Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Cresce o risco de SC perder o estaleiro

30 de junho de 2010 25

A decisão da OSX, empresa empreendedora do estaleiro naval, de abrir um licenciamento paralelo para o projeto de Biguaçu no Porto do Açu mostra que a questão do prazo tem grande importância para o negócio, até porque a previsão de início da produção era para o segundo semestre do ano que vem. Mas, além disso, outros diferenciais logísticos como a proximidade de matérias-primas também podem pesar. O projeto estava certo para Santa Catarina, faltando apenas a licença ambiental. Mas o diretor financeiro e de relações com investidores da companhia, Roberto Monteiro, deixou claro que, agora, a decisão será tomada após as licenças, que podem sair para os dois locais.
A mobilização de lideranças catarinenses para manter o projeto é fundamental porque o governador do Rio, Sérgio Cabral, é articulado e está mais próximo do grupo EBX. O risco de SC perder o empreendimento mostra o quanto o rigor ambiental para grandes projetos pode trazer altas perdas econômicas. Sem o estaleiro, a região perderá, numa primeira fase, mais de 4 mil empregos diretos, o dobro de indiretos, o Instituto de Tecnologia Naval, uma série de serviços e alta arrecadação tributária. Mas a mesma região recebeu e ainda recebe construções que afetam o meio ambiente, e centenas de barcos trafegam sobre os golfinhos.

Perda do instituto

Se o estaleiro não ficar em Santa Catarina, o Estado deverá perder, também, o Instituto de Tecnologia Naval (ITN), que daria suporte técnico ao empreendimento. O diretor da Fundação Certi, José Eduardo Fiates, que, paralelamente, está negociando com a OSX a instalação da instituição no Sapiens Parque, diz que o Estado perderá muito em conhecimento científico se o projeto não ficar aqui. A proposta do ITN inclui a participação das universidades da região: UFSC, Unisul, Univali e Instituto Técnico Federal.

Análise ambiental

A análise ambiental que o Centro de Empreendedorismo Inovador da Fundação Certi está fazendo para colaborar no licenciamento ambiental para o estaleiro da OSX em Biguaçu será apresentada em workshop no final da próxima semana. Ontem, o biólogo Marcos Daré esteve no Rio de Janeiro apresentando resultado preliminar para técnicos da OSX, informou o diretor executivo da fundação, José Eduardo Fiates. Segundo ele, as soluções apontadas por técnicos do Brasil e exterior são bastante razoáveis.

Comentários

comments

Comentários (25)

  • Francisco Niccolini diz: 30 de junho de 2010

    Boa Tarde,
    É com muita tristeza que leio esta noticia sobre a desistência do estaleiro da EBX,e mais triste ainda é saber que as autoridades ambientais se manifestam apenas nestes casos que dão repercursão nacional e fazem vistas grossas aos esgotos que escorrem para a beiramar aos esgotos á céu aberto na Lagoa da Conceição,ás ligações clandestinas nos corregos que desembocam no mar etc,agora um empreendimento que além de gerar emprego e renda ao municipio e ao estado,estava disposto á atender as normas ambientais ,eles barram e batem no peito!!!!
    Só tenho uma opinião,a EBX faz muito bem em partir para outro estado e dar mais uma lição á pseudos burocratas e burros.

  • Samuel diz: 30 de junho de 2010

    Entre os inumeros comentarios que poderia ser feito eu faço somente um. “LIXÃO pode? Fica na mesma area geografica e litorania. Estão querendo fazer mas uma graça com o povo catarinense. ( Copa do mundo em Fpolis).

  • Geovani Viero diz: 30 de junho de 2010

    Oi Angela…Porque será que sempre ficamos “pra depois” ou ficamos sem nada…? As cias montadoras e agora o estaleiro…Somos exigentes demais? Porque para as grandes capitais como RJ e SP tudo é mais fácil? Segundo as informações, estamos prestes a perder 4500 empregos..

  • Henrique Jucá diz: 30 de junho de 2010

    Francamente, fazer um estaleiro rodeado de áreas de conservação? Qual parte da Resolução 237 do CONAMA que fala em “áreas alternativas” não foi compreendido pelo empreendedor? Se há de fato outras áreas para lançar esse empreendimento, que se lance, mas nããão…. o único jeito que o “pobre” governo catarinense consegue enxergar é fazer a TODO custo.

