Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 21 maio 2014

Os 50 anos de restaurante da Ilha é destaque no Congresso

21 de maio de 2014 0

O restaurante Lindacap, de Florianópolis, foi tema de comentário do deputado Onofre Agostini do PSD catarinense, hoje, na Câmara dos Deputados. O parlamentar destacou a qualidade da gastronomia de SC oferecida e, também, o fato de ser ponto de encontro de políticos e famílias.

Confira o texto do pronunciamento:
O SR. PRESIDENTE (Inocêncio Oliveira) – Concedo a palavra ao ilustre Deputado Onofre Santo Agostini, do PSD de Santa Catarina.
O SR. ONOFRE SANTO AGOSTINI (PSD-SC. Sem revisão do orador.) – Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, nós queremos fazer um registro, Deputado Jorginho Mello, que hoje o tradicional restaurante Lindacap, em Florianópolis, comemora 50 anos. O fundador Arlindo Bortolotti, catarinense de Jaraguá do Sul, inaugurou em 1964 o estabelecimento que viria a receber importantes nomes da política.
Sabe, Deputado Arolde, é um dos melhores restaurantes da Capital do Estado, é realmente um restaurante de suma importância em Florianópolis, onde se reúnem não só os políticos, mas todos aqueles que desejam saborear uma deliciosa comida catarinense. Por isso, nós fazemos o registro. É uma honra muito grande. E eu tenho certeza que o Deputado Jorginho Mello está muito contente, porque é um frequentador. Seguidamenteeu me encontro com o Deputado Jorginho Mello no Lindacap. É um belo restaurante e recomendo a todos que me honram neste momento com sua atenção que, indo à Capital do Estado, não esqueçam de visitar o Lindacap, que é realmente um belo restaurante,tem todo tipo de comida barata e boa.
Por isso, ao nosso querido amigo Arlindo, parabéns pela data do Lindacap. Estarei lá ainda, se Deus quiser, este final de semana, para comer uma comidinha gostosa do Lindacap.

Uma análise crítica sobre gastos públicos e carga tributária

21 de maio de 2014 1

Rabello3O economista Paulo Rabello de Castro, que abre hoje o projeto Cresce SC, às 14 horas, na Fiesc, tem uma posição conhecida sobre como a economia brasileira pode entrar num ciclo virtuoso de crescimento de longo prazo. Também coordenador do Movimento Brasil Eficiente (MBE), ele defende a redução da carga tributária para um limite de 30% do PIB e redução dos gastos públicos correntes. Assim, o país poderá elevar a média de investimento em relação ao PIB de 18% ao ano para cerca de 25%, o que vai gerar maior crescimento e geração de empregos.

Nesta fase pré-eleitoral, é necessário um aprofundamento desses temas para colaborar nas decisões dos candidatos e dos eleitores também. Os debatedores do evento serão Graciella Martignago, economista e consultora da Fiesc; Maurício Mulinari, economista da Fecomércio-SC e Adriano de Amarante, chefe do departamento de Ciências Econômicas da Esag-Udesc. O painel será mediado pelo jornalista Moacir Pereira, do Grupo RBS. A participação é livre. Inscrições no site do Diário Catarinense.

Foto: Divulgação, BD/27/02/2011

Presidente da Fiesc vê mais oportunidades com retomada da Europa

21 de maio de 2014 0

Após o Fórum Brasil-França, realizado ontem, em Paris, o presidente da Federação das Indústrias do Estado (Fiesc), Glauco José Côrte, avaliou que o mercado europeu, com a retomada gradativa do crescimento, oferece mais oportunidades para empresas catarinenses. Segundo ele, a França pode ser a porta de entrada ao mercado europeu, que tem 500 milhões de consumidores e um PIB de US$ 18 trilhões.
- É uma economia que vem retomando gradativamente o crescimento. Portanto, para o Brasil é importante a presença na União Europeia, e, particularmente, na França, que é o quinto maior investidor estrangeiro do Brasil, com 600 empresas já instaladas no País – comentou.

O encontro em Paris contou com a participação de 74 empresários, liderados pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), dentre os quais dirigentes de Vale, Embraer, Camargo Correa, Andrade Gutierrez, Eletrobras e BNDES, além do ministro do Desenvolvimento (MDIC), Mauro Borges. Entre as companhias francesas estiveram presentes Airbus, Areva e Casino. De SC, além de Côrte, o vice-presidente da Fiesc, Mario Aguiar também participou. O Fórum Brasi-França foi retomado no final do ano passado com um evento em Brasília.

