Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Empresas se voltam à energia alternativa

23 de julho de 2014 0

A indústria do país pretende aproveitar mais oportunidades de geração de energia limpa com a instalação de usinas solares e eólicas em seus parques fabris. O tema será abordado hoje à tarde na reunião do Conselho de Política Industrial da CNI com palestra do presidente do Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina (Ideal), Mauro Passos, que foi convidado pelo presidente do Sistema Fiesc, Glauco José Côrte. As projeções apontam que as Américas vão investir nessas fontes alternativas cerca de US$ 1,3 trilhão até 2030, informa Passos com base em dados da Bloomberg. Só em energia solar serão 100 GW.

–A indústria quer conhecer melhor os cenários e as oportunidades porque a oferta de energia passa por uma fase de incertezas, diante de preços elevados – afirma Passos.

Segundo ele, as empresas podem instalar usinas solares ou aerogeradores. Isso reduz os custos e melhora a oferta. Além de empresas de diversos setores, cresce também o interesse do governo em investir no setor. Um impulso virá do leilão de outubro, que pretende acolher 860 MW em parques solares.

O Estado se destaca na geração solar. Tem a maior usina solar urbana, a da Eletrosul, e a maior em área aberta, no Sul do Estado, que tem entre os parceiros a Tractebel. A GM de Joinville tem usina solar e a Ciser planeja o mesmo. Uma unidade solar para residência custa de R$ 10 a R$ 15 mil e oferece retorno em oito anos. Além disso, aumenta numa maior média o valor de mercado do imóvel.

Comentários

comments

Envie seu Comentário