Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 2 outubro 2014

Acordo do algodão

02 de outubro de 2014 0

O Brasil e os Estados Unidos assinaram acordo ontem para encerrar o contencioso do algodão na OMC iniciado em 2002 pelo Itamaraty. Os EUA pagarão cerca de US$ 300 milhões para repor perdas de produtores brasileiros em função dos subsídios pagos aos seus agricultores.

Até redes na praça

02 de outubro de 2014 0

A remodelação arquitetônica e paisagística de espaços públicos valoriza cidades e pode surprender pelo aconchego. É assim a
Praça Conexão Pedra Branca, da Mostra Casa&Cia na Primavera Garden da SC-401. A arquiteta e paisagista Juliana Castro (foto), que criou o novo espaço com redes presas entre lâmpadas azuis, mostra como usar o ambiente voltado ao convívio e à sustentabilidade. É ela quem assina também as paisagens do Mirante da Ponte Hercílio Luz e da rua Nereu Ramos, em Florianópolis; e o Passeio Pedra Branca, em Palhoça.

Com a Dudalina, Restoque se torna um dos maiores grupos de moda do pais

02 de outubro de 2014 1

Com a aquisição da Dudalina, o grupo de moda Restoque passa a somar receita de R$ 1.149 bilhão relativa a 2013 e R$ 573 milhões no primeiro semestre deste ano. Além da marca forte, incorpora o parque fabril da empresa catarinense que é um dos mais qualificados do Brasil. A aquisição da Dudalina coloca o grupo Restoque como um dos maiores do setor de moda do país. Mesmo assim, está atrás de pelo menos duas catarinenses, a Cia Hering e a Malwee, além de outras grandes companhias como a Renner, Riachuelo e C&A.

Confira o início do Fato Relevante da Restoque, divulgado pela CVM aos 40 minutos da madrugada de hoje:

A Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. (BM&FBovespa: LLIS3) (“Companhia” ou “Restoque”), em observância ao disposto na Instrução CVM nº 358/02 e na legislação em vigor, vem informar a seus acionistas e ao mercado em geral que seu Conselho de Administração aprovou nesta data o Protocolo e Justificação de Incorporação de 100% das ações de emissão da Dudalina S.A. (“Incorporação” e “Dudalina” respectivamente). Uma vez concluída a Incorporação de Ações, a Restoque se tornará titular de 100% das ações de emissão da Dudalina. Os atuais acionistas da Dudalina receberão ações da Restoque e deterão,
após a emissão, 50% do capital da Restoque.

Sobre a Dudalina
A Dudalina obteve em 2013 receita líquida de R$ 435 milhões, EBITDA de R$ 131 milhões e lucro líquido de R$ 110 milhões. Ganhou notoriedade pela qualidade de suas camisas, seu principal produto, que combinam corte impecável e matéria-prima diferenciada. Focada em um público de alto poder aquisitivo, a Dudalina é sinônimo de alto padrão de acabamento,o cuja tecnologia foi desenvolvida ao longo de mais de 57 anos de história.

A Dudalina distribui seus produtos em todo o Brasil por meio de, aproximadamente, 3 mil lojas multimarcas em 1,3 mil cidades (68% do faturamento bruto), 66 lojas próprias (26% do faturamento bruto) e 36 lojas franqueadas (7% do faturamento bruto). As lojas da Dudalina têm um tamanho médio de 57m² e faturamento líquido por metro quadrado anual de R$ 45,9 mil. Cerca de 80% dos produtos vendidos pela Dudalina são fabricados em suas próprias plantas industriais.A Dudalina tem como principais acionistas fundos administrados por Warburg Pincus e Advent International.

Racional da Incorporação
A Incorporação da Dudalina está alinhada com a estratégia de crescimento e ganho de escala da Restoque. A união das companhias traz uma série de ganhos e sinergias, tanto na eficiência do supply chain como na gestão das despesas gerais e administrativas, aumenta a diversificação de canais de venda e acelera o processo de desalavancagem da Companhia. A marca Dudalina é complementar às atuais marcas da Restoque e permite uma diversificação no perfil de clientes, com um preço médio alinhado com o atual preço médio da Restoque e margens semelhantes.

Combinação e Escala
A receita líquida combinada das duas companhias seria de R$ 1.149 milhões em 2013 e R$ 573 milhões no 1º semestre de 2014.

Luxo em alta

02 de outubro de 2014 0

Em palestra da ADVB/SC em Blumenau o consultor Carlos Ferreirinha disse que o segmento de luxo avança no país: o brasileiro já elevou seu padrão de consumo, o que estimula as marcas a acompanharem o desejo pelo luxo. Muitas empresas premium já estão no Brasil, mas todos podem aproveitar esse nicho, criando ou inserindo em seus produtos os atributos do luxo.

SP e Navegantes

02 de outubro de 2014 0

A partir de amanhã, a Gol inicia nova linha regular entre Navegantes e Guarulhos, São Paulo. Assim, passa a operar oito voos diários de São Paulo para a cidade catarinense. Como o terminal atende o Litoral Norte de SC e o Vale do Itajaí, além do público corporativo, a Gol vai trazer mais turistas praias, festas de outubro e ao parque Beto Carrero World.

Trilhos norte-sul

02 de outubro de 2014 0

Apesar de o projeto da Ferrovia do Frango ser o mais citado por políticos, o mais importante para a economia de SC
é a Ferrovia Norte-Sul, que trará grãos para permitir a continuidade da dinâmica agroindústria do Oeste. O senador Luiz Henrique disse após o evento do Lide SC que a solução mais rápida é promover uma licitação internacional à iniciativa privada.

Números que preocupam a indústria

02 de outubro de 2014 0

Enquanto candidatos à eleição evitam temas relevantes para o futuro, especialmente na área econômica, e números recentes preocupam, o setor industrial de SC planeja um futuro com mais competitividade. A atividade da indústria brasileira caiu em agosto, segundo a CNI. As horas trabalhadas na produção frente ao mês anterior caíram 0,8% e o uso da capacidade instalada recuou 0,5 ponto percentual. O fraco desempenho é devido às dificuldades para competir com produtos do exterior, menor consumo das famílias e queda dos investimentos.

De janeiro a julho, a produção industrial, segundo o IBGE, teve queda de 2,7% no Brasil e de 1,8% em SC. A perda da competitividade da indústria aumenta o déficit da balança comercial. Mês passado, as exportações caíram 10,2%. Em meio a esses obstáculos, a indústria do Estado planeja o futuro com o Programa de Desenvolvimento da Indústria Catarinense. Amanhã, em Joinville, a Fiesc começa a apresentar as 16 rotas de crescimento setorial que vão compor o Masterplan. A primeira será para o setor metalmecânico.

Benefícios da energia barata

02 de outubro de 2014 1

Quando a indústria da energia avança em produtividade, o que significa também redução de custo, toda a economia ganha. Índices de inflação e taxas de juros tendem a diminuir, facilitando a atração de investimentos e o crescimento econômico. Esta foi uma das conclusões do primeiro dia de debates do painel de especialistas do setor de energia, que se encerra hoje em Florianópolis. O evento integra o Programa de Desenvolvimento da Industrial Catarinense (PDIC 2022), que é realizado pela Fiesc. Dentro deste mesmo programa, a entidade apresenta amanhã, em Joinville, a rota estratégica de crescimento para os setores metalmecânico e de metalurgia.

A propósito, os EUA voltaram a ser competitivos na indústria com o gás de xisto. No Brasil, a realidade é contrária. Com a falta de chuvas e a escassez de geração de outras fontes, a conta da energia foi parar nas alturas.