Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Por que o crescimento de Lages acelera

30 de junho de 2014 1

Luiz1Uma série de investimentos privados e públicos dá um novo ritmo à economia de Lages, o maior município catarinense em extensão, com 2,6 mil quilômetros quadrados. Otimista com a crescente diversificação da economia, o presidente da Associação Empresarial de Lages, Luiz Spuldaro fala sobre essa boa fase e aponta a necessidade de mais infraestruturta.

Como está o atual momento da economia de Lages?

Luiz Spuldaro – É uma fase de investimentos e expectativas positivas. Há 10 anos, nosso retorno de ICMS era 1,92%. Hoje, temos esse mesmo percentual. De lá para cá foram criados vários municípios no Estado.Joinville tinha 14% do retorno e hoje tem 8% ou 9%. Blumenau também perdeu. Itajaí cresceu. Lages manteve. O município não tem mais um setor puxador de economia como era o caso da madeira, antigamente. As estimativas são de que, atualmente, os investimentos totais em Lages, entre privados e públicos superem R$ 600 milhões.

A madeira teve um forte ciclo econômico. Como está hoje?

Spuldaro – Em 1954 chegamos a ter 157 serrarias no perímetro urbano, quando Lages era a maior cidade do Estado e a maior arrecadadora de ICM. Hoje, temos 15 a 20 empresas do setor, todas trabalham com produtos acabados ou pré-cortados. Temos fábricas de móveis sob medida.A exportação de madeira não é grande.

Quais são as principais indústrias do município?

Spuldaro – São fortes os setores alimentício, de papel, metalurgia e confecções. A unidade da AmBev é a maior. Arrecada sozinha 65% do ICMS de Lages e 56% do ICMS da região. Do total que Lages recebe de retorno, 43% vem dessa empresa. A partir de outubro, quando ativará a linha da marca Stela Artois, terá capacidade de produção de 8 milhões de hectolitros/ano. Oferece 593 empregos diretos e 142 indiretos, carrega cerca de 100 a 120 carretas de bebidas por dia. Também do setor de alimentos temos a Vossko, que industrializa carne de frango, e a JBS, dona da Seara, que emprega mais de 500 pessoas na sua unidade de pizzas e lasanhas.

E em outros setores?

Spuldaro – No setor de papel, a Klabin tem em Lages a maior planta do mundo de fabricação de sacas. Na metalurgia, o destaque é a Minusa, maior fabricante de peças para tratores da América Latina. Em confeções, temos a Bella Janela e a DLZ.

De que forma evolui o turismo?

Spuldaro – O turismo ainda não tem impacto forte na nossa economia. Temos muito potencial. O principal evento é a Festa Nacional do Pinhão. Os hotéis fazenda melhoraram, mas temos apenas dois, o Boqueirão e o Pedras Brancas. Um segmento que está se desenvolvendo é o turismo em fazendas na Coxilha Rica.

O que muda no comércio com a chegada de um shoping center?

Spuldaro – A cidade tem atraído empresas de fora, especialmente supermercados como o Angeloni, Bistek, Big e Maxxi. Em outubro, vamos ter a inauguração do Lages Garden Shopping com 180 lojas, que vai empregar cerca de 2 mil pessoas. O investimento de R$ 150 milhões de sócios locais e o grupo Tenco vai atrair mais consumidores da região, onde vivem quase 1 milhão de pessoas.

Quais os principais investimentos em andamento?

Spuldaro – Há uma série de projetos. As principais prospecções são da montadora Sinotruk (caminhões) e da Novaer (aviões). Há o Orion Parque para tecnologia, expansões de indústrias, construção de PCHs e obras públicas como hospitais, rodovias e outras.

Como está a oferta de emprego?

Spuldaro – Durante muito tempo tivemos falta de vagas. Hoje, há cerca de mil para serem preenchidas.

Lages tem potencial para avançar na agricultura. Qual é a principal região?

Spuldaro – É a Coxilha Rica, que  tem 130 mil hectares que podem ser usados para agricultura, mas é preciso fazer ligação asfáltica. Produtores de Lages e de outras regiões do país estão ampliando o cultivo de áreas na região.

Vida empresarial

luiz2O empresário Luiz Spuldaro é fundador e sócio da LS Agência, que edita o Guia Múltiplo, uma lista telefônica que abrange 28 municípios da Serra Catarinense e Meio-Oeste do Estado. Graduado em Administração, ele já foi industrial e comerciante. Também atuou no setor público como secretário da Indústria, Comércio e Serviços do município. Este é seu terceiro mandado à frente da Associação Empresarial de Lages (Acil). Na foto, Spuldaro com a mulher Patrícia e o filho Luiz Felipe.

Comentários

comments

Comentários (1)

  • Maikon Ribeiro diz: 30 de junho de 2014

    Lages é uma cidade indicada para a venda de serviço?

Envie seu Comentário