Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de novembro 2014

Acif critica indícios de corrupção em Florianópolis

30 de novembro de 2014 2

A festa de encerramento do ano da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (Acif) sábado à noite, no CentroSul, contou com duras críticas do presidente da entidade, Sander DeMira, aos supostos casos de corrupção que estão sendo apurados pela Polícia Federal envolvendo a Câmara de Vereadores, prefeitura e empresas na Operação Ave de Rapina. O prefeito Cesar Souza estava no evento, ouviu o discurso do empresário e defendeu apuração dos fatos.

– A cidade vive um momento de muito tumulto e vem acompanhando com tristeza e decepção o desenrolar da investigação que aponta que alguns políticos transformaram contratos públicos em lucro privado. A Câmara deve perceber que sua imagem está desgastada e precisa mudar para representar os anseios da sociedade. Nos próximos dias, haverá uma movimentação na cidade e a Acif vai se posicionar – disse Sander DeMira.

Segundo ele, a entidade não tolera mais aumento da carga tributária. DeMira citou o Impostômetro da Acif que registrou sábado arrecadação em Florianópolis de R$ 1,3 bilhão para a União, Estado e Município. Para o empresário, 2014 foi um ano de grandes conquistas da Acif e a principal foi a derrubada do aumento do IPTU.

Reflexos econômicos do futebol em SC no ano que vem

29 de novembro de 2014 3

Que tipo de reflexo terá a presença de quatro clubes catarinenses na Série A do Campeonato Brasileiro de Futebol? Esta é uma das indagações que surgem com a presença do Avaí, Chapecoense, Figueirense e Joinville na disputa de elite do esporte no Brasil. A comemoração cresceu com a vitória do Avaí contra o Vasco, neste sábado, garantindo a volta do time à Série A e a presença dos quatro catarinenses na disputa.

É claro que 2015 será um ano de ouro para o futebol catarinense. Essa presença destacada vai projetar mais o Estado, as três cidades, os clubes e seus patrocinadores, com mais turistas e mais vendas. Entre as marcas que estampam camisas estão WOA, Unimed, Caixa, Aurora e Taschibra. No ano que vem, a camisa do Joinville poderá ganhar a marca BMW, da montadora sediada na vizinha Araquari.

Até pouco tempo, poucos imaginavam uma participação tão forte de SC no futebol. Com população de 6,7 milhões segundo estimativa do IBGE, o Estado é o que tem, proporcionalmente ao número de habitantes, a maior presença na elite do futebol. São Paulo tem três clubes na Série A  – São Paulo, Corinthians e Santos – e pode garantir  mais um, o Palmeiras, mas sua população é de 44,035 milhões de habitantes. Isto mostra que SC, de longe, é destaque nesse quesito.

A projeção do futebol dá força especial ao turismo. Aliás, sempre se fala que os clubes brasileiros gostam da presença de Florianópolis na Série A porque podem curtir a ilha nos períodos de jogos aqui. Em 2015 terão dois times da Capital. Além disso, poderão desfrutar de serviços de qualidade e das belezas de Joinville e de Chapecó.

O Estado poderia ter cinco times na A caso o Criciúma tivesse conseguido se manter. O clube do Sul se esforçou muito, mas não teve sorte desta vez. Esperamos que consiga subir logo, já no final do ano que vem. A propósito, vale observar que a cidade de Criciúma está cada vez mais bela também.Ganhou uma série de edifícios luxuosos, alguns com design exclusivos e outros com floreiras, fato raro em SC.

Num ano que promete ser difícil para a economia, o Estado tem registrado crescimento acima da média, viverá um 2015 com muitas emoções no futebol, segmento em que também ficou acima da média. Esperamos que seja com muitas vitórias e sem episódios de violência.

 

 

Acif faz festa de fim de ano hoje

29 de novembro de 2014 0

A tradicional festa de final de ano da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (Acif) será hoje, a partir das 20h30min, no CentroSul. O evento, que reunirá associados, parceiros e convidados, dará a largada para as comemorações do centenário da entidade, em 2015. O presidente Sander DeMira avalia que 2014 foi um ano de forte atuação da entidade.

