Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de agosto 2013

Um alerta sobre a substituição tributária

30 de agosto de 2013 0

SecraeLuizO presidente do Sebrae nacional, Luiz Barreto, que participou ontem da audiência pública sobre a mudança no estatuto da micro e pequena empresa em Florianópoli, defendeu o regime de transição para empresas do Simples e criticou a adoção da subsituição tributária por Estados às pequenas empresas. A audiência contou com a participação do deputado federal Guilherme Campos (E);  presidente da Fecomércio do Rio Grande do Sul, Zildo de Marchi; Luiz Barreto;  presidente da Fecomércio, Bruno Breithaupt; deputados federais armando Vergílio e Jorginho Mello; e o presidente da Fiesc, Glauco José Côrte.

Um dos problemas do Simples é que as empresas não querem mais sair dele. Como resolver isto?

Luiz Barreto – Primeiro é preciso reconhecer que o Simples foi um grande avanço no ambiente legal para os pequenos negócios. Temos quase 8 milhhões de empresas nesse sistema, com menos tributos, menos burocracia e mais compras governamentais.Se passaram seis anos e temos uma nova agenda. Um dos pontos dessa nova agenda e desse projeto é o regime de transição. Não há morte súbita. Você trabalha o seu modelo de negócios pensando nessa redução de tributos de quase 50% na média do simploes e como você vai para a selva quando chega a R$ 3,6 milhões. É evidente que o mundo real oferece alternativas. A pessoa abre outra empresa. É muito melhor que a gente pense formalmente nisso, ou no tempo, ou nas faixas. Isso estimularia o crescimento. Você tem que premiar o desepenho positivo.

Quando essa mudança será aprovada e entrará em vigor?

Barreto – Aí depende do Congresso, dos nossos deputados e senadores. Temos um projeto que traz um conjunto de temas. Há uma comissão especial que está tratando do assunto. Estamos fazendo audiências nos Estados.

E a substituição tributária?

Barreto – Este tema talvez mais importante do que o Simples porque está tirando todo o tratamento diferenciado que a micro e pequena empresa tem no Simples. SC e PR fizeram um acordo para manter a vantagem às pequenas empresas. Está tirando direitos. Os outros estados estão adotando a substituição tributária para todos os produtos. Isso deixa as empresas sem capital de giro. Elas precisam antecipar compras. Você pensa numa loja de brinquedos que precisa fazer um bom planejamento. Dia 12 de outubro é a melhor data para ele. Então, precisa se preparar, fazer um estoque antecipado. Na hora que ele compra tem que antecipar o imposto. Isso não faz diferença para uma grande empresa, mas para uma pequena é uma dificuldade enorme porque ela vive com dificuldade de capital de giro. A industria é mais penalizada do que o comércio e os seviços. Este é um tema que não tem nada a ver o governo federal, mas com os governos estaduais, secretários de Fazenda e o Confaz. Eles pegaram uma boa lei para grandes cadeias como fumo e combustíveis e estão adotando para todos os produtos. Eles precisam escolher algumas cadeias para a substituição tributária e dar um tratamento diferenciado para a pequena empresa.

 

SCGás vai negociar novo aumento do gás natural

30 de agosto de 2013 0

A SCGás informa que, em função da grande variação do dólar, terá que negociar um novo aumento para o gás natural. A meta é definir o percentual do reajuste na próxima semana.

Facisc elege novo comando hoje

30 de agosto de 2013 0

Líderes de associações empresariais do Estado elegem hoje o empresário Ernesto Reck, de São Lourenço do Oeste, para suceder Alaor Tissot, de Florianópolis, na presidência da Federação das Associações Empresariais do Estado (Facisc. O primeiro vice-presidente será André Gaidzinski, de Criciúma, e a segunda vice-presidente, Christiane Hufenüssler, de Jaraguá do Sul. Mês passado, a entidade elegeu seus 12 vice-presidentes regionais e divulgou, em uma série de plenárias em todo o Estado, os dados financeiros de 2012, dando ênfase à transparência de gestão.

Alta de 1,5% do PIB supera expectativas

30 de agosto de 2013 0

Desta vez, a variação da economia surpreendeu com alta. O PIB do segundo trimestre frente ao primeiro deste ano subiu 1,5% enquanto analistas esperavam até menos de 1%. Segundo o IBGE, o agronegócio teve expansão de  3,9%, seguido pela indústria com 2% e os serviços, que tiveram alta de 0,8%. Outra notícia positiva foi a alta de 3,1% da taxa de investimento, que é a formação bruta de capital fixo. Os gastos do governo subiram 0,5%. Com relação ao comércio exterior, as exportações subiram 6,9%, já refletindo as vendas agrícolas e o dólar mais alto enquanto as importações tiveram crescimento de apenas 0,6%.

