Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de julho 2013

WEG lucra 47% mais no segundo trimestre

31 de julho de 2013 0

Fabricante de motores elétricos, equipamentos para automação e produtos para geração e distribuição de energia, a WEG, de Jaraguá do Sul, fechou o segundo trimestre com lucro líquido de R$ 204,968 milhões, 46,6% superior ao do mesmo período do ano passado. A receita líquida da companhia alcançou R$ 1,699 bilhão no trimestre, com alta de 11,2% na mesma base comparativa. A WEG mantém o plano de investimento de R$ 265 milhões este ano. O BB Investimento avaliou que as ações da empresa têm potencial de valorização de até 20% pela diversificação dos negócios.

Fiesc apresenta novo estudo sobre gargalos da BR-101

31 de julho de 2013 0

A Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) apresenta nesta quinta, às 15h30min, estudos sobre a atual situação das BRs 101 Norte e Sul. Os trabalhos serão apresentados pelo presidente da entidade, Glauco José Côrte, e pelo engenheiro Ricardo Saporiti, contratado pela federação para realizar os levantamentos. Uma das avaliações sobre o impacto para o Sul do Estado apontou que a região deixa de obter receita superior a R$ 30 milhões em função da falta da duplicação.

Serra tem a melhor temporada dos últimos 14 anos

31 de julho de 2013 0

A Serra catarinense encerrou as férias de julho com o melhor resultado dos últimos 14 anos. A ocupação hoteleira dos municípios de Urubici, São Joaquim, Lages, Bom Jardim da Serra e Urupema cresceu de 20% a 30% em relação ao mesmo período de 2012, informou o presidente do Conselho Estadual de Turismo, Ivan Cascaes. Segundo ele, foram determinantes para este resultado a maior divulgação pela campanha da Santur e o programa Viva Serra, e o frio intenso das últimas semanas, com queda de neve. O dólar elevado também está fazendo com que mais brasileiros optem por roteiros no país.

Do total de visitantes, 35% a 40% eram catarinenses, 30% de São Paulo, 12% do Paraná, 9% do Rio Grande do Sul, 4% de Minas Gerais e Rio de Janeiro. Dos que vieram de outros Estados, cerca de 50% optaram por avião e alugaram carro em Florianópolis. Ivan Cascaes, que é proprietário do Rio do Rastro Eco Resort, de Bom Jardim da Serra, disse que faltam investimentos na infraestrutura das cidades, especialmente esgoto sanitário, banheiros e sinalização. Outro obstáculo é a falta de rodovias de ligação com a Serra gaúcha. Dois projetos estão inconclusos: a rodovia Caminhos da Neve e a estrada dos cânions.

Peças assinadas por Sharon Stone vão ajudar o Hospital São José

31 de julho de 2013 0

Um leilão com produtos e peças assinados pela atriz de Hollywood, Sharon Stone, será realizado em Joinville, dia 15 de agosto, para arrecadar recursos ao Hospital São José, do município. A iniciativa é da construtora FG Empreendimentos, de Balneário Camboriú, que tem a diva como garota-propaganda. Uma das peças é blusa que foi entregue segunda-feira, na Associação Empresarial de Joinville (Acij) pelo presidente da FG, Jean Graciola, e a mulher, Thammy Graciola (E), ao presidente do hospital, Marcos Krelling( segundo à dir.), e ao presidente da Acij, Mario Cezar Aguiar (D). A expectativa é arrecadar cerca de R$ 1 milhão. Os recursos serão usados para manutenção e compra de equipamentos para a instituição.  

Aneel aprova reajustes para consumidores da Celesc

30 de julho de 2013 26
Atualização de informações:
Confira a matéria divulgada agora (às 17h15min) pela Celesc, com mais detalhes sobre o reajuste. A alta para indústrias é bem maior, refletindo o impacto do custo das térmicas:

 

ANEEL homologa reajuste da tarifa de energia para Celesc D

Efeito médio percebido pelo consumidor será de 13,73%. Reajuste reflete alto custo com a compra de energia.

Florianópolis, 30 de julho de 2013 – A ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica – definiu nesta terça-feira (30) o reajuste médio de 13,73% para as tarifas de energia elétrica dos 2,5 milhões de consumidores atendidos na área de concessão da Celesc Distribuição.

