Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de abril 2012

Varejo de SC animado para o Dia das Mães

30 de abril de 2012 0

Lojistas catarinenses estão confiantes de que o Dia das Mães, segunda melhor data de vendas do ano, vai levar os consumidores às compras e elevar o faturamento em 4,5% frente ao mesmo período do ano passado. Uma das razões para o otimismo é que, este ano, a Páscoa, dia 8 de abril, aconteceu 34 dias antes, o que permitiu à maioria quitar os débitos feitos para a festa do “coelhinho”. No ano passado, o intervalo entre as duas datas foi de apenas duas semanas. O presidente da FCDL, Sérgio Medeiros, afirma que a projeção está calcada, também, na recente redução de juros e prorrogação do IPI para eletrodomésticos da linha branca. Para a data, além dos tradicionais presentes para as mães como confecções, calçados, produtos de beleza, joias e acessórios, a entidade acredita que tablets, celulares e TVs de tela fina também terão alta procura.

Shoppings apostam no Dia das Mães

30 de abril de 2012 0

Beiramar Shopping

A maioria dos shopping centeres deu a largada das campanhas para incrementar vendas ao Dia das Mães. Lojas do Beiramar Shopping decidiram sortear um moderno carro Minicooper. A cada R$ 200 reais em compras, o consumidor tem direito a um cupom.

Floripa Shopping

O Floripa Shopping também optou pelo sorteio de um carro Kia Soul customizado pelo artista Luciano Martins e dois bônus de R$ 5 mil em compras, com assessoria da consultora de imagem e estilo Roberta Carlucci. A cada R$ 200 em compras o cliente tem direito a um cupom.

Shopping Via Catarina

O Shopping Via Catarina está sorteando dois carros do modelo NIssan March 1.0 Flex Pack Conforto para a datal. O Dia das Mães ganhou, também, um belo filme dirigido pelo cineasta Paulo Trejes e produção da Orbital Filmes, tendo como modelos Cristina de Vicenzi Homem de Mello e o pequeno Iuri Timponi Müller. Este ano, o Dia das Mães será em 13 de maio, o que significa que ainda há bastante tempo para comprar presentes.

Shopping Iguatemi

O Shopping Iguatemi Florianópolis oferece para a tada uma viagem ao Parque Nacional Torres del Paine, no Chile, Patagônia. Além disso, vai sortear 20 vales-compras no valor de R$ 3 mil cada. O cliente terá direito a um cupom a cada R$ 250 em compras.

Vagas para aviões com urgência

30 de abril de 2012 0

O Aeroporto Internacional Hercílio Luz, de Florianópolis, precisa, com urgência, de uma nova área de estacionamento de aviões para que o Estado possa se habilitar para receber delegações da Copa do Mundo de 2014 e, também, ter condições de atender a crescente demanda por voos charter durante o verão. O alerta está na Carta da Hotelaria de Santa Catarina, divulgada pela  Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em Santa Catarina (ABIH-SC) após o  26º Encontro Catarinense de Hoteleiros (Encatho), encerrado sexta-feira, na Capital. O documento será enviado hoje para autoridades dos governos federal, estadual e municipal, informou o presidente da ABIH-SC, João Eduardo do Amaral Moritz.
Há projeto para o novo estacionamento com previsão para maio de 2014, o que é muito em cima da Copa. É lamentável o descaso do governo federal com essa importante obra de infraestrutura, especialmente considerando que Santa Catarina é um dos estados que mais contribuem com tributos para a União. Em contrapartida, recebe muito pouco em troca, além dos tradicionais órgãos fiscalizadores de tributos. Nos últimos verões, os voos charter ocuparam a pista secundária para estacionamento. Até a Base Aérea, que cedia espaço, disse que não poderá mais abrigar aeronaves.

INSS, um alívio ao setor hoteleiro
Os hoteleiros catarinenses não se limitaram a críticas ao setor público. Eles disseram que a decisão da presidente Dilma Rousseff de incluir o turismo no Plano Brasil Maior, que eliminou a contribuição patronal ao INSS, de 20%, substituída pela alíquota de 2% sobre o faturamento, terá um importante impacto ao setor. Mas cobraram redução da carta tributária, redução da alíquota de 25% do ICMS sobre energia, a mais cara do mundo, mais investimentos em infraestrutura básica e em segurança pública.

