Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Primeiro lote de carne suína de SC aterrissa no Japão

28 de junho de 2013 2

BRF faz primeiro embarque ao Japão

A tão esperada estreia de embarques de carne suína catarinense ao mercado japonês após a abertura concretizada dia 30 de maio foi feita pela maior empresa do Estado, a BRF, de forma diferente. A companhia transportou por avião, da unidade de Campos Novos, um pequeno lote que chegou a Tóquio terça-feira para a realização do evento comemorativo da conquista do mercado, ontem à noite, na residência do embaixador Marcos Galvão. Mas tudo indica que a dona da Sadia e da Perdigão será pioneira também no embarque de contêineres. O diretor da companhia para a região da Ásia, Lio Cesar de Macedo Junior, diz que o primeiro deverá partir dia 15 de julho e chegará ao país em agosto.

A Coopercentral Aurora está recebendo importadores, preparando os cortes e pretende iniciar os embarques em agosto, informou o gerente de exportação da organização, Dilvo Casagranda, que acompanha os eventos do setor em Tóquio.

O embaixador promoveu um jantar para mais de 40 pessoas ontem, com a presença da missão catarinense liderada pelo governador Raimundo Colombo e o presidente da Fiesc, Glauco José Côrte. No cardápio, destaque foi a carne suína de SC, com lombo assado e filezinho à milanesa, um prato típico daqui chamado ton katsu.
Com a abertura do mercado japonês para Santa Catarina, o Estado será o único do Brasil autorizado a exportar carne suína ao país asiático.

Conquista coletiva

Tanto o governador Raimundo Colombo, quanto o embaixador do Brasil no Japão, Marcos Galvão (a esquerda do governador), destacaram o trabalho coletivo de lideranças do Estado, do setor privado e do governo federal para a conquista do maior mercado importador do mundo para a carne suína de SC. Colombo elogiou o empenho pessoal do embaixador para obter essa abertura. Conforme Galvão, foi possível avançar em a todas as etapas porque SC atende todas as exigências dos japoneses.

Oportunidades

  • O Japão é a terceira maior economia do mundo e oferece muitas oportunidades de negócios. Na avaliação do embaixador do Brasil no país, Marcos Galvão, o mercado oferece muito mais oportunidades do que as exploradas hoje pelas empresas de SC e do país.

    Com qualidade

  • Santa Catarina terá que disputar o mercado japonês de carne suína pela qualidade, porque, para proteger a produção local, o país adota taxa de importação menor para os cortes mais caros. Isso acaba nivelando os preços, porque impede a estratégia de oferecer valores mais baixos para ganhar mercado. Atualmente, o país paga cerca de 5 dólares por quilo. A informação foi obtida ontem pela comitiva do Estado ao Japão, em reunião com a associação dos importadores de carnes do país, a Japa Meat Traders Association (JMTA).

  • Congelada

  • A Associação dos Importadores de Carnes também informou que só poderá comprar carne congelada em função da distância entre os dois mercados. Apesar disso, o presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, afirmou que as agroindústrias estão bastante otimistas. A exemplo da conquista do espaço para carne de aves, a suinocultura deverá avançar no mercado japonês, onde poderá vender até 400 mil toneladas por ano, prevê o empresário.

  • Comentários

    comments

    Comentários (2)

    • Vili Segatto diz: 28 de junho de 2013

      Parabéns Santa Catarina por esta grande conquista de mercado da carne suina.
      Isto mostra o excelente trabalho feito pelos orgãos oficiais e empresas privadaas Catarinenses.

    • wigand diz: 28 de junho de 2013

      é uma conquista muito importante para o estado só espero que se de oportunidade
      também aos frigorificos menores

    Envie seu Comentário