Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de dezembro 2012

SC cria 11 distritos regionais de inovação

30 de dezembro de 2012 0

Entre as ações do governo catarinense para impulsionar a competitividade está a implantação de 11 distritos de inovação. As regiões contempladas são as de Florianópolis, Blumenau, São Bento do Sul, Joinville, Chapecó, Criciúma, Itajaí, Jaragua do Sulo, Joaçaba, Tubarão e Lages. Segundo o secretário de Desenvolvimento Sustentável, Paulo Bornhausen, 10 já estão sendo instalados.

Como está a implantação dos distritos de inovação no Estado?

Paulo Bornhausen – A partir de um diagnóstico de 2007 e 2008, criamos um grupo técnico no governo em 2011, contratamos a Fundação Certi e definimos um rumo para impulsionar a tecnologia e inovação. Constituímos o Inova@SC vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Sustentável (SDS) e, a partir dele, estamos implantando 11 polos de inovação e 10 já estão alinhados. Preparamos 30 gestores com cursos aqui e em Barcelona, onde fizemos uma parceria na área e, pela primeira vez, temos um alinhamento catarinense. Este plano tem o respaldo das associações empresariais, universidades, prefeituras e lideranças regionais. Isso tem um grande valor intangível. Há uma unanimidade. É um novo conceito que muda a história de Santa Catarina. Saímos de um modelo disperso, para um alinhamento que já vem repercutindo nacionalmente.

O que está previsto para 2013?

Bornhausen – Um segundo ponto é que conseguimos, pela primeira vez, um alinhamento político das forças estaduais e federais para a alocação de recursos. No Estado, com a SDS e a Fapesc, e, em Brasília, da bancada catarinense junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Temos cerca de R$ 40 milhões para investir. O Inova fez os projetos executivos de nove centros de inovação, que terão a construção iniciada em 2013. O de Lages será feito pela prefeitura. Somente o de Tubarão está em estágio inicial. Em dois anos, devemos ter atividade plena desses empreendimentos.

Haverá um centro de referência?

Bornhausen – O Sapiens Parque, de Florianópolis, vai sediar centro de inovação que será um farol do sistema. O Sapiens vinha num ritmo lento e, por meio dessa nova ação do Inova e da SDS, houve uma aceleração. O Sapiens Parque virou um modelo imobiliário, por isso acelerou seu desenvolvimento. A Petrobras tem unidade de pesquisa lá e a empresa Softplan/Poligraf vai transferir sua sede para o parque.

Quando será inaugurado o laboratório pré-clínico para biofármacos?

Bornhausen – Vamos inaugurar o Centro de Referência em Farmacologia Pré-Clínica (CRF) do Sapiens em fevereiro. É um investimento polpudo do governo do Estado. Estão sendo destinados R$ 10 milhões para o centro e, além disso, teremos mais uma verba do governo federal. É uma nova visão. Será o único pré-clínico em funcionamento no Brasil, fundamental para produzir biofármacos. Por isso já vem despertando interesse do setor no país.

O que mais o Innova vem fazendo?

Bornhausen – O Inova, dirigido por Luiz Antonio Oliveira, não é apenas um programa focado em ciência, tecnologia e inovação.Temos sob seu guarda-chuva, também, o Jardim Botânico de Itacorubi, que está em construção, tem recurso alocado, iniciou obras e tem projetos executivos em fase de finalização. Outra função do Inova é a atração de empresas de setores estratégicos como defesa, tecnologia, saúde, educação e automobilismo. Todo o processo da BMW, incluindo os aspectos burocráticos e outros, está com ele.

O que falta para a BMW assinar o acordo com o governo catarinense?

Bornhausen – O Estado aguarda o enquadramento da montadora no Inovar-Auto, programa do governo federal. Como conhecemos a BMW, sabemos que ela é bem meticulosa na definição de acordos. Acredito que seja isso porque a cultura alemã (a montadora é da Alemanha) é de discutir ao extremo antes para não ter problema de execução. As empresas que já conseguiram o Inovar estão instaladas no Brasil. No caso da BMW é um processo novo.

E a indústria tradicional?

Bornhausen – Estamos trabalhando em parceria com o Sebrae e o Senai. A indústria tradicional está procurando se reinventar, há empresas avançando em nichos competitivos. Além disso, temos três setores competitivos em SC: tecnologia da informação, logística (cinco portos) e a indústria naval.

