Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Alta da energia

29 de julho de 2014 1

Uma elevação da ordem de 20% no valor das tarifas de energia, conforme solicitado pela Celesc à  Aneel, teria forte impacto na produção industrial e atrapalharia a recuperação do crescimento industrial catarinense.  Em palestra ontem na Associação Empresarial de Joinville, o presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, disse que o aumento da energia teria que ser debatido tecnicamente. O impacto nos preços será grande.

 

Comentários

comments

Comentários (1)

  • Ricardo diz: 29 de julho de 2014

    A pressão dos industriais sobre a correção do preço de energia é algo que deveria ser usado para outros pleitos tão necessários. Tenho convicção que eles entendem que a Celesc tem comprado energia a 800,00 e vem cobrando menos de 200,00 durante o último ano. Se algum desses empresários aceitar produzir seu produto com o custo de 800,00 e cobrar menos 200,00 de seus clientes e conseguir mostrar a fórmula mágica, acho que aí o pleito passará a ser fundamentado. Caso contrário, que façam pressão aos céus para que chova e cesse o despacho das térmicas.

Envie seu Comentário