Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de julho 2012

Sinais positivos na economia

31 de julho de 2012 0

O brasileiro não gosta de ficar endividado. Prova disso é que, após avanços da inadimplência (falta de pagamento por 90 dias ou mais) em diversos setores, ela começou a recuar nos empréstimos bancários. A redução é tímida, mas mostra uma reversão da tendência, o que significa que a queda das taxas de juros está ajudando e que, nos próximos meses, os consumidores terão mais potencial de compra.

Segundo dados do Banco Central, a inadimplência geral foi reduzida em junho último, atingindo 5,8% do total de empréstimo frente a 5,9%, no mês anterior, maio. No ano, a elevação foi de 0,3 ponto percentual até junho. No caso das pessoas jurídicas, as dívidas atingiram 4% do total da carteira em junho, contra 4,1% em maio. O recuo ocorreu também nas operações com pessoas físicas, que atingiu 7,8% da carteira mês passado, frente a 7,9% no mês anterior. Outro bom sinal é o de que a confiança do consumidor brasileiro se manteve estável em julho frente a junho, conforme pesquisa Índice Nacional de Expectativa do Consumidor, divulgado ontem pela CNI. O indicador aumentou 0,4% e passou de 112,6 em junho para 113 este mês. Não vai ser possível à economia atingir índice de crescimento acima de 3%, como o previsto pelo BC no início do ano, mas, como era esperado, há sinais de que o segundo semestre será melhor.

As marcas fortes no mercado catarinense

31 de julho de 2012 0

As 43 marcas mais lembradas pelo consumidor catarinense serão premiadas amanhã à noite, no auditório da Fiesc, em Florianópolis, com o Top of Mind. A pesquisa é uma iniciativa do jornal A Notícia, do Grupo RBS, em parceria com o Instituto Mapa. O levantamento ouviu 1.004 pessoas das classes A, B, C e D nas 25 cidades catarinenses com maior potencial de consumo, localizadas em seis regiões, entre 1° e 9 de março.Os entrevistados apontaram a marca mais lembrada em 26 segmentos, além de indicarem quem é o político de destaque no Estado e o time de futebol de Santa Catarina. O consumidor foi questionado sobre qual é a marca que lhe vem à cabeça em diversas categorias, entre as quais supermercado, loja de termodomésticos, loja de material de construção, shopping center, farmácia, plano de saúde. A principal novidade da 18ª edição do Top é a criação do Top Executivo. 150 diretores de empresas com atuação destacaram a marca que lhe vem à cabeça em 20 categorias.

MCE divulga organizações premiadas este ano

30 de julho de 2012 0

O Prêmio Catarinense de Excelência (MCE) deste ano reconheceu a maturidade na gestão de quatro organizações do Estado. A Unimed de Brusque, a Portonave (Navegantes), o Sesi de Blumenau e o Serviço Intermunicipal de Água e Esgoto de Joaçaba receberão o prêmio do Movimento Catarinense para a Excelência (MCE) no próximo dia 15 de agosto, em solenidade na Fiesc, patrocinadora do evento junto com a Vivo, e com o apoio da Celesc. Com as premiadas em 2012, serão 40 organizações reconhecidas em oito anos pelo MCE, que está sob a condução do empresário Amandio João da Silva Júnior, de Rio do Sul.

As doze propostas para a ligação entre a Ilha de SC e o continente

30 de julho de 2012 34

O governo catarinense recebeu 12 propostas para nova ligação Ilha-Continente e a escolha do melhor projeto ou melhores projetos, até com a possível contemplação de mais de um modal, será feita em dois meses, até o final de setembro. Entre as empresas e pessoas que apresentaram propostas estão grandes grupos nacionais e estrangeiros, por meio de consórcio ou não, e até uma estudante da UFSC. As sugestões são Andrade Gutierrez, Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR) e ESSE Engenharia Consultiva, Conceb Projetos e Construções, Contern Construções e Comércio, Engevix e Paulitec, escritório Jaime Lerner Arquitetos Associados, Jaqueline Carvalho Ferreira (acadêmica da UFSC), LDJ Projetos e Execuções ME consorciada com a empresa PICID Ltda  e Comaipa SA (duas empresas espanholas), Odebrecht e OAS, Queiroz Galvão,  Sotepa e Iguatemi, e WD Engenharia e Construções.