- Participamos de momentos importantes para a vida da cidade, como as discussões sobre impostos, o andamento de obras e equipamentos essenciais para o desenvolvimento de Florianópolis, sem deixar de pensar nas questões do empresariado e na qualificação do mercado – afirmou o empresário.

Tractebel fará térmica no RS. Projeto de SC não é incluído

29 de novembro de 2014 0

O leilão de energia A-5 realizado ontem pelo governo federal contemplou uma usina térmica a carvão em Candiota no Rio Grande do Sul, a Pampa Sul. O investimento de R$ 1,8 bilhão para gerar R$ 340 megawwats será da Tractebel Energia, empresa franco-belga baseada em Florianópolis que é a maior geradora privada do Brasil. O projeto catarinense de térmica a carvão Usitesc, que está sendo articulado há cerca de 15 anos, não foi contratado nesse leilão em função do curto prazo para implantação. Esta é a segunda vez que participa de leilão federal, mas não avança.

- No leilão de 2013 foi pelo preço teto e nesse foi o prazo, que também pode ter sido a principal causa de não terem entrado outros projetos. Há um risco de as obras atrasarem e onerar o investidor na compra de energia para atender o contrato. Apesar do leilão ser um A-5 (cinco anos para os projetos serem construídos), por ocorrer no último trimestre do ano é na realidade um “A-4 – comentou Fernando Zancan, presidente da Associação Brasileira do Carvão Mineral (ABCM).
Conforme Zancan, o projeto catarinense poderá entrar em leilões futuros. Assim, moradores da região Sul, mais preocupados com os impactos ambientais do carvão, podem continuar tranquilos. Há sempre uma preocupação apesar de as empresas investidoras informarem que as tecnologias avançaram muito e os riscos da atividade carbonífera caíram. Para se ter uma ideia, Zancan explica que a atividade de uma térmica de 300 MW corresponde à mesma quantidade de emissões na atmosfera do que 30 mil veículos ligados. Como SC tem mais de 4 milhões de carros registrados, as emissões correspondem às de 133 térmicas.

 

Tractebel inclui três plantas em leilão

Além da térmica para o RS, a Tractebel incluiu mais duas plantas geradoras, somando venda de 5332 MW para 2019. A companhia incluiu o  Complexo Eólico Campo Largo (178,2 MW) na Bahia e a Termelétrica Ferrari (15 MW), em São Paulo. Usina de cogeração de energia a biomassa de cana-de-açúcar, a Ferrari está em operação desde 2009 e será ampliada para capacidade total instalada de 80,5 MW. Os investimentos nas três plantas vão somar R$ 3,6 bilhões e, como são geradoras de fontes diferentes, darão mais segurança ao sistema elétrico nacional.

 

 

Metas da fazenda

28 de novembro de 2014 0

Os contribuintes de SC que sonegam impostos ou cometem erros continuarão na mira da Fazenda do Estado. Isto porque os grupos de especialistas (GES) da pasta fixaram, para o ano que vem, mais uma meta ousada de expansão da arrecadação: 10,55% frente a 2014. Os GES respondem por 80% do total de ICMS arrecadado. A meta foi decidida em reunião dos grupos ontem. Segundo o gerente de fiscalização, Francisco de Assis Martins, o percentual definido é superior à meta orçamentária, que é de 10,12%.

Energia
Como não poderia ser diferente, a maior aposta dos fiscais da Fazenda em termos de expansão de arrecadação de ICMS no ano que vem será com energia. É que as tarifas do setor tiveram alta de 22,6% e os reajustes continuarão elevados. E hoje, a Fiesc realiza um grande evento sobre eficiência energética. Um dos palestrantes será o presidente da Celesc, Cleverson Siewert.

Comércio espera política fiscal conservadora para a volta da confiança

28 de novembro de 2014 0

00a29a72Na avaliação do presidente da Fecomércio, Bruno Breithaupt, as escolhas da presidente Dilma para a equipe econômica foram acertadas porque tanto Joaquim Levy quanto Nelson Barbosa têm experiência anterior, o que dá esperança de que darão uma nova direção à economia do país.

