Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de junho 2014

O Facebook já ganhou a copa das redes sociais

30 de junho de 2014 0

A Copa do Mundo é o evento mais popular do Facebook. A rede social preferida da maioria registrou mais de 1 bilhão de interações entre os usuários desde o início do Mundial. Segundo a empresa, esta foi a primeira vez que chegou a essa marca. E a liderança está com os Brasileiros. No jogo entre Brasil e Chile, por exemplo, 31 milhões de usuários realizaram 75 milhões de interações. No Brasil, foram 11 milhões de pessoas que fizeram 30 milhões de comunicações durante a partida. As informações são do site da Exame.

Impulso à economia de Florianópolis

30 de junho de 2014 1

Diversas atividades econômicas de Florianópolis estão ligadas ao mar pelo fato de o município abrigar belíssima ilha e praias continentais. Mas é possível agregar ainda mais valor, especialmente com o setor náutico. Essa virada será possível com a instalação de quatro marinas que estão em fase de licenciamento. Segundo o prefeito Cesar Souza Junior, o executivo municipal está finalizando os projetos e vai solicitar ao Serviço do Patrimônio da União (SPU) e a órgãos ambientais licanças para instalar uma marina na altura do trapiche da Beira-mar Norte e outra em área continental, ambas flutuantes, o que significa baixo impacto ambiental. Além disso, há dois projetos privados avançados, o da marina do hotel da Ponta do Coral, também flutuante, e o da Ponta do Ataliba, na área continental, perto do Parque Coqueiros, que será no Litoral e terá complexo de lojas e restaurantes.

Quatro marinas
O prefeito Cesar Souza Junior estima que os quatro projetos de marinas somarão investimento de pelo menos R$ 400 milhões. Como o município não tem recursos para investir, fará via parceria público-privada (PPP). Há empresários de SC, de outros Estados e do exterior interessados nos projetos. A propósito, cada barco acima de 25 pés gera de três a cinco empregos diretos.

Iluminação e serviços
A prefeitura vai lançar PPPs no segundo semestre deste ano também para a instalação de lâmpadas de LED para toda a iluminação pública da cidade. A expectativa é uma concessão de 20 anos por cerca de R$ 100 milhões. O município fará concessão para melhorar os serviços públicos aos cidadãos, com mais uso da internet.

Os 20 anos do real e os preços fora da curva

30 de junho de 2014 0

Mais moeda em circulação, oferta insuficiente de produtos e serviços e a cultura da indexação no DNA. Esses desequilíbrios pressionam preços para cima e geram inflação. As taxas brasileiras atuais já causam grandes estragos, mas os jovens com até 30 anos não têm ideia do que é uma hiperinflação, com aumento de preços diários. A propósito, quando eu era adolescente e atenta ouvinte de rádio, um dos programas que mais me chamaram a atenção foi sobre a hiperinflação de 1923, na Alemanha.

- O normal é ir à feira com dinheiro no bolso e trazer alimentos na cesta. Mas durante a hiperinflação alemã ocorria o contrário. As pessoas iam à feira com dinheiro na cesta e retornavam com alimento no bolso – dizia enfaticamente o locutor.

Eu não imaginava que, cerca de uma década depois dessa notícia voltada à história, o Brasil enfrentaria uma hiperinflação. Em 1989, os preços aumentavam todos os dias e os salários passaram a ser pagos em duas vezes, uma no dia 15 e outra até o início do mês seguinte para permitir mais poder de compra aos assalariados. Mas a alta de preços do Brasil não causou perdas insuportáveis a todos. Isto porque a hiperinflação daqui foi eletrônica, ou seja, todas as pessoas que tinham dinheiro em banco aplicavam diariamente no overnight. No dia seguinte, o valor estava reajustado com a perda do dia anterior. Essa situação foi estancada com o Plano Collor 1, em 1990, que confiscou quase todo o dinheiro das pessoas. Mas o Brasil teve que implantar diversos planos econômicos até conseguir o controle de preços com o Plano Real, adotado em 1 de julho de 1994.