Segundo o secretário e presidente da SCPar, Paulo Cesar da Costa, há propostas de pontes, túneis, teleféricos, barcaças, ferry boat, VLP (veículos leves sobre pneus). Alguns modais são complementares, isto significa que um não exclui o outro. Conforme o governador Raimundo Colombo, esse grande interesse mostrou que esta é uma das principais obras de infraestrutura do país, para os próximos anos. A maioria dos projetos de ponte tem custo estimado de R$ 1 bilhão. Segundo o governador, a escolha vai ser técnica, embora ele tem uma simpatia maior pela construção de um túnel.

Como será a primeira parcerica público-privada, a nova ligação poderá ter pedágio. Se esta for a escolha, as pessoas que preferirem não pagar poderão usar a ligação atual, pelas pontes Pedro Ivo Campos e Colombo Salles, e, também, a ponte Hercílio Luz, que está sendo recuperada e poderá receber carros, motocicletas e ônibus, explicou Colombo.

Síntese de cada projeto:

Andrade Gutierrez

 Implantação de nova ponte ou túnel imerso entre a Ilha e o Estreito, e aterro sobre o mar na margem continental da Baía Norte. 

Implantação de nova ponte rodoviária ou, alternativamente, túnel  imerso, incluindo ligação rodoviária com oito pistas e  possibilidade de incluir duas linhas para VLT, conectando a Avenida Beira Mar Norte ao Estreito. Construção de aterro sobre o mar na margem continental da Baía Norte, englobando o trecho entre a nova ponte e a BR-101, incluindo a infra-estrutura viária.

CCR – Companhia de Concessões Rodoviárias / ESSE Engenharia Consultiva

Transporte marítimo entre a ilha e o continente através de ferry boats e teleférico. Conexões entre o continente e a ilha através de barcas e ferry boats com quatro estações, duas no continente e duas na ilha. Conexão aérea a cabos do tipo teleférico, para passageiros, com oito estações, iniciando na BR-101 (Shopping Itaguaçú) até a Lagoa da Conceição.

Conceb Projetos e Construções

Conexão entre o centro da ilha e o continente através de pontes móveis. Conexão viária através de ponte móvel e flutuante, paralela à ponte Hercílio Luz, e integrada ao sistema viário existente.

Contern Construções e Comércio

Implantação de nova ponte entre ilha e o Estreito, e aterro sobre o mar na margem continental da  Baía Norte.

Implantação de nova ponte rodoviária conectando a Avenida Beira Mar Norte ao Estreito, com oito pistas e extensão de 1,6 km.  Construção de aterro sobre o mar na margem continental da Baía Norte, com área equivalente a 2,8 milhões de metros quadrados, englobando o trecho entre a nova ponte e a BR-101, incluindo a infra-estrutura viária, marinas e parque público.

Engevix/Paulitec

Ponte estaiada na ligação continente e Ilha de Santa Catarina. Implantação de via sobre aterro hidráulico, com quatro pistas em cada sentido, desde a BR-101 ao norte até o Bairro Estreito até a Beira Mar Continental. Com extensão de 7 000 m, travessia continente/ilha com ponte estaiada ao norte da Ponte Hercílio Luz, ligando a Beira Mar Continental a Beira Mar Norte no lado insular e linha expressa de ônibus (BRT) com faixas exclusivas e ininterruptas.

Jaime Lerner Arquitetos Associados

Transporte de massa composto por BRTs (ônibus expresso) e embarcações do tipo Vaporetto integrados através de terminais de transporte, englobando ilha e continente. Duas conexões marítimas de ferry para o transporte de veículos e passageiros, ligando o norte e sul da ilha ao continente, através das Baías Norte e Sul, respectivamente.

