Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Facisc lança a Carta de Conjuntura que avalia cenários econômicos

16 de dezembro de 2014 0
Foto: Graziella Itamaro, Divulgação

Foto: Graziella Itamaro, Divulgação

Com o propósito de oferecer dados econômicos e análises para empresários da sua base representativa e à comunidade, a Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc) lançou na manhã de hoje a Carta de Conjuntura. A publicação trimestral vai levar para as 146 associações ligadas à entidade, que representam mais de 33 mil empresas do Estado, informações estatísticas da economia brasileira e catarinense como balança comercial, empregos, indústria, produção agrícola, comércio e serviços, além da situação analisada do tripé macroeconômico. Segundo o vice-presidente da Facisc, André Gaidzinski, esses dados vão ajudar no posicionamento de lideranças ligadas à entidade que é multissetorial, colaborando nas análises e tomadas de decisões.
- É um material de base para auxiliar principalmente as médias e pequenas empresas que são o nosso maior público – afirmou Gaidzinski.

O projeto integra a diretoria de Comunicação da federação, liderada pela empresária Christiane Hufenusller.
- As associações empresariais são as legítimas agências de desenvolvimento das cidades. Essa Carta de Conjuntura vai permitir ampliar a oferta de informações econômicas com análises, que serão divulgadas pela imprensa e também pelas assessorias das associações – disse Christiane.

Para o ex-presidente e conselheiro da Facisc, Alaor Tissot, a difusão dos dados junto aos empresários vai auxiliar também na argumentação para reivindicações junto à classe política.Segundo ele, a aproximação com as lideranças políticas para defender os interesses empresariais é uma das prioridades da atual gestão da Facisc liderado pelo presidente Ernesto João Reck. O presidente da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (Acif), Sander DeMira, avalia que a Carta traz informações importante para apoiar a análise conjuntural das associações e melhorar a correlação das entidades.

Um dos dados destacados pelo documento é o PIB de SC, que há tempos representa cerca de 4% do PIB brasileiro e 24,5% do total da região Sul. A Carta cita o IBCR-SC que é uma prévia do PIB regional brasileiro e que, de janeiro a setembro deste ano registrou crescimento acumulado de 2,92%, acima da média nacional.

Comentários

comments

Envie seu Comentário