Passados 20 anos, dá para dizer que o país teve duas décadas de relativa estabilidade da moeda, mas esses últimos anos de tolerância a uma taxa perto de 6,5% ao ano, o teto da meta que é de 4,5%, e a perspectiva de ultrapassar o teto em breve, assusta quem viveu o sobe e desce de mais de duas décadas atrás. O que se percebe é que quem está no poder só pensa na próxima eleição. Parece que não aprendeu que inflação alta prejudica todo o país, mas especialmente os mais pobres, os que todos os políticos dizem ter intenção de proteger. A principal origem da inflação brasileira está nos gastos públicos acima da receita. Os preços indexados também ajudam.

Por que o crescimento de Lages acelera

30 de junho de 2014 1

Luiz1Uma série de investimentos privados e públicos dá um novo ritmo à economia de Lages, o maior município catarinense em extensão, com 2,6 mil quilômetros quadrados. Otimista com a crescente diversificação da economia, o presidente da Associação Empresarial de Lages, Luiz Spuldaro fala sobre essa boa fase e aponta a necessidade de mais infraestruturta.

Como está o atual momento da economia de Lages?

Luiz Spuldaro – É uma fase de investimentos e expectativas positivas. Há 10 anos, nosso retorno de ICMS era 1,92%. Hoje, temos esse mesmo percentual. De lá para cá foram criados vários municípios no Estado.Joinville tinha 14% do retorno e hoje tem 8% ou 9%. Blumenau também perdeu. Itajaí cresceu. Lages manteve. O município não tem mais um setor puxador de economia como era o caso da madeira, antigamente. As estimativas são de que, atualmente, os investimentos totais em Lages, entre privados e públicos superem R$ 600 milhões.

A madeira teve um forte ciclo econômico. Como está hoje?

Spuldaro – Em 1954 chegamos a ter 157 serrarias no perímetro urbano, quando Lages era a maior cidade do Estado e a maior arrecadadora de ICM. Hoje, temos 15 a 20 empresas do setor, todas trabalham com produtos acabados ou pré-cortados. Temos fábricas de móveis sob medida.A exportação de madeira não é grande.

Quais são as principais indústrias do município?

Spuldaro – São fortes os setores alimentício, de papel, metalurgia e confecções. A unidade da AmBev é a maior. Arrecada sozinha 65% do ICMS de Lages e 56% do ICMS da região. Do total que Lages recebe de retorno, 43% vem dessa empresa. A partir de outubro, quando ativará a linha da marca Stela Artois, terá capacidade de produção de 8 milhões de hectolitros/ano. Oferece 593 empregos diretos e 142 indiretos, carrega cerca de 100 a 120 carretas de bebidas por dia. Também do setor de alimentos temos a Vossko, que industrializa carne de frango, e a JBS, dona da Seara, que emprega mais de 500 pessoas na sua unidade de pizzas e lasanhas.

E em outros setores?

Spuldaro – No setor de papel, a Klabin tem em Lages a maior planta do mundo de fabricação de sacas. Na metalurgia, o destaque é a Minusa, maior fabricante de peças para tratores da América Latina. Em confeções, temos a Bella Janela e a DLZ.

De que forma evolui o turismo?

Spuldaro – O turismo ainda não tem impacto forte na nossa economia. Temos muito potencial. O principal evento é a Festa Nacional do Pinhão. Os hotéis fazenda melhoraram, mas temos apenas dois, o Boqueirão e o Pedras Brancas. Um segmento que está se desenvolvendo é o turismo em fazendas na Coxilha Rica.

O que muda no comércio com a chegada de um shoping center?

Spuldaro – A cidade tem atraído empresas de fora, especialmente supermercados como o Angeloni, Bistek, Big e Maxxi. Em outubro, vamos ter a inauguração do Lages Garden Shopping com 180 lojas, que vai empregar cerca de 2 mil pessoas. O investimento de R$ 150 milhões de sócios locais e o grupo Tenco vai atrair mais consumidores da região, onde vivem quase 1 milhão de pessoas.

Quais os principais investimentos em andamento?