Jaqueline Carvalho Ferreira

 Conexão ligando a SC-401 à BR-101 através de duas pontes integradas com túnel imerso. Conectando a SC-401, na altura da localidade de Santo Antônio de Lisboa, à BR-101, na altura do Cemitério de São José, através de solução integrada composta por duas pontes, com 2,5 km de extensão cada, e duas ilhas artificiais conectadas por um túnel  imerso com 5,6 km de extensão.

LDJ Projetos, Execuções e Representações Ltda ME, PICID Ltda e Comaypa S.A.

A 4ª ponte e novo acesso à Ilha de Santa Catarina desde o norte da BR-101. Implantação de nova via em aterro, com 3 pistas em cada sentido e extensão de 8 950 m, para acesso desde a BR-101 (Barreiros / Bairro Estreito), até a nova ponte no lado continental ). A 4ª ponte em dois níveis, com quatro pistas, sendo o nível superior destinado ao tráfego em geral e o inferior destinado ao transporte público e serviços de emergência.

Odebrecht/OAS

Nova Ponte exclusiva para sistema rápido de transporte entre ilha/continente e reabertura da Ponte Hercílio Luz para veículos leves. Nova ponte exclusiva para E-VLP, veículo rápido sobre pneus com eixo e tração elétrica implantado entre São José e o centro de Florianópolis, na diretriz da BR-282, com extensão de 7 000 m e previsão inicial de 12 pontos de embarque e desembarque e pátio de manutenção.

Queiroz Galvão

Túnel sob o mar ao norte da Ponte Hercílio Luz, com aproximadamente 1 000 m e duas galerias, localizado entre a Beira Mar Continental e as proximidades do Forte Santana na ilha e alinhando-se à Diretriz da Av. Jornalista Rubens de Arruda Ramos. Obras de adequação no sistema viário continental e insular com alças de acesso, viadutos, trincheiras, aterro hidráulico, passagens inferiores, vias complementares com ligação até a BR-101 e túnel  continental com 2 700m e duas galerias.

Sotepa / Iguatemi

Construção de ponte no atual vão existente entre as pontes Pedro Ivo e Colombo Salles, com viaduto para conexão direta ao túnel Antonieta de Barros. Anel viário insular conectando a Avenida Beira Mar Norte/UFSC à  Via Expressa Sul, passando pelo Bairro Pantanal.

WD Engenharia e Construções

Nova Ponte entre a Ponte Colombo Machado Sales e a Ponte Pedro Ivo Campos.  Nova ponte localizada entre o vão das pontes Colombo Machado Sales e Pedro Ivo Campos, com extensão de 1 200 m podendo ser estaiada. Viaduto Continental, ligando a Via Expressa (BR-282) e a ponte, com 900m. Viaduto Insular, com 1 500 m, com integração ao túnel Dep. Antonieta de Barros.

Governo anuncia segunda como escolherá o projeto da quarta ligação à Ilha

27 de julho de 2012 14

O projeto de construção da quarta ligação Ilha-Continente, na Grande Florianópolis, entra em nova fase. Segunda-feira, às 10h, o governador Raimundo Colombo, o secretário de Infraestrura, Valdir Cobalchine, e o presidente da SCPar, Paulo Cesar da Costa, vão falar sobre as 12 propostas apresentadas e anuncial qual será a tramitação para escolher a mais viável.

Do jeito que estão os engarrafamentos para entrar na Ilha, o interior do Estado não ficaria frustado em pagar pedágio. Quem vem de Joinville, por exemplo, demora duas horas para chegar a Florianópolis e mais cerca de duas horas para entrar na cidade. O problema é o mesmo para quem vem do Sul e de Blumenau. Já as pessoas do Oeste ficam ainda mais frustradas porque a viagem de lá é bem mais longa.

