Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Em 60 anos, SC nunca teve tantas tempestades e raios como nas últimas semanas

18 de janeiro de 2015 3
Inpe (reprodução)

Inpe (reprodução)

Santa Catarina virou a terra das tempestades e raios. Em 60 anos, nunca aconteceu uma sequência de 25 dias consecutivos com chuvas, tempestades e quedas de raios como agora, afirmou o presidente da Celesc, Cleverson Siewert. No final da tarde de hoje, o mapa de raios do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostrava justamente isso. SC era o único Estado coberto de pontos vermelhos, indicativos de raios (imagem). Em outros Estados, somente o Paraná e o Tocantins tinham alguns pontos.
Por isso, embora a Celesc tenha reforçado equipes de manutenção de linhas de transmissão para verão, elas não estão dando conta de tanto trabalho porque as tempestades diárias estão causando muitos problemas em todas as regiões, explicou o presidente. No início da noite de hoje teve mais chuvas e falta de luz em diversas regiões. Às 19h de ontem, 55 mil unidades consumidoras ficaram sem energia no Norte da Ilha de SC, em Florianópolis. Na segunda-feira passada, Joinville enfrentou a maior tempestade dos últimos 20 anos.
Segundo o Inpe, o Brasil é o país que registra o maior número de raios em função da sua localização, próximo da linha do Equador.

Comentários

comments

Comentários (3)

  • Schell diz: 18 de janeiro de 2015

    Pelo visto (e como sempre) o dito presidente da Celesc não foi capaz de se pautar pelas previsões meteorológicas; ainda, não é capaz de perceber eou entender a questão do aquecimento global; finalmente, perto da linha do Equador? Logo Santa Catarina? Ora, ora e ora.

  • JGonçalves diz: 19 de janeiro de 2015

    Tbm não entendi a questão da Linha do Equador. SC está bem longe da mesma.

  • Lauri Feymann diz: 22 de janeiro de 2015

    Olá, procure saber mais sobre a AMAS, Anomalia Magnética do Atlântico Sul e quanto aos raios é devido a extensão territorial do país que o torna tão propenso à receber descargas elétricas constantes.

Envie seu Comentário