Consultora orienta sobre moda para trabalhar

29 de agosto de 2013 1

Em tempos de Donna Fashion, a conversa do espaço Estela Entrevista é com a consultora de moda Roberta Carlucci, que já esteve no outro lado do balcão. Ela atuou em multinacional e, em determinada ocasião, não pode promover um profissional competente porque ele  não se vestia adequadamente para a nova função.

A maneira como o profissional se veste e se comporta no trabalho pode ser decisiva para a sua ascensão na carreira. O alerta é da consultora de imagem Roberta Carlucci, que abraçou esta atividade após atuar como executiva da multinacional americana de tecnologia Sapient na Alemanha. Uma das hostess do Donna Fashion Iguatemi, que acontece hoje e amanhã, na Capital, Roberta deu conselhos de moda e estilo para ambiente de trabalho.

Conforme Roberta, que fez curso no Instituto Marangoni, em Londres, não é preciso investir alto para estar elegante no trabalho. Isto porque as grandes lojas de departamento estão oferecendo opções de qualidade, na moda, com preços acessíveis. Os homens devem ter cuidados com o visual, como barba feita ou aparada, cabelo cortado, sapato lustro e perfume discreto. Para as mulheres, a orientação é uma maquiagem leve. Quanto ao look para eles, ela aconselha ternos bem cortados, com tamanho e altura certos, especialmente nas cores marinho, marrom e grafite. Para elas, as opções são mais diversificadas. Se o ambiente é formal, deve-se optar por terno, saias e outras peças clássicas. Os calçados e as bolsas também precisam ser mais formais. Ela aconselha evitar peças sensuais no trabalho. Roberta lembra que quando atuava na Alemanha, teve que deixar de promover o profissional mais competente da sua equipe porque ele não usava roupas clássicas, conforme o ambiente de trabalho requeria. Veja a entrevista com as dicas no vídeo.

Prefeito posterga decreto que limita caminhões na Capital

29 de agosto de 2013 0

A restrição de carga e descarga na cidade de Florianópolis, pelo decreto 11.942/13, foi postergada e vai entrar em vigor dia 4 de novembro. Essa decisão foi tomada hoje à tarde, em reunião do prefeito Cesar Souza Junior com o Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina (Cofem) e demais entidades. Na reunião, foi decidido criar uma comissão coordenada pelo Instituto de Planejamento Urbano (Ipuf) da Capital e as entidades para encontrar alternativas aos pontos mais críticos do decreto. A primeira reunião será  em meados de setembro. Segundo o diretor da Fecomércio, Marcos Arzua, a decisão de hoje mostra disposição do prefeito em dialogar. Agora, cada setor deve apresentar relatório sobre custos de adequação ao decreto e apontar alternativas que satisfaçam tanto as empresas quanto o poder público.

Vivo lança tecnologia 4G em Florianópolis e Joinville

29 de agosto de 2013 6

A operadora de celular Vivo lança amanhã, em Florianópolis e em Joinville, a tecnologia 4G para celulares, smartphones e notebooks. O anúncio será feito para a imprensa às 11h, no Hotel Majestic, pelo diretor geral da Telefônica no Brasil, Paulo Cesar Teixeira. A tecnologia oferece velocidade de conexão até dez vezes mais rápida do que a 3G. Inicialmente, o governo exigiu a oferta nas cidades que vão sediar jogos da Copa do Mundo. As cidades de Florianópolis e Joinville terão acesso antes porque poderão sediar equipes do mundial para treinar. A exigência da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) é de que o serviço seja oferecido em SC até o final do ano, mas a Vivo está antecipando. A TIM já disponibilizou em Curitiba e prevê a oferta em SC até dezembro.

Segundo a Anatel, a Vivo fechou julho com 116,019 mil acessos com 4G, de um total de 257,2 mil do mercado. A TIM, em julho, assumiu a segunda colocação, ultrapassando a Claro, que estava nessa posição no mês anterior. Os acessos de 4G da TIM, em julho, alcançaram 66,1 mil; a Claro somou 44,5 mil da Claro e a Oi, 30,4 mil.