Miss Plus Size em campanha de marca catarinense

27 de julho de 2012 0

Em 12 meses de atividades, a empresa Carmella.Cloo, de Sombrio, Sul de SC, cresceu 50% com foco na moda Plus Size. Jã oferece 50 empregos diretos e mais 50 indiretos. Segundo a empresa, a escolha do segmento para moda grande ocorreu por ser um nicho novo, com carência e sem grande reconhecimento do setor. A coleção verão 2013 da marca, denominada Deluxe, tem inspiração na praia mais charmosa do Brasil, Jurrerê Internacional. A estrela da campanha é a Miss Brasil Puls Size 2011, Babi Monteiro. Os lançamentos da coleçãos erão dia 5 de agosto, no Centor Atacadista Litoral Sul, no município de Sombrio, e de 6 a 9 de agosto, no All Shopping, em Brusque.

Pixeon exporta tecnologia para o Mercosul

27 de julho de 2012 0

A Pixeon, empresa de tecnologia de Florianópolis, conquistou três novos clientes na Argentina, as clínicas médicas UOM San Nicolas, Mediter e Diagnóstico Médico por Imágines Ledesma. Elas vão usar o PACS Aurora 3.0, um sistema de gestão de imagens médicas de quarta geração desenvolvido pela empresa catarinense. A Pixeon, que recebeu aporte da Intel Capital no ano passado,fechou o primeiro semestre de 2012 com um crescimento de 120% frente ao mesmo período do ano passado. Essa expansão também está resultando em mais empregos.

Multilog ensina valores com desafios práticos

27 de julho de 2012 0

A Multilog, empresa catarinense que é referência em logística no comércio exterior, envolveu seus 500 colaboradores em um curso diferente, o Desafio – Team Building, ministrado pelo Grupo Alexandre Jacques, especializado em desenvolvimento humano corporativo. O objetivo foi apresentar as diretrizes estratégicas missão, visão e valores, a cultura e a nova visão de futuro da empresa. O curso também buscou aproximação e motivação do grupo.


Aulas de gestão em São Paulo

27 de julho de 2012 0

Os governadores Raimundo Colombo, de SC,  e Confúcio Moura, de Rondônia, participaram terça, em São Paulo, de palestra sobre gestão pública ministrada por um colega, o governador de Minas, Antônio Anastasia, no curso do Centro de Liderança Pública (CLP). Segundo Anastasia, o choque de gestão de Minas, que já está na terceira fase (começou no primeiro mandato de Aécio Neves), melhorou o atendimento ao público e, também, a relação da população com o patrimônio do estado e dos municípios, com mais preservação. O curso estimula a responsabilidade pública de todos, observou o secretário de Desenvolvimento Sustentável de SC, Paulo Bornhausen, que é um dos alunos, ao lado da secretária adjunta da SDS, Lúcia Dellagnelo, do secretário Alexandre Fernandes, e do gestor do Pacto por SC, Murilo Flores. Na foto, Lúcia, Murilo, Colombo, Moura, Anastasia e Bornhausen.

Cooperativas catarinenses faturam R$ 14,8 bilhões

26 de julho de 2012 0

O setor cooperativo do Estado, integrado por 261 organizações de ramos como agronegócio, crédito, saúde e outros, registrou crescimento de 17% da receita operacional bruta no ano passado. Alcançou R$ 14,797 bilhões. O quadro social atingiu 1,267 milhão de pessoas, com crescimento de 12% frente ao ano anterior, informou o presidente da Ocesc, Marcos Zordan. O ramo agropecuário responde por 65% da receita do setor. O cooperativismo de crédito cresce com as instituições de livre admissão. Os atrativos são os menores custos de serviços financeiros.

Avanço menor
Para este ano, Marcos Zordan projeta crescimento da receita e das sobras, mas com menores margens em função dos maiores custos da pecuária. Os altos preços do milho e da soja, pressionados pela seca nos EUA, aumentam os custos de produção de carne e reduzem as margens de lucro. Há dois anos, uma saca de milho custava R$ 19, hoje sai R$ 33.

