo em que apresenta lucro recorde. Em 2009, o EBITDA foi de R$ 2.177,7 milhões, valor em linha ao registrado no ano anterior, que foi de R$ 2.176,6 milhões.

receita líquida consolidada de 2009 atingiu R$ 3.496,7 milhões, 2,8% acima da registrada em 2008. Entre os fatores que pesaram para o resultado foi o preço médio da energia vendida cerca de 8% maior que o do ano anterior.

Para a empresa, este ano será de consolidação do crescimento, em função do avanço na construção da Hidrelétrica Estreito e do início das operações da PCH Areia Branca e da Usina Termelétrica Destilaria Andrade, movia a biomassa. Os investimentos nessas obras e em manutenção devem alcançar R$ 2,2 bilhões este ano.

Postado por Estela Benetti

Havan terá unidade na 101, em Palhoça

25 de fevereiro de 2010 0

A rede Havan vai investir R$ 15 milhões em nova loja em Palhoça, que será inaugurada daqui a quatro meses. A unidade será em frente ao Supermercado Giassi, às margens da BR-101 e vai gerar 200 empregos diretos.

O projeto foi confirmado ontem pelo patriarca da rede de Brusque, Luiz Hang, e seu filho, o presidente da empresa, Luciano Hang, ao prefeito de Palhoça, Ronério Heiderschedit. A pressa da Havan é em função do sucesso do Giassi que, em três meses de funcionamento, já apresenta o segundo maior faturamento da empresa.

Postado por Estela Benetti

Portobello lucra R$ 16,5 milhões

25 de fevereiro de 2010 0

A Portobello, indústria de revestimentos cerâmicos de Tijucas, SC, que está no Novo Mercado da Bovespa, encerrou 2009 com lucro líquido de R$ 16,570 mihões. A companhia reverteu o prejuízo de R$ 9,352 milhões do ano anterior. Em 2009, a empresa obteve faturamento de R$ 506,957 milhões, menor que os R$ 517,466 milhões de 2008.

Para este ano, a Portobello está otimista porque entidades do setor apontam projeção de aumento de 15% das vendas frente a 2009 em função do elevado nível de atividade da construção civil.

Postado por Estela Benetti

Renar incorpora a Promifrai

24 de fevereiro de 2010 0

A Renar Maçãs, de Fraiburgo, empresa catarinense que está no Novo Mercado da Bovespa, anunciou a incorporação da Promifrai Fruticultura. Juntas, formarão uma das três maiores processadoras de maçã do país. Terão capacidade para comercializar 100 mil toneladas por ano do produto.

Postado por Estela Benetti