Spuldaro – Há uma série de projetos. As principais prospecções são da montadora Sinotruk (caminhões) e da Novaer (aviões). Há o Orion Parque para tecnologia, expansões de indústrias, construção de PCHs e obras públicas como hospitais, rodovias e outras.

Como está a oferta de emprego?

Spuldaro – Durante muito tempo tivemos falta de vagas. Hoje, há cerca de mil para serem preenchidas.

Lages tem potencial para avançar na agricultura. Qual é a principal região?

Spuldaro – É a Coxilha Rica, que  tem 130 mil hectares que podem ser usados para agricultura, mas é preciso fazer ligação asfáltica. Produtores de Lages e de outras regiões do país estão ampliando o cultivo de áreas na região.

Vida empresarial

luiz2O empresário Luiz Spuldaro é fundador e sócio da LS Agência, que edita o Guia Múltiplo, uma lista telefônica que abrange 28 municípios da Serra Catarinense e Meio-Oeste do Estado. Graduado em Administração, ele já foi industrial e comerciante. Também atuou no setor público como secretário da Indústria, Comércio e Serviços do município. Este é seu terceiro mandado à frente da Associação Empresarial de Lages (Acil). Na foto, Spuldaro com a mulher Patrícia e o filho Luiz Felipe.

Empresa lança cachaça com pingos de ouro

29 de junho de 2014 0

Não há limite para oferta de produto de luxo. O empresário Leandro Dias, sócio da empresa Dias de Ouro, de São Paulo, investiu R$ 500 mil na criação da Middas, uma cachaça ostentação com flocos de ouro de verdade, mas comestíveis. Segundo ele, o ouro é associado a poder e sucesso. Os pingos de ouro são de 23 quilates importados da Alemanha. Cada garrafa de R$ 700 ml sai por R$ 150 e pode ser comprada via internet, no site da Middas.  O blend do produto é diferenciado porque inclui uma cachaça que fica armazenada em tonel de madeira de amendoim do campo e outra em aço inoxidável.

 

Prefeitura digital no Norte do Estado

29 de junho de 2014 0

Acostumado ao ritmo de indústria, o prefeito de Joinville, Udo Döhler, diz que, agora, consegue visualizar melhor os números do maior município do Estado. Comemora o fato de ter digitalizado toda a gestão. Destaca que há quatro meses não assina mais nenhum documento. Tudo sai com assinatura digital, o que dá mais credibilidade e impede fraudes. Outro ponto importante é que é possível acompanhar os números da prefeitura praticamente em tempo real. O desafio agora é pagar todas as contas e ainda sobrar para investir.

Indicação de Joinville

28 de junho de 2014 0

BregajoinIndustriais de todas as regiões do Estado marcaram presença na entrega da Ordem do Mérito Industrial, ontem na Fiesc. A região de Joinville indicou o presidente da Whirlpool Latin America, João Carlos Brega (segundo à direita) para receber a distinção este ano. Ele disse que representou os trabalhadores do grupo, da Whirpool Eletrodomésticos, dona da Consul e Embraco, e da Embraco, que produz compressores herméticos para refrigeração e outros itens. Além de Brega, vieram o diretor institucional do grupo, Guilherme Lima (E), o presidente da Embraco, Roberto Campos,  o prefeito de Joinville Udo Döhler, e o novo presidente da Associação Empresarial de Joinville ( Acij) João Martinelli.

Foto de Jaksson Zanco, divulgação

Um dia do ano para usar a medalha na lapela

28 de junho de 2014 0

Indústriais que já receberam a Ordem do Mérito Industrial de Santa Catarina e do Brasil foram convidados a colocar a medalha na lapela no evento de sexta, na Fiesc, quando a entidade homenageou mais seis empresários com medalhas. O presidente da Tractebel, Manoel Zaroni, usou a sua pela primeira vez. É que ano passado, no dia em que foi homenageado, teve que participar de uma reunião do conselho do Grupo Suez, controlador da empresa, em Paris. Naquela data, foi representado pelo filho Renan.

