Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Juarez Machado vira nome de vinho da Villa Francioni

14 de março de 2014 1

AVillaJuarezO artista Juarez Machado, catarinense reconhecido no país e exterior, agora dá nome a um vinho fino de altitude. Elaborado pela Villa Francioni, de São Joaquim, com quatro uvas – Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc e Malbec da safra 2007 – o vinho Juarez Machado será lançado dia 26 deste mês, às 19h, na Assembleia Legislativa. Apreciador de vinho, Juarez já fez duas exposições tendo a bebida como tema, a Castelos de Vinho, em 2012, na própria Villa Francioni e, anos atrás, a Chateaaux Bordeaux, inspirada em visitas a vinícolas no interior da França, país que escolheu para morar há 30 anos.

Juarez Machado se inspirou na vinícola da Serra catarinense para criar uma série de rótulos exclusivos para o vinho que  leva seu nome. Fez sete, inspirados no olfato, tato, paladar e visão. A partir das telas, foram feitas as reporduções para os rótulos que, por isso, se tornam também obras de arte. Para complementar o toque do artista, ele escreveu um poema para o contra-rótulo de cada garrafa. Com teor alcoólico de 14%, a elaboração do vinho foi liderada pelo enólogo da vinícola, Orgalindo Bettú. Na foto, o artista diante de um quadro que será um dos rótulos.

Foto: Rute Enriconi, divulgação

 

 

Comentários

comments

Comentários (1)

  • Schell diz: 15 de março de 2014

    Infelizmente os vinhos catarinenses – rótulos à parte – sofrem de dois (quase) incontornáveis problemas: preço e teor alcóolico. O primeiro não será resolvido em pouco tempo, pois, os investimentos demandados são muitos e a produção é mínima. Não há como as cantinas se sustentarem; assim, os preços ficam altíssimos para vinhos novos e sem histórico referencial. O alto teor alcóolico é a “praga” das vinícolas, afastando mais do que aproximando os consumidores. Afinal, vinho é vinho, não cachaça ou outro destilado. E, cá para nós, 14 graus chega a ser indecente.

Envie seu Comentário