Prédios ecológicos vão gerar energia

30 de abril de 2012 2

 

A paisagem da Praia Novo Campeche, no Sul da Ilha de Santa Catarina, ganhou uma nova atração. O empreendimento imobiliário Neo Next Generation, idealizado pelo arquiteto, urbanista e empresário da construção Jaques Suchodolski, que tem cobertura branca arredondada e duas hélices geradoras de energia eólica se destacando no horizonte. Dá para dizer que são os dois prédios mais sustentáveis do país. Cada item foi considerado nos mínimos detalhes, começando pela compensação das emissões da construção, sistema de geração de energia solar e eólica que reduz em 50% a conta de luz dos 24 apartamentos, revestimentos especiais e mais uma série de detalhes. Mas todo esse zelo ganhou um plus expressivo com a aprovação da nova lei de microgeração de energia pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Pela nova legislação, os microgeradores poderão fornecer energia ao sistema elétrico nacional e, assim, reduzir ainda mais os seus gastos com a conta de luz ou até ter superávit. O Neo está a 300 metros da praia, com vista para o mar, entre as praias do Campeche e Joaquina. Segundo Jaques, todos esses diferenciais valorizam em cerca de 30% os imóveis. O preço dos apartamentos varia de R$ 540 mil até R$ 1,3 milhão (as coberturas). A conclusão da obra está prevista para junho próximo.

Jaques Suchodolski

Arquiteto, urbanista e sócio-fundador da Asas Incorporações e Habitat Ltda, de Florianópolis. Jaques Suchodolski, 56 anos, é nascido em São Paulo, capital, mas optou por morar na Ilha de SC há cinco anos. Graduado em Arquitetura pela USP (FAU) e com mestrado em Desenho Urbano no PICCED – Pratt Institute de Nova York, Jaques participou de projetos como a reurbanização das marginais de rios da capital paulista e da revitalização urbana da região do Harlem, em Nova York. Também trabalhou com os renomados arquitetos Paulo Mendes da Rocha e Joaquim Guedes. É casado com a produtora de moda Flávia Suchodolski, com quem tem um casal de filhos. Tem mais dois filhos do primeiro casamento.

Por que o empreendimento Neo Nex Generation é especial?
Jaques Suchodo
lski – Fizemos prédios superavançados na área de sustentabilidade, com o que existe de tecnologia de ponta no momento. Instalamos duas turbinas eólicas da Urban Green Energy, dos EUA, no topo dos dois prédios, combinadas com painéis solares (não fotovoltaicos) que irão suprir 100% da água quente utilizada pelo condomínio a partir de energias limpas. Essas duas fontes vão permitir uma economia anual estimada em R$ 43 mil no consumo de energia elétrica do condomínio. A autossuficiência na geração de água quente do projeto oferece aos futuros moradores um importante atrativo econômico. Se levarmos em conta que o aquecimento de água representa cerca de 50% de uma conta de luz residencial, temos uma redução proporcional no consumo total de energia elétrica de cada apartamento.

Que outros itens ajudam a economizar energia?
Jaques
– Além dos detalhes estéticos, os prédios têm outros elementos, como a boa utilização da ventilação cruzada e da iluminação natural dos apartamentos, revestimento externo de tijoletas com estrutura e cor especificada por testes feitos em parceria com a Universidade Federal de Santa Cataina (UFSC), que garantem a melhor absorção térmica. Já a forma arredondada da cobertura é o elemento marcante da volumetria e fachada dos prédios, que faz composição integrada com a turbina eólica e os painéis solares, auxiliando no direcionamento do vento e do sol. Na área interna, os ambientes são amplos, esquadrias de PVC oferecem conforto térmico e acústico, há isolamento acústico entre os pavimentos e uso de metais sanitários economizadores de água. Cada apartamento tem medidor individual de água e energia e um sistema de tratamento de efluentes permitirá a reutilização de água para jargins e áreas comuns. Isso tudo permitirá aos moradores economizar cerca de R$ 500 mil em 10 anos.