    Fatma, nem comento – uma vergonha de instituição de “proteção” ambiental. Não passa de um cartório de licenças do interior.

    VERGONHOSO para o Estado Catarinense.

  • geovana diz: 30 de junho de 2010

    graças a deus
    ta loko acabar cm os nossos poucos recursos naturais
    sabemos muito bem que se houver licença metade é fraudado
    obrigado senhor continue fazendo pra uqe udo dê errado.

  • Cassio diz: 30 de junho de 2010

    Mas se na semana passada no Bom Dia SC apareceu numa feira de produtos náuticos de Biguaçu um representante das empresas navais dizendo que já há vagas nesta área que não se consegue preencher…

    Com todo este lobby, é de se desconfiar que tem gente perdendo outras coisas, e o que menos importa são estes empregos.

  • elias tadeu de lima diz: 30 de junho de 2010

    é vergonhoso ver está intituição chico mendes pintando e bordando a ponto de fazerem o mesma vergonha em imbituba sobre aquela concessionária estava melhorando o porto de imbituba em 2009 ,tudo com dinheiro privado conforme a coluna de moacir pereira no dia 27/06 o mesmo chico mendes embarguou as obras ,alegando que o bate estaca prejudicava o sono da baleia-franca,pois bem troxeran especialista em engenharia naval e provaran que os ruidos no litoral seguem a linha da terra,nunca a nivel do mar ! certo era que depois destas e tantas outras besteirada que fazem, era pra não ter nem direito de palpitar o que não lhe cabe ou melhor o que não entendem,sou a favor sim de defender o meio ambiente ,animais em especie em extinção ,mas tudo tem limites ,gostaria de deixar neste espaço o meu repudio a essa tal intituição !!1

  • Juliano Piske diz: 30 de junho de 2010

    Que a OSX construa seu estaleiro na baia da babitonga, próximo do porto de Itapoá, lá a profunidade natural é grande e tem muita área diponível, lugar ideal, já chega aço via marítima de Vitória-ES, ou seja muito melhor que Biguaçú, com todo o respeito pela cidade.

  • Felipe diz: 30 de junho de 2010

    Quem acompanhou a reunião ontem pela internet viu que o ICMBio é um absurdo. Os caras simplesmente vetaram a construção do estaleiro alegando risco para os golfinhos que vivem ali a mais de 300 anos. O interessante é que se baseiam em um estudo feito no final da decada de 90. Hoje qualquer morador da região afirma tranquilamente que os golfinhos ja abandonaram o local a tempo. Também foi ridícula a forma com que era vetado. Ao ser perguntado sobre alternativas, eles nao queriam nem saber: jogavam a responsabilidade de arrumar alternativas para a empresa OSX. Ora, se a região vai se beneficiar com milhares de empregos e impostos, CUSTA AJUDAR NA INSTALAÇÃO? Quem conhece melhor a região para prover alternativas? O governo do estado ou o órgão federal ICMBio? Tive nítida impressao de que o orgão estava fazendo força pro estaleiro ir pro Rio.

  • Federico Damiani diz: 30 de junho de 2010

    Se não der certo vou passar a das crédito para as autoridades ambientais de Santa Catarina, pós geração Moeda Verde. Isso porque tento, sem sucesso, há dez anos uma licença mbiental para construir uma pequena casa para a minha familia na Lagoa da Conceição, e nada. Pedem 500 documento, quando levo precisa de outros tantos, pedem projeto, põem defeito em tudo, a janela não pode ser aqui, a porta acolá e assim vai… complicam prá não liberar. Se eu não posso, porque o Eike pode??? Taí a grande oportunidade para mostrarem que as coisas estão mudando no Estado. Caso contrário, ficará estampado o favorismo aos poderosos… e poderemos dizer que “Nada Mudou!!”

  • José diz: 30 de junho de 2010

    Deveriamos mobilizar a sociedade catarinense para interpor uma ação popular em face da empresa empreendedora do estaleiro, tendo como elemento justificador a proteção do meio ambiente.

  • Denise diz: 30 de junho de 2010

    Sou catarinense e tenho orgulho das nossas belezas naturais, esse o estaleiro pode causar uma destruição maciça de organismos marinhos, afetar as atividades de pescadores e maricultores locais, além de comprometer as praias do norte da Ilha (Praia da Daniela, Jurerê, Forte).

