Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de junho 2012

Projeto de distrito de inovação avança em Itajaí

30 de junho de 2012 0

Itajaí está garantindo a instalação do seu distrito de inovação, uma das novas ações da Secretaria de Desenvolvimento Sustentável (SDS) do Estado para incentivar empresas de ponta e ecológicas. A câmara do município aprovou, por unanimidade, lei que autoriza a constituição da empresa Itajaí Participações que tem entre as suas atribuições a implantação do Distrito de Inovação de Itajaí. Segundo o secretário de Desenvolvimento, Paulo Bornhausen, a aprovação da lei é o lançamento da pedra fundamental do Inova@SC. A lei estipula que o DI será implantado por uma PPP a prefeitura vai transferir imóvel para a Itajaí Participações.

Novo modelo urbano

Situado a oito quilômetros do centro da cidade, o Distrito de Inovação de Itajaí será implantado seguindo um novo modelo de sustentabilidade, que oferece, no mesmo local, trabalho, moradia, estudo e lazer. Conforme o secretário Paulo Bornhausen, traz o conceito da tríplice hélice, que norteia os distritos de inovação no mundo: universidade, iniciativa privada e governo. Informa que foi incluída mais uma hélice, a sociedade. A área tem 2,2 milhões de metros quadrados.

Vitrina de queijos e vinhos no Beiramar

30 de junho de 2012 0

Imperatriz Gourmet, supermercado da rede voltado ao público A e B, realiza na praça de eventos do Beiramar Shopping a Estação de Vinhos e Sabores, com mostra de mais de 300 rótulos de vinhos nacionais e internacionais. O presidente do Imperatriz, Vital Lohn (foto), diz que a previsão é de aumento de 15% nas vendas. A estação vai até o dia 15 de julho.

Fiesc no Encontro Brasil-Alemanha

30 de junho de 2012 0

A Fiesc inicia segunda-feira missão à Alemanha e à Bélgica. O presidente da entidade, Glauco José Côrte, e o diretor Henry Quaresma, participarão do Encontro Econômico Brasil Alemanha, que debaterá temas como protecionismo, guerra cambial, cooperação para a inovação, logística, agricultura, mobilidade urbana, desafios do setor energético, agronegócio, inserção internacional de pequenas e médias empresas e cooperação na área de saúde. O evento será segunda e terça-feira, em Frankfurt. Na quinta-feira, a missão catarinense estará na Bélgica onde tem reuniões na Comissão Europeia e no Centro de Negócios da Apex Brasil. 

Indústria faz pressão para evitar novo aumento do gás natural

30 de junho de 2012 0

Industriais catarinenses estão assustados com o risco de um novo aumento médio do gás natural ao setor, de 20,38%, após os reajustes já aprovados de 5% nos meses de abril e julho. Em reunião ontem, na Federação das Indústrias, empresários decidiram fazer uma mobilização nacional, começando pelos estados da Região Sul, para cobrar de lideranças políticas federais e estaduais um maior equilíbrio nos reajustes ao insumo. A informação é do presidente da Câmara de Energia da Fiesc, Otmar Müller, e do diretor superintendente da Infragás, Luiz Fernando Francalacci.

Conforme Müller, a indústria não tem condições de suportar um reajuste acumulado de 43% este ano, quando muitos setores estão com vendas em queda e a inflação ficará inferior a 5%. Na avaliação dele, um aumento maior do gás vai anular a pequena vantagem que o setor poderá ter em função do aumento da cotação do dólar, que inibirá as importações chinesas.De acordo com Francalacci, um reajuste elevado poderá gerar desemprego e mais riscos de inadimplência. A indústria responde por 80% do consumo do gás no Estado. O pedido de reajuste pela SCGás é em função da alta do dólar e de cesta óleos internacional.


O futuro dos jornais em debate

29 de junho de 2012 0

Abriu nesta sexta-feira e segue até domingo, no Costão do Santinho Resort, em Florianópolis, o II Encontro Nacional de Jornais do Interior e o 40º Congresso Estadual da Adjori Santa Catarina. Particiam dos eventos cerca de 600 empresários e executivos do setor, especialmente da Região Sul, Sudeste e Centro-Oeste. O governador Raimundo Colombo fez a palestra de abertura,e a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti também esteve no evento. Entre os palestrantes deste sábado, a diretora de Redação do jornal Zero Hora, do Grupo RBS, Marta Gleich, e Álvaro Novaes, que falarão sobre as tendências da imprensa no Brasil.