Notas

Trajetória

Secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável do Estado desde março do ano passado, quando atendeu a convite do governador Raimundo Colombo, Paulo Bornhausen, 48 anos, é deputado federal licenciado. Graduado em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), segue a carreira política. Foi eleito três vezes deputado federal (incluindo o mandato atual) e, uma vez para deputado estadual.

Com a família

Os momentos de lazer Bornhausen dedica à família. É casado com Ana Paula (D) e tem três filhos: Roberto, Bruno e Gabriel (C). Sua atuação no governo envolve também, eventualmente, o apoio a eventos que têm impacto positivo na economia catarinense. Um deles foi a regata Volvo Ocean Race, em 2011. Como deputado, ciente das dificuldades de entidades usuárias de trabalho voluntário, propôs a Lei do Serviço Voluntário.

Tecnologia

Atento a novidades digitais, Paulo Bornhausen aproveitou para testar, ano passado, a mesa interativa criada pela Sábia Experience, uma das empresas do Sapiens Parque. Entre as vantagens do equipamento está a possibilidade de estudar ou trabalhar em grupo, o que aumenta os resultados, tanto de aprendizado quanto de soluções conjuntas de equipes.

Arrecadação de impostos chegará a R$ 1,556 trilhão em 2012

29 de dezembro de 2012 0

O ano de 2012 vai se encerrar com a marca de R$ 1,556 trilhão em impostos arrecadados nas instâncias federal, estaduais e municipais. Segundo o Impostômetro, da Associação Comercial de São Paulo, os brasileiros pagarão 2,9% a mais em tributos frente ao ano anterior, de 2011. Até ontem à noite, o marcador apontou a arrecadação de R$ 1,5 trilhão. O objetivo é alertar sobre a alta arrecadação e a necessidade de investir bem esses recursos.

Como atender bem o turista

29 de dezembro de 2012 1

Nesta fase de disputa global por consumidores, lojas físicas e virtuais, a qualidade do atendimento pode garantir vendas no longo prazo. Por isso, a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL-SC) faz uma série de recomendações para empresários do Estado surpreenderem os clientes que vêm de outras regiões do Brasil e do exterior. O presidente da entidade, Sergio Medeiros, além do tradicional bom atendimento, recomenda a contratação de profissionais que falem mais de um idioma.

Outras providências consistem em oferecer cardápios e orientações sobre produtos em diferentes idiomas, facilitando o entendimento dos clientes sobre o que é oferecido. Para visitantes brasileiros, os lojistas podem disponibilizar, inclusive, crediário porque, hoje, o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) é totalmente conectado no país, o que facilita a liberação de crédito. Um conselho importante é que o restaurante e a loja não queiram ganhar uma margem muito maior do que trabalham normalmente só porque é um turista. Não devem explora o turista, mas, sim, o turismo. Aí, o visitante vai ficar satisfeito e voltará recomenda Medeiros.

Trocas evoluem

O varejo de SC está aprimorando as trocas de produtos. Segundo o presidente da FCDL, Sergio Medeiros, quando há defeito em um eletrônico ou numa confecção, por exemplo, muitos lojistas estão preferindo trocar por um produto novo. As redes sociais ajudaram nesse avanço, e, quem ganha é o mercado.

Zaroni, da Tractebel, entre os 100 melhores executivos do mundo

28 de dezembro de 2012 0

O presidente da Tractebel Energia, Manoel Zaroni Torres (foto), está no seleto grupo dos TOP 100 CEOs do mundo, em ranking da revista Harvard Business Review (HBR). Um dos nove brasileiros da lista, ele ocupa o 29º lugar. A revista define a lista com base na performance da empresa ao longo da gestão do executivo. O primeiro do país é Roger Agnelli, ex-Vale, em quarto lugar. À frente da Tractebel desde 1999, Zaroni foi eleito, no final do ano passado, o quarto melhor CEO da América Latina pela mesma revista.

- Estou muito contente e considero que só represento e conduzo um time vencedor, e o resultado pertence a todos os colaboradores da Tractebel - comentou.

