Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Talento a tiracolo no mundo da moda

27 de abril de 2014 1

Laci7A empresária e designer Laci Baruffi se apaixonou por couro quando customizava e produzia peças na infância e juventude. Em 1987, com o marido, Gilberto Darolt, fundou a fábrica em Ibirama. Hoje a marca Laci Baruffi produz 5 mil peças por mês, emprega 80 pessoas e tem cinco lojas próprias em Santa Catarina e no Paraná.

Como vocês entraram no segmento de moda em couro?

Laci Baruffi Darolt – Tudo começou em casa, com a cultura italiana. Minha mãe, Olga, era professora de modelagem em Pirabeiraba, interior de Joinville, e eu a acompanhava. Como eu também amo esporte e já jogava tênis, decidi cursar Educação Física na Furj (Univille). Fiz concurso no município, adorei dar aulas e fiquei na atividade oito anos. Meu namorado na época, Gilberto Darolt, com quem casei, fazia Engenharia Mecânica na Udesc, em Joinville. Naquele período, chegamos a produzir artesanalmente perfumes e bolsas de couro. Quando ele se formou, mudamos para São Paulo para ele trabalhar na Cofap. Eu passei a dar aula numa escola de judeus ortodoxos. Aprendi muito com a disciplina e a cultura deles.

Por que retornaram a SC?

Laci – O cunhado do Gilberto abriu uma empresa de madeira em Ibirama, no Vale do Itajaí, e o convidou para ser sócio. O governo mudou as leis, e eles tiveram que fechar o negócio após um ano. Como em Ibirama havia um curtume, decidimos iniciar um negócio na área de couro. Passei a comprar roupa em SP e vender para ter renda. Numa dessas viagens comprei uma máquina de costura antiga, e o Gilberto adaptou para couro. Começamos fabricando cintos, depois incluimos bolsas.

Como está a empresa hoje?

Laci – Temos cinco lojas próprias em Florianópolis, Blumenau, Joinville e Curitiba (duas), mais uma loja contêiner junto à fábrica em Ibirama. Nossa equipe tem 80 colaboradores e produzimos 5 mil peças por mês entre bolsas, carteiras, itens para viagens e outros. Usamos couros com acabamento de ponta de curtumes do RS e SP. Alguns são fornecedores, também, de grifes italianas. A qualidade e os acabamentos avançaram muito. Temos couros de diversas cores.

Toda a família trabalha na empresa?

Laci – Sim. Eu cuido da parte de criação, o Gilberto da área financeira, e a nossa filha Júlia, 23 anos, que concluiu Administração na Esag e estudou fora, atua no marketing. Ela está implantado o e-commerce, que vamos acelerar a partir de junho

E os planos de expansão?

Laci – Ano passado, nossas vendas cresceram 8%. Neste ano, se chegarmos a 4% estará bom. Estamos iniciando um projeto novo que é a instalação de corner em lojas multimarcas. Fica mais acessível ao lojista.

Como foi expor em Nova York?

Laci – Foi um projeto bem bacana. Numa parceria com a minha amiga, a artista Adri Volpi, customizei uma série de bolsas para uma exposição em Nova York ano passado. Foi um trabalho bastante elogiado.

Recuperação e descoberta
Laci8Uma fase marcante na vida de Laci Baruffi foi durante a recuperação de um acidente. Logo após sua formatura, saiu na carona da moto do então namorado Gilberto para entregar perfumes que fabricavam. Foram atingidos por um carro. Ela teve fraturas na perna (foto) e ficou nove meses sem caminhar. Nesse período, eles começaram a fabricar bolsas de couro. Ele cortava, e ela costurava. A jovem, que já gostava de customizar couro com a mãe, Olga, se apaixonou pela atividade que motivou o negócio atual.

Primeira foto: Daniel Conzi

Segunda foto: Arquivo pessoal

Comentários

comments

Comentários (1)

  • EXTIMPOMER.Charles diz: 28 de abril de 2014

    Parabéns LACI..Parabéns GILBERTO….IBIRAMA PARA O MUNDO!!!

Envie seu Comentário