O promissor negócio das microalgas

29 de junho de 2012 3

A Séston Biotecnologia, de Florianópolis, investe em microalgas para diferentes mercados porque podem ser usadas para produzir biodiesel de aviação, purificação do ar e em segmentos de indústrias químicas, nutracêuticas, alimentação humana e animal, fármacos e cosméticos. Fábio Neves, um dos empreendedores e diretor de tecnologia e inovação da empresa, diz que o foco atual é uma microalga nativa de Santa Catarina, que se profilera mais rápido e produz uma quantidade maior de óleo se comparada com outras. A microalga seca e triturada se transforma em biomassa que pode ser combustível. A produção é em tanque (foto) e, atualmente, a liderança nesse segmento de microalgas está com os EUA. Segundo Neves, a empresa conta com apoio da UFSC e já tem dois parceiros privados, a catarinense Phytomare e a Algae Tech International, da Malásia.

Lojas de SC mais procuradas para compras via internet

29 de junho de 2012 1

As vendas pela internet avançam de forma gradativa e se consolidam em alguns setores, especialmente os que vendem itens não perecíveis e de maior valor. A WBI Brasil, empresa de pesquisa de negócios virtuais, em parceria com a Serasa Experian, acaba de divulgar os dados da oitava edição do Raio-x do E-commerce. Entre as novas informações está o ranking no segmento de lojas de departamento em Santa Catarina. A Americanas aparece como líder em participação em visitas via web no Estado com 15,43%. Na sequência estão Magazine Luiza, com 11,71% de participação em visitas; Submarino, com 7,67%; Compra Fácil, 7,60%; Casas Bahia, 7,39%; Walmart, 6,81%; Ponto Frio, 6,35%; Havan, 5,90%; Shoptime, 4,42%; e Colombo, 4,05%.

Em relação ao número absoluto de visitas no país, por mês, a Americanas também é líder, com uma estimativa mensal de 21 milhões de acessos ao seu site. Os dados são relativos a fevereiro. Para o presidente da WBI Brasil, Paulo Kendzerski, apesar de muitas empresas locais apresentarem um bom posicionamento regional, em especial no meio físico, ainda é baixo o investimento em internet. Vale lembrar que mesmo as empresas que não vendem pela web devem ter site para informar os seus produtos.

Portobello lança novo layout para sua rede de franquias

29 de junho de 2012 0

A Portobello Shop, rede catarinense de franquias de revestimentos e outros acabamentos para construção civil, adotou novo modelo de showroom, assinado pelo arquiteto Giovani Bonetti, do escritório Marchetti +Bonetti. A primeira unidade nova é a franquia de Capinas, em São José, na Grande Florianópolis, da jovem empresária Gabriela Gomes. Segundo ela, o novo conceito está alinhado com a campanha da empresa, que trata sobre o Quotidiano – Habitat Natural. Conforme Bonetti, a ideia foi dar um clima mais intimista ao showroom. A inauguração da loja e do novo layout será terça-feira, às 20h, na Portobello Campinas.

Fundada em 1998, a rede Portobello Shope tem mais de cem lojas pelo Brasil e a meta é crescer. 

Para bancos, Brasil não corre risco de bolha imobiliária

28 de junho de 2012 0

Enquanto instituições financeiras do exterior e até alguns economistas veem riscos de bolha imobiliária no Brasil porque o valor dos imóveis mais do que dobrou, há pouca demanda para locação e a inadimplência subiu um pouco, bancos privados brasileiros não estão com essa mesma percepção de risco.

A coluna conversou ontem com profissionais dos dois maiores bancos privados do Brasil, o Itaú Unibanco e o Bradesco, na Expo Money de Florianópolis e eles mostraram tranquilidade sobre a situação brasileira. As informações dessas instituições são de que as operações de crédito imobiliário no Brasil são realizadas com muito critério com relação à capacidade do tomador do crédito e as pessoas ainda estão comprando o primeiro imóvel e, por isso, levam a sério o compromisso com o financiamento. Outro detalhe importante é que o volume de crédito para imóveis no total das carteiras desses bancos, ainda é muito baixo, por isso não teria força para causar uma crise imobiliária. Para um desses bancos, o crédito para imóveis representa apenas cerca de 4% do total. Essas instituições vislumbram um mercado crescente para o segmento, nos próximos anos. O que está alto é o crédito para automóveis.