Entre os dados considerados pela revista estão aumento do valor de mercado da empresa durante a gestão do executivo, retorno aos acionistas em comparação com outras companhias, desempenho de vendas, lucro e índice de inovação.  Esta é a segunda edição do estudo feito  por professores das escolas de negócio de Berkeley e do Insead e publicado pela Harvard Business Review.

"O pessoal está voando para a morte"

28 de dezembro de 2012 0

A série de acidentes de trânsito no Estado preocupa o presidente da Federação dos Transportes (Fetrancesc), Pedro Lopes. A entidade quer reduzir o envolvimento de caminhões.
– A imprudência é muito forte. Parece que o pessoal está voando para a morte. As pessoas querem mostrar a potência dos seus veículos se matando umas às outras – desabafou Lopes.

Hoje, a Fetrancesc faz uma reunião para avaliar a participação de caminhões nos últimos acidentes e reforçar as medidas preventivas junto à categoria. Com a nova Lei do Motorista, a expectativa é de uma queda grande do envolvimento de caminhões até porque, com os dados do tacógrafo, os policiais têm uma radiografia completa da movimentação dos veículos.

Lei sobre jornada de motoristas é fiscalizada nas estradas

28 de dezembro de 2012 1

As polícias rodoviárias federal e estadual já podem fiscalizar motoristas de caminhão sobre o cumprimento da Lei Nº 12.619, de 30 de abril de 2012, que regulamenta a jornada de trabalho da categoria. Ela determina, entre outras medidas, descanso de 30 minutos a cada quatro horas ao volante, uma hora para almoço e descanso diário de 11 horas. O presidente da Federação das Empresas de Transportes e Logística de Santa Catarina (Fetrancesc), Pedro Lopes, alerta que a lei está plenamente em vigor desde o dia 20 deste mês, quando o Tribunal Regional do Trabalho de Brasília revogou a Resolução 417/2012 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que adiou, por até seis meses, a fiscalização de trânsito sobre essa mudança. Com isso, agora as polícias podem multar motoristas e até reter caminhões de quem não cumprir a legislação. Conforme Pedro Lopes, a maioria dos aumentos de custos em função da lei já foi incorporada aos preços. As altas variaram de 18% a 30%. O empresário avalia como positiva essa decisão do TRT porque vai melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores e a segurança nas estradas. Os direitos trabalhistas estavam em vigor, mas havia a postergação das punições nas rodovias.

Rede Salfer faz liquidação de eletrodomésticos e móveis

28 de dezembro de 2012 0

Esta sexta-feira é o último dia da liquidação da rede de 178 lojas Salfer, em Santa Catarina e Paraná. Todos os produtos, embalados e do mostruário, podem ser comprados  por preços promocionais. Nesta sexta-feira, as lojas abrem no horário normal, conforme definição da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de cada cidade. Entre os itens com preços atrativos estão refrigeradores, celulares, tablets e prancha alisadora de cabelo. Os clientes têm, ainda, entrega gratuita e a montagem dos produtos em casa.

Indústrias de SC cobram e governo investiga dumping na porcelana

27 de dezembro de 2012 1

A Secretaria de Comércio Exterior (Secex) vai investigar a suspeita de dumping contra a China na venda de louça de mesa para o Brasil. A Secex atende pleito da Oxford Porcelanas, de São Bento do Sul, SC, e da Tirolesa, de Campo Largo, PR. O trabalho será feito porque existem indícios de dano à indústria nacional. A Porcelana Schmidt, de Pormerode e Porcelanas Germer, de Timbó, apoiaram.

SCGás e Brasil Foods fazem parceria para biogás

27 de dezembro de 2012 0

A SCGás, em parceria com agroindústrias do Oeste, pretende gerar e explorar o biogás produzido a partir de dejetos de suínos. O protocolo de intenções já foi assinado pela SCGás e a BRF Brasil Foods, que fez uma parceria com empresa alemã fornecedora da tecnologia. Será a primeira usina nacional a produzir o insumo a partir do dejeto de suínos. Outras empresas seguirão o exemplo.

