Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

WEG vê potencial para ônibus elétricos nas cidades brasileiras

01 de agosto de 2015 0

Se depender da WEG, multinacional catarinense mais inovadora do setor de equipamentos para energia, as cidades brasileiras, em breve, ficarão lotadas de modernos ônibus elétricos, ficando, assim, bem mais livre da danosa poluição dos escapamentos de veículos. O presidente Harry Schmelzer Junior informa que a companhia avançou no desenvolvimento de tração elétrica para ônibus totalmente elétricos ou híbricos. Há poucos dias, no evento Top of Mind, ele disse que o Brasil pode ser um grande inovador nesse segmento porque conta com os players para lançar esses produtos: a WEG faz a tração, as indústrias fabricantes de chassis fazem esses componentes e as produtoras de ônibus fabricam os veículos.

– Temos que começar localmente, vamos inovar, atender a demanda nacional e, depois, podemos avançar no mundo – afirmou Schmelzer. Segundo ele, a WEG já lidera o fornecimento de tração para barcos e pesquisou sistema para carros elétricos. Mas, por enquanto, não vai avançar nesse segmento em automóveis. Entre as novidades da empresa para  em inovação está a abertura de centros de pesquisa e desenvolvimento também na Alemanha e na China. A WEG investe 2,5% da receita líquida em inovação e P&D. No segundo trimestre deste ano, a empresa obteve receita líquida de vendas de R$ 2,3 bilhões, 29% superior a registrada nos mesmos meses do ano passado.

Em função desse protagonismo em pesquisa e qualidade de produtos, a companhia vem recebendo uma série de prêmios. Acaba de ser reconhecida como uma das marcas em destaque no prêmio NEI Top Five 2015-2016. A Pesquisa Nacional de Preferência de Marca de Produtos Industriais, promovida pela Revista NEI, publicação especializada da área, apontou a WEG como uma das marcas mais lembradas em nove categorias. A companhia atua nos segmentos de motores, energia, transmissão e distribuição, automação e tintas. Atualmente, está presente em mais de 100 países.

Leia as últimas notícias

Comentários

comments

Envie seu Comentário