Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Tarifa de energia deve cair para parte dos consumidores da Celesc

17 de maio de 2012 1

Os números prévios da revisão tarifária deste ano da Celesc indicam que a conta de luz dos catarinenses terá aumento médio de 0,32% a partir de 7 de agosto e parte dos consumidores contará com redução de tarifa. A aprovação dos valores vai depender da audiência pública virtual que será aberta hoje e vai até o dia 18 de junho, mas a expectativa é de que não ocorram alterações expressivas, diz o diretor de Relações com Investidores da estatal, André Rezende.

Pelos cálculos realizados, o efeito da revisão aos consumidores residenciais será uma redução de 1,99% na tarifa. O maior recuo será para grandes consumidores do subgrupo A1 (230 kV), que terão redução de 23,82%. Em SC, a única empresa nesse grupo é a ArcelorMittal, de São Francisco do Sul. Grandes consumidores do grupo A2 (138 kV), que inclui setores como o cerâmico, siderúrgico, metalúrgico, papel e celulose, terão redução de 9,94% e; os do grupo A3 (69 kV), que inclui empresas de cerâmica, carvão e têxtil, vão ter queda de 10,49%. Esses recuos serão em função da diminuição nos gastos com a conta consumo de combustíveis e dos custos operacionais da parcela B. No subgrupo A4 (13,8 kV e 23 kV), que inclui shoppings, comércio e edifícios de uso coletivo, haverá aumento de 2,83%.Os percentuais de reajuste definitivos serão divulgados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em julho e entrarão em vigor em agosto. A audiência virtual é no site da Aneel. 

Resultado da Celesc

A Celesc fechou o primeiro trimestre com receita líquida de vendas de R$ 1,145 bilhão, 8,5% superior a obtida nos mesmos meses do ano passado, quando alcançou R$ 1,057 bilhão. O lucro líquido chegou a R$ 84 milhões, 27,3% inferior aos R$ 116 milhões frente ao mesmo trimestre do ano passado. Os investimentos do período totalizaram R$ 87 milhões. Segundo o diretor de Relações com Investidores, André Rezende, o lucro foi menor em função de provisão de R$ 16,2 milhões para devedores duvidosos (têxteis em dificuldades) e R$ 13 milhões devido a resultado de auditoria sobre ativos.

Microgeração

Atenta a oportunidades em microgeraçãode energia por empresas e famílias, a Celesc projeta uma nova empresa para esse segmento. Pretende instalar placas solares, geradores eólicos e fornecer equipamentos, informa o diretor André Rezende. Segundo ele, a empresa vai se adequar para receber energia de microgerações e remunerar esse fornecimento dentro do prazo estipulado pela Aneel.

 

Comentários

comments

Comentários (1)

  • Sandro diz: 17 de maio de 2012

    Resumindo, os consumidores pessoa física vão pagar a redução para as empresas?

Envie seu Comentário