Para crescer
– Eles vão ter que adotar medidas conservadoras para viabilizar a retomada do crescimento. Joaquim Levy tem um viés conservador, deve adotar políticas mais rígidas para corrigir os rumos da inflação e cumprir as metas de superávit primário. Pelo perfil deles, temos que acreditar que vão haver mudanças, que eles vão adotar as medidas necessárias para conter a inflação e retomar o crescimento para que o país possa crescer especialmente em 2016. Há uma pespectiva de que as coisas serão diferentes.

Mais criativo
– Os empresários que acreditam que essa equipe vai reverter o atual quadro econômico apostarão mais rapidamente em novos investimentos. Diversas empresas do setor comercial têm projetos. Nosso empresariado é criativo,sabe encontrar oportunidades.

Indústria deve observar medidas de ministros para depois investir

28 de novembro de 2014 0

00a5d6ecPara o presidente da Federação das Indústrias de SC (Fiesc), Glauco José Côrte, a nova equipe econômica de Dilma passou confiança, mas os empresários não vão retomar um maior ritmo de investimentos imediatamente. Antes vão observar.

Modernidade
– É importante que a nova equipe econômica adote as mudanças necessárias porque o país precisa se alinhar com a modernidade. As economias de fora estão crescendo. Os países da OCDE vão crescer 3,3% este ano e 3,7% no ano que vem, os EUA estão se recuperando, a zona do euro cresce, a China cai mas ainda avança 7%. O Brasil está fora desse contexto. Precisamos de uma política macroeconômica que reduza juros, que possa apreciar o dólar, isso restaura um pouco da competitivade da indústria.

Investimentos
– Eu acho que vamos ter um primeiro semestre de observação. É claro que as primeiras medidas serão muito importantes, mas um pouco de cautela vai estar na estratégia de investidores internos e externos. Mas ao longo do semestre, se adotarem mais clareza e melhoria do gasto público, a confiança vai se estabelecer.

Com experiência técnica e política

28 de novembro de 2014 0
Foto: J. Freitas, divulgação, BD,04/11/2003

Foto: J. Freitas, divulgação, BD,04/11/2003

A cautela na apresentação de ontem, considerando aspectos técnicos e políticos, mostrou que o novo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, tem profundo conhecimento de causa e a experiência que o cargo exige. Engenheiro naval pela UFRJ com mestrado na FGV e doutorado em economia na conservadora Universidade de Chicago, ele foi um dos técnicos mais importantes da primeira equipe econômica do ex-presidente Lula, na qual atuou como secretário do Tesouro.

Na foto, de 2003, Levy (E) cumprimenta o então diretor do Banco Central, Alexandre Schwatsman (D), próximo do presidente do Banco Central, Henrique Meireles. O novo ministro atuou também no governo de FHC, no BID, foi secretário da Fazenda do Estado do Rio e estava há quatro anos no Bradesco. Conhece todos os lados das moedas.

PIB cresce só 0,1% no terceiro trimestre e mostra cenário difícil

28 de novembro de 2014 0

O Produto Interno Bruto (PIB) do país cresceu somente 0,1% no terceiro trimestre do ano em comparação com o segundo trimestre e caiu 0,2% frente aos mesmos meses do ano passado. O número pífio tirou o país da recessão técnica – com queda de – de – 0,6% no primeiro trimestre do ano – mas mostra uma economia quase parada, sem carregamento anterior porque quase tudo está com desempenho próximo de zero. No acumulado dos últimos quatro trimestres o PIB registrou crescimento de 0,7% em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores e no período de janeiro e setembro deste ano frente aos mesmos meses do ano passado cresceu apenas 0,2%. Em valores correntes, o PIB no terceiro trimestre de 2014 totalizou R$ 1,289 trilhão.
A indústria, que enfrentava resultado negativo há quatro trimestres, liderou o crescimento com alta de 1,7% no trimestre frente aos três meses anteriores. Os serviços tiveram expansão de 0,5%, a agricultura caiu – -1,9%, o consumo das famílias recuou -0,3% e o consumo do governo, com a pressão da eleição, cresceu 1,3% na mesma base de comparação. A taxa de investimento, representada pela formação bruta de capital fixo, avançou 1,3%, o que mostra um pequeno alívio ao lado do número positivo da indústria.
A taxa de poupança, outro dado importante do PIB, ficou em 14% no terceiro trimestre, muito abaixo da média nacional dos últimos anos, em torno de 16%. O novo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, que agora tem o desafio de criar as condições para a retomada do crescimento após atuar na empresa gestora de recursos (poupança) de clientes do Bradesco, tem razão ao defender mais poupança no país para apoiar os investimentos. A taxa de poupança da China, nosso principal competidor global na indústria, é perto de 50%. O fato é que os números do terceiro trimestre mostram uma economia gigante com inflação alta e praticamente parada (o que em linguagem econômica se chama estagflação) que necessita engatar uma marcha mais veloz.