 

Atualizada às 18h37min

Governo lança centrais reguladoras regionais para acabar com filas na saúde

28 de agosto de 2013 0

O novo plano de saúde anunciado hoje pelo governador Raimundo Colombo, a secretária de Saúde, Tânia Eberhardt e equipe tem entre os objetivos principais acabar com as filas para cirurgias eletivas. Para isso, serão lançadas oito centrais reguladoras regionais que serão criadas por meio de medida provisória. O cidadão vai ter o diagnóstico na sua região e será encaminhado para essa central, informou o secretário da Fazenda, Antônio Gavazzoni, um dos gestores do plano. Essas centrais serão nas macrorregiões do Nordeste e Planalto Norte, Grande Florianópolis, Vale do Itajaí, Foz do Rio Itajaí, Sul, Serra Catarinense, Meio Oeste e Grande Oeste.

Conforme o plano, todas as filas de cirurgias, consultas, exames e internações serão controladas pela regulação, garantindo igualdade de atendimento a todos os catarinenses, de acordo com a urgência de cada caso. Gavazzoni informa que os 190 hospitais do Estado já são parceiros do governo e estão fazendo cirurgias eletivas. Nos últimos dois anos, fizeram 40 mil cirurgias e esse programa vai continuar.

- Agora, vamos lancar o pró-mutirão dentro dos hospitais públicos. Vamos usar a capacidade ociosa aos finais de semana, feriados e pontos facultativos para fazer cirurgias que também serão remuneradas por produção – disse o secretário da Fazenda.

Entidades se reúnem com o prefeito para discutir transporte

28 de agosto de 2013 0

As federações empresariais que integram o Cofem e outras entidades têm reunião amanhã à tarde com o prefeito Cesar Souza Junior, de Florianópolis. Querem discutir medidas visando mudar as exigências de decreto que proíbe a entrada de caminhões na cidade, das 6h da manhã até às 20h. Segundo o presidente da Federação dos Transportes, Pedro Lopes, a mudança vai implicar em custo de 35% a 37% maior a empresas transportadoras. Já a maioria da população gostou da medida, que deixa o trânsito melhor para automóveis.

Medidas para a saúde saem hoje

28 de agosto de 2013 0

O governador Raimundo Colombo anuncia hoje, a partir das 9h30min, a série de medidas que adotará para resolver problemas dos serviços de saúde nos 14 hospitais públicos do Estado. Uma das medidas esperadas pela população é a redução das filas para cirurgias eletivas.

Como o dólar alto afeta SC

28 de agosto de 2013 0

O dólar mais alto nas últimas semanas causa reflexos diferenciados para empresas e consumidores catarinenses. Até o momento, o impacto maior no varejo é o aumento do pão em função do trigo mais caro, afetado pela variação da moeda e também pela menor oferta do cereal na América do Sul. Mas a indústria tem uma diversidade maior de impactos, que se estendem gradativamente. Enquanto aumentam os insumos importados, o setor fica mais competitivo para exportar e ganha mercado interno devido à queda das importações. O presidente da Federação das Indústrias do Estado (Fiesc), Glauco José Côrte, acredita que, com os esforços do governo para conter as oscilações do dólar, a moeda vai se estabilizar em torno de R$ 2,35. Outro impacto ocorre nas empresas que têm dívidas em dólar. Além disso, o setor observa atentamente o que o Banco Central fará com a taxa básica de juros Selic na reunião de hoje com o objetivo de conter a inflação causada inclusive pelo dólar.
– No curto prazo tem o efeito das importações. Vai haver contenção de compras externas de itens que não forem essenciais e
que podem ser substituídos por produtos nacionais, como roupas e eletrodomésticos – diz Glauco Côrte.
As empresas exportadoras buscam negócios lá fora porque o mercado interno está contido.

A Associação Catarinense de Supermercados (Acats) informa que, por enquanto, o impacto não é tão grande aos consumidores do setor porque, na maioria das redes, os importados representam apenas cerca de 1% da oferta de produtos.

