Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de agosto 2015

Rebelo reconhece apoio de LHS e de SC na aprovação de leis

27 de agosto de 2015 0

Em sua intensa passagem por Santa Catarina, ontem, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo, mostrou sintonia com as lideranças catarinenses e, também, com o setor produtivo e outros segmentos locais. Na Fiesc, citou a colaboração do Estado na elaboração e aprovação do novo Código Florestal Brasileiro, do qual foi relator. Contou que sofreu embates de todos os lados, inclusive pressões de grupos internacionais, mas com informações que colheu em visitas a Santa Catarina e o apoio do então senador Luiz Henrique da Silveira, que tinha a experiência do Código Ambiental de SC, foi possível aprovar um código avançado, que hoje é usado como bandeira do Brasil para as próximas negociações da conferência do clima, que será em Paris. Rebelo também citou o pioneirismo de SC em projeto de pesquisa sobre os minerais terras raras, trabalho da Fundação Certi. Lembrou que o projeto que regulamentou a exploração e pesquisa desses minérios usados em alta tecnologia foi de Luiz Henrique.

Governo lança editais do Sinapse da Inovação em evento com ministro

27 de agosto de 2015 0

 

Foto: Rodrigo de Souza, divulgação

Foto: Rodrigo de Souza, divulgação

No evento Fomento à Inovação SC, de lançamento de editais para inovação, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo, elogiou iniciativas catarinenses. Participaram também o governador Raimundo Colombo, o presidente da Fapesc, Sergio Gargioni, e o secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), Carlos Chiodini.

- Lançamos os editais da a 5ª edição do Programa Sinapse da Inovação e da 6ª edição do Prêmio Stemmer de Inovação, ambos da Fapesc, órgão vinculado à SDS – destacou o secretário. O Sinapse já contribuiu para a geração de mais de 1,2 mil empregos diretos, 294 empresas e 148 produtos. No ano passado, empresas participantes estimavam um faturamento acima de R$ 120 milhões. Na foto, a partir da esquerda, Rebelo, Gargioni, Colombo e Chiodini.

Leia as últimas notícias

Professor Gargioni recebe o título de doutor honoris causa da Udesc

26 de agosto de 2015 0
Foto: Rodrigo Brüning Schmitt, Ascom Udesc, Divulgação

Foto: Rodrigo Brüning Schmitt, Ascom Udesc, Divulgação

Com extensa trajetória de serviços prestados em favor da formação superior, pesquisa, inovação e desenvolvimento econômico para Santa Catarina e para o Brasil, o professor Sergio Luiz Gargioni, presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) e do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), recebeu nesta quarta-feira (26) o título de doutor honoris causa, concedido pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). A distinção foi entregue pelo reitor da instituição, professor Antonio Heronaldo de Sousa, em solenidade no final da manhã de hoje, no Museu da Escola Catarinense (Mesc), no Centro de Florianópolis.

Nascido em Lages, Gargioni cursou Engenharia Mecânica na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e logo se tornou professor da instituição onde ministra aulas até hoje. Também atuou no CNPQ, foi superintendente do Sesi/SC e participa de diversos conselhos das áreas de tecnologia e outras. Preside o Conselho de Administração do Centro de Informática e Automação do Estado (Ciasc) e integra os conselhos do Sapiens Parque; Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC); Fundação Escola de Governo (ENA); Serviço Social da Indústria (Sesi) de SC; e Instituto Comunitário da Grande Florianópolis (Icom).
O evento desta quarta-feira (26) foi acompanhado pela esposa do professor, Maria Cacilda, a filha Paula e os seis irmãos. Também participaram autoridades e amigos do homenageado. Alguns vieram de outras regiões do Brasil e até do exterior.

Trajetória

Sergio Luiz Gargioni é professor do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), onde fez graduação, e tem Mestrado em Engenharia Mecânica pela Universidade de Illinois, dos Estados Unidos, e MBA Executivo em Administração de Negócios pelo Instituto IMD Lausanne, da Suíça.