Angeloni vai lançar shopping em Criciúma

28 de junho de 2012 1

O Grupo Angeloni, maior rede de supermercados do Estado, vai lançar, nos próximos dias, o Parque Criciúma Shopping, um grande centro comercial para atender o Sul catarinense. Segundo a empresa, empreendimento será em sociedade com dois grupos de São Paulo, o Portage e Paulo Carneiro Associados. O presidente do Angeloni, José Augusto Fretta, não revelou mais detalhes sobre o shopping. Com esse projeto, o varejo da maior cidade do Sul do Estado viverá uma efervescência porque já estão em andamento as obras do novo Shopping das Nações, do ex-presidente da Bunge Alimentos, o blumenauense Sérgio Waldrich.

Tecnologia da Certi e da Philips premite esculturas de luzes

28 de junho de 2012 0

O lançamento do Philips LivingSculpture 3D module system para 170 pessoas, incluindo projetistas de luz e arquitetos, no espaço One Mayfair, em Londres, surpreendeu o público. Resultado de um projeto de cooperação entre a Fundação Certi, de Florianópolis, e a Philips, o produto é um sistema de luminária modular que utiliza lâminas de OLED (Organic Light-Emitting Diode, na sigla em inglês), controladas por computador, que formam verdadeiras esculturas de luz. A Philips forneceu o know-how básico e a Fundação Certi foi responsável pelo desenvolvimento, componentes eletrônicos e hardware. O projeto recebeu financiamento de R$ 15 milhões do BNDES-Funtec, que considerou a tecnologia estratégica para o Brasil.

Google começa a vender óculos eletrônico

28 de junho de 2012 0

O óculos digital do Google, denominado Google Glass, está mais aprimorado, e uma versão para testes foi disponibilizada para venda por US$ 1,5 mil (R$ 3.115) aos participantes da conferência da companhia, ontem e hoje, na Califórnia, EUA. A oferta é da versão Glass Explorer Edition e as primeiras unidades serão entregues no início do ano que vem.

O óculos tecnológico permite ver uma realidade aumentada e comunicação, como se fosse um computador. O co-fundador do Google Sergey Brin, disse que uma mãe e um filho podem estabelecer contato visual com os óculos.

SCGás quer novo aumento de 22,38% do gás natural e Fiesc reage

26 de junho de 2012 0

A SCGás encaminhou novo pedido de aumento de 22,38% no preço da tarifa do gás natural e a Fiesc já avisou que a indústria não tem condições de suportar mais este reajuste. Em reunião hoje, a entidade defendeu que os reajustes das tarifas do gás natural para o setor industrial sejam mantidos nos patamares autorizados pela Agência Reguladora de Serviços Públicos de Santa Catarina (AGESC) para 2012, que são de 5% em abril, 5% em julho e 5% em outubro. Conforme a federação, se for aprovada nova solicitação, o reajuste ultrapassará 43% este ano.

_O impacto disso seria desastroso no ambiente econômico que vivemos, com sinalização de crescimento do PIB de 2% em 2012, e considerando que já há retração nas vendas _ afirmou Otmar Müller, presidente da Câmara de Energia da Fiesc. Segundo ele, que no setor de vidros o gás chega a 35% do custo de fabricação e na de revestimentos cerâmicos a 25%. A Fiesc entregou ofício ao presidente da SCGás, Cósme Polése, alertando que a indústria catarinense apresentou queda de produção de 5,1% no primeiro quadrimestre, estando impossibilitada de fazer repasses adicionais ao produto final, exigidos com o referido aumento.

Na reunião, a SCGás defendeu o reajuste considerando a alta do câmbio e a ocorrência de déficit no caixa da empresa. 

