Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 27 outubro 2014

Como o Brasil pode ser menos desigual

27 de outubro de 2014 6
Finlandia1

Foto: Marcos Campos, Fiesc, Divulgação

Um dos assuntos mais comentados após o resultado da eleição de ontem, na qual a presidente Dilma Rousseff foi reeleita com uma diferença de apenas 3,4 milhões de votos frente ao candidato Aécio Neves, foi a divisão do Brasil. Além do resultado apertado, o mapa das vitórias nos Estados mostrou quase uma divisão do país pelo meio, com o Norte e Nordeste em vermelho, cor do PT, e as demais com o azul do PSDB. Entre as reações que chamaram a atenção estão a série de críticas contra nordestinos e mais mensagens dos que defendem o separatismo no Sul.
Hoje à noite, em entrevista à Globo, a presidente Dilma defendeu o diálogo, um país mais inclusivo, com oportunidades para todos e combate sem trégua à corrupção. Um Brasil focado na educação, cultura, ciência e inovação, que cuida das pessoas, em especial as mais pobres. Aliás, no debate ela disse que o seu governo vai priorizar a educação.
A única forma de tornar o país menos desigual é oferecer educação de qualidade e igual para todos, desde a creche até o ensino médio. Foi assim que a Coreia do Sul se tornou um país desenvolvido de uma hora para outra e é assim que a Finlândia mantém seu alto padrão de vida.
Quem conhece as regiões mais pobres do país sabe que em parte das escolas básicas do interior do Maranhão, por exemplo, nem todos os professores sabem ler bem e falta quase tudo. Cabe a todos os brasileiros exigir e fiscalizar a oferta de ensino de qualidade. Diversas empresas do Sul já investem e geram empregos e qualidade de vida nas regiões mais pobres do Nordeste e Norte. Mas se todas as pessoas receberem formação adequada, será possível alcançar desenvolvimento mais equilibrado, com menos demanda para o Bolsa Família. Assim, não haverá quem acuse que há os que contribuem e os que só recebem.

Exemplo da Finlândia

Na semana passada, o modelo de educação da Finlândia foi destaque em workshop da Fiesc, em Florianópolis, Santa Catarina. Kauko Hämäläinen (foto), da Universidade de Helsinque,disse que o modelo educacional do seu país prioriza o ensino profissionalizante articulado ao ensino médio e à formação de docentes. No país não há analfabetismo, a taxa de evasão escolar é inferior a 1% e os alunos têm de 7 a 8 horas diárias de aula. Ele informou que pelo menos 95% dos jovens de até 15 anos cursam o ensino médio concomitante com o profissional na Finlândia.

Associação Catarinense de Supermercados realiza convenção regional no oeste

27 de outubro de 2014 0

A Associação Catarinense de Supermercados (Acats) realiza amanhã, em Chapecó, a Convenção Regional de Supermercadistas do Grande Oeste de Santa Catarina. Entre os temas abordados estão intercâmbios para negócios entre empresas do setor e palestras sobre conjuntura. O evento tem o patrocínio da Fecomércio-SC e do grupo Pegoraro.

Professores discutem educação em evento científico

27 de outubro de 2014 0

10685500_376820592468165_3399098323193314981_n

Cerca de 2 mil professores participam desde ontem, em Florianópolis, da X Anped Sul – reunião científica sobre pesquisa em educação. Serão apresentados 800 trabalhos. Um deles alerta sobre a importância da regulação do Estado na educação privada. Uma das autoras é Leci Paier, doutoranda da Unisinos (RS). Ela alerta sobre a importância do foco humanista ao ensino.

Foto: Reprodução Facebook X Anped Sul

Novas escadas no terminal de transporte coletivo de Criciúma

27 de outubro de 2014 0

A Elevadores Villarta venceu a licitação para fazer a troca de escadas do terminal central de transporte coletivo de Criciúma. O serviço foi contratado pela empresa Astc por R$ 632 mil e os trabalhos vão demorar até 11 meses. Os serviços incluem a substituição das escadas, reparos e manutenção das duas escadas pelo período de um ano.

Casal de Imbituba lança campanha pela valorização de produtos têxteis nacionais

27 de outubro de 2014 1
Foto: Martha Moreira / Divulgação

Foto: Martha Moreira / Divulgação

O difícil desafio de vender produtos têxteis feitos no Brasil, gerando emprego e renda diante da concorrência asiática, motivou um casal de Imbituba a lançar nas redes sociais a campanha em favor da produção nacional. Sócios da Martha Moreira Enxovais Forever, produtora de edredons e outros itens de patchwork, Ricardo Rolf e Martha Moreira criaram o movimento Apaixonados por Edredons Patchwork Brasil e repúdio aos produtos importados com preço baixo.
– Apaixone-se pelo que é nosso – produto 100% brasileiro – diz a campanha. A empresa oferece três empregos diretos e cinco indiretos, usa tecidos locais e enfrenta carga tributária de 21%.

Atenção às exportações

27 de outubro de 2014 1

A piora das contas externas do Brasil vai exigir atenção especial do novo governo. Isso porque o preço das commodities está em baixa no mundo e as vendas de industrializados do país estão em queda. O governo deverá olhar para o câmbio e incentivos à inovação. O Brasil tem déficit de US$ 83,6 bilhões nas transações correntes nos últimos doze meses e de US$ 62,7 bihões no ano.

Com a vitória de Dilma, bolsa cai 5,16% e dólar sobe

27 de outubro de 2014 0

Como era esperado, o mercado reagiu mal à vitória da presidente Dilma Rousseff na eleição de ontem. Logo após às 11h de hoje, a BMF&Bovespa caia 5,16% e o dólar chegava à cotação de R$ 2,54, com alta de 2,37%. A queda da bolsa chegou a ultrapassar 6% hoje. Como era grande a expectativa de que Aécio Neves poderia vencer o pleito, que teve resultado muito apertado para a petista, investidores estão se desfazendo de papéis para evitar perdas maiores no futuro.

Turbulência na bolsa

27 de outubro de 2014 0

Diante de tanto sobe e desce do Ibovespa em função dos números das pesquisas eleitorais, a bolsa brasileira deve ter um dia de queda hoje devido a vitória da presidente Dilma Rousseff. As maiores oscilações deverão ocorrer nas ações da Petrobras, que atrai maiores atenções de investidores do país e exterior em função das investigações sobre denúncias de corrupção.