Deu aulas também na Universidade de Brasília (UnB) no período em que foi superintendente de Desenvolvimento Industrial e Infraestrutura e secretário de Órgãos Colegiados do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e secretário-executivo do Conselho Nacional de Pós-Graduação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Conduzindo a Fapesc e o Confap pela segunda vez, Gargioni integra o Comitê Executivo do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), o Conselho Deliberativo do CNPq e o Conselho Consultivo da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

 Leia as últimas notícias

Clínica Coris comemora 10 anos de atuação

26 de agosto de 2015 0

Com apenas 10 anos que serão comemorados quarta-feira (26) à noite, a Clínica Coris, do complexo Baía Sul, de Florianópolis, já se destaca mundialmente. Reúne 13 patentes internacionais de produtos para as especialidades de endoprótese e angiologia. Foi pioneira no Brasil na realização de implante com endopróteses e seu centro cirúrgico está equipado com as melhores tecnologias. Os médicos que são sócios da clínica e lideram as equipes são Pierre Silveira, Gilberto Galego, Cristiano Bortoluzzi e Rafael Franklin, especialistas em angiologia, cirurgia vascular e endovascular.

Leia as últimas notícias

Nova coleção da marca de joias Pandora será lançada nesta quinta-feira

26 de agosto de 2015 0
Pandora / Divulgação

Pandora / Divulgação

Um dos diferenciais da Pandora, marca de joias dinamarquesa que acaba de abrir franquia no Iguatemi Florianópolis, é o design global que agrada a maioria. Entre os produtos preferidos estão as pulseiras de montar. A Pandora lança nesta quinta-feira (17) nas suas lojas a nova coleção, denominada Reino Encantado (foto). A marca também está presente também em Joinville e Blumenau.

Leia as últimas notícias

Supersimples adiado

26 de agosto de 2015 0

Alterações no texto do projeto do Supersimples, o PLP 025/2007, motivaram a postergação da votação prevista para terça-feira (25) na Câmara. O presidente da Frente Parlamentar Mista da Micro e Pequena Empresa, deputado federal Jorginho Mello, de Santa Catarina, avaliou que a mudança vai permitir mais tempo para discutir a matéria. O projeto é o mais esperado pelo segmento de pequenas empresas do Estado. Vai elevar os limites das faixas do Simples.

Leia as últimas notícias

Carvão, tecnologia e outros destaques desta quarta-feira

26 de agosto de 2015 0

Ao assumir na terça-feira (25) a presidência da Frente Parlamentar do Carvão Mineral, o senador Paulo Bauer planejou ações de apoio ao setor na Região Sul. Segundo ele, o ministro das Minas e Energia, Eduardo Braga, disse que o país precisa ampliar a geração a carvão e que vai agendar visita ao Sul de SC. E o ministro do Trabalho, Manoel Dias, contou que trabalhou no setor quando criança e destacou o avanço do Centro Tecnológico de Carvão Limpo, em Criciúma.

Armínio em jaraguá

O economista Armínio Fraga, ex-presidente do Banco Central que também foi o nome escolhido pelo candidato Aécio Neves para ser ministro da Fazenda, faz palestra nesta quinta-feira (27) à noite no 59º Encontro Empresarial de Jaraguá do Sul. O evento é organizado pela Acijs e o tema será A nova visão da economia brasileira. Interessados podem participar do eventomediante inscrição.

Apólice única

Gigante de geração e distribuição de energia, a Eletrosul decidiu unificar os seguros de todos os seus bens. O diretor administrativo da empresa, Paulo Afonso Evangelista Vieira, reúne corretores e resseguradoras amanhã para apresentar o projeto de unificação das apólices da companhia. Um dos objetivos da contratação única é reduzir os custos do serviço.

Índice positivo

Pesquisa da Pnad do IBGE que aponta desocupação de 3,9% dos trabalhadores em Santa Catarina, o menor índice do Brasil, comprova que o modelo econômico do estado está correto. A busca de ocupação cresce no país porque durante a crise mais pessoas saem para procurar trabalho.

