Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Furlan defende criação de marcas globais

01 de outubro de 2014 0

Maior grupo empresarial catarinense, a BRF, dona das marcas Sadia, Perdigão, Plusfood e outras, amplia crescimento no exterior com exportações e aposta em marcas próprias globais. Foi isso que enfatizou o empresário Luiz Fernando Furlan,
conselheiro da companhia e ex-ministro de Desenvolvimento, ontem, em Florianópolis. Em palestra promovida pelo Lide Santa Catarina, mostrou otimismo com o futuro do Estado e do Brasil. A BRF, que exporta 46% da produção, acelera as vendas externas, especialmente de carne suína, em função da melhor sanidade catarinense e maior demanda lá fora.

Ao falar para empresários, afirmou que o Brasil precisa de marcas globais, que agregam valor. A BRF atua com a marca Sadia no Golfo Arábico, onde é líder, e com a Plusfood na Europa. Recomendou ainda aposta em produtos de origem definida. Ao ser questionado sobre obstáculos à economia, criticou os atrasos em obras de infraestrutura e a alta carga tributária. A logística é afetada pela infraestrutura do país.

Pioneirismo
Neto de Atílio Fontana, fundador da Sadia, Luiz Fernando Furlan falou sobre os primeiros tempos da empresa cuja marca é a fusão das iniciais SA mais o final da palavra Concórdia, cidade onde a empresa nasceu. Contou que a companhia aérea Sadia foi criada para levar carne in-natura a São Paulo, mas que o grande negócio era a banha porque não existia óleo vegetal na época. Isso atraiu comentários de convidados como os senadores Luiz Henrique e Casildo Maldaner.

Tecnologia
A falta de mão de obra também foi obstáculo apontado por Luiz Fernando Furlan para as operações em SC. Em função disso, a empresa investiu em máquinas automatizadas, com scaner, para a desossa de pernas de frango exportadas ao Japão. Assim, evita que muitos trabalhadores tenham que atuar em ambiente frio, de até 15ºC, e em atividades que exigem esforço repetitivo.

Comentários

comments

Envie seu Comentário