Qual é a vantagem da nova lei de microgeração de energia da Aneel para o empreendimento?
Jaques
– O que a Aneel publicou é uma lei que permite ao micro- produtor ou miniprodutor colocar a sua energia na rede e o seu relógio vira o contrário, então ele se credita nisso. O grande lance econômico é ligar na rede. E tem um avanço na legislação brasileira. Dentro da mesma rede, pelo seu CPF ou CNPJ, se você é micro e produz aqui, que tem vento, o seu crédito daqui abate o seu débito realizado em outro endereço. Com a nova postura da Aneel, o grande lance econômico vai ser ter um equipamento que permite ligar a energia na rede. Estou recebendo centenas de ligações de empresas e pessoas solicitando explicações sobre isso. É que ninguém fez essa ligação ainda, na prática. Nós estamos instalando aqui no Neo. O nosso sistema está pronto para ser ligado à rede da Celesc. As distribuidoras, a partir da publicação da lei, terão 240 dias oito meses) para se preparar para cumprir a nova lei. Pode ser que a Celesc adote antes.

Que detalhe técnico está dificultando aos microgeradores fazer a conexão com a rede de distribuição da Celesc?
Jaqu
es – Para gerar energia e fazer ela entrar na rede são necessários equipamentos térmicos para fazer essa ligação, o que não existe no mercado no momento. Ninguém sabe fazer isso. Importamos equipamentos e desmontados, com engenheiros da Reivax, empresa de Florianópolis que faz startups de usinas. O ônus do pioneirismo não é fácil. Se a empresa faz essa primeira montagem, nos próximos meses poderá fazer mil. Tem gente, na Capital, desenvolvendo os primeiros aerogeradores. Nesse projeto pioneiro, encontramos diversos fornecedores em Florianópolis com os quais fizemos parcerias. O produtor dos painéis solares é da Ilha.

Que trabalhos desenvolveu em São Paulo e Nova York?
Jaques
– Morei três anos em Nova York. Quando fazia o mestrado, participei do plano de reurbanização do Harlem, que foi uma experiência importante para a minha carreira. E quando Franco Montoro decidiu se candidatar ao governo do Estado de São Paulo, sua equipe me convidou para participar de dois comitês da campanha, um de urbanismo e outro de meio ambiente. Eu e um colega, José Pedro, fomos fundadores da Secretaria do Meio Ambiente de São Paulo, que foi a primeira do Brasil.

Notas

Emissões

Os dois prédios do Neo, na construção, contam com o selo de certificação Carbono OK. Para compensar as emissões, foram plantadas centenas de árvores na Ilha. Segundo o empresário Jaques Suchodolski, o exemplo de sustentabilidade do Neo pode ser seguido por outros empreendimentos, inclusive os shopping centers. A obra já conta com um apartamento decorado, onde os visitantes podem constatar a qualidade dos acabamentos internos e o conforto proporcionado por todos os detalhes que fazem a diferença no empreendimento.

Parcerias

Uma das principais parceiras de Jaques Suchodolski no projeto Neo é a arquiteta Marcia Barbieri, uma das sócias do escritório Arte Arquitetura, localizado na Lagoa da Conceição, na Capital que atua há quase 20 anos na criação de projetos residenciais e comerciais de alto padrão na região de Florianópolis. Atuando no projeto de interiores do condomínio Neo ao lado da arquiteta Tatiana Voigdlener, a Arte Arquitetura buscou traduzir uma proposta de integração total com a natureza, nas linhas arquitetônicas e na decoração dos espaços do condomínio.

Dos EUA

A decisão de fazer um prédio sustentável ao máximo levou o arquiteto a pesquisar fornecedores pelo mundo. Escolheu os aerogeradores discretos e belos da Urban Green Energy, de Nova York. Como achou o negócio atrativo para o Brasil, decidiu se tornar representante da fabricante americana na Grande Florianópolis. Outro detalhe tecnológico é que os moradores vão poder controlar a geração e o consumo de energia do Neo pelo iPhone.

A foto

Na foto acima, o empresário Jaques Suchodolski na cobertura de um dos prédios. Apesar da neblina, dá para ver o aerogerador do outro prédio que integra o empreendimento no Novo Campeche, Sul de Florianópolis. A entrevista foi feita no apartamento decorado do condomínio que terá até local para lavar pranchas de surfe. Outras informações sobre o projeto podem ser obtidas no site www.conceitonext.com.br 

Foto de Edu Cavalcanti.