Como a nova equipe planeja retomar o crescimento

28 de novembro de 2014 1

Buscar o equilíbrio das contas públicas, a retomada do crescimento e a redução da inflação. Esses foram os pontos priorizados pela nova equipe econômica apresentada ontem, integrada por Joaquim Levy para o ministério da Fazenda, Nelson Barbosa para o Planejamento e Alexandre Tombini para o Banco Central. O futuro titular da Fazenda deixou claro que diante do cenário difícil, mas não de crise, buscará o equilíbrio fiscal com meta de superávit primário (economia do governo para pagar juros da dívida e parte da dívida) factível, de 1,2% do PIB ano que vem e de 2% em 2016 e 2017.

Uma das principais dúvidas e que será dissipada com o tempo é se a presidente Dilma dará autonomia à nova equipe. O primeiro sinal foi a decisão dela de não aparecer no evento de ontem. Levy explicou que os novos titulares têm a responsabilidade de melhorar a condição fiscal e abrir espaço para mais investimentos e crescimento, o que é necessário para continuar as políticas sociais. Isto significa que será preciso colocar as contas em ordem para os agentes econômicos voltarem a confiar no futuro e investir, afinal, só é possível ampliar os projetos sociais com maior arrecadação, o que é alcançado com expansão econômica. A nova equipe evitou falar em medidas de impacto e negou pacotes. Mas entre as mudanças já comentadas estão o fim do incentivo de IPI para carros, maior controle na concessão de seguro-desemprego e de abono salarial.

Equipe econômica terá que conquistar confiança

27 de novembro de 2014 0

Enfim, a presidente Dilma Rousseff confirmou os principais nomes da sua nova equipe econômica. O economista Joaquim Levy, que atuou nos governos de FHC e Lula (primeiro mandato) será o ministro da Fazenda. O ministro do Planejamento é Nelson Barbosa e o presidente do Banco Central continuará no cargo. A nova equipe tem dois grandes desafios: aumentar a receita tributária e cortar despesas num cenário de crise e conquistar a confiança dos investidores. Se o investidor ficar confiante com os rumos da economia, pode investir até mais do que o esperado e reduzir o clima de recessão que tomou conta de boa parte dos agentes econômicos do país.

Exportação de inteligência

27 de novembro de 2014 0
Foto: Arquivo pessoal

Foto: Arquivo pessoal

Uma excelente fonte de receita internacional é a exportação de serviços, especialmente de inteligência. Um catarinense se destaca nesse tipo de negócio é Tony Eduardo, que treina equipes de policiais de países que têm segurança de alto padrão como os Estados Unidos e a China. Ele acaba de retornar de turnê de 15 dias nos EUA onde treinou os SEALs, a principal força americana de operações especiais. Tony é o único brasileiro autorizado a treinar a Swat chinesa. Na foto (abaixo à esq.), durante trégua do treino na terra do Tio Sam, na qual está o professor Royce Gracie (de branco).

No celular

27 de novembro de 2014 0

Forte no segmento de soluções de tecnologia para transferências bancárias, o Grupo Nexxera, de Florianópolis, acaba de lançar uma novidade para microempreendedores e profissionais que não trabalham com banco. Trata-se do Nexxcity, solução de pagamentos por celular que inclui leitor de cartão de crédito compatível com a maioria dos aparelhos de celular e plataforma de internet para transações financeiras simples, como transferência e pagamento de contas em qualquer lugar.