Para Müller, há a necessidade de atualização do contrato de concessão, que foi concebido nos anos 1990, dentro de um cenário econômico e de risco Brasil diverso do que é hoje. Na avaliação dele, o contrato foi muito benéfico, na época, para atrair investidores internacionais, mas em nada condiz com a realidade econômica atual. O setor industrial responde por 80% do consumo de gás natural em Santa Catarina.

Novo pacote vai beneficiar setores industriais de SC

26 de junho de 2012 0

A presidente Dilma Rousseff vai anunciar amanhã mais um pacote de estímulo ao crescimento econômico. O ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, antecipou hoje, em São Paulo, que as novas medidas visam a reforçar e acelerar compras governamentais, que podem ser adquiridas por valores até 25% superiores a produtos do exterior. A presidente também vai anunciar a prorrogação do Imposto sobre Produto Industrializado (IPI) para eletrodomésticos da linha branca, móveis, luminárias, lustres e papel de parede. Esse benefício seria encerrado sábado.

A prorrogação do IPI menor vai beneficiar setores da indústria catarinense, que tem um polo diversificado, com produção de fogões, refrigeradores, freezers, máquinas de lavar, móveis, confecções e têxteis. Com IPI menor, as pessoas vão gastar menos para comprar esses produtos, mas não dá para esperar um super salto na economia com essas medidas porque os consumidores brasileiros estão endividados e preferem quitar débitos do que contrair mais financiamentos. A atenção às compras do governo vem tarde porque o ritmo de investimentos do setor público federal é pífio. De janeiro a maio, apenas 7% do orçamento previsto para obras do PAC foi desembolsado, segundo fontes da área da construção civil.

Presidente da Celesc toca a campainha para negócios da Bovespa

26 de junho de 2012 0

O presidente da Celesc, Antonio Gavazzoni (foto), apertou a campainha que dá início aos negócios de ações na BM&FBovespa, na manhã de hoje, em dia de comemoração dos 10 anos da empresa no Nível 2 de governança corporativa no mercado. Ele esteve acompanhado de diretores e falou, durante café da manhã, com a imprensa e convidados. Destacou que as medidas adotadas, como mudanças no estatuto e elaboração do plano diretor, vão melhorar os resultados da companhia.


Confira, abaixo, o texto da assessoria da Celesc para este dia na Bolsa:

No dia 26 de junho de 2002 a Celesc entrou para a história do mercado de capitais como a primeira empresa a ingressar no Nível 2 de Governança Corporativa na Bolsa de Valores do Estado de São Paulo – Bovespa. E nessa próxima terça-feira, dia 26, durante evento de comemoração de dez anos da data, o presidente do Grupo Celesc, Antonio Gavazzoni, fará o toque simbólico da campainha que abre o pregão da BM&FBOVESPA, numa homenagem oferecida pela própria Bovespa.

A história da Celesc no mercado teve início em 1973, com abertura de capital na Bolsa de Valores. Em 1999, passou a fazer parte do Ibovespa como uma das empresas de maior liquidez no mercado. Em 2002, ingressou no Nível 2 de Governança Corporativa e assume o compromisso de mais transparência e mais poder aos detentores de ações preferenciais (sem direito a voto), tornando-se mais atrativa aos potenciais investidores, à época vantagens exclusivas para o setor elétrico e de telecomunicações. Em 2012, consolidando uma nova proposta administrativa, focada em eficácia de resultados, o Conselho de Administração aprova o novo Estatuto Social da Companhia, com criação do Conselho de Administração nas Subsidiárias Integrais, redução do número de diretorias e quorum qualificado para eleger e destituir diretores.

“Mais que os 10 anos no Nível 2, estamos comemorando novos tempos na companhia. A Celesc tem dado atenção especial às boas práticas de governança corporativa e, em 2011, diversas iniciativas, que incluíram o redesenho da estrutura administrativa, confirmaram esse compromisso. Em pouco mais de um ano da atual gestão já podemos ver os resultados do novo posicionamento junto ao mercado”, diz o presidente.

O diretor de Relações com Investidores, Controle de Participações e Novos Negócios, André Rezende, resume a Celesc de hoje como “uma novidade com seis décadas de história”. Ele relata que em 2011 foram criadas a Secretaria de Governança Corporativa, a Auditoria Interna e o Comitê de Sustentabilidade. “Em busca da melhoria contínua, a Diretoria Executiva manteve esforço no estreitamento de relações com os seus diversos stakeholders(empregados, clientes, fornecedores, acionistas, governo e sociedade), com foco na transparência e na prestação de contas, estimulando que essa premissa permeie toda a organização”, diz.