Doutores para elevar a renda no campo

27 de agosto de 2013 1

Ao mesmo tempo em que adota o Programa de Demissão Voluntária Incentivada (PDVI), a Epagri, empresa de pesquisa agrícola e extensão rural do Estado organiza concurso público para contratar, em fevereiro do ano que vem, 34 doutores por salário em torno de R$ 7,8 mil. Segundo o presidente da estatal, Luiz Hessmann, 12 pesquisadores poderão sair com o programa de demissão nos próximos três anos. O objetivo é transmitir conhecimentos para a continuidade das pesquisas pelos novos profissionais e ampliar os trabalhos.
– Trabalhamos para ampliar a renda e a produtividade no campo. Nossas pesquisas visam a maior produção com mais tecnologia e considerável redução do uso de agrotóxicos. Fazemos pesquisas para maçã, banana, pera, hortaliças, mandioca, arroz, videiras, alho, cebola, pastagens e outros produtos – diz.
A Epagri tem 2.151 funcionários e 422 podem aderir ao PDVI. Ontem eles receberam as primeiras explicações sobre o programa e a empresa deu algumas sugestões para melhorar. A proposta para quem está perto da aposentadoria e decide sair é o pagamento de 17 meses de salário com manutenção do plano de saúde neste período. Depois o servidor pode optar por continuar com o plano de saúde, desde que pague a sua contribuição e a da empresa.

Com fiscalização maior, cai a sonegação

27 de agosto de 2013 0

A arrecadação de ICMS do Estado não aumenta apenas quando os fiscais identificam sonegação. A certeza da fiscalização também dá resultado. É o caso do segmento de tintas. Até março de 2013, arrecadou R$ 1,9 milhão a menos do que o mesmo período de 2012. Mas de abril a julho, após o lançamento da Operação João de Barro, a arrecadação teve acréscimo de R$ 9,2 milhões frente aos mesmos meses do ano passado. Nesse período, a Fazenda do Estado iniciou uma acirrada investigação que apurou infrações da ordem de R$ 40 milhões.

Águas termais e gastronomia de SC

26 de agosto de 2013 0

A Associação de Turismo Hidrotermal de SC (Athisc) se mobiliza para incrementar a visitação de resorts e hotéis do segmento no inverno. A proposta é associar a essa opção de lazer produtos típicos da gastronomia de inverno de Santa Catarina: vinhos, maçãs e sabores da gastronomia regional. Os empresários Edson Ziolkowski, de Fraiburgo, e Rogério Lebarbenchon da Silveira, de Lages, assumiram a diretoria da recém criada Diretoria de Estância Climática da associação e vão liderar esse trabalho como diretor e vice-diretor respectivamente. Essa nova ação tem o apoio do secretário de Estado do Turismo, Cultura e Esporte, Beto Martins, e do presidente da Santur, Valdir Walendowsky.  

 

Mais serviços de beleza

26 de agosto de 2013 0

arenatoO cabeleireiro e empresário Renato Fuzz, sócio da rede Fuzz, que tem quatro unidades distribuídas em Florianópolis, Palhoça e Joinville, acaba de chegar da Alemanha com metas arrojadas. Projeta crescer 20% até 2014 mas sem abrir novos salões. A meta é aumentar o número de clientes atendidos e a receita das unidades, mantendo a alta qualidade dos serviços. Renato é um profissional conhecido internacionalmente por meio da sua parceria com a marca alemã Wella. Dá cursos na Europa, especialmente na Alemanha e Itália. É um dos hair stylist da multinacional mais requisitados para eventos mundiais, além de ser um dos representantes brasileiros no projeto social global da marca Making Waves, que dá formação a jovens carentes.

Ministro da Micro e Pequena Empresa vem ao Estado

26 de agosto de 2013 0

O ministro Guilherme Afif Domingos, titular da Secretaria Nacional da Micro e Pequena Empresa, virá ao Estado pela primeira vez como líder da pasta sexta-feira. Ele é o convidado para debater as mudanças no estatuto da micro e pequena empresa propostas no projeto de lei 237/2012 em seminário promovido pela Fecomércio, às 15h, no auditório do Hotel do Sesc de Cacupé, em Florianópolis. O evento é uma sugestão do deputado Jorginho Melo (PR-SC), autor do requerimento para a realização da audiência pública sobre o Simples Nacional. Além do presidente da Fecomércio, Bruno Breithaupt, também participarão o deputado Claudio Puty (PT-PA), relator do projeto; Glauco José Côrte, presidente da Fiesc; e Bruno Quik, gerente de Políticas Públicas do Sebrae Nacional.
Conforme a Fecomércio, o projeto 237/2012 modifica a Lei Complementar 123/2006, que instituiu o Estatuto da Micro e Pequena Eempresa e da Empresa de Pequeno Porte. Esta é a quinta revisão da lei geral das Microempresas. Atualmente, as micro e pequenas empresas representam 20% do PIB, 60% dos empregos e 99% do total de empresas no Brasil. Desde que o regime especial foi criado, milhares de empresas ingressaram no Simples Nacional. Em Santa Catarina, 41,10% das empresas estão no Simples.

