Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Fecomércio realiza painel com candidatos a governador

21 de setembro de 2014 1

A Fecomércio-SC realiza nesta segunda-feira, às 10h, na sua sede, um painel com os candidatos ao governo do Estado Claudio Vignatti, Paulo Bauer e Raimundo Colombo. Lideranças da entidade vão entregar a eles a Carta do Comércio, que foi elaborada com sugestões de lideranças de todo o Estado e traz os desafios do setor em educação, inovação, infraestrutura, legislação trabalhista e carga tributária.O evento será no auditório da entidade, no Centro de Florianópolis.

Segundo o presidente da Fecomércio, Bruno Breithaupt, esse documento reforça o compromisso do setor e da entidade com o Estado.
- O nosso objetivo, como entidade representativa do sindicalismo patronal, é colaborar e construir a sustentabilidade e a longevidade das empresas catarinenses e proporcionar um ambiente propício de crescimento, agindo de forma participativa e decisiva junto a todos os órgãos da administração pública – afirmou.

A propósito, o comércio de SC também sofre com o pífio crescimento da economia brasileira. No mês de julho, as vendas do varejo restrito, que inclui a maioria dos setores menos veículos e materiais de construção, cresceram apenas 0,9% frente ao mesmo mês do ano passado, enquanto no Brasil a expansão alcançou 3,5%, conforme dados do IBGE. No varejo ampliado, que inclui carros e materiais de construção, as vendas cresceram 2,1% em SC, em julho frente a mesmo mês de 2013 enquanto no país houve queda de 0,6%.

Comentários

comments

Comentários (1)

  • Jackson Fávero diz: 22 de setembro de 2014

    Penso que é bastante curioso o uso do termo sustentabilidade na boca de quem pouco ou nada é sustentável ou mesmo se vende como sustentável sem conhecer o termo sustentabilidade, de sorte que agora temos o artigo 36 do CONAR, para evitar propagandas “greenwashing”, precisamos estar atentos para evitarmos o uso indevido do termo, é preciso ser sustentável e não apenas se vender como sustentável, um Estado que em 4 anos faz apenas 1% de saneamento básico, não pode, nem deve ser tratado como sustentável, ainda mais quando se aprova o código ambiental que incentiva poços profundos e cisternas.

Envie seu Comentário