No ano foi retomada, de forma efetiva, a comunicação com o mercado financeiro, por meio de reuniões com bancos de investimentos, associações de analistas e investidores e teleconferências. Foram realizadas quatro apresentações públicas para divulgação dos resultados trimestrais (São Paulo, Fortaleza, Belo Horizonte e Rio de Janeiro) e uma no exterior (Buenos Aires). Os contatos com a mídia especializada foram reforçados e os empregados receberam as informações por meio de evento específico. Entre 153 empresas que apresentaram seus resultados em evento especial da Associação dos Profissionais do Mercado de Capitais – APIMEC, em São Paulo, a Celesc figurou entre as 10 melhores apresentações segundo pesquisa entre os participantes. O esforço em se aproximar do investidor individual, oferecendo informações sobre o mercado de capitais e orientações para ingresso na Bolsa de Valores, também rendeu à Empresa o prêmio Capital Aberto, concedido pela Expomoney em setembro.

Como resultado do conjunto de ações efetivadas, associadas aos impactos do ambiente econômico e do ambiente regulatório, o Grupo Celesc encerrou 2011 apresentando lucro líquido consolidado de R$323,89 milhões, valor 18,42% maior que o registrado em 2010. “Para os próximos anos, nossas boas perspectivas estão ampliadas pelo novo Plano Diretor para cinco anos, que servirá, sobretudo, para consolidar a cultura de planejamento na Companhia. Esse instrumento surge com o advento do novo estatuto, que reforça o compromisso da Celesc com as melhores práticas de governança corporativa”, completa o presidente.

Razão da demora da Coreia para comprar carne suína de SC

26 de junho de 2012 0

O embaixador da Coreia do Sul, Choi Kyon Lim, que esteve ontem na Fiesc e hoje visita o governo do Estado acompanhado de empresários, foi questionado tanto pelo vice-presidente da CNI, Alcantaro Corrêa, quanto pelo executivo da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Odacir Zonta, sobre a abertura do mercado coreano para a carne suína de SC. Segundo o diplomata, são necessárias oito etapas para as autoridades sanitárias do país aprovarem a compra do produto. Já foram vencidas quatro, as mais difíceis, e está sendo negociada a quinta. Segundo ele, a razão para a demora é que o Brasil está na área restritiva por não ser todo livre de aftosa sem vacinação.

Celesc Day é hoje Bovespa

26 de junho de 2012 0

Quem toca a campainha para o início do pregão da BM&FBovespa na manhã de hoje, em São Paulo, é o presidente da Celesc, Antonio Gavazzoni, com a sua equipe de diretores e alguns conselheiros. O momento, além de mostrar ao mercado que a Celesc está mais transparente e promissora aos seus acionistas, vai lembrar que a estatal de energia de Santa Catarina foi a primeira empresa brasileira a ingressar no Nível 2 de governança Corporativa, em 26 de junho de 2002, quando era presidida por José Fernando Xavier Faraco. Hoje, 10 anos depois, volta a ser homenageada na sede da Bolsa.

_ Mais do que os 10 anos do Nível 2, estamos comemorando novos tempos da companhia,com um novo estatuto e o início de um plano diretor para os próximos cinco anos _ afirma Gavazzoni.

Também tocarão a campainha com o presidente os diretores de Relações com Investidores, André Rezende; de Gestão Corporativa, André Bazzo; de Geração e Transmissão, Michel Becker; e de Distribuição, Cleverson Siewert. Investidores e acionistas também participarão das comemorações. A foto mostra o banner estampado pela Bovespa em 22 de junho de 2002, quando a Celesc oficializou o compromisso de ser Nível 2 de governança.