Felicidade e desenvolvimento

30 de abril de 2012 0

Além de indicadores como o IDH, que aponta o desenvolvimento humano, parlamentares e cientistas defenderam, semana passada, no Senado, que o país deve considerar índices de bem-estar porque felicidade também é desenvolvimento. A audiência, com foco na Rio+20, foi coordenada pelo senador Cristovam Buarque e apontou que felicidade deve ser um objetivo de política pública.

A propósito, o tema até pode ser importante, mas a melhoria do IDH (que considera PIB per capita, educação e longevidade) e a redução da corrupção já fariam muita diferença na qualidade de vida dos brasileiros e aumentariam a felicidade geral.

Lirio Parisotto, bilionário que ganha na Bolsa

28 de abril de 2012 1

O empresário gaúcho Lirio Parisotto, que se destaca em Santa Catarina por ser o maior acionista da Celesc e criticar sua gestão anterior, é um dos três investidores da BMF&Bovespa que aparecem na capa da revista Exame deste final de semana. Ele divide a página principal da publicação com mais dois milionários, o ex-engraxate Luiz Barsi e o ex-pequeno empresário, Guilherme Affonso Ferreira. Segundo a reportagem, Parisotto ganha mais de R$ 100 milhões por ano com dividendos. Quem investe desse jeito, em várias empresas, fica menos exposto a crises financeiras. Dono da Videolar, produtora de CDs e DVDs, o empresário tem, na Bolsa, R$ 2,4 bilhões. As principais ações da sua carteira são Banco do Brasil, CSN, Eletropaulo, Eternit, Tecnisa e Usiminas. Uma das suas estratégias é jamais comprar ações de empresas que dão prejuízo. A outra foi errar no início mas, depois, retomar os investimentos em bolsa gradualmente.

BRF lucra R$ 153 milhões e planeja investir até R$ 2,5 bilhões

27 de abril de 2012 0

Maior empresa catarinense, a BRF Brasil Foods registrou lucro líquido de R$ 153 milhões no primeiro trimestre do ano, queda de 60% frente aos R$ 383 milhões do mesmo período de 2011. A receita líquida cresceu 5%, para R$ 6,337 bilhões, ante R$ 6,020 bilhões de janeiro a março de 2011. Segundo a empresa, os números refletem o resultado conjuntural desafiador do mercado externo. A receita no mercado interno somou R$ 3,919 bilhões no primeiro trimestre, 9% acima dos R$ 3,592 bilhões do mesmo período de 2011. Já as exportações somaram R$ 2,418 bilhões, quase igual às do mesmo trimestre de 2011, que ficaram em R$ 2,428 bilhões.

Investimentos

O vice-presidente de Finanças, Administração e de Relações com Investidores da companhia, Leopoldo Saboya, reafirmou os planos de investimentos e captura de sinergias com a fusão com a Sadia. Disse que a BRF vai investir entre R$ 2 bilhões e R$ 2,5 bilhões nos próximos três anos. Somente no primeiro trimestre, os aportes somaram R$ 594 milhões, alta de 128% ante o mesmo período de 2011. Segundo ele, as cifras são elevadas, mas é que no ano passado a empresa estava com o ‘freio de mão puxado’ por causa da espera da posição do Cade sobre a fusão com a Sadia. Agora, retomou os níveis normais de investimentos.

Com relação às sinergias em função da fusão, Saboya reafirmou a captura de sinergias líquidas antes de impostos de R$ 1 bilhão por ano entre 2012 e 2013 e a estabilização nesse patamar desse período em diante. A BRF encerrou março com uma dívida líquida de R$ 5,9 bilhões, alta de 9,3% ante a cifra de R$ 5,4 bilhões do mesmo período de 2011. Do total do endividamento bruto, 45% estão no curto prazo e 55%, no longo prazo.

_ O caixa da companhia no período era de R$ 2,3 bilhões, mas temos uma liquidez de caixa de R$ 3,2 bilhões, incluindo os US$ 500 milhões do crédito rotativo fechado hoje _ explicou o executivo.

Segundo ele, com a conquista dos três graus de investimento atribuídos pelas agências de classificação de risco Standard & Poor’s, Fitch e Moody’s, a BRF tende a ser uma frequente emissora no mercado (frequent issuer), não descartando eventuais próximos acessos ao mercado no ano. Se feitas, os recursos serão para alongar dívidas de curto prazo. Sobre aquisições, o executivo não quis dar mais detalhes, mas afirmou que a companhia está sempre olhando oportunidades.


