Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Afif defende mais exportações por pequenas empresas

11 de março de 2014 0

Afif3O ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, defendeu, hoje, em Florianópolis, tanto em evento no Sebrae quanto na Fiesc, maior participação das pequenas empresas nas exportações. Segundo ele, a exportação é uma forma de as pequenas indústrias continuarem com o benefício do simples faturando além do limite R$ 3,6 milhões por ano. Se venderem no exterior, podem chegar a R$ 7,2 milhões de receita mantendo o benefício fiscal. Durante a manhã, o ministro participou da reunião extraordinária do Fórum Permanente Estadual das Microempresas, Empresas de Pequeno Porte e dos Microempreendedores Individuais (Fempe/SC), ligado à secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Sustentável.
No evento, o governador Raimundo Colombo assinou o projeto da lei complementar que institiu o Estatuto Estadual dos Empreendedores Individuais e das Micro e Pequenas Empresas (MPEs), que foi para apreciação da Assembleia. Segundo ele, a nova lei proposta reduz a burocradia e incentiva a modernização das pequenas empresas. Presidente do Fórum Estadual das Microempresas, o secretário de Desenvolvimento Sustentável, Paulo Bornhausen, afirmou que o novo estatuto melhora as condições para as pequenas empresas serem mais inovadoras e competitivas. O governo catarinense fez uma parceria com o Sebrae para difundir mais o aprimoramento de gestão ao setor.

O ministro Afif Domingos almoçou com empresários na Fiesc, onde recebeu um documento do presidente da entidade, Glauco José Côrte defendendo a universialização do Simples no país e falou sobre a intenção do governo de incentivar mais exportações por parte de pequenas empresas. À tarde, ele esteve na Assembleia Legislativa, onde o projeto do estatuto foi apresentado. O ministro participa de diversas reuniões no país no projeto que o governo chama de Caravana da Simplificação. A intenção é adotar a rede Redesin em meados do ano, pela qual a meta é reduzir de 150 dias para cinco dias o prazo para abertura de empresas no país.

Na foto,  a partir da esquerda, o secretário Bornhausen, Afif, Colombo, o presidente do Sebrae nacional, Luiz Barreto e o presidente do conselho do Sebrae/SC, Alcantaro Corrêa no evento da manhã de hoje.

Comentários

comments

Envie seu Comentário