Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

À espera da nova equipe econômica

29 de outubro de 2014 1

Investidores esperam a presidente Dilma Rousseff anunciar a equipe econômica e que ela dê autonomia aos novos titulares para que tracem os rumos pela retomada do crescimento. Só depois é que decidirão quanto e quando vão investir. Isso porque o mercado interno está fraco e continua difícil exportar. Se for um nome de confiança, o crescimento interno será maior e mais rápido.

A lista para a pasta, sugerida pelo ex-presidente Lula e divulgada ontem, animou o mercado: Luiz Carlos Trabuco, presidente do Bradesco; Henrique Meirelles, ex-presidente do Banco Central; e Nelson Barbosa, ex-secretário executivo do Ministério da Fazenda. A bolsa subiu 3,62%.

Esse compasso de espera, que reflete o crescimento do PIB perto de zero, foi identificado na sondagem sobre investimentos feita pela FGV junto a 699 empresas no terceiro trimestre. Entre os entrevistados, 30% informaram que investiriam menos e 29% que investiriam mais que nos 12 meses anteriores.

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) realizou a posse da sua diretoria reeleita ontem. O presidente Robson Andrade defendeu mais diálogo e medidas para melhorar a competitividade. O presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, assumiu uma vice-presidência da confederação. Junto com o Sebrae, a entidade lançou programa para incentivar pequenas empresas a exportar.

Comentários

comments

Comentários (1)

  • Betokv diz: 29 de outubro de 2014

    São indicações bem coerentes…
    Para cuidar da pasta que decide o quanto de juros o Estado deve pagar pelos financiamentos, nada mais correto do que deixar nas mãos de quem representa os credores.
    Com certeza, com esta singela opção, a taxa de juros reduzirá sensivelmente nos próximos anos, e o Brasil conseguirá pagar menos com os serviços da sua histórica dívida.
    E os bancos proporão a toda sociedade brasileira uma taxa de juros similar ao praticado em países como Japão, Inglaterra e Estados Unidos. Taxas simbólicas, já que aqui no nosso país os Bancos não visam o lucro, e estes senhores indicados são gestores de ONGs.

    É, o PT mudou, só os petistas não perceberam.

Envie seu Comentário