Celesc Telecom ganha força

21 de maio de 2014 2

copelslsA Celesc começa a tirar da gaveta o plano de criar uma empresa de telecomunicações e internet apoiada na sua estrutura de fibra ótica. O presidente da estatal, Cleverson Siewert, recebeu o presidente da Copel, empresa de energia do Paraná, Lindolfo Zimmer, e o presidente da Copel Telecom, Adir Hannouche, em reunão semana passada. Ontem, Siewert e os diretores Enio Branco e Eduardo Cesconeto se reuniram com técnicos das duas companhias. Participaram profissionais das áreas jurídica, técnica, de regulação e novos negócios.
- A sinergia dos dois mercados pode auxiliar bastante na formatação deste encontro, em especial na área de Telecom, onde a Copel já desenvolve trabalho de reconhecimento nacional – disse o presidente da Celesc, Cleverson Siewert
A Copel Telecom obteve receita de R$ 250 milhões ano passado. A empresa é referência no país na oferta de internet rápida por um conglomerado de energia. A Celesc quer seguir esses passos. A Cemig e a CPFL fizeram o mesmo.

Na foto, Siewert (D), Enio Branco (C) e Cesconeto (segundo à esq.) na reunião com executivos da área técnica da Copel, ontem, na sede da Celesc.

Foto: Celesc, divulgação

Acif comemora 99 anos e faz homenagens

21 de maio de 2014 0

 acif997

A Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (Acif) fez entraga de homenagens na festa dos seus 99 anos ontem à noite. As distinções foram para o tenente-coronel Sidnei Schmidt (E), do Proerd; Beto Barreiros, do Box 32; o presidente da Acif, Sander DeMira que acompanhou os premiados; Rodolfo Pinto da Luz, secretário de Educação de Florianópolis; Maria Stella Bittencourt Andrade e Dalmiro Francisco Andrade, sócios da Andra Uniformes; jornalista Moacir Pereira, do Grupo RBS. O professor Rodolfo da Luz recebeu a Ordem do Mérito Empresarial, Beto Barreiros e a família Andrade, a medalha Karl Hoepcke, Moacir Pereira e Schmidt, a medalha Emilio Blum.

Os cem dos 100 anos
Ao comemorar os seus 99 anos de atuação ontem, a Associação Comercial e Industrial de Florianópolis anunciou que uma comissão de cem associados vai coordenar as festividades do centenário. Segundo o presidente da entidade, Sander DeMira, serão Os cem dos 100 anos. Com 3,3 mil associados, a Acif vai festejar a data com dois grandes projetos à cidade no ano que vem.

Contra a alta de impostos
O empresário Doreni Caramori, que falou em nome do conselho superior da Acif no evento de ontem, destacou a força da entidade que conseguiu mobilizar a cidade e derrubar o aumento do IPTU este ano. Foi aplaudido. A luta contra a elevação da carga tributária é consenso entre empresários de SC e as próximas propostas serão pela redução dessa carga.

Liderança de SC no programa Empreender

21 de maio de 2014 0

Santa Catarina é o Estado com mais empresas no Programa Empreender, parceria do Sebrae e da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais (CACB). São mais de 5,3 mil participantes que integram 390 núcleos setoriais ligados à federação. Esses números estão destacados no balanço social 2013 da Facisc, que será lançado amanhã, durante a Expogestão, em Joinville.

Expectativas sobre a palestra de Abilio Diniz

21 de maio de 2014 0

Os participantes da Expogestão, hoje, em Joinville, vão assistir à palestra do presidente do conselho da BRF, Abilio Diniz, com dois focos. Um envolve as novidades da gigante de alimentos que nasceu em Santa Catarina, entre as quais o plano de mudar o nome BRF para Sadia. O outro é a paixão do empresário pela vida e por grandes desafios.

Importações avançam na economia brasileira

21 de maio de 2014 0

O coeficiente de penetração de importações calculado pela CNI, que mede a participação de importados no consumo doméstico, atingiu novo recorde no primeiro trimestre deste ano. Chegou a 22,5%, com aumento de 0,4 ponto percentual.No caso da indústria de transformação, o coeficiente aumentou de 20,5% para 20,9%.
Na outra ponta, o coeficiente de exportação da indústria no trimestre ficou em 19,8%, quase o mesmo do quarto trimestre do ano passado, de 19,7%.Esses dados revelam que a mudança do câmbio com desvalorização do real não foi suficiente para impulsionar exportações.
Para o diretor de Relações Industriais e Institucionais da Federação das Indústrias de SC (Fiesc), Henry Quaresma, o que puxa esse coeficiente de importação da indústria, tanto de componentes quando de produtos acabados, são as compras externas de grandes equipamentos, como plataformas de petróleo, aviões e itens da indústria extrativa que o mercado brasileiro não oferece, como o cobre.Segundo ele, as importações de têxteis e confecções, por exemplo, avançaram pouco.
E a estabilidade das exportações da indústria evidencia que ela segue com dificuldades para competir pelos elevados custos de energia, mão de obra e logística.