Involves

Longe da crise, a Involves Tecnologia, do setor trade marketing, informa que vai contratar 30 profissionais até o final do ano para as áreas de desenvolvimento, suporte ao cliente, vendas e administração. Essa é a segunda expansão em menos de um ano e, após concluirmos o processo, chegaremos a 70 colaboradores, quase o dobro do que temos disse André Krummenauer, diretor da empresa.

Lei as últimas notícias

Crise atinge até o Papai Noel da Lapônia

25 de agosto de 2015 0
Foto: :Jonathan Nackstrand, AFP, BD, 13/12/2011

Foto: :Jonathan Nackstrand, AFP, BD, 13/12/2011

Nem o lendário Papai Noel da Lapônia, na Finlândia, escapou da crise que atinge países do Leste Europeu. O escritório do bom velhinho, o Santa Claus Office, declarou falência por estar devendo 140 mil libras, o equivalente a quase R$ 800 milhões, ao fisco do país. A razão da crise é a queda no número de visitantes (foto) no local, segundo o jornal The Telegraph, do Reino Unido.

A vila onde reside o Papai Noel e outros equipamentos recebem cerca de 300 mil turistas por ano, a maioria russos e de outros países da Europa. Em vídeo no Facebook, o bom velhinho pede ajuda pela internet. Informa que  acredita numa solução para o escritório.

 Leia as últimas notícias

Fiesc defende política industrial enxuta e exequível para o país

25 de agosto de 2015 0
Foto: Washington Costa, MDIC, divulgação

Foto: Washington Costa, MDIC, divulgação

Em evento realizado na última terça-feira (25), em Brasília, pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior para debater uma nova política industrial do Brasil, o presidente da Federação das Indústrias do Estado (Fiesc), Glauco José Côrte, que representou o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Edson Andrade, defendeu uma agenda enxuta para dinamizar o setor rapidamente.

- É preferível apresentar à sociedade uma agenda enxuta e exequível a um amplo conjunto de medidas direcionadas a todos os elementos do Custo Brasil, que pode acabar em nova frustração – disse Côrte.
O industrial catarinense alertou que o governo federal tem pouco mais de tês anos para planejar essa política e implementar, o que exige priorização e foco. Afirmou que apesar de ter sido impactada por contextos econômicos desfavoráveis, a indústria brasileira tem grande expectativa em relação a uma nova política industrial.

Leia as últimas notícias
Produtores catarinenses investem em tecnologia para aumentar produtividade

- Os resultados das últimas duas políticas ficaram aquém das expectativas, colocando em dúvida a capacidade do governo de implementar políticas eficazes. É verdade que as duas últimas políticas foram impactadas por contextos econômicos desfavoráveis, mas isso também serviu para mostrar a fragilidade de seu planejamento – afirmou.

Tanto a Fiesc quanto a CNI entendem que é necessário cuidar da agenda de curto prazo, focada no restabelecimento da competitividade e, ao mesmo tempo, adotar medidas capazes de promover a transformação estrutural que tornará a indústria brasileira competitiva no longo prazo, em condições sustentáveis. Côrte alertou que no tual momento econômico e político, é fundamental que a nova política tenha credibilidade e seja capaz de transformar as expectativas do setor produtivo. Para isso, será preciso construirmos algo diferente das experiências recentes.

Anfitrião do evento, o ministro Armando Monteiro voltou a defender o setor. Disse que não existe crescimetno econômico sem investimento na indústria. Observou que o país não pode deixar de ter uma política industrial e que o tema está no centro das estratégias do governo federal.

Índice da Fecomércio mostra que catarinense quer voltar a consumir

25 de agosto de 2015 0
Foto: Salmo Duarte, BD,21/11/2011

Foto: Salmo Duarte, BD,21/11/2011

Os 102 pontos registrados no índice Fecomércio de Intenção de Consumo das Famílias (IFC) deste mês, acima do limite de 100 pontos, mostra que os catarinenses querem voltar a consumir mais. O que impede é a condição financeira. Por isso, o presidente da entidade, Bruno Breithaupt, recomenda aos lojistas inovação com mais prazo e opções de produtos. Mês passado, pela primeira vez, o IFC ficou em 99,8 pontos, abaixo de 100.