Agroindústria cobra apoio federal

27 de dezembro de 2012 0

Com o anúncio do arrendamento do frigorífico de Xaxim pela Aurora Alimentos, ontem, pode-se dizer que o mercado encontrou solução para as médias agroindústrias de carnes de Santa Catarina que estavam em dificuldades em função do milho caro. Mas o setor está magoado com o governo federal, segundo o vice-presidente da Fiesc e presidente da Aurora, Mário Lanznaster. É que o governo não aceitou o pleito do setor, de subsídio da saca de milho em R$ 5 no caso do produto comprado no Centro-Oeste. O que as empresas do setor lamentam é que para incentivar o consumo, especialmente de automóveis, eletrodomésticos e outros, o governo abre mão de receita, mas para apoiar a produção de alimentos, não. Agora, falta o anúncio do futuro da Tramonto, empresa do Sul do Estado que, segundo fontes ligadas ao setor, já teria fechado acordo com a JBS Friboi. Como o milho continuará caro até meados do ano que vem, os custos das carnes de frango e suíno seguirão altos. Eles pesaram na inflação de 2012, que ficará em 5,7%.

Aurora anuncia arrendamento da unidade da Chapecó em Xaxim

26 de dezembro de 2012 0

A Aurora Alimentos, central de cooperativas do Oeste catarinense que é uma das cinco maiores agroindústrias do país, anunciou hoje que vai arrendar a unidade da Chapecó Alimentos, de Xaxim, que estava alugada pela paranaense Diplomata. O anúncio foi feito pelo presidente da Aurora, Mário Lanznaster; o vice-presidente, Neivor Canton e o diretor Marcos Zordan. Segundo a empresa, seus técnicos já assumiram o controle da unidade e estão revisando os equipamentos para que a produção seja iniciada assim que for possível. Com a retomada das atividades, será priorizada a contratação dos 2,2 mil trabalhadores que atuavam na unidade para a Diplomata. A Aurora também habilitará a base produtiva de 600 agricultores que mantinham 800 aviários. A meta é retomar a produção em dois turnos, com a volta dos abates a partir de março. A Aurora quer ocupar toda a capacidade instalada, com abate de 238 mil aves por dia.  

Zuckerberg e Guga são exemplos de jovens na filantropia

25 de dezembro de 2012 0

Seu legado pode ser maior

Este período natalino, que motiva sentimentos de solidariedade, leva as pessoas a meditarem sobre como podem colaborar para um mundo melhor. Isto significa ir além das atividades profissionais de cada um para construir um legado maior. Apesar de o Brasil estar avançando na distribuição de renda, há muito por fazer na área de investimento social. E como o país produz cada vez mais milionários e bilionários, há público com potencial para doar mais. Este alerta foi feito pela americana Jane Wales, que aconselha os muito ricos dos EUA e de outros países na hora em que decidem doar parte das suas fortunas. Ela fundou o Fórum Global de Filantropia, que agrega mais de 1,8 mil filantropos do mundo todo. Entre os doadores estão os bilionários Bill Gates (Microsoft), os megainvestidores Warren Buffet e George Soros e Mark Zuckerberg (Facebook). Há duas formas de investir no social: doar recursos ou trabalho. Quanto mais pessoas se engajarem, menores serão as diferenças entre ricos e pobres.

Jovens filantropos

Não há limite de idade. Enquanto Bill Gates começou a investir no social com 40 anos, Mark Zuckerberg estreou com 26 anos. Quarta passada, o criador do Facebook doou US$ 500 milhões para saúde e educação.

Guga e o IGK

No Brasil, um dos exemplos é o do maior tenista do país, o manezinho Guga Kuerten. Com a colaboração da sua mãe, Alice Kuerten, e do irmão, Rafael, fundou o Instituto Guga Kuerten (IGK) com apenas 23 anos, em agosto de 2000.O foco do IGK, presidido por Alice Kuerten, é promover ações filantrópicas educacionais, sociais e esportivas.

Em eventos climáticos

Bombeiro voluntário em Joinville, o jovem Adriano Bornschein Silva, 34 anos, do Laboratório Catarinense, criou uma ONG para prestação de socorro a comunidades em casos de emergências climáticas. Liderou trabalhos em enchentes em Joinville, Blumenau e no Rio de Janeiro.

Inspirações natalinas

As mobilizações para presentear no Natal, inclusive em ações para contemplar os mais pobres, têm duas origens. Uma é a lenda do Papai Noel do Polo Norte, que presenteia crianças. A outra é a do São Nicolau, que ajudava pobres colocando moedas de ouro nas chaminés das suas casas. Domingo, na Finlândia (foto), perto do Polo Norte, uma tradição natalina. O Pai Frost e a moça da neve encontram o Papai Noel (D).

