Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Grupo ainda mantém processo de licenciamento em SC

29 de junho de 2010 7

A OSX, empreendedora do estaleiro, informou em seu comunicado ao mercado que o processo de licenciamento que está iniciando no Rio de Janeiro não elimina as negociações para a instalação do projeto em Biguaçu. Segundo a assessoria de imprensa da companhia, os processos serão desenvolvidos paralelamente porque se não der certo em Santa Cantarina, a segunda alternativa já estará em andamento, o que reduz o atraso do empreendimento.

Leia o comunicado na íntegra:

Rio de Janeiro, 29 de junho de 2010 – A OSX Brasil S.A. (“OSX”); (Bovespa: OSXB3), empresa privada brasileira dedicada ao setor de equipamentos e serviços para a indústria offshore de petróleo e gás natural, por meio de atuação integrada nos segmentos de construção naval, afretamento de unidades de exploração e produção (E&P) e serviços de operação e manutenção (O&M), em paralelo ao licenciamento ambiental do estaleiro de sua subsidiária OSX Construção Naval SA na Cidade de Biguaçú, Estado de Santa Catarina, vem a público comunicar ao mercado que:

1.  Em atenção aos pleitos da população do norte do Estado do Rio de Janeiro por soluções para as severas enchentes e inundações, o Governo do Estado do Rio de Janeiro aprovou, em 31 de março de 2010, a contratação da execução do Plano de Macro-Drenagem da Baixada Campista.  O Plano de Macro-Drenagem contempla, como um de seus principais canais de drenagem, o Canal Campos-Açu, que desaguará no mar através do Complexo Industrial do Superporto do Açu (o “Complexo Industrial do Açu”), que está sendo implementado no Município de São João da Barra pela LLX Açu Operações Portuárias S/A (“LLX Açu”), subsidiária da LLX Logística S.A. (“LLX”), empresa do grupo EBX.

2. A abertura de um canal interno de navegação propicia a instalação, às suas margens, de um estaleiro com cais de mais de 3.500 metros de extensão no Complexo Industrial do Açu (“Estaleiro do Açu”) e, nesse sentido, o Governo do Estado do Rio de Janeiro enfatizou seu convite à OSX para que venha a instalar ali o seu estaleiro, trazendo para o norte do Estado do Rio de Janeiro a geração de até 10.000 novos empregos diretos na fase de operação e 3.500 novos empregos diretos na fase de construção.

3. Nesse contexto, a OSX, em parceria com a LLX, aprofundou estudos sobre a pré-viabilidade da implantação do Estaleiro do Açu, cujo lay-out conceitual já foi aprovado pela parceira tecnológica da OSX, Hyundai Heavy Industries Co., Ltd. (“Hyundai”), líder mundial em construção naval.

4. Como resultado, a OSX iniciou o processo de licenciamento ambiental para a implantação do Estaleiro do Açu, perante o órgão licenciador ambiental competente no Estado do Rio de Janeiro.

5.  O Estaleiro do Açu será dedicado à construção de equipamentos navais numa área total de aproximadamente 320 hectares no Complexo Industrial do Açu, com capacidade de produção anual inicial de aproximadamente 180.000 toneladas/ano de chapas de aço e 220.000 toneladas/ano de montagem. A alternativa da implantação do Estaleiro do Açu não representará alteração orçamentária significativa para a Companhia, e estima-se que o licenciamento ambiental de sua instalação ocorrerá até abril de 2011.

6. O Complexo Industrial do Açu oferece ao Estaleiro do Açu uma plataforma de desenvolvimento integrada às empresas da sua cadeia de suprimentos, como siderúrgicas, pólo metal-mecânico e outros fornecedores e prestadores de serviço da indústria naval que serão atraídos para o Complexo.

7.  O estaleiro que a OSX construirá e operará no País destina-se a suprir a demanda nacional por equipamentos navais para a indústria brasileira de petróleo e gás, sempre de acordo com os mais altos padrões de tecnologia e de sustentabilidade, em consonância com os demais projetos empresariais do Grupo EBX, e em atenção aos legítimos interesses da Companhia, de seus acionistas, de seus clientes e das demais partes interessadas envolvidas.


Rio de Janeiro, 29 de junho de 2010

Roberto Bernardes Monteiro
Diretor Financeiro e de Relações com Investidores

Para acessar o documento, clique aqui.

Sobre a OSX

A OSX é uma Companhia do setor de equipamentos e serviços para a indústria offshore de petróleo e gás natural, com atuação em três segmentos: construção naval, afretamento de Unidades de E&P e serviços de O&M. A OSX foi constituída para suprir a demanda da indústria por soluções de serviços integrados aos campos de petróleo e gás natural. Em março de 2010, a empresa captou recursos na ordem de R$ 2,5 bilhões em sua oferta pública de ações, no 7º maior IPO primário da história da BM&FBOVESPA. A OSX é parte do Grupo EBX, conglomerado industrial fundado e liderado pelo empresário brasileiro Eike Batista, que possui um comprovado histórico de sucesso no desenvolvimento de novos empreendimentos nos setores de recursos naturais e infraestrutura. Para mais informações visite o site: www.osx.com.br/ri.

Comentários

comments

Comentários (7)

  • Rubens diz: 29 de junho de 2010

    O maior estaleiro no Brasil fica em Angra dos Reis, uma reconhecida região turística que por coincidência fica numa baía aonde há também uma ilha, constituida na sua maior parte por reservas ecológicas. Lá não houve problema nenhum com os ecologistas…ver nos links…http://www.ilhagrande.com.br/pages/br_peig.html e http://www.kfelsbrasil.com.br/

  • Rui Eduardo Schurmann diz: 29 de junho de 2010

    Isto tudo é no mínimo MUITO ESTRANHO.

    O ICMBio rejeita o projeto em SC e de repente, assim como que por acaso, o Rio de Janeiro se oferece para sediar o Estaleiro. Tendo inclusive seu Governador conversado com o Proprietário da Empresa.

    Basta saber o que veio primeiro: O Rio de Janeiro está levando a Obra porque negaram em SC, ou negaram em SC porque o Rio de Janeiro está levando a Obra??????

  • djoni diz: 29 de junho de 2010

    Queria ter o conhecimento suficiente pra concluir algo sobre esse assunto, no entanto fica a impressão que Santa Catarina vai perder essa queda de braço com o Rio de Janeiro, que é polo da industria naval e petróleo no país.

  • Eduardo M diz: 29 de junho de 2010

    Sim , mas está claro que o grupo do Eike vai construir o estaleiro no Complexo do Açu , também de propriedade do bilionário. Existe uma logistica enorme ai.

    Floripa dançou. Graças aos ecoxiitas.

  • Luiz Saulo Lückmann diz: 29 de junho de 2010

    E tinha uma montanha de deslumbrados catarinenses acreditando que tudo que esse cara fala é verdade. Ele é o coelhinho da páscoa, o papai noel. E as montanhas de doações que este cara fez por aqui, eram todos porque ele é um cara legal pacas??? Me poupem!!

  • Leandro diz: 30 de junho de 2010

    Realmente SC é o zero da BR 101!

  • Francisco Oliveira diz: 30 de junho de 2010

    Se o ICMBio é o orgão competente pra não licenciar então qual é o problema?Vão decidir isso politicamente?
    O Eike que vá construir em outro lugar.
    Esse papo de milhares de empregos não cola e o Meio Ambiente depois seria afetado profundamente e depois não chorem se não houver mais peixe, golfinhos belezas naturais e turismo em SC.

    Parabéns ao ICMBio.

Envie seu Comentário