Mais empregos
Presidente da Fecomércio SC e diretor-secretário da Confederação Nacional do Comércio, Bruno Breithaupt foi um dos entrevistados da revista CNC Notícias. Informou que a expectativa para a contratação de trabalhadores para o final do ano continua positiva, apesar de ser menor que em anos anteriores. Segundo ele, SC é um dos poucos Estados que ainda estão abrindo vagas no setor.

Leia as últimas notícias

Badesc comemora 40 anos e outros destaques desta terça-feira

25 de agosto de 2015 0

Badesc
Na sessão especial aos 40 anos do Badesc, nesta terça-feira, às 19h, na Assembleia, entidades parceiras da agência de fomento serão homenageadas. O presidente da instituição, Olívio Rocha, convidou Glauco José Côrte, da Fiesc, para falar em nome dos homenageados.

O futuro
Ex-presidente da Febraban e mais novo integrante da equipe da Gávea Investimentos, o executivo Fábio Barbosa, fala sobre desafios para empresários, hoje, no almoço da ADVB/SC, na Sociedade Guarani, em Itajaí.

Ajuda
Cidades atingidas por enchentes e tornado no Estado terão que esperar mais um pouco por recursos. O deputado Dirceu Dresch diz que o ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, adiou visita prevista para esta semana em SC.

Design
A arquiteta Luciane Vecchia, da Herman Miller, faz palestra hoje, às 19h30min, na Acate Primavera, sobre escritórios do futuro. O evento marca os 10 anos do Missão Casa, programa da TVCOM apresentado por Simone Bobsin.

Honoris
O professor Sergio Gargioni, presidente da Fapesc e do Confap, recebe nesta terça, às 10h, o título Doutor Honoris Causa, concedido pela Udesc. A entrega será no museu da instituição, no Centro de Florianópolis.

Leia as últimas notícias

Por que a China gera instabilidade

25 de agosto de 2015 0

Não é apenas o mercado acionário centrado principalmente em investidores pessoa física que causa instabilidade na China e preocupa o mundo. O fato de o gigante asiático ser um país ditatorial, com pouca transparência em dados estatísticos, aumenta a desconfiança. Como segunda economia global e sede da maior indústria do planeta, o país tem impacto grande nos preços internacionais. Se por um lado beneficia países como o Brasil comprando commodities, também derruba a indústria ao ampliar a oferta de produtos baratos nos mercados por ainda contar com muitos trabalhadores e manter sua moeda desvalorizada diante das demais. A turbulência em função da China vai continuar porque a desconfiança não desaparecerá de uma hora para outra.

Clínica inovadora de SC, com patentes mundiais, faz 10 anos

25 de agosto de 2015 0

 

Foto: Coris, divulgação

Foto: Coris, divulgação

Com apenas 10 anos que serão comemorados hoje à noite, a Clínica Coris, do complexo Baía Sul, de Florianópolis, já se destaca mundialmente. Reúne patentes internacionais de produtos para as especialidades de endoprótese e angiologia. Foi pioneira no Brasil na realização de implante com endoprótese e seu centro cirúrgico está equipado com as melhores tecnologias. Os médicos que são sócios da clínica e lideram as equipes são Pierre Silveira, Gilberto Galego, Cristiano Bortoluzzi e Rafael Franklin, especialistas em angiologia, cirurgia vascular e endovascular.

Entre os pontos altos da Coris estão a pesquisa clínica e a educação continuada. Por isso, atrai médicos para programas de aprimoramento e empresas multinacionais que querem ser parceiras em pesquisas. Recentemente, a empresa americana WL Gore apostou na Coris para testar um novo dispositivo para o tratamento de aneurismas toracoabdmonais e fazer na Coris o primeiro implante no mundo dessa tecnologia. Na foto, a sala híbrida da clínica, uma das melhores e mais completas do Brasil. 