O reajuste, que passa a ser praticado a partir de 7 de agosto, é diferenciado por classe de consumo, conforme tabela abaixo.

Subgrupo
Reajuste
 
Industrial
A1 (230.000V)
19,15%
Grande siderúrgica
A2 (88.000 a 138.000V)
10,85%
Cerâmico/siderúrgico/metalurgia/papel e celulose
A3 (69.000V)
16,62%
Cerâmico/carbonífero/têxtil
A3a (30.000V a 44.000V)
19,80%
Cooperativas/beneficiadoras de madeira/bovinos/cereais/papel e celulose
A4 (2.300V a 25.000V)
14,10%
Shoppings/comércio grande porte /condomínios
Residencial
B1
12,90%
Residencial e baixa renda
Rural
B2
17,98%
Rural
Comercial
B3
13,00%
Comércio de médio e pequeno porte
Iluminação Pública
B4
18,00%
 

O presidente da Celesc, Cleverson Siewert, explica que o reajuste reflete, basicamente, o novo perfil da energia comprada pelas distribuidoras, com presença cada vez maior de energia gerada em termelétricas, cujo custo é maior que a gerada em hidrelétricas.

“Por questões ambientais, o Governo Federal está reduzindo a construção de usinas que necessitam de grandes reservatórios. Esse cenário tem favorecido a geração térmica. É uma nova tendência, que já impacta nos preços praticados pelo mercado. Na tarifa que a Celesc passa a praticar em agosto, o custo da energia é responsável por quase 80% do índice de reajuste em relação ao ano anterior”.

Na revisão tarifária de 2012, o custo previsto para compra de energia ficou aquém do realizado. Por conta disso, ao longo de doze meses, a Celesc foi onerada em R$ 569,5 milhões por conta dos despachos de térmicas, não previstos na tarifa. Esse valor está sendo ressarcido à Empresa via recursos da Conta de Desenvolvimento Energético, numa estratégia do Governo Federal para evitar um impacto ainda maior no índice de reajuste tarifário.

Como funciona – O reajuste tarifário é efetuado anualmente para todas as concessionárias de distribuição de energia elétrica e, no caso da Celesc D, acontece sempre no mês de agosto, de acordo com o contrato de concessão.

O custo do serviço de distribuição de energia elétrica é composto de duas parcelas:

Parcela A – incorpora os custos não gerenciáveis da Celesc Distribuição, como compra e transporte de energia elétrica e encargos setoriais resultantes de políticas de governo, sem margem de comercialização, cabendo apenas a cobertura dos custos.

Parcela B (Custo de Distribuição) – incorpora os custos gerenciáveis relacionados à atividade de distribuição de energia elétrica, como pessoal, materiais e serviços, remuneração dos investimentos e cota de reintegração regulatória, com margem de comercialização previamente estabelecida e vinculada à eficiência operacional e à prudência dos investimentos.

Reajuste da tarifa X inflação – O reajuste da tarifa de energia elétrica tem resistido de forma firme aos índices de inflação no País. Nos últimos três anos, o reajuste médio da energia elétrica na área de concessão da Celesc D (entre 2011 e 2013) foi de 14,60% ( +1,19 em 2011, – 0,32 em 2012 e 13,73 em 2013. Com o evento da revisão tarifária extraordinária em janeiro de 2013, quando a tarifa foi reduzida em 19,13%, esse índice cai para -4,53%. No mesmo período, o IGPM alcançou índice de 22,6%.

Publicação do blog às 12h26min sobre notas da Aneel

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) divulgou na manhã de hoje os reajustes para as contas de luz da Celesc. Os consumidores residenciais terão alta de 12,9% a partir de 7 de agosto. Os clientes residenciais, comerciais e industriais que consomem baixa tensão em média, terão alta de 13,47% e os clientes de alta tensão, especialmente indústrias, terão reajuste de 14,07%. A Aneel aprovou reajustes menores para 28 mil clientes de cooperativas do Oeste de SC. A conta de luz teve redução de quase 20% em fevereiro por decisão do governo federal e, agora, em função do alto custo da geração térmica devido à falta de chuvas, mais a elevação da energia de Itaipu com o dólar alto, os valores pagos voltam a ter reajuste expressivo.

