Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Tecnologia para o petróleo

04 de junho de 2010 0

O vazamento de petróleo desde o dia 22 de abril em plataforma da empresa britânica BP, no Golfo do México, EUA, chamou a atenção para a necessidade de mais segurança para a extração do produto em águas profundas. A oferta de tecnologias que contribuem na prevenção de acidentes em dutos e plataformas petrolíferas é um dos focos da Photonita Metrologia Óptica, empresa da incubadora Celta, de Florianópolis, que tem como sócios cinco engenheiros (três doutores e dois mestres).

A Photonita atua no setor em duas frentes. Uma é com o Mtres, equipamento exclusivo e inovador da empresa, usado para verificar tensões estruturais de dutos enterrados. E com o sistema de Shearografia, ela auxilia no controle da corrosão em dutos no setor de petróleo e gás, especialmente no mar. É uma técnica a laser para medir pequenas deformações em superfícies de juntas e tubos. Esta semana, Carlos Pezzotta, um dos sócios e diretor da empresa, foi até uma plataforma da Petrobras para fazer medições.

Riscos no Brasil

O diretor da Photonita, Carlos Pezzotta, admite que o Brasil, líder em exploração de petróleo no mar, não está livre de acidentes com vazamentos em plataformas apesar de ter tecnologia avançada. Observa que, pelas informações veiculadas, determinados sistemas de segurança que são opcionais nos EUA, são obrigatórios nas plataformas da Petrobras. Conforme Pezzotta, na unidade do Golfo do México as válvulas de segurança falharam. As unidades da Petrobras têm válvulas adicionais de segurança. Mas ele vê com preocupação o fato das empresas envolvidas no acidente participarem da exploração de petróleo no Brasil.

Comentários

comments

Envie seu Comentário