"Embora alguns se esqueçam"

28 de junho de 2014 0

Ao discursar, ontem, sobre o futuro da indústria e suas necessidades para continuar crescendo, o presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, aproveitou para alertar sobre o que o mundo está fazendo e lembrar que a indústria tem papel expressivo na geração de impostos que sustentam o setor público.

- Como assinala o mapa estratégico da indústria 2013-2022, “somos parte do mundo”.   O  Brasil não pode deixar de observar os exemplos de outros países em que a indústria está no centro da estratégia de desenvolvimento. A atividade industrial, como se sabe, gera efeitos favoráveis sobre a inovação e produtividade das demais atividades da economia e produz importantes impactos positivos sobre a economia, o emprego, a exportação, a criação de riquezas e, embora alguns se esqueçam disso,  de receitas para manter o  setor público – afirmou o empresário.

Para virar o jogo da economia é preciso investir mais

28 de junho de 2014 0

Os líderes do PIB industrial catarinense se reuniram na manhã de ontem na sede da Federação das Indústrias de SC (Fiesc) em torno dos homenageados com as medalhas do Mérito Industrial da entidade catarinense e da CNI. Apesar do momento festivo, a queixa, nos corredores, é que a economia brasileira desacelerou. Para virar o jogo, é preciso investir mais, disseram os empresários.

O presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, disse que o setor industrial continua investindo e confiante no seu negócio. Ele avalia que os governos, especialmente o federal, deveria investir mais e retirar os entraves que impedem a execução de projetos. Côrte avalia que o vencedor (a) da eleição presidencial de outubro deve focar nisso.

O empresário Décio da Silva, presidente do conselho do grupo WEG, afirmou que para a economia brasileira voltar a crescer de forma sustentável é preciso aumentar, rapidamente, a taxa de investimentos, tanto na esfera pública quanto na privada. Frank Bollmann, presidente do grupo Tuper, de São Bento do Sul, que recebeu a Ordem do Mérito Industrial da CNI, afirmou que há projetos de infraestrutura no país, mas o setor, este ano, ainda não mostrou a que veio.

Mais três anos à frente da Fiesc

28 de junho de 2014 0

GlaucosIndustriais ligados a 119 sindicatos do setor reelegeram ontem a atual diretoria da Fiesc para mais três anos. O empresário Glauco José Côrte e o primeiro vice-presidente, Mario Cezar Aguiar, foram reconduzidos aos cargos. A posse festiva será dia 22 de agosto. A nova gestão seguirá priorizando educação e inovação para aumentar a competitividade da industria.

Dia de jogo, dia de churrasco

28 de junho de 2014 0

Um dos grupos de supermercados que apostam no churrasco para o encontro de torcedores ao jogo de hoje entre Brasil e Chile é o Giassi. Segundo o gerente comercial da rede, Noedir Bellettini Benfato, a empresa aumentou em 20% a 25% a oferta de cortes especiais esta semana nas 13 lojas. Outra aposta do Giassi são cortes de frango para assar.

Fiesc entrega Ordem do Mérito a industriais de SC

27 de junho de 2014 0

Industriais de SC recebem distinção na manhã de hoje, na Fiesc. A entidade entrega a Ordem do Mérito Industrial de SC aos empresários Avelino Bragagnolo (Avelino Bragagnolo S.A.), Gerd Baumer (WEG), Hylário Zen (Zen), João Carlos Brega (Whirlpool) e Vitor Zanetti (in memoriam). Frank Bollmann, da Tuper, recebe a Ordem do Mérito Industrial da CNI, a mais alta comenda da indústria do país.

Eletrosul inaugura usina solar em seus telhados

27 de junho de 2014 0

EletrosulsO projeto verde mais ousado da Eletrosul, a Usina Megawatt Solar, sobre os telhados da sede da empresa (foto), em Florianópolis, será inaugurado hoje, às 16h. Entre os convidados, o diretor do banco de fomento alemão KFW no Brasil, Carsten Sandhop, e a conselheira de Cooperação para o Desenvolvimento Sustentável da Embaixada da Alemanha, Kordula Mehlhart. O projeto teve apoio financeiro do governo alemão e do Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas para a América Latina (Ideal).