Rede Óticas Carol cresce 66% em SC

25 de agosto de 2015 0

OticasCarolCom preços competitivos, investimentos em marketing, ampla oferta de produtos nacionais e importados e tecnologia, a rede Óticas Carol fechou o primeiro semestre com crescimento de 66% em Santa Catarina frente ao mesmo período de 2014. Em Florianópolis, a expansão alcançou 47% e, nas mesmas lojas no Estado, cresceu 12%. Ronaldo Pereira Junior (D), CEO da Óticas Carol no Brasil, que tem 850 lojas no país, fez questão de visitar SC na última semana. Foi recebido na Capital pelo franqueado Leo Menon (C) que em dois anos abriu sete lojas na região. José Alves Neto, CEO da Comunicação Explícita, agência nacional da rede, também visitou o Estado que sedia 14 lojas e segue ampliando.  

CAMPANHA PEQUENOS OLHARES
Maior rede de óticas do país, com 850 lojas, a Carol vai lançar em 12 outubro campanha nacional que vai começar pela Grande Florianópolis. Denominada Pequenos Olhares, incentivará a realização de exames de visão para todas as crianças em idade escolar. Segundo Ronaldo Pereira, cerca de 30% das crianças têm algum problema de visão e de cada 10 crianças brasileiras, oito nunca foram consultar com um oftalmologista. O projeto prevê a venda de óculos para crianças com preços acessíveis. 

DNA da Qualirede é na gestão de saúde

24 de agosto de 2015 1
Foto: Diórgenes Pandini

Foto: Diórgenes Pandini

Os avanços em serviços de saúde estão permitindo novos negócios, tanto para aprimorar a gestão de planos quanto garantir mais qualidade às vidas seguradas. uma das novas empresas desse setor é a Qualirede, de Florianópolis. Entre seus clientes estão o SC Saúde, o plano que atende os servidores públicos do Estado de Santa Catarina e seus familiares; e o Celos, dos empregados Celesc. A coluna conversou com a diretora executiva da Qualirede, Vilma Dias, que destacou a cuidadosa gestão voltada à qualidade e programas de preservação da saúde dos segurados.

Qual é a especialidade da Qualirede?
O negócio da Qualirede é a operacionalização dos processos de operadores de saúde. As empresas nos contratam para fazermos todo o processo de gestão, numa atuação terceirizada. O DNA da nossa empresa é gestão em saúde. Somos contratados para fazer desde o cadastro do beneficiário, emissão do cartãozinho, passando por autorização de procedimentos, formação da rede credenciada, programas de prevenção à saúde, processos regulatórios de OPMEs (órteses, próteses e materiais especiais), autorização de cirurgia, visita em hospitais para verificar se o que está sendo feito é adequado e outros serviços. Nós preparamos essa conta e entregamos para a rede prestadora. Há operadoras que nos contratam para o trabalho todo e outras só para “dores específicas” porque na área de sáude há muitas dores (também na gestão).

Quando a empresa foi fundada e quem são os sócios?
A Qualirede tem seis anos. Faz parte de uma holding fundada em Florianópolis que tem cinco sócios. A CEO e sócia-fundadora é Irene Minikovski Hahn, que antes era executiva da Unimed. Eu também sou sócia e diretora de operações. Os outros sócios são Marcelo dos Santos, diretor de Gestão do Conhecimento; Paula Bianca Minikovski, superintendente e Norberto Hahn, diretor Financeiro.
Quais são os principais números da empresa?
Temos, atualmente, 237 funcionários, mais de 10 mil prestadores credenciados, mais de 1 milhão de beneficiários abrangidos, mais de 3 mil pessoas treinadas e, no último ano, processamos mais de 1,5 milhão de contas médicas.

Onde vocês atuam?
Em Santa Catarina e em outros Estados. A nossa sede é em Florianópolis e abrimos um escritório em São Paulo porque estamos começando a prestar serviço para uma operadora daquele Estado. Estamos formando uma rede hospitalar no país para esse cliente paulista. Temos também pessoas atuando no Rio Grande do Sul, Paraná e na Bahia.

