Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Software vai vigiar quem chega do exterior com muitas compras

17 de agosto de 2013 0

A Receita Federal criou um sistema que vai fazer o reconhecimento facial dos passageiros aéreos internacionais. O objetivo é identificar pessoas suspeitas de estarem extrapolando a cota permitida para as compras de produtos lá fora sem declarar. Atualmente, o limite é de US$ 500 no caso de turistas que chegam por vias aéreas ou marítimas, e de US$ 300 para viajantes terrestres. O sistema usará biometria facial para uma rápida seleção para fiscalização de bagagens. A receita lançou a Declaração Eletrônica de Bens de Viajantes – e-DBV, que entrou em vigor ontem com o objetivo de modernizar a aduana. Ela substitui antigas declarações em papel.

 

Saiba mais sobre as medidas no texto abaixo:

 

A Declaração Eletrônica de Bens de Viajante – e-DBV, que está disponível aos viajantes a partir de hoje, 16/8, é uma das medidas adotadas pela Receita Federal do Brasil para modernizar a Aduana. A e-DBV substitui a Declaração de Bagagem Acompanhada – DBA e a Declaração Eletrônica de Porte de Valores – e-DPV, unificando-as em uma única declaração.

A e-DBV traz comodidade aos viajantes, que poderão preencher e transmitir sua declaração ainda no exterior, com antecedência de até trinta dias, e providenciar o pagamento antecipado do imposto de importação por home banking, agilizando sua passagem pela Aduana. O imposto também poderá ser pago por cartões de débito, nos recintos em que o serviço esteja disponível.

 

A e-DBV está disponível on-line no sítio da Receita Federal na Internet, para acesso por meio de computadores (versão Desktop), tablets e smatphones (versão Mobile), possibilitando aos viajantes a consulta, a qualquer momento, da declaração registrada na Aduana e da situação fiscal dos bens trazidos como bagagem acompanhada. Em breve estarão disponíveis os aplicativos off-line (App) para tablets e smartphones, que viabilizarão o preenchimento da e-DBV a bordo de aeronaves, embarcações e veículos e sua posterior transmissão nos locais de desembarque internacional ou pontos de fronteiras alfandegados.

 

Além da melhoria do fluxo de viajantes, a e-DBV também traz benefícios ao controle aduaneiro nos aeroportos, portos e pontos de fronteira. O Módulo Fiscal realizará a análise de risco dos viajantes declarantes por parametrização eletrônica (Canal Verde e Canal Vermelho), controlará a admissão temporária de bens de viajantes não residentes, inclusive embarcações, e emitirá termos necessários às atividades fiscais, inclusive o Darf. Através do Módulo Fiscal será processada a conferência aduaneira dos bens de viajantes declarantes parametrizados para o Canal Vermelho, bem como daqueles que optaram pelo canal “Nada a declarar” e foram selecionados para o referido Canal.

 

Ainda este ano será iniciado o desenvolvimento do Módulo Anuentes, que possibilitará aos órgãos com atuação integrada a consulta de informações de interesse específico constantes na e-DBV e a consignação da anuência de bens. Para o modal aéreo, tão logo estejam disponíveis as informações antecipadas de passageiros, conhecidas como API (Advanced Passenger Information) e PNR (Passenger Name Record), serão desenvolvidos os Módulos Análise de Risco e Reconhecimento Facial, que farão a analise de risco de viajantes (declarantes e não declarantes) e sua identificação por biometria facial na passagem pelos canais de declaração, permitindo uma rápida e eficaz seleção para a fiscalização de bagagens.

Comentários

comments

Envie seu Comentário