Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Sônia Hess, empresária de SC, entre as mais poderosas da Forbes

06 de junho de 2013 2

A empresária Sônia Hess de Souza, presidente da Dudalina, de Blumenau, é a sexta mulher mais poderosa do Brasil segundo ranking da revista Forbes. A lista, liderada pela presidente da Petrobras, Graça Foster, tem, na sequência, Chieko Aoki (Blue Tree), Luiza Trajano (Magazine Luiza), Adriana Machado (GE Brasil), Gisele Bündchen (modelo), Sônia Hess, Claudia Sender (TAM), Maria de Lourdes Villela (Itaúsa), Viviane Senna (Instituto Ayrton Senna) e Heloisa Assis (Instituto Beleza Natural).

Confira o texto da Forbes sobre a empresária catarinense:

No. 6: Sônia Hess de Souza

“CEO, Dudalina

When Hess became the CEO of the 50-year-old family-owned business, Dudalina specialized in men’s clothing and hosiery. Hess saw an opportunity to turn that around in 2010, and she launched the company’s first line of women’s shirts, which are now a favorite among Brazilian female executives. Dudalina’s net sales in 2012 were at $190 million, with 30% of that coming from its women’s shirts collection”.

Pirataria preocupa

Com crescimento acelerado desde que passou a investir também no segmento de camisas femininas, a Dudalina está preocupada com a crescente pirataria dos seus produtos. Há camisas falsas sendo vendidas até dentro de alguns órgãos públicos da Capital. A empresa assinou um pacto com a ONU contra a corrupção, desenvolve diversos programas sociais mas, por outro lado, vem enfrentando essa concorrência ilegal, como ocorria com grandes marcas estrangeiras.

Comentários

comments

Comentários (2)

  • Michelle diz: 6 de junho de 2013

    Destaque merecido, fortaleceu uma marca, tornando-a desejo de consumo, especialmente para as mulheres, que queriam se vestir de uma maneira mais elegante e formal, sem perder em detalhes, beleza, elegância e qualidade.

  • james diz: 6 de junho de 2013

    Sônia Hess de Souza é um exemplo de como empresários podem agir solidariamente: durante as enchentes de 2008 em Blumenau e região, transferiu a energia elétrica da sua fábrica, parando a produção, para os hospitais da região. Merece todo sucesso e reconhecimento.

Envie seu Comentário