Montadora pretende fazer no país o Série C

26 de agosto de 2013 0

MercdessO primeiro veículo sofisticado que a Mercedes-Benz pretende fabricar no Brasil, segundo fontes do mercado, é o sedan C 180 (foto) – um clássico na categoria e líder no segmento nos últimos dois anos. A meta seria montar 20 mil carros/ano numa primeira etapa. A Série A deve ser produzida numa fase seguinte. A propósito, a DVA, concessionária da marca em Santa Catarina, expõe os dois modelos no Beiramar Shopping, na Capital, até o dia 31. A empresa também expõe veículos das marcas Dodge, Jeep e Smart.

SC tem a melhor proposta para a Mercedes

26 de agosto de 2013 0

O Estado segue na disputa pela fábrica de automóveis de luxo da montadora alemã Mercedes-Benz, que está finalizando as análises para decidir, em cerca de 60 dias, onde instalará a unidade. Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Paulo Bornhausen, Santa Catarina tem a melhor proposta técnica para a companhia porque elaborou um regime automotivo para fabricantes de carros premium e empresas da fronteira do conhecimento, cujo payback (retorno do investimento do Estado) é de oito anos. A primeira a aderir foi a BMW, que recebeu linha especial de crédito de R$ 240 milhões do BNDES via BRDE. Bornhausen diz que não pode dar detalhes sobre a negociação porque o governo firmou um acordo de confidencialidade com a Mercedes.
Nesta fase, a empresa avalia três cidades para sediar o projeto: Joinville, em Santa Catarina; e Piracicaba e Sumaré, em São Paulo. O jornal Valor apurou com uma fonte da montadora que as opções de Minas Gerais e Rio de Janeiro não estão mais sendo consideradas e que ainda há estudos sobre a real viabilidade de produzir carros de alto padrão no Brasil. Bornhausen reconhece que São Paulo tem vantagens por sediar fábricas de caminhão e ônibus da Mercedes, mas afirma que entre os diferenciais de SC está a questão logística, com quatro portos no Norte.

Um polo

Se a Mercedes escolher Joinville, a região vai se tornar um polo de carros de luxo. Isto porque a BMW está se instalando em Araquari e a Audi confirmou sexta que vai produzir em São José dos Pinhais, PR. As três ficarão numa linha de 143 quilômetros, destaca o presidente da Câmara Automotiva da Fiesc, Hugo Ferreira. Ele observa que a Land Rover também negocia com o governo de SC.

Mínis

A BMW ainda não contratou fornecedores de peças de SC. Hugo Ferreira afirma que entre as indústrias com potencial estão Tuper, Rudoph Usinados e Schulz.

Além do polo de veículos no Norte, a Serra avança no setor com a confirmação da Sinotruk em Lages. O governador Raimundo Colombo negocia também a vinda de uma fabricante de empilhadeiras da China, interessada em instalar unidade no Brasil.

ParkCity Itajaí é o novo shopping do polo logístico de SC

26 de agosto de 2013 0

aneve22A cidade de Itajaí, centro do maior polo logístico portuário catarinense e que cresceu 700% em 10 anos, foi a escolhida pelo grupo SmithCo, do empresário Carlos Smith, do RS, para sediar um shopping center de R$ 200 milhões, com 220 operações. Baseado na Avenida Governador Adolfo Konder, o ParkCity Itajaí será lançado quinta-feira e deverá ser inaugurado em setembro ou outubro de 2015.

Por que a SmithCo decidiu investir em shopping em Santa Catarina?
Carlos Smith
– O Estado é muito próximo de nós (o RS) e muito semelhante na origem e características. Ao mesmo tempo, tem experimentado um grau de desenvolvimento extraordinário dentro dos padrões brasileiros. Nos últimos anos, Santa Catarina avançou tanto em nível de qualidade, quanto em melhor distribuição de renda, conseguindo agregar empresas e investimentos. Itajaí tem um porto eficiente, bem administrado. Todo o complexo portuário tem esse perfil. Isto vem agregando empresas. O que fazemos é prover para uma comunidade um conjunto de bens e produtos e este é o momento.

Quais serão as características do empreendimento?
Smith
– O ParkCity é uma evolução do processo de shopping centers. São centros comerciais leves, alegres, com custos de implantação adequados para serem colocados em cidades de médio e pequeno porte. Consumidores desse novo cinturão de riqueza brasileiro podem acessar, na sua cidade, as melhores lojas em ambientes que teriam nas grandes cidades. O conjunto arquitetônico e de custos é mais suave, mas extremamente moderno. Obedece o perfil de um shopping de tamanho médio, com características regionais.