 Transparência

Uma grande preocupação dos investidores sociais é ter segurança de que os recursos realmente sejam aplicados nos projetos definidos. Para auxiliar nisso, há instituições que indicam organizações sociais que atuam com transparência. Entre essas instituições em Santa Catarina estão o Instituto Padre Vilson Groh, IGK, Instituto Comunitário Grande Florianópolis (ICom), o Portal Social da Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho e a Associação Joinvilense de Obras Sociais (Ajos).

Mapeamento

Instituto que atua nos moldes das fundações comunitárias dos EUA, o ICom, de Florianópolis, fundado por Lucia Dellagnelo, criou um banco de dados sobre ONGs da região da Capital. O banco dá visibilidade aos trabalhos das organizações e facilita a captação de recursos para o desensnvolvimento de projetos sociais.

De muitos

Com as tecnologias sociais está mais fácil colaborar. Qualquer pessoa pode doar pequenos valores para grandes projetos via internet. Uma ação assim foi realizada durante o evento Social Good Brasil, na Capital, promovido pelo ICom. O auxílio foi para creche de Palhoça.

Projetos sociais no Oeste

Entre as organizações que desenvolvem projetos sociais no Oeste catarinense está a Fundação Aury Luiz Bodanese, comandada pela Coopercentral Aurora. Este ano, a entidade apoiou e promoveu cerca de 900 ações ambientais, educativas, culturais e sociais.

Natal solidário

Ponto alto do ano em Araranguá, no Sul do Estado, é o Natal Solidário, realizado ontem. O evento, que beneficiou mais de 5 mil pessoas, é liderado pela cantora Rosinha Valim (D) e tem promoção da CDL e da prefeitura. Além de música, foram distribuídos 4 mil brinquedos, 500 cestas básicas, 1,3 mil peças de roupas, 400 sapatos e 4 mil pães.

Vendas a prazo para no Natal crescem 1,7% em SC

25 de dezembro de 2012 0

 

O varejo catarinense registrou expansão de 1,7% nas vendas nas duas semanas que antecederam o Natal, segundo levantamento baseado nas pesquisas do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), divulgado pela Federação das CDLs do Estado. Segundo o presidente da entidade, Sergio Medeiros, o movimento ficou abaixo do previsto pela entidade para o período, mas o tíquete médio das compras a prazo ficou dentro da projeção, R$ 123. Após registrar alta de 4,7% nas vendas em outubro, em função do Dia da Criança, a FCDL de SC estimava crescimento de 5% para dezembro frente ao mesmo período do ano passado.

Medeiros atribui as vendas aquém do esperado por fatores como baixo desempenho da indústria no Estado, queda do nível de emprego, maior controle dos gastos pelas famílias e baixa confiança do consumidor. Outra razão do consumo menor é o direcionamento dos gastos para as férias.

O vice-presidente de Serviços da federação, Ivan Tauffer, aconselha aos lojistas usarem a criatividade para ampliar as vendas até a virada do ano. Nesta semana, em que as pessoas comparecem nas lojas para a troca de presentes é uma oportunidade de oferecer mais produtos.


Salário mínimo sobe para R$ 678 e participação nos lucros até R$ 6 mil ganha isenção de IR

24 de dezembro de 2012 0

A presidente Dilma Rousseff decidiu informar hoje, véspera de Natal, duas medidas populares: o aumento do salário mínimo para R$ 678 em 2013 e isenção do Imposto de Renda na participação dos lucros e resultados a trabalhadores que recebem até R$ 6 mil nesse benefício. Quem recebe acima disso, a alíquota do IR será escalonada. As novidades foram anunciadas pela ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann. As medidas serão publicadas quarta-feira e passam a vigorar em 1 de janeiro de 2013. O reajuste do salário mínimo será de 9%, incluindo o crescimento de 2,73% do PIB em 2011, mais o INPC de 6,1% do ano passado.

Consumo cresce acima do projetado por lojistas

23 de dezembro de 2012 1

O comércio brasileiro vai fechar o ano com crescimento acima de 9%, apesar do pibinho de 1% e da inflação de 6%. O setor registrou crescimento de vendas acima do esperado nos últimos três meses e o mesmo ocorre para o Natal. O presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) Roque Pellizzaro Junior, diz que as estimativas para a data eram de alta de 4% nas vendas, mas chegará a 5% ou mais.