SC tem o maior nível de ocupação do país

27 de abril de 2012 0

Um dos destaques de Santa Catarina nos dados do Censo de 2010, divulgados hoje pelo IBGE, está no nível de ocupação da população. O Estado lidera esse quesito, com uma média de 63,1% de pessoas economicamente ativas. É seguido pelo Rio Grande do Sul, com 59,3%. No período de 2000 a 2010, o nível de ocupação no Brasil subiu de 47,9% para 53,3% e a Região Sul ficou na frente, com evolução de 53,5% em 2000 para 60,1% em 2010.

O IBGE divulgou hoje resultados gerais da Amostra do Censo de 2010, que confirma mudanças nas famílias, trabalho e consumo, entre outros. Segundo o levantamento, em 2010 a taxa de fecundação por mulher foi de 1,9 filho, a mortalidade infantil caiu 47,6%, e quatro seções de atividade econômica concentravam 50,3% da população ocupada no país (comércio de mercadorias, reparação de veículos e motocicletas (17%), agropecuária, pesca, ocupação florestal e aquicultura (14,2%); indústria de transformação (11,8%) e construção (7,3%).  

Oxford inaugura fábrica de cristais artesanais com um feirão

27 de abril de 2012 0

A Oxford Crystal, de Pomerode, controlada da Oxford Porcelanas, decidiu inaugurar a sua unidade de uma forma diferente. Vai abrir as portas para ferião de sábado até o dia 6 de maio, no qual mostrará o seu processo produtivo de peças exclusivas, feitas à mão, e venderá, a preço de fábrica, milhares de peças de diversos modelos, conjuntos de taças e adornos. O feirão será das 10 às 20h, no endereço da empresa, na rua 21 de Janeiro, Centro de Pomerode.

Há dinheiro para pesquisa e desenvolvimento

27 de abril de 2012 0

Federação das Indústrias (Fiesc), por meio do IEL, realizou, ontem, seminário com palestrantes da consultoria Ernest Young para mostrar alguns caminhos sobre como melhorar o uso de recursos para inovação, disse Sérgio Alves, presidente da Câmara de Assuntos Tributários e Legislativos da federação. Segundo ele, a Fiesc está enviando um ofício ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, para solicitar que empresas que também fazem declaração sobre o lucro presumido possam acessar certas linhas de recursos que estão disponíveis somente para quem declara por lucro real. O objetivo é melhorar o desempenho da indústria. Sérgio Alves observa que somente cerca de 14% das verbas destinadas, no país, pelo setor público, para pesquisa e desenvolvimento são utilizadas.

Branco da Sanjo é o melhor vinho nacional

27 de abril de 2012 2

O vinho Maestrale Integrus Cahrdonnay 2010 (foto), da vinícola Sanjo, de cooperativa de São Joaquim de mesmo nome, foi eleito ontem o Melhor Vinho Branco Nacional no concorrido concurso Top Ten do Prêmio Melhores do Vinho, na Expovinis, em São Paulo. A eleição foi feita por um seleto grupo de especialistas, que escolheram, também, outros vinhos nacionais e estrangeiros. A conquista da Sanjo projeta mais o terroir da Serra Catarinense na produção de vinhos finos de altitude. O enólogo da Sanjo, Marcos Vian, diz que um dos diferenciais é o uso da técnica de borras.

Para acelerar a inovação

27 de abril de 2012 1

Convencida de que as empresas brasileiras de todos os portes podem inovar mais para conquistar mais espaço nos mercados interno e externo, a Anpei, Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras acredita que este é o momento de um choque de criatividade no Brasil. A ênfase maior nesse foco será dada durante o maior evento do setor, a XII Conferência Anpei, que será realizada de 11 a 13 de junho, em Joinville, com cerca de 2 mil executivos e empresários. Segundo o vice-presidente da Anpei, Guilherme Marco de Lima, apenas 4% das empresas brasileiras inovam em nível nacional, enquanto falta pensar em termos globais. Atuamente, produtosde fora invadem o mercado brasileiro e as empresas daqui devem tentar ser mais competitivas no exterior. Muitas empresas não sabem como usar os recursos e linhas de crédito oferecidos pelo setor público para inovação. A programação da convenção de Joinville contará com apresentação de cases inovadores, dois dos quais de empresas de SC, a Embraco e a WEG.

