Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Alta de energia pesa para empresas e pressiona inflação

29 de dezembro de 2014 1

Além do reajuste de 23% na tarifa de energia este ano, a indústria catarinense enfrenta em janeiro o custo da bandeira tarifária vermelha, de R$ 3 por cada 100 kWh, e teme possível reajuste extraordinário que poderá ser aprovado pela Aneel no início de 2015.

Com especialistas nos cálculos de custos de energia, a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) estimou que o custo médio da energia para a indústria do país no final de 2015 poderá chegar a R$ 459,20 por MWh. Conforme a entidade, o valor da bandeira vermelha vai elevar em R$ 40,98 o custo do MWh no país, incluindo os impostos.

Como em SC o custo do MWh para a indústria é maior do que a média nacional (em 2013 era 8,6% mais caro), o acréscimo na bandeira deve somar R$ 44,50 por kWh. Embora a bandeira de R$ 3 por kWh possa parecer barata, a indústria e o comércio não têm como absorver essa elevação de custos. Por isso, a empresa que puder vai repassar aos preços e quem paga é o consumidor.

Isso gera aumento de preços. Há bancos prevendo alta de 6,5% na inflação em 2015, com maior peso da energia.

 

Correção

Obrigada ao leitor Tiago por alertar novamente sobre erro no texto acima.

A correção foi feia. O certo é R$ 3 por cada 100 kWh e não por cada kWh.

Comentários

comments

Comentários (1)

  • Ricardo diz: 29 de dezembro de 2014

    A alta da energia é o reflexo a falta de planejamento, com péssima capacidade de execução somada a incompetência e irresponsabilidade do governo…é um resultado lógico, agora temos que pagar por isto, simples assim…

Envie seu Comentário