Top catarinense em campanha da Arezzo

26 de junho de 2012 0

Maior grife de calçados femininos do Brasil, a Arezzo escolheu a bela modelo catarinense Aline Weber (foto) para ser a estrela da sua campanha para o verão 2013, dando uma trégua às celebridades televisivas. Aline nasceu em Seara e, hoje, é uma das modelos mais disputadas do mundo. Virou garota do momento após abrir o desfile da grife Balenciaga na semana de moda de Paris e encarrar o da marca Yves Saint Laurent. Aos 23 anos, a top vive um bom momento no mundo da moda internacional. Em Milão, subiu na passarela da Moschito e Pucci, Em Nova York, para Marc Jacobs e Narciso Rodrigues e, em Londres, para Tom Ford. O ensaio foi clicado quinta-feira pelo poderoso fotógrafo Tom Munro, em Nova York. A Arezzo já fez campanhas com Juliana Paes, Mariana Ximenes e Maitê Proença.

Foto Arezzo, divulgação.

Marketing também pode ser musical

25 de junho de 2012 0

Associar a marca com música para reforçar a experiência sensorial vivida pelos clientes é um diferencial de marketing que ganha força em alguns segmentos. Atentos a esse mercado, os jovens empresários Lucas Moreira (E) e Carlos Costa (D), de Florianópolis, acabam de abrir a Audiolab, empresa que foi apresentada a potenciais clientes na ABF Franchising Expo 2012, em São Paulo, semana passada. Um dos segmentos que tem grande potencial é o de redes de beleza e SPAs. Conforme Lucas Moreira, esses prestadores de serviços precisam se diferenciar cada vez mais e percebem que a música é importante para criar ambientes únicos de conforto para os clientes.

Conselhos e alerta do Sr. Dinheiro

25 de junho de 2012 1

Quem quer enriquecer comprando ações ou pretende saber mais sobre os riscos de uma possível bolha imobiliária no Brasil pode assistir à palestra do economista Luis Carlos Ewald, o Sr. Dinheiro do programa Fantástico, da Rede Globo, na Expo Money Florianópolis. O evento será realizado quarta e quinta-feiras no CentroSul. Com o tema Sobrou dinheiro! E agora?, o especialista vai orientar sobre como diversificar os investimentos para ganhar mais. Luis Carlos Ewald alerta que entre os indícios de que o Brasil caminha para uma bolha imobiliária está o fato de o aluguel residencial estar muito aquém da renda de quem precisa alugar. Sobre gestão financeira familiar, ele diz que a organização das contas é fundamental para que as pessoas paguem as contas no prazo. Como já ensino as pessoas a sobrar dinheiro, vai mostrar, na palestra, como investir. A coluna antecipou um pouco do pensamento do economista, que você pode conferir na entrevista a seguir

Luis Carlos Ewald

Palestrante, professor de finanças e de mercado de capitais da Escola de Pós-Graduação em Economia da Fundação Getúlio Vargas (RJ) e apresentador do quadro Sr. Dinheiro, do Fantástico. As atividades de Luis Carlos Ewald não se resumem à universidade e à Expo Money. Faz palestras para trabalhadores sobre planejamento financeiro familiar e disse que gostaria de falar mais em empresas de SC. É engenheiro mecânico pela PUC-RJ, economista pela Faculdade de Economia e Finanças do RJ, pós-graduado em Mercado de Capitais pela FGV e autor dos livros Sobrou Dinheiro – Lições de Economia Doméstica e Economia Financeira. É viúvo e tem quatro filhos.

O que vai destacar na sua palestra na Expo Money?

Luis Carlos Ewald, o Sr. Dinheiro – A primeira palestra que fiz foi com dicas para sobrar dinheiro. Mostrei como administrar dívidas, economizar, organizar contas para não pagar multas. Como as pessoas organizaram suas finanças, a nova palestra é sobre investimentos. Vou mostrar como se comporta a economia mundial, implicações no Brasil e opções de investimentos. Na renda fixa ninguém fica rico. Dá para enriquecer comprando ações, mas é preciso comprar na baixa e vender na alta. Vou explicar o que é um CDB, o que é uma letra do Tesouro, como funciona o mercado de ações, até porque não dá para colocar todos os ovos na mesma cesta, porque se cai quebra tudo. É preciso colocar um pouco em CDB, em ações, comprar um pouco de dólares e, no futuro, comprar imóveis para alugar para terceiros.

Por que aconselha não investir em imóveis agora?

