Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

"Não são sexy nem divertidas", afirma Joaquim Levy sobre novas medidas

06 de agosto de 2015 0

Por Julia Pitthan*

Foto: Evaristo Sá, AFP

Foto: Evaristo Sá, AFP

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, deixou claro ao mercado ontem a orientação do Planalto de adotar medidas pouco populares na expectativa de voltar a crescer. Será necessário, no entanto, alguma paciência, já que em todas as ações, o objetivo não é o curto prazo. Ele explicou que as mudanças propostas pelo governo têm um lado microeconômico de melhorar o funcionamento da economia. As medidas não são sexy nem divertidas, afirmou.

Na relação de ações necessárias para o ministro estão a reforma do ICMS e do PIS/Cofins, redução da desoneração da folha e o equilíbrio das contas públicas. Ele falou durante o Novo Ciclo do Cooperativismo de Crédito no Brasil, realizado no BC.

Levy disse também no evento que é preciso entender o desafio que se enfrenta, as condições existentes, para, a partir daí, ter a determinação de tomar as ações necessárias para encontrar o caminho do crescimento. “O diagnóstico econômico do Brasil parece convergir entre economistas e governo”, enfatizou.

Apesar do discurso, a sintonia do Planalto com o setor privado está longe do ideal. A presidente Dilma Rousseff deve se reunir com empresários, ainda neste mês, na tentativa de melhorar essa relação e transmitir otimismo.
Leia as últimas notícias

* A colunista Estela Benetti está em férias até dia 19 de agosto, neste período a jornalista Julia Pitthan assume como interina.

Comentários

comments

Envie seu Comentário