Confira os textos da Aneel, abaixo:  

Reajuste tarifário da Celesc (SC) irá vigorar a partir de 07/08
 
30/07/2013
A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou hoje (30/07) em reunião pública o reajuste tarifário da empresa Celesc Distribuição S/A. As novas tarifas entrarão em vigor a partir do próximo dia 07/08 para 2,5 milhões de unidades consumidoras localizadas em 260 municípios de Santa Catarina e um do Paraná (Rio Negro).

Confira abaixo os índices que serão aplicados às contas de luz dos consumidores residenciais dessa distribuidora.

1 – Consumidores residenciais (baixa tensão -B1): reajuste de 12,9% 

Ao calcular os índices de reajuste, a Agência considera a variação de custos que a empresa teve no decorrer do período de referência. A fórmula de cálculo inclui custos típicos da atividade de distribuição, sobre os quais incide o IGP-M e o Fator X, e outros custos que não acompanham necessariamente o índice inflacionário, como energia comprada de geradoras, encargos de transmissão e encargos setoriais.

Confira abaixo as médias dos índices de baixa e alta tensão:

2 – Consumidores cativos de baixa tensão em média (abaixo de 2,3 kV), incluindo residências: 13,47%

3 – Consumidores cativos alta em média tensão (de 2,3 a 230 kV), como no caso de indústrias: 14,07% 

Reajustes para clientes de cooperativas de eletrificação do Oeste variam de  5,87% a 10,01%

30/07/2013
 
A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou hoje (30/07) em reunião pública o reajuste tarifário da empresa Iguaçu Distribuidora de Energia Elétrica Ltda. (Ienergia). As novas tarifas entrarão em vigor a partir do próximo dia 07/08 para 33 mil unidades consumidoras localizadas nos municípios catarinenses de Xanxerê, Xaxim, Marema, Entre Rios, Bom Jesus e Lageado Grande.

Confira abaixo os índices que serão aplicados às contas de luz dos consumidores residenciais dessa distribuidora.

1 – Consumidores residenciais (baixa tensão – B1): 5,87% 

Ao calcular os índices de reajuste, a Agência considera a variação de custos que a empresa teve no decorrer do período de referência. A fórmula de cálculo inclui custos típicos da atividade de distribuição, sobre os quais incide o IGP-M e o Fator X, e outros custos que não acompanham necessariamente o índice inflacionário, como energia comprada de geradoras, encargos de transmissão e encargos setoriais.

Confira abaixo as médias dos índices de baixa e alta tensão:

2 – Consumidor cativo baixa tensão em média (abaixo de 2,3 kV), incluindo residências: 6,74%

3 – Consumidor de alta tensão em média ( de 2,3 a 230 kV), entre os quais indústrias: 10,01%

Mercoagro 2014 é lançada hoje

30 de julho de 2013 0

A mais importante feira industrial de Chapecó terá sua edição de 2014 lançada hoje, às 19h, na sede da Associação Empresarial (Acic). A mostra será de 9 a 12 de setembro do ano que vem. Especializada em equipamentos para processamento de carnes, a feira é realizada em parceria com a Acij, a prefeitura e a BTS informa,  empresa líder no mercado internacional em eventos técnicos do setor de carnes. A mostra deverá contar com expositores da Alemanha, Argentina, Áustria, Bolívia, Chile, Colômbia, Espanha, Estados Unidos, Holanda, Paraguai, Uruguai e Venezuela e outros países. São esperados 35 mil visitantes e os negócios serão superiores a US$ 160 milhões.

Dinheiro traz felicidade ou não?

30 de julho de 2013 2

Saiba o que pesquisas apuraram sobre essa intrigante pergunta e ouça a opinião de um especialista brasileiro, o professor de Finanças Pessoais da UFSC e consultor do Itaú, Jurandir Sell Macedo.

http://videos.clicrbs.com.br/sc/diariocatarinense/video/diario-catarinense/2013/07/dinheiro-traz-felicidade/32661/

Celesc divulga hoje o reajuste da conta de luz

30 de julho de 2013 0

A Celesc anuncia hoje o reajuste da conta de luz que passa a vigorar dia 7 de agosto. A assessoria da empresa informou que não seria possível antecipar, mas uma fonte da coluna disse que a alta deverá ficar em torno de 13%. Um executivo da Aneel, a agência reguladora do setor, disse que os reajustes de agosto, em função do consumo de energia de térmicas, deverá ser de 13% ou mais. Os reajustes aprovados pela Aneel nos últimos meses superaram os 10%, especialmente para a indústria. No caso da Copel, do Paraná, o reajuste médio foi acima de 14%. Além das térmicas, também está pesando nas contas o custo da energia de Itaipu, comprada em dólar.