As vendas para o Natal estão surpreendendo o varejo?

Roque Pellizzaro Junior – Nós tínhamos previsto aumento de vendas de 4% para o Brasil no final do ano. Esse número vai ultrapassar e vamos conseguir crescimento de 5% a 5,5% em relação ao mesmo período de 2012. O país registrou, nos últimos meses, uma melhora significativa nas vendas, e isso está se refletindo no Natal. A partir de ontem (quinta) e hoje (sexta), com o pagamento da segunda parcela do 13o salário, a maioria acredita que vai superar as expectativas. Em Santa Catarina, as vendas também devem ultrapassar o projetado.

Os presentes serão mais baratos?

 Pellizzaro – O tíquete médio deve ter uma queda em relação ao ano anterior porque as pessoas estão preferindo comprar menos a prazo e mais à vista. Mas o número de presentes será maior, mais pessoas serão contempladas.

Como vai a oferta de emprego no setor?

Pellizzaro – Estamos empregando um pouco menos trabalhadores temporários do que no final do ano passado, não porque não tem postos de trabalho, mas porque a gente não conseguiu pessoas para ocupar essas vagas. O mercado está muito aquecido. A taxa de desemprego de novembro ficou em 4,9%, a menor para o mês dos últimos 10 anos. Isto é, praticamente, pleno emprego. Mas, em função da desoneração do INSS da folha, devemos ter o maior índice de retenção de temporários da história. O normal é reter cerca de 10%, mas vamos fechar em 20% ou 25% desta vez.

A CNDL vai fazer pedido específico para a desoneração da folha?

Pellizzaro – Da forma como o ministro Guido Mantega falou não ficou claro se será possível optar ou não pela desoneração. As empresas, hoje, pagam 20% sobre a folha ao INSS. Com a mudança, pagarão 1% sobre o total do faturamento. Nossa reivindicação é que isto seja opcional. O empresário decide em qual cadeira quer sentar, no modelo novo ou no antigo. A desoneração é boa para as empresas que vendem produtos de valor agregado mais baixo, especialmente roupas e calçados, porque comercializam muitos itens. Como elas têm bastante mão de obra, é bom. Agora, para empresas que vendem itens de alto valor agregado, como eletrodomésticos, eletroeletrônico e móveis, 1% sobre o valor total do faturamento pode gerar uma despesa maior para o empresário do que ele tem hoje.

A prorrogação do IPI menor ajuda?

Pellizzaro – Ajuda. O governo tomou essa iniciativa porque precisa segurar, nos primeiros três meses do ano, as pressões inflacionárias, mas vai acabar auxiliando bastante o varejo porque manterá os níveis de vendas em janeiro e fevereiro.

Quanto o comércio vai crescer este ano?

Pellizzaro – O crescimento do setor, este ano, vai ultrapassar 9% no país. Devemos fechar o ano com números melhores do que a expectativa. O comércio é a atividade que está sustentando toda a estrutura socioeconômica brasileira. A participação do comércio no PIB aumentou nos últimos cinco anos. Isto é natural porque o país fez uma opção de crescimento baseada no consumo. Mas para isso ser sustentável, a indústria e a agricultura precisam crescer em proporção parecida. O juro básico caiu para 7,25%, mas não é suficiente. É preciso reduzir a carga tributária e investir bem mais em infraestrutura.

Qual é a projeção para 2013?

Pellizzaro – A oferta de crédito será menor e boa parte dos brasileiros está com a renda comprometida. Numa expectativa bem pé no chão, esperamos, para 2013, um crescimento real do comércio de 6%.

E o cadastro positivo começa quando?

Pellizzaro – O consumidor terá que autorizar a inclusão do seu nome no cadastro, que deverá entrar em vigor mesmo no segundo semestre de 2013. Será um divisor de águas porque cada pessoa terá taxa de juros com base no seu histórico.

