Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Lições da montadora Porsche para as empresas

16 de outubro de 2014 4
Leutz1i

José Luiz Somensi, divulgação

Não importa se uma companhia atua no setor industrial ou de serviços. A Porsche Consulting, braço de consultoria da montadora alemã Porsche, a mais lucrativa do mundo, tem uma metodologia para oferecer com base no Lean Manufacturing, o sistema de produção enxuta japonês criado pela montadora Toyota. Ontem, o presidente da Porsche Consulting Brasil, Rudiger Leutz (D), fez palestra sobre o modelo para empresários sócios do Lide Santa Catarina, numa promoção paralela à Semana Guga Kuerten, que acontece em Florianópolis.

O evento, na sala de troféus do tricampeão de Roland Garros Gustavo Kuerten, teve também um discurso inspirador do tenista e a presença da sua mãe Alice e do irmão Rafael (C) que organizou o evento junto com o presidente do Lide SC, Wilfredo Gomes (E).
Segundo Leutz, o modelo avalia muito os processos, proporciona grande retorno finaceiro para as empresas, aumenta muito a produtividade e a competitividade.No Brasil, o maior mercado é a índústria, especialmente a construção civil. Atualmente, dos serviços da Porsche Consulting 70% são para construção civil. As maiores empresas do setor são clientes. Outro grande mercado no Brasil,segundo o executivo, é o Lean Administration.

- Todo mundo olha produção, mas os mesmos princípios de despercício e tempo de espera se aplica nos serviços. A gente trabalha até com bancos – afirma Leutz.
A Porsche adotou o Lean Manufacturing no início dos anos de 1990, quando entrou em crise. Conseguiu se recuperar de forma surpreendente e, por isso, transformou seu modelo numa consultoria que hoje fatura 100 milhões de euros por ano.

Porsche Cayenne

Cayenne

Roberto Leal


Embora atue na Porsche Consulting, Rudiger Leutz acompanha de perto a presença dos carros de luxo Porsche no mercado brasileiro. Segundo ele, atualmente, a marca vende mil unidades por ano no país. O modelo mais vendido é o Porsche Cayenne, que no Brasil custa cerca de R$ 400 mil ao consumidor, em função da elevada carga tributária. Na Alemanha, sai cerca de 50 mil euros a 60 mil euros e nos EUA, de US$ 50 mil a US$ 60 mil.

 

Comentários

comments

Comentários (4)

  • Michel diz: 16 de outubro de 2014

    Como pode um POVO culto e como o nosso de SC se deixar enganar tanto…os impostos são altos, mas não representam nunca 200% ou 300% acima do valor do automóvel…seja Porsche, BMW, Audi, Mercedes e etc…a gente “baba” tanto para estes caras …e eles não tem o mínimo de pudor ao mentir abertamente prá gente…vejam os preços dos carros da BMW fabricados aqui em SC…pois bem…serão os mesmos preços dos carros da BMW e importados…e diga-se…fabricados na bela Santa Catarina… margem de lucro MUITO GRANDE…e o Povo aceita a desculpa dos impostos!!

  • Nando diz: 17 de outubro de 2014

    Pelos valores que consta na reportagem, o nobre consultor quer que acreditemos que 242% a mais nos preços pedidos pelos carros sejam SÓ de impostos. Acho que ele esta “forçando um pouquinho a barra”, ou subestimando a inteligência de TODOS os brasileiros!! Se bem que tem trouxa que paga, e paga se quiser. Mas também não precisa achincalhar com as pessoas que tem 1 neurônio a mais que a grande maioria!!

  • Valério diz: 17 de outubro de 2014

    Tudo que e publicado pela imprensa e aceito como se fosse verdadeiro, principalmente se for contra o governo, os falsos instruídos, não analisam.

  • Carlos Henrique diz: 17 de outubro de 2014

    É verdade Michel.
    Carros fabricados aqui no Brasil e exportados para o México são vendidos lá por preço menor do que aqui.
    Os empresários sempre reclamam do “Custo Brasil”, mas na verdade o que existe nesse setor automotivo é o “Preço Brasil”.
    Se o consumidor paga mais caro, pra que vender mais barato, não é mesmo?

Envie seu Comentário