  • Antônio diz: 30 de junho de 2010

    DIGA NÃO AO ESTALEIRO!!O processo de dragagem e de deposição de sedimentos acarretaria a disponibilização de arsênio para o meio aquático, dentre outras substâncias, ocasionando a contaminação da biota aquática através da acumulação na cadeia alimentar, além de estabelecer riscos de incremento de índices acima daqueles seguros para fins de consumo humano, através do cultivo de moluscos nas atividades locais de maricultura e extrativismo locais. Assim, gerará impactos permanentes a três unidades de conservação que abrangem o local do empreendimento, cada uma com seus atributos bióticos a abióticos únicos, que suscitaram suas criações

  • Alexandre diz: 30 de junho de 2010

    O pior são os argumentos: que com a dragagem vai “ficar muito fundo para os golfinhos”?????? que com o movimento de navios os golfinhos serão obrigados a sair de seu habitat… Se isso fosse verdade, não haveria golfinhos e baleias em Imbituba..
    Ou os técnicos do ICMBio não sabem o que fazem, ou estão de má vontade por algum motivo. Em Angra, no RJ, existem estaleiros e lá as águas são limpas e cheias de peixes e golfinhos. Em SP, em São Sebastião, tem um enorme terminal da Petrobrás e é um dos melhores locais para mergulho no Brasil, e tem golfinhos…

    Só os golfinhos daqui não gostam de navios???

  • Marito diz: 30 de junho de 2010

    Para quem esta dependendo desses empregos que este projeto criaria minha sugestão é fazer as malas e se mandar pro RJ!

    Aqui em SC nós vamos lutar até o fim para PRESERVAR o que ainda resta, RJ já é o caos, agora por desculpa velha de geração de empregos querem mais uma vez degradar o meio ambiente.

    FORA ESTALEIRO!!, QUEM QUISER TRABALHAR NISSO QUE VÁ EMBORA PARA O RJ – Cidade “Maravilhosa”

  • Juca diz: 30 de junho de 2010

    É uma perda muito grande para SC. No mínimo poderiamos colocar na formalidade 12.000 cidadões brasileiros. Se depender do Instituto Chico Mendes nenhuma obra em nenhum lugar é licenciada. Esse orgão está corroído por “ongueiros” de plantão que se intitulam salvadores do mundo, são ambientalistas do asfalto, que vivem de representações internacionais e só sabem colocar defeito nos projetos. Se nossa legislação não for revista, o Brasil acabará por afundar sua industria, jamais seremos competitivos, enquanto que a China e India fazem grandes obras de infra-estrutura, nós aqui somos impedidos (pelo Instituto Chico Mendes e Ibama) de fazer nossa lição ( estradas, portos, estaleiros, ferrovias), por conta de adpatção de alguns animais. É o fim! Abaixo Ibama!

  • Henrique Jucá diz: 30 de junho de 2010

    É com muita infelicidade que vejo aqui uma penca de comentários desinformados sobre as instituições ambientais.

    ICMBio não tem “ONGueiro”, IBAMA não é contra “fazermos nossa lição”, e nem a FATMA impede ninguém de licenciar casa.

    Sabe quem faz isso? É o político que quer desbarata os órgãos. Ninguém aqui dentro (sou funcionário de umas destas instituições) é CONTRA o empreendimento – a não ser que ele tenha a localidade do jeito que a OSX deseja. Alguém por acaso olhou a análise de áreas alternativas? Só mudam 30cm, acham que tá tudo bem, é isso mesmo….

    Ou vocês acham que esses 12.000 empregos vão continuar ad infinitum? Acorda rapaziada, isso é mão-de-obra passageira, a OSX vai cagar e andar pra infraestrutura-urbana (como fazem todos os empreendedores, e quando o IBAMA segura a obra por não cumprirem condicionantes que protegem VOCÊS população, a gente “emperra obra”).

    E vi aqui muita confusão de competência de fiscalização – esgoto, infraestrutura urbana em geral, é de competência MUNICIPAL, no máximo ESTADUAL, caso o município não tenha autonomia. Então meu colega, quer seu esgoto? Vai bater na porta do vereador que tá te “representando” na sua Câmara (caso ele não esteja ocupado mudando nome de rua, ou dando medalha de cidadão pra outra pessoa).

    Agora não me venham com esse papo de “empresa boazinha”, que são poucas empresas que apresentam estudos mínimos pra se embasar uma análise pra PROTEGER vossas vidas, cidadãos ingratos.