Lazer em viagens

Viagens a trabalho são constantes na agenda de Pellizzaro. Eventualmente, também viaja a lazer, com a família, a mulher Dhébora Costa Pellizzaro (acima, à D) e os filhos Luiz Guilherme, estudante de Direito, e Maria Eduarda, que cursa Arquitetura. O principal hobby do casal é viajar de motocicleta, em longas distâncias. A próxima aventura será com mais três casais de moto. O grupo vai para a Argentina e o Uruguai, com planos para percorrer 5 mil quilômetros pelos pampas.

Grupo familiar

O empresário Roque Pellizzaro Junior, 47 anos, está à frente da CNDL desde o final de 2007. Antes, foi presidente da CDL de Curitibanos, no Meio-Oeste Catarinense, e da Federação das CDLs do Estado. É graduado em Direito pela PUC do PR e em Economia pela UFP. Atua no Grupo Lux, de Curitibanos, fundado por seu pai há 56 anos, que tem lojas de informática, telefonia, móveis e decoração, brinquedos, agropecuária e reflorestamento. Todos os fins de semana, ele vem de Brasília para acompanhar de perto os negócios.

Adepto do tablet

Pellizzaro é um dos empresários que adotaram as últimas tecnologias em tempo integral. O iPad o acompanha até durante palestras (foto). Ele revela que lê pelo menos quatro jornais por dia – Diário Catarinense, Folha de S. Paulo, Valor Econômico e Brasil Econômico – e mais quatro revistas: Exame, Isto É Dinheiro, Veja e Isto É, tudo pelo tablet. Além disso, está sempre conectado pelo o iPhone, inclusive para enviar e-mails. – Como viajo muito, a tecnologia é um facilitador. Não preciso transportar papéis – afirma o empresário.

Com 104 lojas próprias, Damyller avança em multimarcas

23 de dezembro de 2012 2

A marca catarinense Damyller, no mercado há 33 anos, avança em duas frentes: com lojas próprias – já são 104 – e em multimarcas, segmento iniciado este ano. Suas lojas são abastecidas com novidades (foto) semanais. Segundo a consultora de moda da empresa, Damylla Damiani, isto é possível com planejamento. A Damyller, que tem matriz em Nova Veneza, Sul de SC,  produz de 140 mil a 180 mil peças por mês.

Teleférico poderá ligar a BR-101 até a Lagoa da Conceição, na Grande Florianópolis

22 de dezembro de 2012 3

Técnicos do governo do Estado estão analisando propostas de mobilidade urbana para a Grande Florianópolis que envolvem transporte marítimo e outras alternativas. O governador está animado com a via marítima e, também, com a possibilidade de instalação de um teleférico entre o Continente, na região do Shopping Itaguaçu e BR-101 até a Lagoa da Conceição, na Ilha de SC, passando pelo Centro, morro das TVs e UFSC. 

O projeto, totalmente privado, foi apresentado pela CCR, uma empresa brasileira que é uma das maiores do munco em concessão de rodovias e opera, também, as barcas do Rio de Janeiro. Um detalhe importante: a travessia entre continente e Ilha, pelo projeto, também seria via teleférico, sem interrupção. Cada cabine de bondinho poderá levar 35 pessoas e uma parte delas teria espaço para levar bicicleta, para facilitar a vida dos passageiros que preferem deslocamento ecológico e saudável até o seu destino final.

Movidos a eletricidade, seguros e quase sem impacto ambiental porque são aéreos, os teleféricos se destacam como um anova alternativa de mobilidade urbana. Um exemplo de sucesso é o Metrocabe, de Medelin, na Colômbia. O Rio de Janeiro implantou um no Complexo do Alemão e tem projetos para expansão para outras comunidades.

Decisão sairá em abril

O governo do Estado criou um grupo gestor que analisará melhor três propostas, e a decisão será tomada em prazo de 120 dias, que começou dia 13 de dezembro.

Confira texto da SCPar, estatal que lidera o projeto de mobilidade urbana da Grande Florianópolis, publicado dia 13 de dezembro:

“O grupo gestor de PPPs do Governo do Estado escolheu três entre as sete propostas de mobilidade urbana na área metropolitana da capital , apresentadas por grupos nacionais e internacionais em resposta a consulta feita através do PMI 02, procedimento de manifestação de interesse.