WEG cresce 44% no exterior

25 de julho de 2012 0

O grupo WEG, de Jaraguá do Sul, fechou o segundo trimestre do ano com lucro líquido de R$ 139,8 milhões, 10% menor do que o obtido no mesmo período do ano passado. A receita operacional líquida do período alcançou R$ 1,529 bilhão, 20% maior do que a alcançada em igual período de 2011. Uma das surpresas foi o avanço de 44% das vendas no mercado externo. Em seu balanço divulgado hoje, a empresa informou que investiu R$ 114,2 milhões no primeiro semestre deste ano. Em junho, anunciou a compra da Stardur, de São Paulo, no segmento de tintas e vernizes.

Sharon Stone com calçado brasileiro em evento de gala em Washington

25 de julho de 2012 0

A atriz de Hollyood Sharon Stone recebeu alguns mimos nas suas férias em SC. O empresário e estilista de calçados Jorge Bischof, que é do RS e tem rede de lojas com o seu nome, inclusive duas em Balneário Camboriú, aproveitou para presentear a bela com um sofisticado scarpin cor salmão. Na palmilha, escreveu “Jorge Bischoff para Sharon Stone”. Dias depois, viu a estrela (foto) usando o presente em evento beneficente de gala, em Washington, no qual discursou e sentou ao lado do bilionário Bill Gates. Os calçados brasileiros são famosos no mundo, mas todo produto usado por uma celebridade de Hollywood ampliam o potencial de vendas. Fotos de Tobi Jorrim, AFP.

Ponto da Virada aborda estratégias de empresas de sucesso

25 de julho de 2012 0

O Ponto da Virada, evento com palestras dos empresários Cesar Gomes Junior (Portobello), Sônia Hess (Dudalina) e Marco Aurélio Morongo (Mormaii), que acontece hoje, a partir das 19h, na Fiesc, foi baseado no conceito do Tipping Point, livro do escritor Malcolm Gladwell, que já vendeu 5 milhões de exemplares no mundo e está há mais de 200 semanas na lista de best-sellers do New York Times. A virada acontece quando o empresário adota uma ideia que muda a trajetória da empresa e, muitas vezes, do mercado no qual está inserida. Hoje, os três empresários vão contar quando ocorreu a virada nas companhias que presidem. O evento tem promoção da Itapema FM e apoio técnico do Sebrae-SC. Inscrições podem ser feitas no local ou pelo site www.pontodavirada.com.

Cesar Gomes, à frente da maior empresa do segmento de revestimentos cerâmicos da América do Sul, vai destacar a diferenciação da empresa no mercado e o inovador canal de distribuição, a rede de franquias Portobello Shop. Sônia Hess, presidente da maior indústria de camisas da América Latina, vai abordar a trajetória da empresa, com destaque para o lançamento das camisas femininas, que se tornaram “must have”  no mercado nacional e já ganham adeptas também no exterior. O médico Marco Aurélio fundou a Mormaii com itens na área de surfe e expandiu a empresa com uma série de produtos, desde pranchas, confecções, até óculos de sol e filtro solar entre outros.

O que os candidatos da Capital projetam para o turismo

24 de julho de 2012 0

Candidatos a prefeito de Florianópolis debatem suas propostas para o setor turístico em evento promovido pelo Convention Bureau da Capital, logo mais, às 18h30min, na Fiesc.

Hering lucra R$ 85,17 milhões, 10,1% mais

24 de julho de 2012 1

A Cia Hering fechou o segundo trimestre do ano com lucro líquido de R$ 85,17 milhões, 10,1% mais do que o do primeiro trimestre do ano, que alcançou R$ 71 milhões. A receita líquida de vendas avançou 10,3% no trimestre e alcançou R$ 388,82 milhões, dentro do que o mercado esperava. A empresa atribuiu o bom resultado ao maior nível de incentivos fiscais sobre vendas e maior rigidez no controle das despesas operacionais. As dificuldades enfrentadas no período foram o clima adverso para venda de confecções e a desaceleração do consumo no país.

