Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

O recado da agropecuária para Dilma

04 de novembro de 2010 1

Um dos setores mais dinâmicos da economia brasileira e responsável pelo superávit da balança comercial, a agropecuária espera que a presidente eleita, Dilma Rousseff vá além do atual governo nas atenções ao setor. Para os grãos, é preciso dar suporte não só ao plantio, com crédito, mas também no financiamento da comercialização. Apesar da economia estar em alta, o segmento enfrenta uma série de problemas, o que se refletiu na eleição. A petista não venceu nas regiões Sul, Centro-Oeste e em São Paulo, que produzem cerca de 70% da agropecuária brasileira.

O presidente da Federação da Agricultura do Estado (Faesc), José Zeferino Pedrozo, avalia como positivas as declarações feitas até agora por Dilma, de alguém com a responsabilidade de administrar um país grande como o Brasil. Segundo ele, a oferta de crédito para o plantio aumentou, mas o país enfrenta dificuldades na comercialização porque, na hora da safra os preços caem. Isto atinge produtores de todos os portes e muitos não conseguem pagar o financiamento que fizeram para a safra. Cita o caso do milho, que, na safra, estava a R$ 14 por saca e, agora, subiu para R$ 20.

Comentários

comments

Comentários (1)

  • Pedro diz: 7 de novembro de 2010

    Cara Colunista, antes de mais nada, seria interessante verificar a quantidade de produtores rurais que estão comprando apartamentos – caríssimos – de veraneio em Balneário Camboriu e Itapema, por exemplo. Com pagamento cash. Também, verificar nas diversas – e novas – revendas a quantidade de camionetas importadas comercializadas em nome dos mesmos produtores. Querem por que querem total economia de mercado, desde que o governo (e nós, cidadãos) arque com os incômodos e riscos inerentes ao processo. Pois é, nada os satisfaz: nunca.

Envie seu Comentário