Os proponentes que serão convidados a aprofundar estudos e projetos são: Jaime Lerner e associados; Quark, MPE, Scomi e Brasell; e ESSE CCR. Todas as três propostas contemplam o transporte marítimo de passageiros e integração com outros modais, tais como, o sistema de transporte atual, monotrilho, sistema inteligente de transporte público, o Pod sit, e teleférico. Em 120 dias as três proponentes deverão apresentar estudos mais detalhados para a implantação dos novos sistemas. A escolha final será pelo menor investimento público, eficiência e rapidez na implantação.

Segundo o Presidente da SC Par Paulo César da Costa, definida a melhor proposta, ainda no próximo ano será realizado o processo licitatório. Por outro lado o grupo gestor de PPPs continuará o processo para a definição de outras medidas de médio prazo que impliquem em investimentos e obras públicas, na solução dos problemas de mobilidade urbana na Grande Florianópolis. O grupo gestor anunciou ainda, para o início do próximo ano, uma reunião com os novos prefeitos dos municípios da região para tratar das questões que estão sendo encaminhadas.

Participaram da reunião do grupo gestor: o Secretário de Infraestrutura Valdir Cobalchini; o Presidente da Fatma, Murilo Flores; o Procurador Geral do Estado, João dos Passos; o Diretor da Secretaria da Fazenda, Francisco Pinheiro; o Secretário de Desenvolvimento Regional, Renato Hinning; o Diretor do Deinfra , Paulo Meller; e o Presidente da SC Par , Paulo César da Costa, o Procurador do Estado, Gerson Schwerdt, assessores e equipe técnica da empresa”.

Repúdio ao aumento do auxílio moradia

21 de dezembro de 2012 1

A Associação Comercial e Industrial de Chapecó (Acic) é uma das entidades que emitiram nota de repúdio à deliberação da Assembleia Legislativa de SC que elevou de R$ 2,4 mil para R$ 4,3 mil o auxílio mensal de moradia a parlamentares e outros. Segundo a Acic, a decisão ignora a limitação de verbas para saúde, educação e segurança no Estado.

Investidor leva quatro meses para abrir empresa em SC. Em Nova York o prazo é de dois dias

21 de dezembro de 2012 0

A lentidão para abrir empresas atrasa o crescimento econômico. Lamentavelmente, Santa Catarina ainda não abriu os olhos para isto. Hoje, para iniciar atividades, um empreendedor enfrenta uma demora média de quatro meses, mesmo para iniciar um negócio que não exige licença ambiental. Foi por isso que SC tirou zero nesse quesito no recente ranking de gestão dos estados brasileiros, feito pela revista inglesa The Economist. Só para comparar, em Nova York uma empresa é aberta em apenas dois dias. Nos demais países dos BRICs, o tempo é menor do que no Brasil: na China são 38 dias, Índia, 29; Rússia, 30; e África do Sul, 19. Passou da hora de o governo colocar técnicos no comando da Junta Comercial do Estado (Jucesc). Segundo o presidente da Federação de Pequenas Empresas (Fampesc), Márcio Silveira, o problema foi discutido em reunião do Sebrae-SC.

Lentidão também nas prefeituras

A lém do atraso do Estado via Jucesc, as prefeituras também têm culpa na lentidão para abrir empresas em Santa Catarina. A burocracia no Executivo municipal é grande. Muitos reclamam da falta de pessoal. O presidente da Fampesc, Márcio Silveira, identificou, também, que é preciso mudar a legislação. Ele diz que hoje a área ambiental pode ser culpada se um negócio é aberto sem a sua avaliação. Isto precisa mudar. Em tempos de tecnologia digital, dá para imitar Nova York.

Cesconeto vence eleição para diretor da Celesc

21 de dezembro de 2012 0

O funcionário da Celesc Eduardo Cesconeto, chefe da agência regional de Joinville, venceu, ontem, a eleição para o cargo de diretor comercial da estatal. Obteve 44,99% dos votos e superou o candidato apoiado pelo sindicato dos trabalhadores, Claudionor Vieira, que conseguiu 25,5% dos votos. Mas, para assumir, deverá ter um voto de conselheiro dos acionistas minoritários. Isto porque são necessários nove votos no conselho de administração para ser aprovado. O governo tem sete e os trabalhadores têm um. Há uma cerca ansiedade sobre a decisão dos minoritários porque eles são contra a eleição de diretor pelo fato de ser cargo de confiança e exigir competência comprovada.