Ciser lança prêmio de inovação para jovens universitários

24 de julho de 2012 0

A Ciser Parafusos e Porcas, de Joinville, maior empresa do seu setor das Américas, lança a quarta edição do Prêmio Ciser de Inovação Tecnológica, que visa a estreitar os laços entre os jovens talentos da academia e a dinâmica do mercado. Instituído em 2008, o prêmio recebe inscrições de todo o Brasil, contemplando as categorias ensino técnico e superior. No total, a única premiação do paísvoltada a processos de fixação metálica, distribui R$ 72,5 mil aos projetos de destaque, além de doar material didático às instituições vencedoras. A iniciativa é bienal e o período de inscrições segue de julho/2012 a maio/2013, com premiação prevista para o segundo semestre de 2013. No site do prêmio (www.premiociser.com.br) é possível conferir o regulamento completo.O Prêmio Ciser de Inovação Tecnológica tem a parceria das empresas HSBC, Gerdau e SAP, além de apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) e da Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento de Empresas Inovadoras (Anpei).

Setores que perdem força com a desindustrialização em SC

24 de julho de 2012 1

A desindustrialização é uma realidade em Santa Catarina. Estudo liderado pelo professor de Economia da UFSC, Silvio Cario, a pedido da Federação das Indústrias, apontou que alguns setores enfrentam desindustrialização absoluta, como o madeireiro e de móveis; e relativa, em setores como alimentos, têxteis, máquinas e equipamentos, calçados e cerâmicas. De acordo com o levantamento da UFSC, entre 1996 e 2009, a indústria de transformação passou de 26,1% para 22,3% de participação no Produto Interno Bruto (PIB) do Estado. No mesmo período, houve, também, uma redução de 33% para 29% no percentual de trabalhadores na indústria em relação ao total de pessoas empregadas no Estado. Há empresas, no entanto, que são líderes mundiais em tecnologia nos seus setores e seguem se destacando, como a Embraco, Tupy e WEG. A desindustrialização precisa de atenção porque o Brasil tem matérias primas e tecnologia para competir. O problema são os altos impostos.

Caem os juros da linha Construcard

24 de julho de 2012 0

A Caixa anunciou ontem a redução das taxas de juros e mais prazo para o Construcard – linha de financiamento para compra de materiais de construção. A taxa mínima do Construcard passa de 1,96% para 1,40% ao mês, e a máxima, de 2,35% para 1,85% ao mês, dependendo do prazo. Antes limitado a 60 meses, o prazo subiu para até 96 meses, com opção de seis meses de carência.

Martin Mica, namorado de Sharon Stone, em campanha da Beagle

23 de julho de 2012 0

A marca Beagle, do empresário Kiko Souza, de Blumenau, contratou o modelo Martin Mica (foto), namorado da atriz Sharon Stone, para a campanha da coleção verão 2013. Desta vez, o ambiente para mostrar o estilo de aventura da grife é Fernando de Noronha, onde Mica e outros modelos foram fotografados por Marcus Luconi, com produção de Rafael Patrício. A coleção inclui as linhas esportiva e casual, com um toque de alfaiataria. Com 32 lojas próprias na Região Sul, 10 lojas em São Paulo e presença em 400 multimarcas, a Beagle mantém ritmo de expansão, com investimento maior no Sudeste. Lançada em 2004, a Beagle, além de confecções, oferece uma linha completa de acessórios como bonés, óculos, cintos e carteiras.

Martin Mica é modelo internacional. Já residiu em Milão e desfilou para boa parte das principais grifes masculinas europeias. Entre os trabalhos recentes, estão campanhas da Iódice e da catarinense Damyller. Na foto acima, Mica diante de área rochosa de Noronha e, abaixo, com os modelos Leandro Breve, Leandro D’Lucca. Ambas integram a campanha da Beagle. 