Como estão os serviços do SC Saúde? Há muitas reclamações?
O plano SC Saúde, hoje, tem um pouco mais de 171 mil vidas. Temos rede prestadora para atender todo o Estado, rede ambulatorial, para exames, hospitais. O nosso tempo de autorização de um procedimento no caso de internações não ultrapassa 72 horas. Temos meta de gestão, de autorização. A gente zela muito por esse prazo, que é bastante estreito. Temos pesquisas de satisfação com o segurado e elas têm registrado satisfação de acima de 95% de safisfação com o plano. Fazemos pesquisa também com a rede prestadora e o nível de satisfação é bastante elevado. E o pagamento para essa rede prestadora, o Estado sempre realiza em sete dias. Às vezes, há demora porqque há necessidade de ajustes. Temos 12 centros de atenção ao segurado em todo o Estado, os CAS. Neles, temos profissionais que atuam na parte de saúde preventiva. Eles fazem telemonitoramento. Nós temos também médicos que fazem esse trabalho dentro dos hospitais.

A Qualirede também tem programas de prevenção à saúde. O que oferece e como são desenvolvidos?
Temos enfermeiros e técnicos de enfermagem que atuam na parte de medicina preventiva. Atuam na área de monitoramento de doenças crônicas, visitam os segurados em casa, fazem telemonitoramento. Temos profissionais que fazem isso dentro dos hospitais. Lançamos, quinzenalmente, dicas de saúde. São folders atrativos para leitura disponibilizados nos sites, enviados também por e-mail para que as pessoas saibam se alimentar melhor, fazer prevenção. Falamos de tabaco, depressão, problemas do dia a dia, a questão do stress. São materiais sempre assinados pelos profissionais. Dentro dos fatores que determinam ter mais ou menos saúde, 70% resultam dos nossos hábitos de vida, 10% resulta de ter ou não acesso a serviços de saúde e 20% de questões genéticas.

Como vocês atuam nas demandas de próteses e outros itens?
A Qualirede atua na regulação técnica e de valores e, também, na questão de qualidade das próteses. Faz monitoramento para evitar diversos problemas, especialmente depois dos problemas de corrupção.

Como serão os escritórios do futuro

24 de agosto de 2015 0
Foto: Marcio Grzegorzewski, divulgação

Foto: Marcio Grzegorzewski, divulgação

Em sintonia com novas concepções de trabalho, o escritório do futuro precisa ser criativo, ter identidade e não ser padronizado. Esta é a conclusão de pesquisa da marca americana Herman Miller que entrevistou 500 empresas do mundo todo. Mais detalhes sobre a pesquisa serão revelados pela arquiteta Luciane Vecchia, gerente de produtos da companhia no Brasil, em palestra nesta terça-feira (25), em Florianópolis. Ela vem para participar do encontro Papo de escritório para marcar os 10 anos do programa Missão Casa, apresentado pela jornalista Simone Bobsin, na TVCOM. O tema de Luciane Vecchia será Papo de escritório: os 10 settings de trabalho do futuro e a palestra será a partir das 19h30min no Acate Primavera. O evento tem apoio da J. Ziliotto Espaços Corporativos, que representa com exclusividade a marca em Santa Catarina.

Leia as últimas notícias

Para o Mercosul entrar na pauta positiva do país

24 de agosto de 2015 0

Uma das notícias mais valorizadas na visita da chanceler alemã Angela Merkel ao Brasil foi a possibilidade de o acordo comercial Mercosul-União Europeia ser definido até o final deste ano. Foi isso que constatou o presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, que participou do almoço Brasil-Alemanha em Brasília. Mas uma decisão que garantiria pauta positiva ao comércio exterior e animaria muito a enfraquecida indústria brasileira seria a suspensão da cláusula do Mercosul que obriga negociação de acordos internacionais em bloco, ou seja, exige que todos os seis países aprovem qualquer acordo comercial externo.

