Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 21 dezembro 2011

Sob investigação

21 de dezembro de 2011 0

A corretora de valores Geração Futuro contratou o criminalista Cláudio Gastão da Rosa Filho para atuar em inquérito policial que investiga o possível desaparecimento de R$ 51 milhões na Celesc. Segundo o advogado, a investigação é sobre o contrato com a terceirizada Monreal, que cobrava fatura atrasadas. A Geração Futuro tem posições da empresa e quer saber se houve problema e os acionistas foram prejudicados.

Governador entrega medalhas a personalidades em SC

21 de dezembro de 2011 1

O governador Raimundo Colombo homenageou ontem à noite, em solenidade na Casa D’Agronômica, personalidades que se destacaramm no Estado. Ele entregou a Medalha Jerônico Francisco Coelho a pessoas com projeção nas áreas em que Jerônimo atuou, como a militar, de jornalismo e engenharia.

Recebem a distinção o colunista do Grupo RBS, Moacir Pereira, o coronel do Exército Brasileiro de Infantaria e Estado-Maior, Manoel Soriano Neto; o conselheiro José Carlos Pacheco; o secretário de Estado da Comunicação, Derly Massaud de Anunciação; o ex-presidente da Academia Desterrense de Letras, Vilson Mendes (in memorian); e o engenheiro João Eduardo Moritz (in memorian).

Gerra fiscal é boa para a economia do país, mostra estudo da FGV

21 de dezembro de 2011 0

A guerra fiscal via incentivos de ICMS para a indústria beneficia toda a economia. Foi isto que concluiu estudo da Fundação Getúlio Vargas a pedido da Federação das Indústrias de Goiás (Fieg). Foram analisados 12 projetos que geraram impacto de R$ 35,8 bilhões no PIB nacional e 800 mil postos de trabalho. A pesquisa mostrou que incentivos fiscais multiplicam renda, emprego e arrecadação de impostos estaduais e federais. De acordo com o estudo, 1,2% do PIB e 2% da arrecadação nacional sobre a produção, no ano passado, foram viabilizados direta ou indiretamente pelos projetos que tiveram nome preservado por questão contratual. Os empreendimentos estão em sete estados, incluindo Santa Catarina, mais o Distrito Federal. Outra conclusão é que os incentivos ajudaram a descentralizar a riqueza no país.

Efeito multiplicador

Um item surpreendente do estudo feito pelo professor Fernando Blumenschein, da FGV, é o efeito multiplicador dos empregos pela indústria, dado não muito valorizado no Brasil, que está gerando muitas vagas no exterior. Para cada emprego direto nas indústrias avaliadas foram abertos 85,6 indiretos. As 12 indústrias geraram 92.712 empregos e, indiretamente, 784.058. A renda direta do trabalho das empresas é de R$ 360 milhões, as vagas indiretas somam R$ 9,601 bilhões e, no total, alcança R$ 9,961 bilhões.

Para todo o país

O estudo aponta efeitos multiplicadores porque os impactos indiretos e induzidos superam os impactos diretos.

“Embora o maior impacto recaia sobre o estado onde a indústria está, pode-se afirmar que os impactos indiretos são distribuídos de maneira difusa entre os estados, na medida em que eles participem da cadeia produtiva da implantação e operação da planta”, diz o estudo.

 

SC tem 76.735 pessoas vivendo em favelas

21 de dezembro de 2011 0

O IBGE divulgou hoje uma pesquisa ampla sobre a favelização no Brasil. Em Santa Catarina, apontou 74 aglomerados subnormais (como favelas, invasões, grotas, baixadas, comunidades, vilas e outros) em 15 municípios, com 21.769 residências e um total de 76.735 moradores. Em todo o país, há 6.329 aglomerados, que concentram 6% da população do país, sendo 11,4 milhões de pessoas, quase uma cidade de São Paulo inteira. Quem lidera o total de habitantes em favelas é o Estado de São Paulo, com 2.715.067, seguido por Rio de Janeiro, com 2.023.744 e Pará, com 1.267.159 pessoas.

Diante do cenário nacional, Santa Catarina não está uma maravilha, mas dá para melhorar muito, especialmente com maior empenho dos governos estadual e municipal, com a colaboração do setor privado e organizações não-governamentais.

Oito ex-governadores convidados

21 de dezembro de 2011 0

Entre os convidados para a festa dos 20 anos do Costão, além do governador Raimundo Colombo, que não foi porque era anfitrião de entrega de medalhas na Casa D’Agronômica, estavam oito ex-governadores. Mas nem todos compareceram. Estavam lá Colombo Salles, Jorge Bornhausen e o ex-governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto. Mas a lista incluiu, também, Eduardo Moreira, que é o atual vice-governador e estava no evento da Casa D’Agronômica, Casildo Maldaner e Luiz Henrique, que são senadores e estavam trabalhando em Brasília; Esperidião Amin, que estava trabalhando em Brasília, e Leonel Pavan.  

Desafios futuros do Costão do Santinho

21 de dezembro de 2011 1

Fernando Marcondes de Mattos afirmou que a “grande guerra” do Costão do Santinho, no presente e no futuro, é contra o custo Brasil.
– Temos quatro agravantes: dólar baixo, legislação trabalhista anacrônica, uma das cargas tributárias mais altas do mundo e juros exorbitantes. Estamos exportando turistas, mas não conseguimos importar turistas porque o Brasil é o país mais caro do mundo. Não é porque não sabemos produzir – diz.
Mas parece que a presidente está atenta. O ministro do Turismo, Gastão Viera, esteve na Capital a poucos dias e convidou Marcondes para falar sobre desoneração do setor, no próximo ano.

O casal 20 do Costão comemora as duas décadas do resort

21 de dezembro de 2011 1

                                                                                                                                                           Os 20 anos do Costão do Santinho Resort, de Florianópolis, foram comemorados pelo casal de empreendedores Fernando e Iolanda Marcondes de Mattos (foto), ontem à noite, com festa para 700 pessoas e agradecimento especial aos 700 empregados e aos proprietários de apartamentos. Segundo o empresário, os investidores acreditaram que seria possível transformar uma roça de mandioca no maior resort de praia do Brasil. Ele também agradeceu ao músico Arthur Moreira Lima e ao cantor Daniel, pelo show gratuito que fizeram no evento de ontem. O espetáculo da dupla encerrou com ambos cantando Rancho de amor à ilha, acompanhados dos 57 músicos da Camerata de Florianópolis.O Teatro Bolshoi do Brasil também fez apresentação ao som da camerata. A maioria do PIB da Capital marcou presença na festa que se estendeu até o início da madrugada.

Foto de Marcus Quint, divulgação