Formaplas faz cozinhas para estrelas

23 de julho de 2012 2

O foco na qualidade, inovação, e atendimento aos clientes fazem da Formaplas, indústria de móveis planejados, de Palhoça, na Grande Florianópolis, a líder nacional em luxo no segmento de móveis para cozinhas. As novas demandas do mercado levaram a empresa a lançar a linha noite, somando um mix para todos os ambientes. Essa diferennciação faz com que alguns profissionais apontem a empresa como a Ferrari das cozinhas. O diretor de franquias da Formaplas, Fernando Demetri, um dos dois filhos do fundador, Amaury Demetri, diz preferir não falar em luxo porque parece algo inatingível. Afirma que os produtos têm valor agregado, mas são acessíveis. Entre os clientes da companhia estão celebridades como Xuxa, Sandy, Neymar, Ronaldinho Gaúcho e Faustão. Com 18 franquias no Brasil, a Formaplas oferece 127 empregos diretos na fábrica e mais 380 nas lojas, somando cerca de 500 pessoas. Seu faturamento tem crescido 15% ao ano, desde 2010 e, em 2012, chegará a R$ 70 milhões. No social, já investiu em cursos técnicos e, hoje, apoia uma aluna do Bolshoi.

Fernando Demetri

Diretor de Franquias da Formaplas, indústria de móveis modulados de alta qualidade, de Palhoça. Fernando Demetri, 61 anos, é filho do fundador da companhia, Amaury Demetri. É graduado em Administração de Empresas pela UFSC e fez diversos cursos de pós-graduação. Antes de assumir a área comercial, foi diretor financeiro. O seu irmão, Carlos Demetri, é o diretor industrial da companhia. Fernado é casado com Ana Lúcia, tem dois filhos – Gustavo e Fernanda – e três netos. Gustavo é dono da franquia de Porto Alegre e Fernanda atua com eventos da empresa.

Porque as cozinhas Formaplas são as mais luxuosas do Brasil?

Fernando Demetri – Somos uma empresa que produz cozinhas e linha noite para atender os anseios dos consumidores. O nosso luxo é possibilitar experiência para os clientes. Luxo parece produto inatingível, e nossos produtos não são inatingíveis. Eles têm valor agregado de atendimento, serviços, e qualidade. Achamos importante ter inovações, novos conceitos. Nós utilizamos matéria-prima de alta resistência e certificada, que vem de manejo de reflorestamento e não reage à umidade. Nossos puxadores vêm da Alemanha e Itália, que são o berço da qualidade e design, aplicamos cerâmica em armário, tecido sofisticado (o mesmo dos bancos da Masseratti). Cada projeto é diferente. Eu sempre digo que nós não vendemos cozinhas e dormitórios. Vendemos soluções para o cliente se sentir melhor. Há mais de 25 anos oferecemos garantia de 10 anos.

Como nasceu a Formaplas?

Demetri – Meu pai é brasileiro, descendente de sírio-libanês. Trabalhava na Argentina, eu nasci lá. Ele retornou ao Brasil em 1964 e fundou a empresa em abril daquele ano. Começou com uma marcenaria, com dois empregados, para fazer o que Florianópolis não tinha. A empresa foi aberta em galpão alugado, em área onde está, hoje, a Ponte Colombo Salles. Fabricava cristaleiras, que decoravam as salas, mesas e cadeiras. Os consumidores começaram a pedir coisas que nós não fazíamos e fomos evoluindo. Havia a necessidade de cozinhas. Constatamos, no exterior, que era possível criar ambientes agradáveis. Então, a partir de 1970, começamos a fabricar as cozinhas personalizadas, áreas de serviço e churrasqueiras. Em função da obra da ponte, em 1967, mudamos para a Rua Leoberto Leal, em São José . Nos anos 1980, fizemos a última transferência da fábrica, para Palhoça, onde temos área construída de 12,5 mil metros quadrados.

E a rede de franquias?