  • Marcelo diz: 30 de junho de 2010

    Empresarios não podem ver um lugar verdinho, preservado que logo tem a mesma idéia contraditória de montar alguma empresa poluidora e sem fins ecológicos.

    FORA ESTALEIRO, FORA DA MINHA SANTA CATARINA

    E QUEM NAO GOSTAR QUE VÁ EMBORA JUNTO

  • Marcelo Fett diz: 30 de junho de 2010

    Cara Jornalista Estela Benetti,

    Gostaria de parabenizá-lo pela cobertura jornalística que você vem dando a questão da instalação do estaleiro da empresa OSX em Biguaçu, e ainda mais neste momento ao alertar sobre o risco do Estado de Santa Catarina perder um dos maiores investimentos privados de nossa história e do descaso de nossos representantes para com a questão, que julgo da mais absoluta relevância.

    Mas tomo a liberdade de ir mais além. Este é apenas um dos casos de investimentos privados que perdemos por conta desse descaso. Tavez tenha ganho notariedade por conta das cifras envolvidas e pela figura do empresário Eike Batista.

    Mas a verdade é que Santa Catarina vem perdendo muitos outros investimentos menores, mas não menos relevantes. Até porque, talvez somados, esses investimentos cheguem perto ao volume destinado pela EBX.

    E isso porque? Entre outras razões, porque SC não possuí uma política clara e definida de Desenvolvimento Econômico. Uma política clara, transparente de atração de investimentos. Santa Catarina não conta com uma estrutura administrativa focada na atração de investimentos e para dar suporte e orientação à iniciativa privada como possuem outros Estados como RJ, SP, CE, BA, etc. O RJ criou recentemente uma Agência de Atração de Investimentos. SP criou a sua em 2008. O Ceará, um dos recordistas a nível de Brasil em atração de investimentos estrangeiros (especialmente nos setores turístico e imobiliário) já possuí a sua Agência a muitos anos. A Bahia, é sem dúvida um case de sucesso em promoçao internacional para atração de investimentos.

    E nós, não temos nada!! Temos todas as condições para termos a melhor política de desenvolvimento econômico e atração de investimentos (por nossa colonização europeía, característica econômica, diversidade industrial, capacidade empreendedora do povo catarinense, mao de obra altamente qualificada, qualidade de vida, etc.). E tudo isso, garanto, sem aumentar uma único centavo nos gastos públicos!

    A INVESTING SANTA CATARINA – Associação para a Promoção de Investimentos e Desenvolvimento Econômico do Estado de Santa Catarina, que reúne 28 empresas de diversos setores da economia catarinense e que representa pelo menos 4% do PIB catarinense, já a algum tempo defende (inclusive públicamente) a necessidade de uma política catarinese de desenvolvimento econômico e atração de investimentos. Política de Investimentos para o Estado.

    É possível sim aliarmos desenvolvimento econômico com a preservação do meio ambiente. E garanto que os investidores, sejam eles nacionais ou estrangeiros, em sua grande maioria já se sensibilizaram da importância da preservação do meio ambiente.

    Estamos a meses trabalhando em cima de uma proposta de Plano de Políticas de Desenvolvimento Econômico e Promoção de Investimentos. Esperamos ser recebidos pelos nossos candidatos e que esse aceitem pelo menos ouvir e discutir nossas propostas.

    O desenvolvimento econômico, a promoção de investimentos, deve ser prioridade para qualquer governante. É o incremente da atividade econômica, que vai permitir que nossos filhos tenham emprego digno, que vai permitir a melhora da condição de vida e de distribuição de renda das famílias, que vai tirar os jovens da criminalidade formando cidadãos, que vai gerar impostos para ai então os governantes tenham condições de investir em saúde, saneamento e educação.

    Termino destacando que diversos países do mundo como Holanda, Espanha, Portugal, EUA, e até nosso vizinho Peru (que poucos sabem mais é considerado o país mais competitivo da América Latina no quesito economia e atração de investimentos estrangeiros pelo World Economic Forum) já se tocaram dessa questão a muitos anos!!!

    Espero que possamos ter sucesso nessa empreitada e que nossos candidatos e futuros governantes escutem nossos anseios e nossas propostas, pois esse assunto é da mais absoluta relevância para o futuro do nosso Estado.

