Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Colombo reconhece exageros em custos do setor público

22 de dezembro de 2014 0

Na sabatina com jornalistas do Grupo RBS, quinta-feira o governador Raimundo Colombo falou com franqueza e com razão sobre os crescentes custos do setor público, que não cabem mais no tamanho do setor privado brasileiro. Afirmou que o Estado vai fechar o ano com os custos de pessoal dentro do limite da Lei de Responsabilidade Fiscal, mas deixou claro que haverá pouco espaço para mais contratações no ano que vem.

– É uma questão essencial, estou no limite de 46% e não posso passar dele. De cada R$ 100 de ICMS arrecadado, R$ 25 vão para os municípios, R$ 20 aos poderes e R$ 7 (era mais) para a dívida. Sobra só R$ 55 para o Estado. A sociedade quer qualidade nos serviços públicos, os custos do Estado estão indo para a estratosfera e há, de fato, exageros. Esse balanço a sociedade vai ter que acordar e fazer – alertou o governador, sinalizando que a sociedade deveria cobrar mudanças e o legislativo, aprovar.

O governador também falou mais de uma vez sobre o rombo enfrentado na previdência estadual e defendeu reforma que inclui maior tempo de serviço para aposentadoria. Citou como exemplo uma servidora da segurança que começa a trabalhar com 22 anos, se aposenta com 47 anos e, pela expectativa de vida em SC, pode viver por até 90 anos. Nesse caso, ficaria aposentada por 43 anos. Tudo indica que no futuro não haverá recurso para pagar tantos anos um inativo. São números inconsistentes hoje, que precisam ser equacionados gradativamente.

Investimentos

Para a economia crescer é preciso investir. O governador disse que no seu segundo mandato vai continuar priorizando investimentos via Badesc, tanto para empresas quanto ao setor público, dará continuidade ao programa Juro Zero, à atração de investimentos e melhorias em logística. Também continuará a instalação dos centros de inovação mapeados para os maiores municípios do Estado. Para melhorar a gestão, disse que usará o modelo de fluxo de caixa de Lee Iacocca, ex-presidente da Ford e chrysler.

Comentários

comments

Envie seu Comentário