Inscrições para o Eu Empresário foram prorrogadas até sexta

30 de julho de 2013 0

Quem deixou para os últimos dias para fazer a inscrição no programa Eu Empresário deste ano ganhou uma força a mais do Sebrae-SC. O prazo final para participar do programa passou do dia 31 de julho para 2 de agosto, sexta-feira. Para este ano, além das tradicionais inscrições de micro e pequenas empresas são incluídos também  microempreendedores individuais. Os três empresários selecionados do programa vão receber consultoria gratuita do Sebrae para auxiliá-los na gestão do negócio, além de um curso da instituição.

Lucro da BRF cresce 3.000% no trimestre

29 de julho de 2013 0

Os melhores resultados com exportações permitiram à catarinense BRF, dona das marcas Sadia e Perdigão, alcançar lucro líquido de R$ 208,4 milhões no segundo trimestre deste ano, cifra 3.000% superior aos R$ 6,4 milhões obtidos nos mesmos meses do ano passado. A empresa fechou o período com receita líquida de vendas de R$ 7,252 bilhões. No mercado externo, o faturamento atingiu R$ 3,424 bilhões, 19% superior na comparação com o mesmo intervalo de 2012. O dólar alto no período ajudou na melhora do resultado. No mercado interno, a empresa enfrentou dificuldades com a queda de consumo em função da inflação e menor produção devido ao impacto da venda de dez fábricas, transferidas ano passado para a Marfrig, por meio de uma operação de vendas por exigência do Cade em função da fusão.

Cooperativismo une profissionais e eleva renda em SC

29 de julho de 2013 1

O sistema cooperativo reúne profissionais de atividades comuns e, assim, permite que tenham maior renda. Em SC, são 12 ramos com 1,5 milhão de associados e receita anual superior a R$ 17 bilhões. Quem está à frente desse processo é a Organização das Cooperativas do Estado (Ocesc), presidida por Marcos Antonio Zordan, também diretor da Coopercentral Aurora e sócio da transportadora MZ.

Qual é o impacto das cooperativas na economia catarinense?

Marcos Antonio Zordan – Se você considerar o agronegócio, o cooperativismo é de suma importância porque é a única forma de viabilizar as pequenas propriedades. O agronegócio responde por 65% da receita do sistema em SC. As pioneiras foram as cooperativas de tabaco e crédito, em Blumenau, que não tiveram muito sucesso. Em 1989, chegou a agropecuária. Atualmente, o Estado tem 263 cooperativas que faturaram ano passado um total de R$ 17,337 bilhões. Deste valor, R$ 11,2 bilhões foram da agropecuária. Em segundo lugar ficou o ramo de saúde, com R$ 2,334 bilhões.

SC tem a maior participação da população no setor. Como está hoje?

Zordan – Estamos completando 1,5 milhão de associados. Se considerarmos os dependentes desses sócios, temos 4,5 milhões de pessoas ligadas ao setor, cerca de dois terços da população do Estado, hoje em torno de 6,4 milhões.

Quantos ramos atuam e o que falta?

Zordan – Temos no Estado 12 ramos de cooperativas: agropecuária, trabalho, crédito, saúde, transporte, habitacional, educacional, consumo, infraestrutura, produção, mineral e especial. Só falta o ramo de turismo. Como somos o melhor estado do Brasil em turismo, profissionais do setor poderiam abrir cooperativas. Pela lei, só pessoas físicas podem ser sócias.

Como vê o futuro do setor?