Programa prevê R$ 20 bilhões para ciência e tecnologia

26 de junho de 2014 2

Dilma26Convencido de que o Brasil precisa caminhar muito mais para avançar em ciência e tecnologia para inovar e melhorar a oferta de produtos e serviços ao mercado, o governo federal lançou o Programa Nacional de Plataformas de Conhecimento, que propõe investir até R$ 20 bilhões em 10 anos em áreas como tecnologia da informação, energia, petróleo, gás, fármacos e saúde.O objetivo é envolver todos os agentes que podem fazer a diferença como governo, universidades, bancos públicos de fomento e empresas.
O lançamento foi feito pela presidente Dilma Rousseff (foto) anteontem e foi acompanhado por dezenas de autoridades do setor, entre as quais o presidente do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), Sergio Gargioni (E), que também é presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina.
Os recursos virão das antecipações que serão pagas pela Petrobras em função do acordo de novas áreas que incorporou do pré-sal sem licitação. O plano prevê 20 centros nacionais de ciência e tecnologia que funcionarão numa espécie de hub (central). Cada um receberá R$ 1 bilhão, verba que será paga no período previsto e será aplicada em pesquisas.
O evento contou ainda com a participação do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, para tratar sobre mais recursos à Embrapii, a chamada Embrapa da indústria.

Foto: Roberto Stuckert Filho, divulgação

Os pais também têm deveres de casa

26 de junho de 2014 1

Quanto maior o nível de educação de um profissional, maiores são as chances de ter alta remuneração, de ser inovador e colaborar para aumentar a competitividade da economia. Mas a alta qualificação começa com educação básica de alto padrão e isso é alcançado com a participação dos pais. Esse foi um dos principais conselhos do painel sobre educação promovido ontem pela Federação das Indústrias (Fiesc) durante a Jornada Inovação e Competitividade da Indústria Catarinense.

A propósito, a federação vai priorizar, este ano, o incentivo da participação dos pais na educação dos filhos, informa o presidente da entidade, Glauco José Côrte. Segundo ele, pesquisa do Instituto Ayrton Senna apontou que as crianças cujos pais estimulam o estudo, acompanham as tarefas de casa, perguntam o que aprenderam no dia e conversam com os professores têm aprendizado mais avançado do que os demais alunos sem essa atenção familiar. E para fazer isso, os pais não precisam ter muito estudo.O mediador do painel, Mozart Ramos, membro do Conselho Nacional de Educação, destacou que na Coreia do Sul as escolas têm salas para receber os pais e eles fazem filas para falar com professores.

Não faltam números para justificar que o Brasil precisa de um esforço extraordinário para melhorar a educação e toda a colaboração é bem-vinda. Fernando Vargas, consultor da Organização Internacional do Trabalho (OIT) alertou que o mercado precisa de profissionais com conhecimentos em matemática, ciências, idiomas, capacidade de comunicar e interagir num ambiente cultural. Luiz Edmundo Rosa, diretor de Educação da ABRH, alertou sobre a baixa nota média do IDEB, que mede o ensino básico. A avaliação vai de zero a 10 e, em 2011, ficou em apenas 3,7. Mas há cidades pequenas e pobres do Nordeste onde a nota é 8. Isto porque a comunidade abraçou o colégio.

Daniela Arai, do Instituto Ayrton Senna, falou de competências sociais e da importância da participação dos professores. Disse que relatórios mostram que os empregadores sentem falta de competências adquiridas em atividades engajadoras, que desenvolvam trabalho em equipe.