    Aproveito a oportunidade para dizer-lhe que a INVESTING SANTA CATARINA, esta propondo aos candidatos ao Governo a realização de um Fórum de Debates para a discussão de uma Programa de Políticas de Governo para o Des. Econômico e Atração de Investimentos, cujo resultado esperamos, seja uma versão contemporizada do PLAMEG (guardadas as suas proporções e o contexto histórico) do Ex- Governador Celso Ramos tão bem escrito por intelectuais da envergadura do Prof. Alcides Abreu.

    Atenciosamente,

    Marcelo Fett
    Presidente Executivo
    INVESTING SANTA CATARINA

  • Eduardo Kuhn da Luz diz: 30 de junho de 2010

    Gostaria de dar uma sugestão para assunto de debate da opinião publica sobre a construção do estaleiro OSX em Biguaçu, ja que tem sido um assunto polêmico e bem atual, que difere um interesse muito grande da sociedade.
    Sou Morador de Biguaçu a 27 anos e finalmente Biguaçu e grande Florianópolis serão Beneficiados com tal obra, pelo visto estamos vendo que mais uma vez vamos perder um mega empredimento por causa de uma minoria que parece não estar preocupada com a pinião publica. Não acredito que por causa de uma coisa tão simples de resolver é feito todo esse barulho, se os golfinhos por acaso sairem dali que isso acho um tanto improvável, é so transfirem para um outro local mais seguro, e resolvido. sinceramente sou a favor a um crescimento sustentavel e que tenha defesa da biodiversidade, porém não posso fechar os olhos para uma situação dessas onde certamente muitos ambientalistas extremistas estão dificultando as coisas, pergunte para um desses ambientalistas se quando eles vão para seu trabalho eles vão de carroça ou de bicicleta (inclusive um meio de transporte que eu uso muito e amo pedalar) ou se eles vão a cavalo não sei… quando eles vão viajar eles vão caminhando talvez…. so sei que para eles calçarem, comer, vestir, morar e se divertir precisam de meios e tudo isso precisa ser construído e nossa bela e perfeita natureza precisa ser explorada.
    Acho que devemos fazer um abaixo assinado para garantir essa obra e direito nosso, ja foi ganho o projeto ficha limpa e Retirado presidente da república por meio do povo esta na hora dos cidadãos da grande Florianópolis se mobilizarem.

  • Rafael Costa da Silva diz: 1 de julho de 2010

    Bom Dia Estela,
    Sem querer entrar no mérito da questão tá parecendo que esse projeto em Biguaçu tá funcionando como um “boi-de-piranha” pra OSX. Escolhem um lugar polêmico e trabalham outro com muito menos resistência.
    Abs.,
    Rafael Costa da Silva

  • John Bitencourt diz: 1 de julho de 2010

    Mais uma vez conseguimos salvar a natureza deste maldito empreendimento.

    ADEUS ESTALEIRO, VAI PELA SOMBRA!!

    E como disse o amigo ai emcima, quem quiser que vá atrás do estaleiro.

    FORAAA

  • Eduardo Kuhn da Luz diz: 1 de julho de 2010

    Ola

    Mais uma vez estou aqui desta vez para dizer que não acredito que existe pessoas ainda criticando a instalação do estaleiro aqui, sinceramente acho que os incomodados e acomodados que se retirem e devem ir morar la na “Bahia e ficar so numa rede de papo para o ar” se não querem trabalhar e gerar empregos no minimo trabalham so 6 hs por dia e depois vão curtir uma praia e ainda devem viver reclamando do seus salários e fazem greves… Turista aqui na ilha so verão amigo depois vamos a luta trabalhar!!!

