Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Estudo aponta falta de gás natural para indústrias na Região Sul

05 de dezembro de 2014 2

As indústrias de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná têm demanda, hoje, por 11,28 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia, mas consomem 3,7 milhões de metros cúbicos e as distribuidoras da Região Sul não estão conseguindo suprir essa demanda. Foi isso que apontou estudo divulgado hoje na Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) pelo Fórum Industrial Sul integrado pelas federações do setor dos três estados (Fiesc, Fiergs e Fiep) e as três distribuidoras do insumo na região, a SCGás, SulGas e Compagás. O levantamento foi feito pela consultoria Gas Energy que apontou demanda de 30 milhões de metros cúbicos/dia se forem considerados empreendimentos maiores como usinas termelétricas e refinarias de petróleo.

Segundo o levantamento, que envolveu as distribuidoras e pesquisa junto a 450 indústrias de um universo de 1,6 mil, Santa Catarina tem demanda para 2,57 milhões de metros cúbicos por dia, o Rio Grande do Sul, 4,6 milhões e o Paraná, 4,11 milhões. Com a decisão de instalar um terminal de Gás Natural Liquefeito (GNL) em Rio Grande, no Rio Grande do Sul que iniciará atividades em 2019, essa demanda poderá ser suprida porque o projeto prevê a oferta de 14 milhões de metros cúbicos por dia, incluindo cerca de 5,5 milhões para uma usina termelétrica e a outra parte poderá ser distribuída aos mercados do RS e de Santa Catarina. A dúvida é o preço porque hoje, o gás usado nos três estados originário do Gasbol, custa cerca de US$ 11 por milhão de BTU/dia.

Além do novo terminal de regaseificação, as lideranças dos três estados reivindicam há anos a repotenciação do Gasbol, o gasoduto que traz o insumo da Bolívia.

 

Comentários

comments

Comentários (2)

  • naldo diz: 6 de dezembro de 2014

    Deve ter algum erro de valores informado acima entre demanda e consumo.

Envie seu Comentário