Motos ecológicas e presença na Copa

26 de junho de 2014 0

HarleyO futuro sobre duas rodas também será ecológico. A Harley-Davidson vai lançar a LiveWire, elétrica, com bateria para 210 quilômetros, destaque no filme Os Vingadores 2. A confirmação foi feita em Nova York, pelo diretor de marketing, Hans Richer (foto). No Brasil, a Harley é a moto da Copa. São 355 unidades usadas por batedores da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para abrir caminho às delegações, informa Wanderlei Berlanda, da concessionária da marca em SC. A marca já é utilizada pela PRF que adotou o modelo Police, montado na unidade de Manaus. Para a segurança da Copa, a corporação levou a maioria das unidades que estão no para as cidades que são sedes do Mundial. De SC foram 28 motos. O instrutor da PRF no Estado, Roberto Reckeziegel, diz que o trabalho está fazendo a diferença para as delegações.

Foto: AFP

Games para brincar com matemática em milhares de questões

25 de junho de 2014 0

Firjam

Estudantes do Sesi-SC vão aprender matemática brincando a partir do próximo semestre. É que a Federação das Indústrias de SC (Fiesc) firmou parceria hoje com a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro para utilizar games já adotados com sucesso por lá e que vieram do exterior.  Todos os professores e alunos terão acesso online. Isto porque a matemática é fundamental para profissionais desenvolverem inovação e, assim, buscarem o salto de competitividade que o país necessita.

Participaram da assinatura o presidente da Fiesc, Glauco José Côrte (C) e o presidente da Firjan, Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira (E), com a presença do Secretário de Estado da Educação, Eduardo Deschamps (D).
- A matemática é essencial para que os alunos ampliem as possibilidades de carreira no setor industrial. Fomos buscar junto à Firjan a experiência internacional que eles trouxeram para o país e vamos aplicar essa metodologia no segundo semestre em escolas do Sesi. Toda a tecnologia é baseada em jogos, que atraem crianças e adolescentes, e que vão introduzi-los ao conhecimento da matemática que é importante para a carreira profissional – disse Côrte.

Gouvêa Vieira evidenciou a modernidade do programa porque as crianças gostam de games. Serão beneficiados cerca de 4 mil alunos das unidades do Sesi de Brusque, Criciúma, Caçador, Jaraguá do Sul, Joinville e São José. O plano inclui materiais e bibliografia básica, sala ambientada com recursos tecnológicos, formação continuada de professores e sistema de avaliação e acompanhamento pedagógico. Hoje o programa já é utilizado em escolas do SESI e do SENAI e no ensino médio da rede pública do Rio de Janeiro e da Bahia.

mangakskkssk

O programa foi desenvolvido pela empresa Mangahigh, de Marcus du Sautoy, professor de matemática da Universidade de Oxford, da Inglaterra. Cada lição da disciplina tem, em média, cinco jogos (imagem). Um dos games, por exemplo, permite ao aluno aprender regras básicas dos ângulos e teoremas da circunferência ajudando aranha tecer sua teia. Ao todo, são mais de 40 mil questões de matemática.

Inovação e competitividade na agenda da indústria

25 de junho de 2014 1

Começa hoje a Jornada Inovação e Competitividade da Indústria Catarinense, promovida pela Fiesc. São cerca de 1,5 mil inscritos que vão participar de palestras de especialistas do Brasil e exterior sobre temas como qualidade de vida, educação, inovação, tecnologia e ambiente institucional. Hoje, o assunto é qualidade de vida e educação. Às 9h45 será realizada a palestra Trabalhador saudável, indústria produtiva”, com Steven Aldana, um dos maiores especialistas norte-americanos em bem-estar e vida saudável no ambiente de trabalho. À tarde,  as palestras serão Gestão de economia para ambientes seguros e saudáveis; Novas competências para o profissional do século 21, e o painel O papel da educação para o desenvolvimento de competências para o mundo do trabalho. 

Governador tenta destravar plano de montadora de caminhões

25 de junho de 2014 0

O projeto de investimento mais difícil de sair do papel em Lages é o da montadora chinesa de caminhões Sinotruk. Ontem à tarde, o governador Raimundo Colombo se reuniu com o ministro do Desenvolvimento Mauro Lemos em Brasília. Eles encaminharam o processo que permitirá o início das obras de implantação da fábrica no município. Segundo Colombo, é o último estágio antes da construção, uma pendência jurídica.