  • Carlos diz: 2 de julho de 2010

    Eu acho incrível certos tipos de opiniões aqui em Santa Catarina (mais precisamente na grande Florianopolis). Se um projeto deste vulto pleiteasse um lugar em Joinville ou Blumenau, duvido que os alemães de lá iriam deixar escapar. Em Floripa é o contrário, existe uma elite metida a intectoalóides, que adoram arrotar bravatas! Muitos aqui defendem o tal meio ambiente intácto, só que provavelmente devem ser aquelas pessoas que possuem casas em áreas de preservação, que derramam esgoto na rede pluvial, que entope o transito com seus automoveis, que sequer faz a separação de lixo em casa e se acham os tais porque moram no paraíso e como tal, não querem ver uma empresa de porte investindo no local. Quero perguntar a estes, quantas pessoas elas empregam? Quantos empregos geram? Se conseguem enxergar nos morros da cidade o aumento vertiginoso das favelas, tráfico de droga, assassinatos, miséria, falta de oportunidades?? Não, não enxergam, porque trafegam em seus carros importados, trabalham pouco (muitos nem trabalham e possuem fontes de rendas duvidosas) e só querem curtir o paraíso (que está afundando por causa destas mesmas pessoas), o resto das pessoas que se danem…é assim que pensam. Eu proponho aos ecochatos a proporem alternativas econômicas sustentáveis e viáveis que tragam 4 mil, 5 mil empregos para a região. É um grande desafio, pois só sabem criticar, claro….a barriga já está bem cheia, não querem se preocupar com o próximo. Quero só ver quando o filho de uma dessas pessoas sofrer um assalto, assassinato ou se viciar nas drogas por aqueles que não tiveram oportunidades e caíram no mundo do crime. Aí o negócio é ir se consolar com os golfinhos…

  • luciana diz: 1 de outubro de 2010

    Tema complexo esse de um lado a gana por investimentos “PRIVADOS” (não acredito nisso) pelo contexto capitalista que tanta gente defende e prega como a melhor coisa, de outro lado os exageros ambientalistas que em algumas situações limitam investimentos que trazem mais benefícios do que vantagens. Uma coisa eu sei se tantos investimentos grandiosos resolvessem os problemas urbanos das grandes ou médias e até pequenas cidades Rio, são Paulo e outras tantas cidades não teria tanta miséria, tanta gente amontoada em favelas, tanta gente desempregada, tanta poluição e todo tipo de mazela gerada pelo desrespeito ao meio ambiente e às pessoas que essas mesmas empresas que juram que não causam ou evitam ou minimizam os problemas ambientais, produzem. Acho que se as pessoas estão tão descontentes com santa catarina pq não tem emprego, tem violência, etc. etc. etc.. que se mudem pra outra cidade de outro estado sugiro Rio, São paulo, – Lá não vão encontrar violência, drogas, filhos sendo mortos com balas perdidas, operários trabalhando de sol a sol e mal conseguindo o sustento básico, filhos desses mesmso operários passando fome ou morrendo nas mão do tráfico, etc. etc. etc… – mudem-se de SC, vão procurar emprego em outro local. Eu, prefiro SC do jeitinho que é e valorizo muito mais esse desenvolvimento leve, brando que acontece ai e mais prefiro levantar a bandeira ou fazer protesto para arrumar o muito que já foi destruido do meio ambiente e achar soluções mais amigáveis para o desenvolvimento que sejam benéficas social e ambientalmente e não que geram 5 mil empregos e produzem um entorno miserável, como já se tem claro há pelo menos 10 anos em muitos estudos e realidades, Curitiba é um exemplo, pq já vem sofrendo as mazelas de ter aberto demais para grandes investimentos e agora já tá perdendo o status de bom exemplo em função do grande desaparato social em seu entorno. Qto ao meio ambiente, nem se comenta, SC tem problemas demais em função disso é muito sensível em relação a isso e precisa ser muito bem cuidada, sob pena de em breve essas pessoas que querem tanto o estaleiro serem dragadas por alguma enchente ou desmoronamento e ai sim terem que ir procurar um empreguinho em outra cidade (sem violência, sem drogas para seus filhos, sem fome). Lembro de uma situação (em 1983) qdo em função de algumas grandes empresas “que não poluiam e só traziam benefícios” algumas pessoas que conheço perderam td (e sei que muitas tem perdido ao longo dos últimos anos) em função da degradação ambiental. Sinceramente melhor viver com um pouco menos e muito mais qualidade, se valorizassem um pouco mais td o que tem em SC como a pequena agricultura (sonho de muitas cidades grandes ao redor do mundo) que há em SC e que se sustenta com muito mais qualidade (sonho de grande parte das pessoas que precisa sobreviver nas grandes cidades ou até médias de outros estados a custa da própria saúde e de sua família) talvez pudessem amara mais SC e cuidar melhor desse lindo estado. Espero que o estado não vire um espaço da gangues de fora que vão ai pra explorar e aumentar sua fortuna pessoal e que um dia eu possa voltar e viver em paz ai, pois sei que isso ainda encontro ai, coisa que aqui fora é raro.

Envie seu Comentário