Como será a estrutura de lojas?
Smith
– O shopping terá mais ou menos 220 lojas, cinco âncoras, quatro megalojas, um hipermercado, 17 operações na praça de alimentação, dois restaurantes, complexo de lazer, cinemas e 1,6 mil vagas de garagem.

Quais os planos para início das obras e inauguração?
Smith
– Iniciamos a fase de pré-comercialização que será aberta dia 29 de agosto. A construção do ParkCity será em 24 meses e o shopping estará operando em setembro ou outubro de 2015. Durante a implantação deve empregar cerca de 1,2 mil pessoas e quando estiver operando vai gerar cerca de 2 mil empregos diretos. Os salários são acima da média de mercado.

O que a SmithCo oferece aos lojistas?
Smith
– Oferecemos informação, qualificação e orientação. Quanto ao aspecto financeiro, há parcerias com bancos para prover os lojistas de capital de giro. Um dos nossos diretores está em contato com o BRDE, banco que oferece financiamento mais adequado a projetos de varejo.

O grupo avalia a instalação de mais shoppings em SC?
Smith
– Temos estudado outras cidades e o Estado poderia ter mais um ou dois empreendimentos nessa linha.

Quando estreou nesse segmento?
Smith
– Começamos no início da década de 1990. Os principais shoppings que fizemos são o complexo Moinhos Sheraton, em Porto Alegre, o Shopping Taboão em São Paulo, e o Grande Rio no Rio. Estamos fazendo um shopping em Sumaré, SP.

Como avalia o cenário econômico?
Smith
– O Brasil passou por uma fase importante com o dólar muito barato, que facilitou o consumo. Agora, com o dólar alto, as importações ficarão mais difíceis e a indústria vai crescer mais. O varejo não terá quedas importantes. A fase mais difícil foi a de junho, das manifestações. O país terá um pibinho este ano, mas com empregabilidade.

Junto à natureza
AneveConstruir shoppings é um desafio apaixonante para o empresário Carlos Smith. Para descansar nos finais de semana, prioriza contato com a natureza, passeios de motocicleta ou com veículo off-road (foto). – Quando vou para esses ambientes o conceito de sobrevivência é o mesmo, mas melhora a sensibilidade – diz o portoalegrense, que tem quatro filhos.
A gestão da SmithCo já conta com o apoio do filho Marcelo, de 21 anos.

Foto 1 – Ricardo Duarte

Foto 2 – Arquivo pessoal

Como o governo pretende acabar com filas nos hospitais

24 de agosto de 2013 5

Como os problemas nos serviços de sáude pública em Santa Catarina vão além da falta de recursos, o plano de gestão ao setor, que será anunciado quarta-feira, às 9h30min, pelo governador Raimundo Colombo, com base em estudos detalhados da consultoria Roland Berger, terá como um dos pontos altos a volta da remuneração por resultado. A Medida Provisória que o governador vai assinar prevê a médicos a exigência de carga horária e uma determinada produção. Acima disso, terão uma remuneração a mais por procedimento, incluindo cirurgias, exames e consultas. É fato que o problema da saúde não é de recursos, pois a cada ano o governo investe mais no setor e contrata mais profissionais. O foco deve ser na gestão e na meritocracia. Com isso a saúde pública de Santa Catarina voltará a ser referência positiva para o país disse o secretário de Estado da Fazenda, Antonio Gavazzoni, um dos líderes do novo plano ao setor. Também participam dos trabalhos a secretária de Saúde, Tânia Eberhardt, e o secretário-adjunto da pasta, Acélio Casagrande. Conforme Gavazzoni, os 14 hospitais públicos do Estado custam R$ 800 milhões por ano e o SUS fornece apenas R$ 134 milhões. A diferença é paga pelo tesouro estadual. A tabela do SUS não é reajustada há 15 anos. Outro entrave é a queda de produtividade. Há cinco anos, esses hospitais tinham mil médicos e hoje tem 1,7 mil, 70% mais. Só que a produção é 40% menor do que em 2007. A razão é que naquele ano caiu a remuneração por produtividade. O plano que está sendo adotado é parecido com o modelo de São Paulo.

União por soluções
Diferente do governo federal que comprou uma guerra com a classe médica com decisões de cima para baixo, o governador Raimundo Colombo e sua equipe buscaram a colaboração das entidades do setor no Estado. A Associação Catarinense de Medicina e sindicatos do setor foram ouvidos.