Embraco abre 110 vagas para estágio

26 de abril de 2012 1

A multinacional Embraco, de Joinville, uma empresa global inovadora, abriu 110 vagas para o Programa de Estágio 2012, voltado a estudantes de ciências exatas e humanas de nível técnico e superior. O valor da bolsa-estágio pode chegar a R$ 1.500. Os candidatos aprovados deverão trabalhar nas unidades da empresa em Joinville ou Itaiópolis. Inscrições pelo site da empresa, o www.embraco.com.br

Benefícios:

Bolsa-estágio

-Ensino técnico – 30h semanais (R$ 769,79) / 40h semanais (R$ 1.026,39)

-Ensino superior – 30h semanais (R$ 1.147,04) / 40h semanais (R$ 1.539,00)

· Plano de Saúde e subsídio para medicamentos

· Auxílio moradia no valor de 1 salário mínimo para estudantes que vierem de outras cidades

· Alimentação

· Transporte

· Recesso remunerado

· Reembolso de passagem de ônibus no processo seletivo para candidatos de outras cidades

"Coisa mais querida" disse Paul, em show memorável em Florianópolis

26 de abril de 2012 1

Paul McCarteney mostrou ser um rei da música que mantém a majestade. Fez um show memorável em Florianópolis. Foi britânico no horário, começou às 21h30min, cantou um repertório amplo durante quase três horas e não mediu esforços para agradar ao público catarinense e se comunicar em português. Usou expressões como “manezinho”, “coisa mais querida”, “vocês são massa” e “you are hot”, entre outras. O espetáculo foi, realmente, a Copa do Mundo de Santa Catarina. O palco garantiu um show a parte, com muita tecnologia, luzes e fogos de artifício. Este foi o segundo show de Paul que assisti. O outro foi em Curitiba, na Pedreira Paulo Leminski, em 1993. Ambos foram espetaculares, mas este, além de mais longo, foi muito criativo.

Já imaginou uma cooperativa com 200 mil associados?

25 de abril de 2012 0

A Viacredi, cooperativa de crédito de Blumenau e região, acaba de atingir a expressiva marca de 200 mil cooperados, o que a consolida como a maior cooperativa de crédito do Brasil em número de associados. A marca foi alcançada dia 19, quando a organização reuniu cerca de 3 mil cooperados para aprovar o balanço do ano anterior, eleger dirigentes e definir o destino das sobras (lucros) de 2011 e as metas de 2012. Antes de fazer a assembleia geral ordinária, foram realizadas 179 pré-assembleias com a participação de 35,9 mil pessoas.

A cooperativa foi fundada pelos trabalhadoes da Cia Hering há 60 anos e, hoje, está presente em 19 municípios do Médio Vale, Alto Vale e Vale do Itapocu. Conta com 60 postos de atendimento e mais de 150 caixas eletrônicos. O balanço de 2011, aprovado pelos cooperados na Assembleia, registrou um crescimento de 38% no volume de ativos (alcançando R$ 1,1 bilhão) e de 24% no quadro social. Para a direção da Viacredi, o sucesso da organização se deve à sua credibilidade junto à sociedade, graças ao trabalho comprometido com os valores cooperativistas e focado no desenvolvimento das comunidades. A conquista coincide com outro fato importante no cooperativismo:  2012 está sendo lembrado como o Ano Internacional das Cooperativas, instituído pela ONU.

Por que esse elevado interesse?

É que o cooperativismo de crédito oferece serviços bancários aos associados com custos bem menores. Além disso, no final de cada ano, as sobras (lucros) são reinvestidas ou distribuídas entre os associados. Na prática, esses 200 mil sócios são donos de uma pequena parte da organização.

Microcrédito chega a R$ 100 milhões

25 de abril de 2012 1

Lançado em 1999 para impulsionar pequenos negócios formais e informais, o programa de microcrédito de Santa Catarina alcançou a marca de R$ 100 milhões em empréstimos, segunda-feira. As liberações dos recursos, incluindo consultoria aos empreendedores, são organizações do segmento, as Oscips. No ano passado, foram liberados R$ 17 milhões. Segundo Nelson Santiago, presidente do Badesc, a agência pública de fomento do Estado que financia o segmento, a carteira do programa de operações ativas é de R$ 37 milhões. A maioria dos empréstimos, 75%, é para negócios informais. O valor médio das operações é de R$ 3,5 mil e as taxas de juros mensais superam 3%. Conforme Santiago, essa é uma alternativa de o governo do Estado atender empreendedores desassistidos do sistema financeiro tradicional.