Demetri – Começamos, em 1975, a abrir lojas próprias no país. A primeira foi em Porto Alegre. Depois, em 1977, em Curitiba, Londrina, Maringá e São Paulo. Em 2000, formatamos o nosso negócio em franquias porque estávamos ficando muito distante do nosso público receptor. Temos 17, hoje, e vamos abrir mais uma em Alphaville, em São Paulo. Estamos nas principais cidades do Brasil, incluindo Brasília, Rio e no Nordeste. Nosso projeto macro é chegar a 30 franquias.

Quanto por cento são vendas para imóveis novos?

Demetri – Hoje, 90% são para imóveis novos e 10% para reformas. Há um estilo de vida no Brasil em que a pessoa muda de imóvel, em média, cinco vezes na vida, diferentemente da Europa, onde 80% ou 90% reformam porque é muito difícil ter um imóvel próprio.

A Formaplas tem clientes famosos. Pode citar alguns?

Demetri – Realmente já fizemos móveis para diversas celebridades. Entre esses famosos estão Xuxa, Neymar, Ronaldinho Gaúcho, Ana Hickmann, Chitãozinho e Xororó, Sandy, Faustão, Boris Casoy, Djavan, Roberto Talma e Felipe Massa. Aqui na região é difícil dizer. A metade de Florianópolis tem nossas cozinhas. Todos os ex-governadores vivos são nossos clientes. O Costão do Santinho foi um empreendimento corporativo que atendemos. Fizemos 400 cozinhas. Agora, produzimos as do Modevie Boutique Hotel, de Gramado, associado à rede de Relais Chateau e ao grupo LVMH (Louis Vuitton Moet Henessy), assessorado pela MCF, de Carlos Ferreirinha.

Como avalia o cenário econômico do Brasil?

Demetri – Estou confiante na economia brasileira, sinto firmeza nas posições da presidente. Vejo que o núcleo duro em torno da presidente tem sintonia com o que o Brasil precisa. Temos problemas com a carga tributária, que é muito alta. Temos que trabalhar para reduzir isto. O mercado consumidor, com maior renda aos menos favorecidos, têm ajudado a economia a crescer. Hoje, as pessoas estão vivendo e usufruindo melhor. Há moradores de favela com três televisores de tela plana. Isso mostra que o mercado brasileiro tem horizontes novos.

Frase

“Nós não vendemos cozinhas e dormitórios. Vendemos soluções para o cliente se sentir melhor.”

Fundador

Amaury Demetri, o fundador da Formaplas, trabalha diariamente na empresa e é o presidente.

– Ele é o nosso líder, tem uma excelente visão de mercado, ouve todo mundo. O empresário tem que ser político porque o mercado quer atenção – comenta Fernando Demetri.

Segundo ele, o pai segue extremamente exigente e competitivo. Ele foi o artífice do último lançamento da empresa, uma recriação de porta dos anos de 1960, chamada Legacy (legado), com significado especial.

25 mil

reais é o preço médio das cozinhas Formaplas. Mas o valor depende do projeto. Demetri preferiu não revelar o preço da cozinha mais cara feita pela empresa até hoje. Foi para cliente de SC. Há valor menor do que R$ 25 mil.

Garantia

A alta qualidade significa, também, durabilidade. A Formaplas doa aos clientes um kit com diversas peças para reposição, o Easy Fix. Isto porque algumas peças como batentes de armários e dobradiças podem ter problemas com o tempo e o proprietário pode repor facilmente. Há cozinhas com mais de 40 anos.

Do Bolshoi

A Formaplas dedica atenção a projetos sociais e ambientais. Para preservar a natureza e a saúde, só usa madeiras certificadas com tratamento atóxico. Na área social, hoje, apoia aluna do Bolshoi que é de Palhoça, a Anna Pozza. Já investiu no projeto educativo Arueira.

A foto

Na foto acima, do repórter de imagens Julio Cavalheiro, Fernando Demetri mostra os balcões com prateleiras arredondadas e giratórias, um dos detalhes da qualidade de acabamento das cozinhas Formaplas.