Zordan – O mundo e o Brasil têm percebido que o cooperativismo é a melhor forma de trabalho com justiça social. Ele tem um futuro promissor, é uma forma de fazer com que o produtor menor tenha a capacidade do grande. Um exemplo é a exportação de carnes dos nossos pequenos agropecuaristas. Se não fosse o cooperativismo isto não aconteceria. O sistema é uma mistura do social com o capitalistmo, permite às pessoas participarem dos resultado por isso elas têm receita maior. O modelo foi criado em Rochdale, na Inglaterra, em 1844. A Europa é forte em crédito. Em outras regiões, como no Brasil, o ramo de agronegócio tem maior participação.

Por que o ramo de crédito vem se destacando mais?

Zordan – Ele começou com o crédito rural mas já tem o maior número de sócios do Estado. São 870 mil porque abriu também para pessoas da área urbana, com cooperativas de livre admissão. Cresce porque, além do sócio ter a cota de capital, ele tem acesso a isenção de taxas bancárias, menores juros e outras vantagens. O setor de saúde, com as cooperativas Unimed e Uniodonto também avança de forma expressiva.

Como ingressou no setor?

Zordan – Depois que terminei o curso de Medicina Veterinária na PUC de Porto Alegre vim trabalhar na Cooperativa Itaipu, de Pinhalzinho. Após sete anos, em 1985, me convidaram para ser o presidente. Logo fundei a cooperativa de crédito Itaipu. Fiquei até 2008 quando vim para a diretoria da Coopercentral Aurora e assumi a presidência da Ocesc.

Empreendedor

Marcos Zordan, 59 anos, tem trajetória empreendedora. Começou a trabalhar com oito anos, ajudando a mãe quando a família, em Cacique Doble, RS, teve uma queda súbita de renda. Com 13 anos foi trabalhar e estudar. Seu pai, com o caminhão ao lado (restaurado recentemente por Zordan), ajudou os cinco filhos a cursar faculdade. Marcos se tornou sócio do pai na transportadora MZ que, mais tarde, transferiu para Pinhalzinho.

Em família

Com ritmo acelerado durante a semana, Zordan dedica os finais de semana à família. Gosta de acompanhar futebol, notícias e de cozinhar. Tem até receita exclusiva de lasanha. É casado com a artista plástica Dalva, com quem tem três filhos: Marcos Junior e Thaís, que administram a transportadora MZ; mais Matheus, que faz Engenharia Mecânica em Passo Fundo. Marcos Junior é o pai de Luiz Antônio, de 1 ano (foto), primeiro neto do casal.

Preferência por arranha-céus em Balneário Camboriú

28 de julho de 2013 3










O empresário Rogerio Rosa, presidente da construtora Embraed, de Balneário Camboriú, trouxe um espetáculo circense para a inauguração, ontem à noite, do Villa Serena, maior edifício residencial do Brasil. São duas torres de 46 andares e 160 metros de altura. Na entrevista antes do evento, afirmou que o próximo arranha-céu que a Embraed fará será o mais alto residencial do Hemisfério Sul, com 81 andares e 307 metros de altura. Mas, antes, dois edifícios da concorrente FG, também de Balneário, vão superar o Villa Serena: são o Sky Tower, com 210 metros de altura, e o Infinity Coast, com 240 metros. Vale um alerta:  em prédios com essas alturas, os cuidados com segurança devem ser rígidos e redobrados.


Aulas para executivos no Beto Carrero

27 de julho de 2013 0

Aulas práticas têm melhores resultados. Por isso a Neo Labor, empresa de desenvolvimento de recursos humanos de Florianópolis, oferece o Programa Vivencial de Liderança com desafios a executivos no Beto Carrero World. Entre os alunos, o gerente da Ondrepsb, José Mário Valério (E); a advogada Amanda Rizzatti; a analista de RH da Dudalina, Franciele Hillesheim; e o gerente comercial da Ondrepsb, Sandro Araújo. A próxima edição será nos dias 22 e 23 de agosto.

Livro de finanças pessoais também para tablet

27 de julho de 2013 0

O livro A Árvore do Dinheiro, do professor de Finanças Pessoais da UFSC e consultor do Itaú, Jurandir Sell Macedo, ganhou edição atualizada e uma versão virtual, que estará na Amazon na próxima semana. Além de não ocupar espaço em casa, a versão virtual é mais acessível e facilita os empréstimos. A obra traz mais conteúdo, com destaque para trabalho que mostra os ganhos para quem investe em ações no longo prazo. A editora também mudou. Agora é a Insular.