Poupadores lesados por planos econômicos podem assinar documento

25 de abril de 2012 1

Poupadores lesados ou não pelos planos econômicos Bresser e Collor têm até a próxima sexta-feira, dia 27,  para assinar documento a ser entregue aos presidentes do STF (Supremo Tribunal Federal), do Congresso Nacional e do Banco Central. O abaixo-assinado faz parte de campanha do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) e do Sindnapi (Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos da Força Sindical), que defendem o julgamento das ações para recuperação das perdas de correção das cadernetas de poupança na época dos planos citados. A assinatura do documento pode ser pela internet.

Incentivo a móveis e eletros é bom para SC

24 de abril de 2012 1

A decisão da Caixa Econômica Federal de oferecer linha de crédito acessível, de R$ 2 bilhões, para os beneficiados do programa Minha Casa Minha Vida mobiliarem suas novas residências com móveis e eletrodomésticos da linha branca será positiva para a economia catarinense. Os recursos começam a ser liberados sexta-feira, pela CEF. Santa Catarina levará vantagem porque é grande produtora de eletrodomésticos da linha branca em função das fábricas da Whirlpool, em Joinville; Mueller, em Timbó; e Wanke, de Gaspar; e Clarice, de Pinhalzinho. A medida também será positiva para o setor moveleiro porque o Estado abriga polos de móveis no Norte do Estado, Oeste e Sul, apesar de não todos atuarem, ainda, com produtos de preços mais acessíveis.

Polo do Norte do Estado também fará trator

24 de abril de 2012 1

A escolha da empresa coreana LS Mtron, do grupo LG Electronics, por Garuva, para sediar a sua unidade de tratores no Brasil, oficializada ontem, com protocolo assinado entre o governador Raimundo Colombo e o presidente da empresa no Brasil, J.S Ryu, confirma cenário promissor para a região. O Norte catarinense foi apontado recentemente pela consultoria internacional Accenture como uma das regiões que terão economia mais dinâmica, no Brasil, nas próximas décadas. A empresa coreana está investindo R$ 30 milhões, vai gerar 100 empregos diretos e projeta fabricar 5 mil tratores por ano. Além do tradicional polo industrial criado por pioneiros na região, investimentos de peso estão acontecendo como as duas unidades da GM (motores e peças de direção), projetos que somam R$ 1 bilhão; o plano da refinaria de biodiesel da chilena Mater LNG, de R$ 3,27 bilhões, em Araquari; mais a expectativa da montadora BMW, além da coreana Hyosung, produtora de elastano, e a Fortlev, do Brasil, que produz caixas d’água.

 Montadoras em SC

O governador Raimundo Colombo vê resultados do esforço que vem fazendo para atrair montadoras ao Estado. Primeiro, conseguiu confirmar um fabricante de caminhões para Lages, a chinesa Sinotruck, que assinou protocolo de intenções dia 10 deste mês, para investir cerca de R$ 300 milhões e gerar 1,1 mil empregos diretos. Agora, confirma a unidade de tratores. O esforço é grande para garantir a luxuosa BMW, que confirmará o local em junho.


WEG de olho no transporte da Copa

24 de abril de 2012 0

O sistema de tração WEG para ônibus elétricos, os trólebus, de São Paulo, será tema de palestra, hoje, no Seminário Energia + Limpa: Conhecimento, Sustentabilidade e Integração, que acontece até amanhã, no auditório da UFSC, em Florianópolis, numa iniciativa do Ideal, Instituto para o Desenvolvimento das Energias Alternativas na América Latina. O executivo da WEG, Rogério Ferraz, falará sobre o sistema de tração micro processado, especial para veículos pesados, fornecido às empresas Eletra-Caio, que fabricam trólebus de 12 metros, com chassis Mercedes-Benz, e de 15 metros, com chassis Scania. Os veículos não emitem poluentes e são silenciosos. O sistema WEG é referência para representantes das cidades-sedes da Copa do Mundo de 2014 porque, além de alta tecnologia, conta com financiamento pelo Finame.