Sr. Dinheiro – No momento, eu não recomendo a compra de imóveis. Estamos à beira de uma bolha imobiliária, vai ter um reajuste grande, se não quebrar o setor todo. Há uma oferta grande demais, principalmente de imóveis comerciais. Quem comprar não vai ter demanda para alugar porque o país está em recessão. Apartamento pequeno sempre tem uma taxa de aluguel maior por metro quadrado. Hoje, muitos imóveis residenciais não alcançam nem taxa 0,5% no aluguel. Este é um indicativo de bolha imobiliária. Um livro vendido na Expo Money diz que as oito grandes crises mundiais começaram pelo setor imobiliário.

Como sobrar dinheiro?

Sr. Dinheiro – Em primeiro lugar, é preciso organização. Pagar todas as contas no vencimento, e é importante ter um orçamento doméstico. Isso vale para todas as famílias. Uma referência de planilha está no site do Fantástico, no link do meu programa. Basta entrar no site e clicar em 7 de agosto de 2011. Tem um programa meu editado e há opção de dois download, um é uma planilha digitalizada de orçamento.

Qual é a melhor aplicação financeira do momento?

Sr. Dinheiro – Uma opção são as letras do Tesouro, pelo Tesouro Direto. Acho que ninguém fica rico em renda fixa. Só se botar muito dinheiro, porque o rendimento tende a ficar menor. O Brasil tem a maior taxa de juros do mundo e está em queda. As taxas de juros mundiais são de 4% a 6% ao ano. Se tiver um prazo grande pela frente, o melhor negócio é investir no mercado de ações. Comprar dólar não é uma aplicação, mas uma garantia futura.

Por que os brasileiros, em média, economizam pouco, enquanto os chineses poupam quase 50% do que ganham?

Sr. Dinheiro – É um problema de educação financeira e de um DNA muito perigoso que o brasileiro tem que é a correção monetária. A gente teve hiperinflação, mas não quebrou porque tínhamos a indexação. As pessoas gastavam tudo o que podiam no supermercado porque os preços iam aumentar logo.

O confisco do governo Collor gerou muita insegurança. Que conselho dá para as pessoas que ainda temem medida assim?

Sr. Dinheiro – Não se preocupem. Aquilo foi uma loucura do então presidente Collor. Isso não vai acontecer mais. O Brasil está com o Plano Real consolidado, graças a Fernando Henrique, Pedro Malan, Armínio Fraga e depois, no governo Lula, ao Henrique Meirelles. Tem toda a garantia. O nosso país tem bastante credibilidade internacional.

O que priorizar em educação?

Sr. Dinheiro – Acho que tudo o que for possível, principalmente atendendo aos desejos dos filhos. Eu tenho um filho que quis ser músico, o Luis Carlinhos, autor da música Escapulário, considerado o hino de Garopaba, SC. Ele cursou Música e Sociologia.

Notas

Expo Money

A edição deste ano da Expo Money Florianópolis será quarta e quinta-feiras, das 13h às 21h30min, no Centrosul. Além de Luis Carlos Ewald, também farão palestra no evento os especialistas reconhecidos na área de finanças pessoais Gustavo Cerbasi e Augusto Saboia. Empresas participarão com palestras ou somente como expositoras. CVM, Itaú, Bradesco e Cemig estarão na mosta.

No CentroSul

Um dos palestrantes da Expo Money é o professor de finanças pessoais e comportamentais da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e consultor do Itaú Unibanco,Jurandir Macedo. Ele falará sobre Cérebro gastador: um manual de instrução, das 20h às 20h50min de quinta.

O tema está ligado à especialidade do professor, que fez pós-doutorado em psicologia comportamental na Bélgica.

Ações

Além de conhecimentos, os participantes poderão concorrer a cinco prêmios de R$ 1 mil cada em ações de companhias abertas. Para isso, será necessário responder a questionários com informações sobre empresas. Além dos bancos, empresas também vão promover palestras no evento. Uma delas será com a área de Relações com Investidores da Celesc, que falará sobre a empresa na Bolsa.

Em empresas

O economista conta que uma das atividades gratificantes da sua atuação na área de finanças familiares são as palestras que ministra para grupos de trabalhadores, em fábricas.

– Essas palestras são importantes porque reduzem o estresse, o número de acidentes, ajudam a organizar a vida financeira das pessoas e trazem grande motivação – conta Luis Carlos Ewald.