O ministro do Desenvolvimento, Armando Monteiro, garantiu uma sinalização positiva nesse sentido, mas a Cúpula do Mercosul passou e o tema não foi colocado na mesa. O Paraguai e o Uruguai também desejam essa mudança diz a presidente da Câmara de Comércio Exterior da Fiesc, Maria Teresa Bustamante. Segundo ela, se essa cláusula for alterada, o Brasil poderá negociar acordos individuais, bilaterais e multilaterais, o que é fundamental para a sua maior inserção no exterior. Os EUA estão negociando acordos de última geração (que envolvem cadeias de valor) com a União Europeia e a comunidade asiática. O Brasil deveria estar nisso.

Leia as últimas notícias

Crise na bolsa chinesa amplia a tempestade perfeita no Brasil

24 de agosto de 2015 0

As dúvidas sobre a solidez do mercado acionário da China, que derrubaram as bolsas pelo mundo nesta segunda-feira (24) – a de Xangai registrou – 8,5%, de Tóquio – 4,6% e a BM&FBovespa caiu mais de 4% – ampliam os estragos na economia brasileira, aumentando a força do que se pode chamar de tempestade perfeita, ou seja, diversas crises ao mesmo tempo. O Brasil é um dos países mais afetados pelo recuo da economia chinesa porque é um grande exportador de commodities ao gigante asiático, tanto de minérios quanto de grãos. Além disso, enfrenta recessão preocupante este ano, com queda superior a 2% do PIB, e terá mais um ano recessivo pela frente. Além da queda na bolsa e alta no dólar, que chegou a R$ 3,57 hoje, o Tesouro Nacional teve que suspender as operações do Tesouro Direto.

A lista de problemas que afetam a economia brasileira inclui a investigação na Petrobras e em outras estatais, o estouro das contas públicas devido a gastos excessivos, pedaladas fiscais e incentivos a alguns setores em detrimento de outros, desemprego, juros altos, queda nas exportações, crise política e falta de confiança na gestão da presidente Dilma Rousseff, entre outros.

Como as crises externas se repetem, o ideal seria que o país tivesse suas contas ajustadas dentro do seu orçamento. A desordem nas finanças públicas prejudica justamente os mais pobres, com corte de empregos e programas sociais. Um dos grandes erros do governo foi o desajuste nos gastos, que procura corrigir agora com o ajuste fiscal. Outro, foi não buscar acordos comerciais internacionais para inserir mais a indústria no mercado global, especialmente nas cadeias de valor. Um país do tamanho do Brasil e com as riquezas naturais que possui não pode apostar apenas em commodities e deixar a indústria em segundo plano. O fortalecimento de uma indústria competitiva melhora a qualidade do emprego e a estabilidade econômica diante das oscilações do mercado mundial. A expectativa é de que a economia chinesa tenha bons fundamentos e não derreta totalmente porque, quanto maior o problema por lá, maior será também no Brasil.

Lei as últimas notícias
Dívida pública federal fecha julho em R$ 2,603 trilhões, divulga Tesouro

13º de aposentados e pensionistas será antecipado

24 de agosto de 2015 0

O Ministério da Fazenda confirmou que aposentados e pensionistas do INSS receberão a metade do 13° salário em duas etapas, nos meses de setembro e outubro. Os primeiros 25% serão pagos junto com o próximo vencimento, e mais 25%, no mês seguinte. Os 50% restantes sairão em dezembro, como nos outros anos. Em função da queda da receita de impostos devido à crise econômica, o governo federal havia anunciado que não faria a tradicional antecipação. Mas como recebeu muitas críticas, decidiu buscar uma alternativa.

Leia as últimas notícias

SC barra alta de ICMS

24 de agosto de 2015 0

Com finanças ajustadas apesar da crise, SC barrou novamente, na reunião do Confaz de quinta-feira, em Brasília, a aprovação de reajuste do ICMS. Quando viu a proposta da maioria, o representante do Estado, o diretor de Administração Tributária da Fazenda, Carlos Molim, consultou o secretário da pasta, Antonio Gavazzoni, que orientou voto contra a medida. O outro voto contra foi de SP.

O governador Raimundo Colombo prometeu não elevar impostos durante a campanha e a Fazenda está alinhada com essa decisão.

Leia as últimas notícias