Donna Fashion será dias 29 e 30 de agosto

27 de julho de 2013 0

Está definida a data da próxima edição do Donna Fashion Iguatemi. O principal evento de moda do Estado será nos dias 29 e 30 de agosto na praça de eventos do shopping. Oito marcas vão apresentar suas coleções de verão. As cores fortes estarão entre os destaques da temporada.

Software detecta sonegação de ICMS em supermercados

27 de julho de 2013 4

A criatividade para driblar o fisco não tem limites, mas o mesmo vale para o combate às fraudes. Um aplicativo inédito no Brasil, o Olho Mágico, desenvolvido pelo auditor fiscal da Fazenda de SC Leo Patrício, começou a ser usado no Estado e já detectou mais de R$ 15 milhões em desvios de ICMS. Ele identifica se o produto registrado no emissor de cupom fiscal (ECF), na boca do caixa, está classificado de acordo com o previsto na legislação tributária. O sistema combate prática comum que é o cadastro irregular de alíquota para pagar menos imposto. Um exemplo, segundo o gerente de fiscalização da secretaria, Francisco Martins, ocorre com a venda de carne bovina. O produto, que tem uma alíquota de ICMS de 12%, muitas vezes é vendido com alíquota de 7%, de outras carnes. O software é usado há três meses e já  tem mais de 120 mil itens cadastrados. A intenção da Secretaria da Fazenda é exportar sistema para outros estados.

Turistas da jornada querem voltar ao Brasil

26 de julho de 2013 0

Amostra da pesquisa do Ministério do Turismo junto aos participantes da Jornalda Mundial da Juventude apurou que 95,7% dos peregrinos do exterior que estão no Rio querem voltar ao Brasil. A atividade mais realizada por 77,7% desse público foi conhecer atrativos turísticos.

- Considerando o fato que a maior parte desses visitantes tem por opção as hospedagens ‘especiais’, ou seja, cedidas por religiosos ou simpatizantes, são dados muito positivos para o turismo brasileiro - festeja o secretário Nacional de Políticas de Turismo, Vinicius Lummertz.

A pesquisa Movimentação Econômica e de Pegada Ecológica dos Turistas da Jornada Mundial da Juventude 2013 entrevistará 4 mil brasileiros e estrangeiros durante sete dias. A amostra processada soma 1.100 entrevistas.

Joinville no Globo Repórter desta noite

26 de julho de 2013 0

O Festival de Dança de Joinville, o maior do mundo, é o principal destaque do programa Globo Repórter desta noite, logo após a novela. Vale conferir.

Criatividade para a Bienal de Design

25 de julho de 2013 0

As pré-inscrições para o concurso de identidade visual da V Bienal Brasileira de Design se encerram dia 31, próxima quarta-feira. O vencedor será premiado com R$ 35 mil. Os interessados devem se inscrever no site www.scdesign.org.br. O prazo para envio das propostas é 11 de outubro de 2013.

Fiesc fará mobilização para derrubar veto de multa do FGTS

25 de julho de 2013 0

Começa a reação da classe empresarial contra o veto da presidente Dilma Rousseff para o fim da multa extra de 10% sobre o saldo do FGTS para demissões sem justa causa. O presidente da Federação das Indústrias do Estado (Fiesc), Glauco José Côrte, classificou como a decisão como  lamentável.

-Mostra uma total falta de sintonia com o setor produtivo, que se uniu para chamar atenção para a necessidade de acabar com esse mecanismo, que não se justifica mais, uma vez que o saldo do FGTS já foi recomposto há um ano. Esse foi o objetivo da multa extra - afirmou Côrte.

 Ele defende que agora seja realizada forte mobilização empresarial para que o Congresso derrube o veto. Côrte destaca que são quase R$ 3 bilhões que já foram arrecadados desde julho do ano passado, quando o saldo foi recomposto. Isso faria muita diferença para o setor produtivo, segundo o empresário. O veto foi publicado hoje no Diário Oficial da União, mostrando que o governo quer manter o nível de arrecadação mesmo com medidas que já cumpriram a sua função específica.