Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Empresária defende mais educação para que Jaraguá não perca centros de inteligência

24 de fevereiro de 2014 0

Monika1A empresária Monika Hufenüssler Conrads encerra dia 13 de março mandato de dois anos à frente da Associação Empresarial de Jaraguá do Sul (Acijs). Também presidente do conselho da multinacional Duas Rodas, ela liderou cerca de 40 projetos no período. Foi a segunda mulher a comandar a Acijs. A primeira foi sua irmã Christiane que hoje é vice-pesidente da Facisc. Nesta entrevista, Monika fala de negócios e poder feminino.

O que destaca do trabalho que desenvolveu à frente da Acijs nesses dois anos?

Monika Hufenüssler Conrads – Nossa gestão deu continuidade ao trabalho da Acijs. Reforçamos a representatividade frente ao poder público, pelas questões de saúde e educação a longo prazo. Um empenho especial foi para trazer a faculdade de Medicina para Jaraguá. Eu tenho conversado com o meu sucessor, o Paulo Mattos, sobre a necessidade de investir na juventude. Se não tivermos pessoas bem preparadas não dá para pensar em um futuro de Jaraguá diferente, melhor do que hoje. Também cobramos os projetos de infraestrutura, especialmente a duplicação da BR-280.

Como avalia o setor empresarial de Jaraguá do Sul e seu impacto na cidade?

Monika – Jaraguá do Sul sempre foi uma cidade empresarial por excelência. Temos empresas de grande porte que há muito tempo se tornaram multinacionais. Para a cidade, há implicações que precisam ser delineadas para o futuro. É obvio que uma empresa dessas não vai produzir apenas em Jaraguá. Ela cresce na região, no Estado, no Brasil e no mundo. Torcemos para que os donos continuem sendo de Jaraguá, mas que os centros de inteligência dessas empresas também continuem aqui. Isso agrega valor à cidade. Para manter isso é preciso de educação. Você tem que ter pessoas graduadas, treinadas, com conhecimento técnico. Não é só trazer gente de fora.

O que vai priorizar quando deixar a presidência da associação?

Monika – Vou me dedicar a outros projetos e à nossa empresa, a Duas Rodas, da qual sou presidente do conselho. É um desafio constante auxiliar a empresa a alcançar suas metas.

A Duas Rodas é uma multinacional, mas não é tão conhecida fora do setor de alimentos. Como está atualmente ?

Monika – Apesar do nome, a Duas Rodas atua com matéria-prima de alimentos. Ela é pouco conhecida da maioria do público mas grande parte dos produtos que as pessoas consomem tem aromas da Duas Rodas. Isso é um orgulho para a gente. Além da matriz em Jaraguá, tem fábricas em Sergipe, Manaus, Argentina, México, Chile, Colombia e Peru. É uma empresa inovadora, com muito potencial e um plano de expansão interessante. Ano passado, instalamos o Inovation Center, projeto que o presidente Leonardo Zipf está tocando.

Por ser mulher, teve algum obstáculo à frente da gestão da Acijs?

Monika – Não. Foi bem normal. Até porque sou engenheira, por isso estou acostumada com esse universo. Esqueço que sou mulher.

Como mulheres podem chegar ao poder?

Monika – Sabe aquela história, ninguém disse que é impossível e a pessoa foi lá e fez? Ser um bom profissional independe do gênero. A questão é ser competente e não ficar retraída por ser mulher.

Dá para conciliar carreira, empresa, família e associativismo empresarial?

Monika – É difícil, mas é possível. É preciso ter boas equipes e saber delegar. Eu sempre fiz muitas coisas ao mesmo tempo,  mas delego.

Mulheres no poder

Monika2Quando a Acijs comemorou 75 anos, em junho do ano passado, Monika recebeu homenagem da Aprevi, a associação de pequenas empresas da região de Itapocu, presidida por Leonir Zacarias de Souza (D). Vale lembrar que em 2012 Jaraguá tinha quatro mulheres em instituições importantes. Além de Monika e Leonir, a prefeitura da cidade era comandada pela Cecília Konell e a reitora da Faculdade Católica do município, Pedra Santana Alves.
Neta dos fundadores da Duas Rodas, Monika fez Engenharia Química na Federal do Paraná, é mestre em Engenharia de Alimentos pela Poli, da Universidade de São Paulo (USP) e fez pós-graduação em Engenharia, Administração e Economia na Alemanha. É casada com o arquiteto alemão Reinhard Conrads e tem duas filhas universitárias, Juliana e Luísa.

Comentários

comments

Envie seu Comentário