Equipe econômica e meta fiscal

27 de novembro de 2014 0

O anúncio, hoje, dos nomes principais da nova equipe econômica incluindo os economistas Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda e Nelson Barbosa ao Ministério do Planejamento deve dar um alento para a presidente Dilma Rousseff no mundo econômico.

Isto porque o setor privado confia na capacidade de Levy implementar um ajuste fiscal mais severo e adotar novos rumos para a economia. Mas a presidente continuará com o desafio político de conseguir quórum para votar, na próxima terça-feira, a proposta que muda a meta fiscal de 2014.

A medida visa a solução para que seja aceito um superávit primário de apenas R$ 10 bilhões enquanto o projetado no início do ano para o governo federal alcançar em 2014 era de R$ 116,1 bilhões, o equivalente a 2,2% do PIB.

Apesar de a União não estar cumprindo o superávit porque atendeu a maiores demandas de educação e investimentos durante o ano eleitoral, a base aliada, especialmente o PMDB, ao não votar a alteração na lei, complica a vida da presidente Dilma nessa fase crítica.

A expectativa é de que seja feito um esforço concentrado para aprovar a mudança terça. Se não der quórum, o governo federal terá que usar recursos do Fundo Soberano e mais dividendos das estatais para fechar a conta.

O embate no Congresso Nacional mostra que o toma lá da cá segue forte.

Corrida e renda

26 de novembro de 2014 1

Florianópolis é uma das cidades mais atrativas para corridas. Prova disso é o sucesso da Challenge, que será realizada no próximo fim de semana e vai injetar cerca de R$ 10 milhões na cidade. Um dos patrocinadores master é a Powerade, isotônico da Coca-Cola, muito consumido durante a Copa do Mundo no Brasil.

Sanidade animal

26 de novembro de 2014 0

Cerca de 1,5 mil profissionais da área de defesa sanitária animal de todo o Brasil participam, desde ontem, no CentroSul, em Florianópolis, da V Conferência Nacional de Defesa Agropecuária. O tema central é a excelência no setor. SC tem conseguido mercados exigentes como o Japão e os EUA graças a um trabalho diferenciado de sanidade pecuária.

Inovação em moda do SCMC

26 de novembro de 2014 0
Foto: Le + Gui, Divulgação

Foto: Le + Gui, Divulgação

A edição 2014 da mostra do movimento de design Santa Catarina Moda e Cultura será no CIC, em Florianópolis, de 7 a 13 de dezembro. Desta vez, as criações dos estudantes ficarão expostas sete dias para a comunidade conferir as inovações dos futuros profissionais do setor. Na foto, trabalho do time criativo Dudalina + Unochapecó, que se inspirou na Vasselai Incorporadora e no escritório Osvaldo Segundo Arquitetos Associados de Blumenau para criar coleção casual. A propósito, a Vasselai usa o design para moldar a paisagem urbana.

Aquisição lá fora

26 de novembro de 2014 0

Em linha com sua estratégia de crescer no exterior, a BRF concluiu a compra de 75% das ações da empresa de alimentos congelados Alyasra Food Company, do Kuwait. A aquisição total, iniciada em agosto, somou US$ 160 milhões.

Expansão em Balneário Camboriú

26 de novembro de 2014 0

O Grupo Pereira, que é de Itajaí, mas marca presença em diversos Estados do país, abre ao público na manhã de hoje loja da rede Fort Atacadista em Balneário Camboriú. É a primeira unidade da marca no município, fica na rua Acre, perto do terminal rodoviário, e vai atuar com atacado e varejo. É a décima loja do grupo em SC que atua também com as marcas Comper e Atacado Bate Forte.

Cartão próprio
Uma das estratégias de vendas do Grupo Pereira, que está presente também no Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo e Distrito Federal, é o cartão próprio, o Compcard. Por meio dele, a empresa financia seus clientes. Já são 260 mil usuários do cartão no país.

Longevidade

26 de novembro de 2014 0

Quanto maior a renda familiar no Brasil, maior a expectativa de vida. Em entrevista esta semana na Globonews, o senador Cristovam Buarque alertou que a criança que nasce numa família com renda de até três salários mínimos tem expectativa de oito anos a menos de vida do que a que tem família com renda igual ou superior a 10 salários mínimos.